Teste de publicidades

Apos as Eleições Serviço de Implantação de Rede de Saneamento Executado Pela Prefeitura do Recife Perde Qualidade e Diminui o Ritmo na Iputinga

Apos as Eleições Serviço de Implantação de Rede de Saneamento Executado Pela Prefeitura do Recife Perde Qualidade e Diminui o Ritmo na Iputinga

A prefeitura do Recife através da URB-Recife está executando na Comunidade da Vila União no bairro da Iputinga, uma obra de saneamento que visa tirar ligação de esgoto do rio Capibaribe, no caso da obra da Vila União a comunidade já é 100% saneada a vários anos obra realizada pela Compesa, a Prefeitura está substituído a tubulação de esgoto que hoje é de 100mm por tubos de 200mm, até ai tudo bem mais a obra que antes das eleições tinha um ritmo e uma "qualidade" na execução do serviço apos as eleições estranhamente perderam o ritimo e a qualidade, as calçadas que estão sendo executadas (reconstruidas) na rua Guaratiba, diferentemente da qualidade das calçadas que foram reconstruidas nas ruas Sobral,  Simonésia, rua Rouxinol, rua Silvânia... as calçadas da rua Guaratiba estão totalmente desconforme, fora dos padrões de acessibilidades, ondulada, cheias de defeitos 
Diante do exposto, considerando que os fatos acima narrados caracterizam, em tese, descumprimento de contrato pela construtora OTIL, os moradores da Vila União requereram ao Ministério Público de Pernambuco que sejam tomadas as providências cabíveis.


Bairro dos Torrões recebe obra de implantação de sistema de esgotamento sanitário

Bairro dos Torrões recebe obra de implantação de sistema de esgotamento sanitário

Dez mil pessoas serão beneficiadas

 

 


O bairro dos Torrões, na Zona Oeste do Recife está recebendo obras de implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto. Esse é o primeiro bairro da cidade que ganhará esgotamento sanitário por meio de investimentos do parceiro privado do Programa Cidade Saneada. A Parceria Público Privada do Saneamento em Pernambuco busca elevar os índices de cobertura do esgotamento sanitário na Região Metropolitana do Recife. As intervenções para construção desse sistema são realizadas agora nas ruas Poeta Lucena, Veranópolis, Antônio Valdevino, Damasqueiro, Assucena e Guaporema. Todo projeto prevê o assentamento de dez quilômetros de rede coletora, a instalação de mais de 2 mil ligações domiciliares, além da implantação de uma estação de bombeamento e de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Para construir o empreendimento são investidos R$ 13,5 milhões, beneficiando 10 mil pessoas nos Torrões.

 

A obra é executada pela BRK Ambiental, parceira privada da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), e contempla 57 ruas do bairro dos Torrões localizadas na área limitada pela Rua Maestro Jones JohnsonAvenida do Forte e Avenida Engenheiro Abdias de Carvalho. Já foram assentados 3.300 metros de tubulações em mais de 25 ruas do bairro, como a Jaguari, Iguaraci, Serafina Carneiro, Jordão e Epaminondas Cristovão. A Estação de Tratamento de Esgoto será construída na Rua Arthur Coutinho. A proposta é executar as intervenções causando o mínimo de transtornos para a população e impacto no fluxo do trânsito, principalmente, nas ruas mais movimentadas do bairro.

 

A obra para implantação do sistema de esgotamento sanitário no bairro dos Torrões iniciou no final do mês de junho e tem o prazo de conclusão de 16 meses. “O cronograma dos investimentos no programa Cidade Saneada foi elaborado buscando uma otimização do impacto social, ambiental, técnico e financeiro da situação do saneamento em todos os 15 municípios da RMR. Para essa fase do programa que está em andamento, serão realizados investimentos relevantes no Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Goiana (Centro e Pontas de Pedras)”, pontua o diretor de Novos Negócios da Compesa, Ricardo Barretto.


