Teste de publicidades

Luciano Duque é o maior entusiasta da candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco

Luciano Duque é o maior entusiasta da candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco

Por Blog do Junior Campos

em prol da pré-candidatura de Marília Arraes, principal adversária do Palácio do Campo das Princesas. Assim que externou o desejo de disputar a cadeira de governadora, hoje ocupada por Paulo Câmara (PSB) Duque tratou, de imediato, em se escalar como o principal cabo eleitoral da petista.

Em entrevista, ainda esta semana, onde prestou contas do seu primeiro ano de gestão, do segundo mandato, como prefeito da principal cidade da região do Pajeú, Duque voltou a defender o nome da neta de Arraes, para disputar às eleições de 2018.

Na visão do prefeito, “Marília tem uma condição confortável, para quem acabou de começar a se colocar e discutir, o projeto do partido, com o nome de Pernambuco”.

Apesar da notória articulação entre o Palácio do Campo das Princesas, e o Partido dos Trabalhadores – PT, visando uma aliança para 2018, tendo com entusiastas, desse entendimento, nomes como o de: Humberto Costa Senador e João Paulo – ex-prefeito do Recife, Duque aposta no apoio destas duas lideranças, para que a vereadora do Recife dispute de fato, o governo de Pernambuco.

“Temos um bom caminho a ser percorrido...eu creio que até lá, essa candidatura de Marília vai ganhara musculatura e nós está discutindo um projeto para Pernambuco, junto com o PT, com Lula, com o senador Humberto Costa e com o ex-prefeito do Recife, João Paulo”, defende Luciano.


Compesa assina contratos de R$ 384  milhões para obras de saneamento em  18 municípios

Compesa assina contratos de R$ 384 milhões para obras de saneamento em 18 municípios

Implantação das Adutoras do Alto Capibaribe e de Caetés e Capoeiras estão entre os projetos selecionados


As investidas do governador Paulo Câmara, em diversas viagens a Brasília neste ano, para destravar o processo de financiamento para obras de saneamento em Pernambuco surtiram efeito. O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa, Roberto Tavares, acompanhado do deputado federal Fernando Monteiro (PP/PE), assinou nesta manhã (29), último dia útil do ano, em Brasília, os contratos de financiamento para dez projetos de saneamento que atenderão 18 municípios, com recursos do FGTS. O volume total de recursos captados diretamente pela Compesa é de R$ 384 milhões.

"Abastecimento d'água e esgotamento sanitário são duas das nossas maiores prioridades. São áreas que representam saúde, qualidade de vida e desenvolvimento para o nosso povo. Não pude estar em Brasília para a assinatura dos contratos por causa da nossa programação no Agreste, justamente para entrega de obras hídricas que vão ajudar a enfrentar mais este ano de seca", disse o governador Paulo Câmara.

Dentre os projetos selecionados pela IN-14 figuram a Adutora do Alto do Capibaribe e a construção de uma nova adutora, a partir de Garanhuns, para as cidades de Caetés e Capoeiras, ambas no Agreste.  “Foi uma vitória muito grande do governador Paulo Câmara conseguir viabilizar o financiamento ainda em 2017 para iniciarmos a execução das obras em 2018 e também um feito para a Compesa, que conseguiu, pela primeira vez, tomar empréstimos diretamente junto a CAIXA”, comemora o presidente da companhia, Roberto Tavares.

A Adutora do Alto Capibaribe, um investimento de R$ 82 milhões, vai acelerar a chegada da água da Transposição do Rio São Francisco para o  Agreste Setentrional, umas das regiões mais castigadas pela seca.  A adutora é inédita no país, pois vai captar água num rio de outro estado, a Paraíba, e terá 70 quilômetros de extensão para abastecer 230 mil pessoas no Agreste Setentrional de Pernambuco. Beneficiará as cidades de Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Jataúba, Taquaritinga do Norte, Vertentes, Frei Miguelinho, Santa Maria do Cambucá e Vertente do Lério.