MPPE lançará novo sistema digital para tramitação e troca eletrônica de processos

MPPE lançará novo sistema digital para tramitação e troca eletrônica de processos

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) trabalha de forma intensiva para lançar uma nova plataforma para a gestão digital de processos judiciais, a conclusão da nova ferramenta de tecnologia está prevista para o início de  2019. O Sistema, intitulado Ministério Público Eletrônico (MPe), o sistema vem em substituir a utilização do Processo Judicial eletrônico (PJe), atualmente utilizado por membros e servidores do MP. Por meio dele será possível ter mais agilidade na atuação dos membros e servidores, já que contará com um plataforma de assessoria; facilidade no acesso aos processos de forma remota, com a possibilidade de compartilhamento com colaboradores para atuação virtual em diversas promotorias de Justiça; e redução do tempo e custo de operação processual.

 

Intuitivo e totalmente eletrônico, o MPe procura cumprir a Resolução Conjunta do CNMP/CNJ n.º 03/2013, que institui o Modelo Nacional de Interoperabilidade (MNI) do Poder Judiciário e do Ministério Público. “Com essa plataforma poderemos acompanhar em tempo real a tramitação de processos, estabelecendo um novo paradigma na gestão documental do MPPE. Além de melhorar a gestão, o sistema irá contribuir com o ganho operacional e de tempo no desenvolvimento das atividades dos membros e servidores. Uma das particularidades do MPe, por exemplo, é sua capacidade de se comunicar com outros sistemas e no seu desenvolvimento procuramos levar em conta três pilares obrigatórios para o sistema: usabilidade, acessibilidade e interoperabilidade. Além dos diversos benefícios advindos da substituição da tramitação de autos em meio impresso pelo meio eletrônico, o sistema irá ser um instrumento de celeridade, de qualidade da prestação jurisdicional e de acesso à justiça.”, disse o procurador-geral de Justiça do MPPE, Francisco Dirceu Barros.

 

Hoje, a atual multiplicidade de sistemas de tramitação processual, seja em meio físico ou eletrônico, implica na replicação de gastos e investimentos para todos os envolvidos. “Com a implantação dele vamos ter o domínio do sistema e, provavelmente, a maioria absoluta dos problemas enfrentados hoje com o PJe vão desaparecer completamente. Essa evolução também faz parte da reafirmação de nossa autonomia”, disse o secretário-geral do Ministério Público, Alexandre Bezerra. O MPe está em fase de projeto-piloto para uma completa homologação dos membros e será implantado progressivamente a partir de 2019 em todo o Ministério Público.

 

“Com o MPe vamos dotar o promotor de uma ferramenta tecnológica própria e desenvolvida pela área de tecnologia do Ministério Público de Pernambuco. Com ela, o membro do MPPE terá uma interface na sua atribuição finalística judicial, deixando de ser um mero usuário do PJe do Poder Judiciário, lembro ainda que as ferramentas que estão sendo desenvolvidas com utilização de Inteligência Artificial serão integradas ao MPe, dada sua arquitetura modular”, disse o promotor de Justiça e presidente do Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação do MPPE (Ceti), Antônio Rolemberg. Ainda segundo ele, o membro poderá receber a intimação de forma eletrônica, fazer o download do processo, assiná-lo digitalmente, elaborar petições, enviar suas manifestações ao Poder Judiciário pelo próprio MPe, remeter o processo de forma completamente digital ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e também validar as informações e pareceres elaborados por seus assessores.

 

Segundo a equipe técnica que procedeu com a elaboração do sistema, ele foi construído de forma modular, procurando se comunicar com os sistemas atuais  e disponíveis no MPPE e no TJPE, bem como com as plataformas futuras. “Estamos trabalhando para que seja possível eliminar a tramitação e a elaboração de documentos em formato papel. Na área meio já implementamos o PE Integrado e o Sistema Eletrônico de Informações (Sei) e, agora, estamos na área finalística implementando o MPe. O sistema já está em formato de testes nas promotorias de Justiça das cidades de Brejo e Jataúba e em breve vamos disponibilizar em todo o Estado”, destacou o coordenador ministerial de Tecnologia da Informação, Évisson Lucena.

 

Mais informações para a imprensa

Assessoria de Comunicação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE)

Telefone: 081 3182-7137 ou 3182-7138

E-mail: imprensa@mppe.mp.br ou imprensa.mppe@gmail.com


   Compesa  vai indenizar moradores que perderam casas na Rua Sempre Vida, em Dois Unidos

Compesa vai indenizar moradores que perderam casas na Rua Sempre Vida, em Dois Unidos

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) reuniu, nesta tarde(16), os moradores que tiveram as residências atingidas pelo deslizamento de barreira, a partir de um acidente envolvendo o rompimento de uma tubulação, na Rua Sempre Vida, bairro de Dois Unidos, provocado por queimadas realizadas por moradores. O encontro, realizado na sede da Gerência da Compesa Dois Irmãos, contou com a participação de quatro moradores, da diretora e da assessora da Diretoria  Regional Metropolitana da Compesa, Simone Albuquerque e Raquel Macedo, respectivamente, além da gerente regional da empresa, Isabelle Souto e técnicos da área social.

 

 

A  diretora Simone Albuquerque  propôs, de imediato, auxílio moradia  por 30 dias  e uma ajuda de custo para cada um dos proprietários dos dois imóveis destruídos no acidente, iniciativas que foram  aceitas  pelos moradores. Eles também foram informados que, próxima semana, os proprietários dos imóveis  serão indenizados pela Compesa. “Esclarecemos que o problema que desencadeou toda essa situação foi o incêndio provocado por moradores, que acabou danificando nossa tubulação e que por isso encharcou o solo provocando a queda da barreira. Mas mesmo sem o laudo conclusivo do Corpo de Bombeiros, decidimos adotar todas as providências para tranquilizar e prestar assistência aos moradores", pontuou a diretora Simone Albuquerque.

 

Além da assistência emergencial, a  equipe social da Compesa está fazendo o levantamento do mobiliário e utensílios domésticos dos moradores para que os prejuízos também possam ser ressarcidos. “A nossa expectativa é  concluir todo processo de indenização no prazo de 30 dias. Iniciamos hoje mesmo o  levantamento  para chegar ao valor de mercado praticado na redondeza, para que os moradores  comprem um imóvel em um local mais seguro”, informou Simone Albuquerque.

 

Para um dos moradores que participou da reunião, o autônomo Ademilson José de Souza, a condução de todo processo pela Compesa deixou todos tranquilos e bem atendidos. "Ficamos satisfeitos. Ficou definido que eles vão nos ajudar e tudo vai se resolver. O que eles prometeram até agora eles cumpriram", afirmou Ademilson, que teve a casa totalmente destruída.

 

Abastecimento de água

 

A Compesa informa, ainda, que o abastecimento de água da área permanece suspenso. Os técnicos esperam retomar a distribuição de água na próxima segunda-feira (19), em caráter emergencial – a previsão é que o atendimento seja feito por meio de um rodízio de dois dias com água e dois dias sem. A previsão é que até o final do mês, a Compesa conclua o trabalho de remanejamento da rede danificada pelo incêndio. E só após a finalização desse trabalho, é que a distribuição de água na área será normalizada, ou seja, voltar ao abastecimento diário.


Nota do PT sobre depoimento de Lula na Lava Jato

Nota do PT sobre depoimento de Lula na Lava Jato

“Perseguição a Lula ficou escancarada quando seu algoz, Sergio Moro, decidiu participar do governo que ajudou a eleger por ter condenado um inocente.” 

 

No depoimento desta quarta-feira, 14, o presidente Lula mostrou mais uma vez que são falsas as acusações dos procuradores da Lava Jato. Lula é um preso político, condenado injustamente para que não fosse eleito presidente da República como desejava a maioria da população.