No Agreste Meridional, para garantir o abastecimento de água das cidades de Caetés e Capoeiras, será executada uma obra que vai levar água da Estação de Tratamento de Água (ETA) Garanhuns para as duas cidades, que ficam localizadas a 16 e 22 quilômetros do município, respectivamente. O empreendimento, de acordo com o presidente da Compesa, é uma promessa do governador Paulo Câmara aos moradores das localidades, que reivindicam há muitos anos a realização dessa obra. Com investimento de R$ 15,6 milhões será possível regularizar o abastecimento das duas cidades mesmo em períodos de estiagem. Além dessas cidades, o financiamento beneficiará ainda com obras de água e de esgoto, os municípios do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Camaragibe, Gravatá, Garanhuns e Petrolina.

A expectativa do presidente da Compesa, Roberto Tavares, é agilizar os procedimentos para começar o lançamento dos editais de licitação, já na próxima semana, para a contratação das obras. “A meta posta pelo governador Paulo Câmara é de iniciarmos todos os projetos no começo de 2018 para que possamos atender os pernambucanos com obras de saneamento que melhoram a qualidade de vida das pessoas, em especial, aqueles que vivem nas cidades em situação crítica de abastecimento em função dos fatores climáticos, castigados pela seca”, avalia o presidente da estatal.


Cristina Kirchner: “A vitória de Lula é o fracasso do golpe”

Cristina Kirchner: “A vitória de Lula é o fracasso do golpe”

Ex-presidenta da Argentina denunciou o uso do lawfare contra lideranças de esquerda latino-americanas e convocou o povo a assinar petição em defesa de Lula 

 

A ex-presidenta da Argentina Cristina Kirchner denunciou o uso do lawfare – prática de uso de armas jurídicas a fim de perseguição política – contra lideranças de esquerda latino-americanas, incluindo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Reorganização do aparato judicial, acusações com muito impacto e pouca consistência e, o mais importante, uma imprensa que tome lado na causa”, declarou Cristina por meio de suas redes.

O uso do lawfare tem como um de seus mais notórios e divulgados casos o processo do “caso triplex” que corre, via Lava Jato, na Justiça Federal do Paraná. Advogados de renome nacional internacional chegaram a lançar um livro com críticas à peça condenatória feita pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro que não traz provas, rechaça testemunhas de defesa, negando o contraditório, e ainda admite que não se pode confirmar que o imóvel pertencia ou seria usado pelo ex-presidente.

Os abusos jurídicos contra Lula também foram denunciados pela defesa, através do advogado Geofrrey Robertson, ao Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Vitória de Lula é o fracasso do golpe”

A ex-presidenta também convocou brasileiros e latino-americanos a assinar uma petição internacional em apoio ao direito de Lula ser candidato em 2018 e contra a perseguição judicial. Ela falou sobre as pesquisas eleitorais que trazem Lula como o candidato escolhido dos brasileiros.

“Lula só cresce em todas as pesquisas de intenção de voto em primeiro e segundo turno. A vitória de Lula será o fracasso do golpe que permitirá a abertura de um novo ciclo político. Portanto, para evitar que ele sela eleito, vale tudo!”, afirmou Cristina Kirchner.

No dia 24 de janeiro o Tribunal Regional Federal da 4a região vai julgar os recursos do ex-presidente no “caso triplex”. Manifestações e vigília estão sendo organizadas por todo o país em defesa do direito de Lula se candidatar e da democracia.

Veja as mensagens de Cristina: 

 

“Lula crece en las encuestas en todos los escenarios de primera y segunda vuelta. La victoria de Lula sería el fracaso del golpe y permitiría la apertura de un nuevo ciclo político. Por lo tanto para evitar la candidatura de @LulapeloBrasil vale todo”. https://t.co/O5h8XWW0x0

— Cristina Kirchner (@CFKArgentina) 26 de dezembro de 2017


 

 

 

 

También quiero invitarlos a firmar esta petición internacional en apoyo a la candidatura de @LulapeloBrasil y en contra de la proscripción judicial.