A perseguição a Lula ficou escancarada quando seu algoz, Sergio Moro, decidiu participar do governo que ajudou a eleger por ter condenado um inocente. É inadmissível, no estado de direito, que Moro continue controlando o processo por meio de uma juíza substituta, quando já deveria ter se exonerado, abrindo oportunidade para um juízo imparcial.

ASSESSORIA DE IMPRENSA DO PT


Fim do programa Mais Médicos: Bolsonaro sempre foi contra Mais Médicos e tentou impedir sua criação

Fim do programa Mais Médicos: Bolsonaro sempre foi contra Mais Médicos e tentou impedir sua criação

Em 2013, ano de criação do programa, o então deputado entrou com ação para suspender atendimento aos que mais precisam; Cuba anunciou saída do programa 

 

Embora tente transferir a responsabilidade sobre a saída dos profissionais cubanos do Mais Médicos, anunciada na quarta-feira (14), ao governo de Havana, o presidente eleito Jair Bolsonaro sempre  foi contra o programa que atende cerca de 63 milhões de brasileiros, sobretudo das regiões mais carentes do país.

Ainda que tente convencer o povo de que “lamenta” a saída dos cubanos e que “apenas” exigiu revalidação técnica, o capitão da reserva tenta acabar com o programa desde a sua criação em 2013, quando ainda era deputado pelo PP-RJ. Na época, o parlamentar protocolou ação no Supremo Tribunal Federal (STF) na tentativa de suspender a medida provisória (MP) editada pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT) que criou o programa Mais Médicos.

Uma das justificativas do radical naquele ano era de que os cubanos teriam de se submeter ao Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira, conhecido como Revalida. No entanto, as próprias declarações de Bolsonaro deixam claro que a sua intenção real sempre foi ideológica. Em agosto deste ano, por exemplo, ele havia prometido expulsar os caribenhos do Brasil. “Vamos botar um ponto final do Foro de São Paulo. Vamos expulsar, com o Revalida, os cubanos do Brasil”, declarou.

Prometeu e cumpriu. Agora terá de arcar com o peso de evitar que cerca de 24 milhões de brasileiros e brasileirasfiquem sem assistência de saúde com a saída de Cuba – o país respondia por 45% dos profissionais que atendiam ao programa, algo em torno de 8500 médicos.

A decisão de Havana de repatriar seus profissionais é mais uma consequência grave das declarações preconceituosas e irresponsáveis do presidente eleito. Em nota o governo cubano disse que a saída foi motivada pelas “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas por Bolsonaro à presença no Brasil dos médicos do país caribenho.

Nos rincões do país

O programa Mais Médicos tem 18.240 profissionais espalhados por 4.058 municípios, cerca de 73% do total de cidades brasileiras. Uma de suas marcas é levar médicos em regiões que a maioria dos brasileiros da área se recusa a atender – para se ter ideia, mais de 700 cidades tiveram um médico pela primeira vez a partir do programa.

O Mais Médicos tem aprovação recorde: 95% dos usuários consideram o programa bom ou muito bom em 2016. Mais de 80% disseram que a qualidade do atendimento do SUS melhorou após a chegada dos cubanos, considerados ” mais atenciosos” pelos pacientes.

Da Redação da Agência PT de Notícias


Cidade de Pesqueira, no Agreste, começa a receber água do Rio São Francisco

Cidade de Pesqueira, no Agreste, começa a receber água do Rio São Francisco

Os moradores do município de Pesqueira, no Agreste, acordaram hoje com uma boa notícia: a água do Rio São Francisco começou a chegar à Estação de Tratamento de Água (ETA) da cidade e já está sendo distribuída nos bairros do Centenário, Prado e Centro, as primeiras localidades atendidas pela integração no novo sistema mediante a interligação das Adutoras Moxotó e Agreste. A chegada das águas do velho Chico ao município de Pesqueria marca um momento crucial para os 65 mil habitantes e será a solução para o abastecimento tendo em vista que as barragens de Santana, Pedra D’Água e Afetos entraram em colapso no fim de setembro deste ano, deixando a cidade em colapso.

Ao receber a notícia sobre essa etapa de integração das adutoras do Moxotó e Agreste, o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento- Compesa, Roberto Tavares, ressaltou a importância do empreendimento que beneficiará dez municípios da região. "Essa foi uma obra hídrica prioritária do governador Paulo Câmara, que acompanhou todas as etapas do empreendimento e representa a capacidade que o Governo de Pernambuco teve se interligar sistemas e fazê-los funcionar, apesar das obras da transposição não terem sido concluídas pelo Governo Federal", afirmou o presidente.
 
A obra de interligação da Adutora do Moxotó à Adutora do Agreste foi uma alternativa encontrada e sugerida ao governador Paulo Câmara para viabilizar o atendimento da população com água do Rio São Francisco, sem a conclusão do Ramal do Agreste, componente essencial para o pleno funcionamento da Adutora do Agreste, o maior empreendimento hídrico e que salvará 68 cidades e 80 localidades do Agreste da seca. A água que chegou a Pesqueria vem de longe, de Floresta, da captação da barragem de Itaparica, percorre 160 quilômetros até Rio da Barra, em Sertânia, e mais outros 120 quilômetros passando pelas adutoras do Moxotó e do Agreste.

Por causa dessa complexidade, os testes do novo sistema durou mais de um mês. "Surgiram vazamentos, fomos consertando, percorrendo pacientemente os trechos da antiga e novas adutoras, até chegarmos a esse dia histórico para Pesqueira, com a água disponível  nas torneiras”, explicou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.

Ainda segundo a Companhia, houve um aumento de 73% na oferta de água para o município. A vazão passou de 45 litros de água por segundo (essa era a vazão dos sistemas que entraram em colapso)  para 78 litros por segundo. “Esses 33 litros por segundo farão a diferença. Nesse início, como a cidade estava em colapso, o consumo deve ser alto, mas a tendência é normalizar e conseguirmos abastecer de maneira satisfatória Pesqueira apenas com a água do Rio São Francisco”, afirmou Tavares.

Pesqueira é a terceira cidade do Estado a receber água da Transposição  do Rio São Francisco. A primeira foi Sertânia e, em setembro,  a água chegou a Arcoverde. A população de Alagoinha, também localizada no Agreste, será atendida com a água que está chegando a Pesqueira. Os técnicos estimam ainda um prazo de 30 dias para que ocorra o equilíbrio no novo sistema e que a água chegue com regularidade nas cidades de Pesqueira de Alagoinha. "Esse período de ajustes é normal quando do início de qualquer operação de um novo sistema", antecipa Roberto Tavares, que pede a compreensão da população para essa fase.

Outros municípios também receberão água do Rio São Francisco, beneficiados pela interligação da Adutora do Moxotó com a Adutora do Agreste. São eles: Venturosa, Pedra, Belo Jardim, Sanharó, Tacaimbó, São Bento do Una e São Caetano, beneficiando, ao todo, 400 mil pessoas. O empreendimento é a primeira ligação do Eixo-Leste da Transposição do Rio São Francisco com o Agreste  pernambucano e conta com um investimento de R$ 85 milhões.


Ajude o Blog do Eduardo Nino

Ajude o Blog do Eduardo Nino

O Blog do Eduardo Nino chega para se somar a impresa livre onde através do cyber-ativismos vamos levar aos internautas as informações sem filtros.

O Blog do Eduardo Nino é uma trincheira do Ciberativismo que está mais presente na nossa vida do que realmente imaginamos, ao protestar na internet contra o aumento da tarifa de ônibus na nossa cidade ou contra a decisão da Anatel em limitar a taxa de dados nos provedores de internet, estamos praticando o Ciberativismo no seu sentido mais puro.