Yo ya firmé.https://t.co/O5h8XWW0x0

— Cristina Kirchner (@CFKArgentina) 26 de dezembro de 2017

 

 

 

 


Coletivo Podemos PT/PE declara apoio à candidatura de Marília Arraes ao Governo de Pernambuco

Coletivo Podemos PT/PE declara apoio à candidatura de Marília Arraes ao Governo de Pernambuco

A conjuntura atual exige do PT-PE coerência e muita luta política!

Os golpistas mostraram a face mais perversa da política neoliberal. O desmonte do Estado galopa nas medidas criminosas do governo dos canalhas e o povo brasileiro sofre com a volta da fome, do desemprego e da falta de perspectiva para juventude das periferias das grandes cidades. O golpe rasgou pacto político da Constituição 1988 e expôs as estruturas envelhecidas da chamada Nova República.

A luta contra as reformas já aponta um duro combate nas ruas, mas também uma unidade de ação das forças progressistas, o adiamento da votação da contra reforma da Previdência na Câmara deu sinais da nossa força conjunta. A defesa da democracia com muita mobilização de massa deve ser a pisada da nossa marcha para garantia do processo eleitoral de 2018. O primeiro grande ato já tem data marcada. No dia 24.01.2018 todas e todos em Porto Alegre e em todo Brasil! ELEIÇÃO SEM LULA É FRAUDE!

Os efeitos nefastos dessa política já atingiram em cheio os estados e não foi diferente em Pernambuco, o Governo medíocre do PSB-PE que apoiou o golpe das elites, atinge marcas vergonhosas em todas as áreas, destacamos aqui a Segurança Pública, pois a falência de políticas só reforça a guerra de extermínio contra as mulheres e a juventude negra e assim terminamos o ano de 2017 registrando mais 5.000 assassinatos! Números de uma visível incompetência de gestão e da falta de orientação das forças que governam Pernambuco na promoção dos Direitos Humanos.

O Partido dos Trabalhadores em Pernambuco não tem mais o direito de errar! Na etapa estadual do nosso VI Congresso, aprovamos por unanimidade apresentar ao povo pernambucano uma candidatura do partido para fazer frente ao ataque dos golpistas aos direitos dos trabalhadores, apresentar um projeto democrático e popular e construir uma tática eleitoral que tenha como centro a eleição do companheiro Lula.

Que mobilize a militância progressista para reconstrução do campo popular reconectando o PT com a sociedade pernambucana apontando políticas públicas efetivas que supere os desmandos do atual governo e eleja uma bancada de deputados estaduais e federais sintonizadas com as lutas do povo e também leve em conta a urgente e necessária renovação de quadros dirigentes e parlamentares do nosso partido.

Nossas disputas internas não devem ser maiores que a perspectiva de protagonismo do partido no campo eleitoral, afinal de contas aonde foi parar a unidade tão propagada ao longo do Processo de Eleições Diretas do PT? Entendemos que as causas de parte do momento conturbado que estamos vivendo é também fruto da falta de autocrítica dos nossos erros e de uma atrasada cultura política que engessa as novidades no processo de composição das nossas direções.

O momento agora é de diálogo com o povo!

Diante do quadro reafirmamos nosso compromisso com a coerência da nossa construção partidária, a candidatura própria ao governo de Pernambuco deve expressar a defesa mais contundente do Brasil que queremos! A política de alianças prioritária do PT deve ser construída em conjunto com a base do partido e do alinhamento com nosso projeto nacional.

Não precisamos agora de vaidades ou “caciquismos” nem tampouco de culto a personalidades. Nossa tradição é de luta e organização popular! Vamos dialogar com a base e construir um programa que transforme Pernambuco, que traga de volta a democracia e a participação popular, que respeite os direitos humanos e cesse a guerra contra os nossos pobres. Que amplie o acesso à educação de qualidade e respeite as diferenças.