Blog do Eduardo Nino, a mudança começa nas pontas dos dedos. 

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-o-blog-do-eduardo-nino


O NORDESTE É MEU PAÍS!

O NORDESTE É MEU PAÍS!


Governadores atuais e eleitos pedem revisão imediata da MP do Saneamento

No total, 22 governadores se posicionaram sobre a Medida Provisória nº 844/2018, que altera o Marco Legal do Saneamento
 
 
Os governadores vão iniciar o mandato em 2019 com um grande problema nas mãos: levar saneamento básico a centenas de municípios deficitários, sem precisar aumentar a tarifa de água e esgoto. Esta preocupação motivou 22 governadores, dentre os atuais e eleitos no último pleito eleitoral, a se posicionassem contrários à Medida Provisória nº 844/2018 tal como se encontra, e pedem uma imediata revisão do texto, especialmente do Artigo 10-A. A carta assinada pelos governadores foi publicada nesta quarta-feira (7) em jornais de circulação nacional.
 
No texto da carta, os governadores ressaltam que da forma como foi aprovado o relatório do senador Valdir Raupp – relator da Comissão Mista que analisou a MP, fará com que o setor de saneamento tenha riscos de desestruturação e de piora das condições fiscais dos governos estaduais, além do agravamento das desigualdades. E, ao contrário do que diz o Governo Federal, os gestores não acreditam que a MP 844 possibilitará o avanço da universalização do saneamento.
 
Os governadores também falam sobre a falta de estímulo do Governo Federal para aumentar as parcerias entre o setor privado e os prestadores de serviços estaduais.  Seguindo a linha de pensamento de todas as entidades representantes das companhias públicas, os governadores também acreditam que o Artigo 10-A fará com que o setor privado se interessem unicamente pelos municípios rentáveis, enquanto a maioria dos municípios, pequenos e pobres, e aqueles onde há escassez hídrica, sejam relegados e fiquem sem solução. Desta forma, os municípios mais ricos irão avançar na universalização, em detrimento dos mais pobres que ficarão estagnados.
 
A Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento- Aesbe,  tem alertado desde novembro de 2017, que o artigo 10A da Medida Provisória 844 irá pulverizar a participação do setor privado no saneamento. Para o presidente da Aesbe, Roberto Tavares, os governadores desempenharam um papel muito importante ao se posicionarem neste momento. “O Governo Federal precisa acatar o que os governadores pedem. São eles que vão governar os estados e sentir na pele os efeitos negativos que a MP proporcionará, caso seja aprovada da forma em que está”, ressaltou o Roberto Tavares.
 
Assinaram a carta os seguintes governadores:
 
AL - Renan Filho (governador atual/reeleito) BA - Rui Costa (governador atual/reeleito) CE - Camilo Santana (governador atual/reeleito) DF - Rodrigo Rollemberg (governador atual) ES - Paulo Hartung (governador atual) GO - José Eliton (governador atual) MA - Flávio Dino (governador atual/reeleito) MG – Fernando Pimentel (governador atual) MS - Reinaldo Azambuja (governador atual) PA - Hélder Barbalho (governador eleito) PB - Ricardo Coutinho (governador atual) e João Azevedo (governador eleito) PE - Paulo Câmara (governador atual/reeleito) PI - Wellington Dias (governador atual/reeleito) PR - Cida Borghetti (governadora atual) e Ratinho Júnior (governador eleito) RN - Fátima Bezerra (governadora eleita) RR - Suely Campos (governadora atual) RS - José Ivo Sartori (governador atual) e Eduardo Leite (governador eleito) SE - Belivaldo Chagas (governador atual/reeleito) SP - João Dória (governador eleito)


Obra de ampliação da ETE Cabanga já está quase 30% concluída

Obra de ampliação da ETE Cabanga já está quase 30% concluída

Maior Estação de Tratamento de Esgoto de Pernambuco atende 500 mil pessoas no Recife

 

 

 

obra que está promovendo a ampliação e modernização da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Cabanga, a maior em operação no Estado, está 30% concluída. A unidade, localizada no bairro do Cabanga, Zona Sul do Recife, tem capacidade de tratar mil litros de esgoto, por segundo, e atende a população nos bairros do Pina, Boa Viagem, São José, Santo Antônio, Santo Amaro, Boa Vista, Bairro do Recife, Madalena e Torre. Hoje (5), membros do Conselho de Administração da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) visitaram a ETE Cabanga, para ver de perto o andamento dessa grande obra, com previsão de ser concluída em setembro de 2019. Para um dos conselheiros, João Bosco de Almeida, que já foi presidente da Compesa por duas gestões, a obra da ETE  Cabanga representa um avanço no saneamento do Recife, que contará com uma unidade totalmente modernizada para garantir mais qualidade de vida à população. Os visitantes  foram  recepcionados pelo diretor Técnico e de Engenharia da Compesa, Rômulo Aurélio Souza e pelo chefe de Gabinete da Companhia, Carlos Eduardo Maia.

 

O Governo do Estado e a Compesa investem R$ 102 milhões na obra, que faz parte das ações do Programa Cidade Saneada. Após a finalização da obra, a ETE Cabanga terá condições de funcionar com 100% da sua capacidade e atender até 500 mil pessoas. As intervenções preveem a adequação da infraestrutura do sistema de tratamento, possibilitando que a unidade passe a utilizar tecnologia de desinfecção por sistemas de ultravioleta, melhorando o grau de remoção dos poluentes e, consequentemente, a qualidade dos efluentes tratados. A Compesa está implantando 20 novas estruturas dentro do terreno já existente na unidade, com estações elevatórias, decantadores, medidores, digestores de lodo e queimadores de gás, além da casa de operação, laboratório, subestação e sala de painéis. A obra iniciou em junho de 2017.


Blog do Eduardo Nino na campanha Novembro Azul de combate ao câncer de próstata

Blog do Eduardo Nino na campanha Novembro Azul de combate ao câncer de próstata

CUIDAR DA SAÚDE TAMBÉM É COISA DE HOMEM

Novembro Azul é uma campanha de prevenção contra o câncer de próstata. O tema da ação é “Um toque, um drible”, com o intuito de conscientizar os homens da necessidade de fazer o exame preventivo. Pontos turísticos, pontes, monumentos históricos, prédios, equipamentos públicos e instituições privadas são iluminados com a cor azul e panfletos que explicam o que é o movimento são distribuídos.

É o segundo tipo de tumor que mais ocorre nos homens, e pode ser descoberto a partir do exame de toque. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta que em 2012 houve mais de 60 mil novos casos no Brasil. Em torno de três quartos dos diagnósticos são feitos em homens com mais de 65 anos. Se detectado o tumor, apenas a biópsia pode confirmar o câncer. Se descobertos no início, 90% dos casos são curáveis.

Não apresentam sintomas na fase inicial. Quando surgem se parecem com o crescimento benigno da próstata, que é a necessidade de urinar mais vezes, porém com dificuldade. Depois e certo desenvolvimento, provoca dor nos ossos, infecção generalizada ou insuficiência renal.
O tratamento depende do estágio que estará o problema, podendo ser realizado com cirurgia, radioterapia, tratamento hormonal.

Origem
O movimento surgiu na Austrália em 2003, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, que ocorre dia 17 de novembro.
Assim como outubro é marcado como mês de combate ao câncer de mama com o Outubro Rosa, novembro marca a campanha de conscientização aos homens, esclarecendo a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Moustache + November
Durante todo o mês de novembro, os indagados na campanha deixam seus bigodes crescer, podendo raspar apenas no início de dezembro. A atitude deles faz parte do “Movember” (em inglês a fusão de moustache november, bigode e Novembro respectivamente), que está presente no Novembro Azul ajudando na conscientização.