Em nossa opinião, essa tarefa deve ser representada com o respaldo dos movimentos sociais e das forças progressistas do nosso estado, não existe candidatura própria sem o sentimento da maioria e a companheira, Vereadora do Recife Marília Arraes, reúne as melhores condições para iniciar um amplo diálogo a altura dos desafios que estão postos. Reafirmando que nossa tática eleitoral tem que estar em sintonia com nossa maior tarefa que é a defesa de Lula, do PT e principalmente do povo Brasileiro.

Saudações PeTistas!

#PodemosPT

#UmPTParaOsNovosTempos!

Assinam:

Coletivo Podemos PT/PE

Alexandre Amorim - JPT/PE e DCE UFRPE.

Uilah Guedes - JPT/PE e UEP.

Felipe Curi - Diretório Estadual PT/PE.

Eduardo Nunes - Executiva Municipal do PT Recife e Setorial de Direitos Humanos PT/PE.

Gisele Lopes- Secretaria de Mulheres PT/PE e Marcha Mundial de Mulheres.

Joselita - Presidenta da 3ª Zonal PT/Recife, Militante Chico Mendes.

Ícaro Soriano - Setorial LGBT PT/PE e UEP.

Ingrid Farias - Comissão Nacional pela criação ao Setorial Nacional de Políticas sobre Drogas PT.

Marcos - Presidente da 6° zonal PT/Recife.

Marcelo Sobral - Presidente da 5º Zonal PT/Recife.

Samuel Costa presidente da 1° Zonal PT/Recife.

Pedro Henrique - professor.

Sr Deda militante do Morro da Conceição.

Mery militante do Morro da Conceição.

Manoel Carlos - professor.

Luiz Mendes militante da 3°zona.

Nena e Luci militantes da 3° zona.


Crescimento da candidatura de Marília Arraes

Crescimento da candidatura de Marília Arraes

É crescente em todo o Estado de Pernambuco o movimento favorável a pré-candidatura da vereadora Marília Arraes ao governo do Estado nas eleições de 2018.
Na pesquisa mais recente, divulgada pelos Blogs do Robério Sá e do Banana, Marília Arraes aparece na terceira posição, com 9% das intenções de voto em pesquisa realizada em Petrolina, na casa de Fernando Bezerra Coelho ele tem apenas 14%, Paulo Câmara com a maquina do governo não passou de 11%, já  Marília Arraes, que é vereadora no Recife, já aparece com 9%, deixando o senador Armando Monteiro na rabeira com 3%.
As manifestações de apoio a candidatura de Marília Arraes para governadora de Pernambuco tomaram conta das redes sociais, os internautas de todo Brasil consideraram positivo o desempenho da pré-candidata do PT à Governadora de Pernambuco, Marília Arraes, na pesquisa divulgada pelos Blogs do Robério Sá e do Banana, para os internautas entrevistados pelo Blog do Eduardo Nino  a pré-candidatura de Marília crescerá “substancialmente” nas próximas pesquisas, no mínimo atingirá 30 pontos percentuais nas pesquisas de opinião pública à medida que o nome dela for sendo divulgado e ela se fizer mais reconhecida pela população.

#FelizNatal

#FelizNatal



A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.
blogdoeduardonino.com.br


O povo de Pernambuco acordou! Fernando Bezerra Coelho é recepcionado aos gritos de “golpista” na Câmara do Cabo de Santo Agostinho

O povo de Pernambuco acordou! Fernando Bezerra Coelho é recepcionado aos gritos de “golpista” na Câmara do Cabo de Santo Agostinho

Por Blog
 Robério Sá

O Senador e pré-candidato ao Governo do Estado, Fernando Bezerra Coelho (PMDB), foi recebido aos gritos de “golpista” pelos movimentos sociais do Cabo de Santo Agostinho, nessa quinta-feira, dia 21, quando era agraciado com o Título de Cidadão do referido município, em solenidade na Câmara de Vereadores.

Os movimentos sociais ligados à esquerda política no estado deixaram o senador pemedebista em uma “saia-justa” no evento, que contou com a presença do prefeito do Cabo, Lula Cabral (PSB); prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR); prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD) e várias lideranças políticas da Região Metropolitana do Recife (RMR).

A Câmara de Vereadores teve que solicitar a presença da Polícia Militar para retirar os representantes dos movimentos sociais, do plenário da Casa das Leis. Após deixarem a parte interna do Legislativo, os manifestantes continuaram o protesto aos gritos de “golpista”, do lado de fora.

Em vídeo, um manifestante pediu o respeito do Senador Fernando Bezerra, que é aliado de primeira hora, do presidente Michel Temer (PMDB). “Nós queremos respeito, estamos cansados de político ladrão e golpista […] A Guarda Municipal e o servidor público merece respeito, não é (respeitar) político que dá golpe no povo trabalhador”, declarou, mandando recado, também, para Lula Cabral. 

Apesar da turbulência, o evento teve continuidade com a entrega da comenda pelo vice-prefeito do Cabo, Keko do Armazém, que havia encaminhado o pedido à Câmara de Vereadores na legislatura anterior, quando era um dos parlamentares.

Nas redes sociais, o senador peemedebista não comentou o episódio da solenidade, apenas declarou que foi “muito prestigiado” e que contou com “várias lideranças” políticas da capital. 


Partido dos Trabalhadores convoca diretórios a organizar comitês em defesa de Lula

Partido dos Trabalhadores convoca diretórios a organizar comitês em defesa de Lula

Leia a convocação na qual a Direção Nacional orienta os diretórios a criar os Comitês Populares em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser candidato à Presidência da República 

 

Orientação aos diretórios do PT:

O Partido dos Trabalhadores convoca cada petista a construir em seus municípios os Comitês Populares em Defesa da Democracia e do Direito de Lula Ser Candidato a presidente.

Defender Lula é defender a Justiça e a democracia! Impedir que Lula participe das eleições seria mais uma grave e radical afronta à democracia e à livre expressão da soberania popular.

Os Comitês Populares em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser candidato à Presidência da República são uma articulação com o objetivo de envolver os movimentos sociais, populares, sindicais, artistas, sociedade civil e toda militânciapetista, assim como os partidos do campo democrático e popular.

Os Comitês deverão ser compostos de acordo com as seguintes orientações:

1. Transformar as sedes e espaços do PT em Comitês Populares Pró-Lula;

2. Os comitês deverão ter caráter plural, cabendo às direções municipais, articular os diferentes setores da sociedade civil, os movimentos sociais e os partidos que compõem o campo democrático e popular;

3. Envolver artistas, personalidades públicas e pessoas não filiadas ao partido, mas que defendam a candidatura de Lula como um pressuposto democrático;

4. Pautar todos os vereadores e vereadoras, deputados e deputadas, senadores e senadoras do PT a ocupar imediatamente as tribunas das Câmaras Municipais e das Assembleias Estaduais e do Congresso Nacional, tendo como referência a Resolução do Diretório Nacional do PT;

5. Fazer nas festividades natalinas momentos de solidariedade, como por exemplo “Natal com Lula” e “Ano Novo com Lula”;

6. Articular junto aos Movimentos Sociais e as Frentes “Brasil Popular” e “Povo sem Medo” ações em defesa da democracia e do ex-presidente Lula, em todas as cidades brasileiras;

7. Fazer no dia 13, em todo o Brasil, mobilizações preparatórias para a atividade de 24 de janeiro em Porto Alegre;

8. Integrar a mobilização para os atos convocados para o dia 24 de janeiro em Porto Alegre e organizar manifestações em Defesa de Lula em seus municípios;

9. Os comitês deverão organizar a distribuição massiva de adesivos de carros, bandeirolas e preguinhas, além de conteúdo de redes sociais para a campanha de Defesa do Direito do Lula Ser Candidato;

Os Diretórios Municipais deverão informar através dos endereços eletrônicos sorg@pt.org.br e contato@agenciapt.org.br a composição e o contato dos coordenadores dos comitês constituídos.

“Defender Lula é defender a Justiça e a democracia”

Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do Partido dos Trabalhadores

Gleide Andrade
Secretaria Nacional de Organização

Carlos Árabe
Secretario Nacional de Comunicação


Obra emergencial na rede coletora de esgoto do Largo da Paz

Obra emergencial na rede coletora de esgoto do Largo da Paz

Está em andamento uma obra emergencial de esgoto no Largo da Paz, sentido Avenida José Rufino, no bairro de Afogados, no Recife. A Compesa iniciou a intervenção, ontem (19) à noite, para substituir um trecho de três metros da rede coletora, uma tubulação de grande porte, com 900 milímetros de diâmetro. Para realizar os serviços, foi preciso interditar o lado esquerdo da Rua da Paz, ao lado do trevo do Largo da Paz, e uma sinalização foi montada no local para orientar os motoristas que poderão usar a faixa direita da via para trafegar.

 

O abatimento da rede de esgoto foi identificado ontem à noite e, rapidamente, a Compesa adotou todas as providências junto à BRK Ambiental, o parceiro privado da companhia, para o início dos trabalhos e assim evitar interferências na operação do sistema de esgoto que atende essa área. A previsão é finalizar os trabalhos amanhã (21). A Compesa pede a compreensão da população para a necessidade de se realizar essa intervenção, ação de extrema importância para a manutenção satisfatória do fluxo de esgoto da região e evitar extravasamentos de esgoto nas vias.


Paralisação: Médicos do Recife denunciam abandono com a USF José Severiano da Silva

Paralisação: Médicos do Recife denunciam abandono com a USF José Severiano da Silva

Os médicos do Recife iniciaram nesta terça-feira (19/12), uma nova paralisação de advertência de 72 horas para alertar aos gestores municipais sobre a necessidade de investimento e melhorias na rede municipal de saúde. Para marcar o primeiro dia do protesto, representantes do Simepe, junto a profissionais, realizaram uma visita fiscalizatória na unidade de saúde José Severiano da Silva, localizada atualmente no bairro de Cajueiro, Zona Norte do Recife.

No local, os médicos encontraram irregularidades e uma estrutura que não é devidamente adequada para a oferta de saúde. Paredes com mofo, triagem feita na recepção, e consultórios sem o espaço e acessibilidade necessários para um atendimento plural e humanizado.

Vale salientar que a Unidade de Saúde deveria funcionar, originalmente, na Avenida Jerônimo Vilela, em Campo Grande, mas o local está completamente abandonado, com paredes pichadas e rachadas; vidros quebrados; entorno cheio de entulhos de obras e mato nas alturas. Além disso, a fiscalização do Simepe ainda encontrou bichos mortos, como ratos; além de peças íntimas como calcinhas e cuecas usadas no local.

Segundo os moradores da região, faz três anos que o espaço foi desativado e a PCR não apresenta nenhum indício de obra ou melhoria no local. Os pacientes reclamam porque uma estrutura própria como esta ainda não foi recuperada, fazendo com que eles precisem se deslocar por uma longa distância para ter acesso ao serviço de saúde, em um local improvisado.

Esse cenário de completo descaso foi “contemplado” com o recebimento do selo “GeJá de Falta de Gestão”, uma campanha do Sindicato dos Médicos e de toda a categoria contra os absurdos identificados na rede municipal de saúde. A categoria volta a se reunir em Assembleia Geral Extraordinária na próxima quinta-feira (21/12), às 14h, na Sede da Associação Médica de Pernambuco.


Defesa da Senadora Gleisi Hoffmann  no STF desmonta falsas acusações

Defesa da Senadora Gleisi Hoffmann no STF desmonta falsas acusações

O processo contra Gleisi Hoffmann tem todas as características de uma farsa, com sinais evidentes de perseguição política por meios judiciais 

 

A defesa da senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, apresentou nesta terça (19) as alegações finais em ação no Supremo Tribunal Federal, na qual a senadora, seu marido, ex-ministro Paulo Bernardo, e o empresário paranaense Ernesto Kugler foram denunciados irregularmente pela Procuradoria-Geral da República, por crimes que nunca praticaram.

O processo contra Gleisi Hoffmann, iniciado com um inquérito ilegal e oculto da Polícia Federal da Lava Jato em março de 2015, tem todas as características de uma farsa, com sinais evidentes de perseguição política por meios judiciais. Tudo se baseia em declarações falsas, contraditórias e conflitantes entre si, por parte de três réus que transacionaram com agentes do Ministério Público Federal em busca de benefícios penais e financeiros, sem apresentar nenhuma prova do que diziam.

A denúncia jamais teria sido recebida se, naquele momento, já estivesse em vigor o entendimento do STF, firmado ao longo de 2017. Isso porque a Segunda Turma do STF fixou o entendimento de que manuscritos rabiscados por um delator não podem corroborar seus próprios relatos. E foi exatamente isso que aconteceu no caso da Senadora. A gênese do caso é um rabisco de Paulo Roberto Costa, alegadamente copiado da caderneta de outro réu delator, o notório doleiro Alberto Youssef.

O STF firmou entendimento no sentido de que anotações feitas por delatores não são suficientes para embasar os fatos por eles narrados. No caso da Senadora Gleisi Hoffmann, não há nada que ampare os relatos de Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa que não um manuscrito rabiscado por este.

Ao longo da defesa apresentada ontem, foram apontadas as inúmeras contradições entre os fatos e a denúncia da PGR. Além de nunca ter pedido ou recebido, dos réus e falsos delatores, dinheiro para sua campanha ao Senado em 2010, Gleisi Hoffmann não poderia jamais ter sido acusada de corrupção passiva, pois não ocupava cargo público na época. Pela mesma razão, é falso dizer que teria praticado “ato de ofício” para supostamente beneficiar um dos réus delatores.

Gleisi Hoffmann não pediu nem recebeu dinheiro ilegal para sua campanha ao Senado em 2010; não teve, antes, durante ou depois de ser eleita, qualquer ingerência sobre nomeações ou demissões na Petrobrás; não teve participação em desvios naquela estatal ou em quaisquer outros, e todas a provas produzidas no processo comprovam sua inocência diante das falsas acusações.

II) A farsa criada pela PF e pela PGR

Nas alegações finais, a defesa mostra que o inquérito policial foi montado com peças obtidas ilegalmente (quebra de sigilos telefônicos sem autorização judicial, inclusive da senadora, entre outras arbitrariedades) e desmonta cada elemento da falsa narrativa dos delatores e da PGR:

1.Delaçoes contraditórias: Em delação premiada, o ex-diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, diz ter ouvido do doleiro Alberto Youssef que este fora procurado pelo ex-Ministro Paulo Bernardo, pedindo R$1 milhão para a campanha eleitoral de Gleisi Hoffmann. Para sustentar a mentira, apresenta uma anotação “PB/1,0”, supostamente copiada de uma caderneta de Youssef, que nunca apareceu no processo. Alberto Youssef, a seu turno, afirma que Paulo Roberto, e não ele, fora procurado por Paulo Bernardo; e novamente questionado, Paulo Roberto se contradiz e alega, agora, que Alberto Youssef não lhe disse se foi o próprio Paulo Bernardo ou algum interlocutor que lhe procurara.

2.Mudança de versões: Alberto Youssef prestou seis depoimentos e apresentou versões diferentes sobre a suposta entrega do dinheiro. Primeiro disse que entregou pessoalmente R$ 1 milhão a um intermediário em seu escritório em São Paulo. Depois disse que o dinheiro foi entregue “em 2 ou 3” parcelas. Na última versão, já correndo risco de ter sua delação anulada por ter mentido, Youssef apresentou o amigo e sócio Antônio Pieruccini como suposto portador, até Curitiba, de 4 parcelas de R$ 250 mil, que teriam sido entregues ao empresário Ernesto Kluger.

3.Provas desmentem o delator: Pieruccini disse que buscou o dinheiro em São Paulo, em quatro viagens, mas só apontou a data da suposta última entrega. O inquérito procurou comprovar as viagens e estadias de Pieruccini em São Paulo, nos registros de companhias aéreas e rodoviárias. Não há registros, nas companhias aéreas ou rodoviárias, de passagens em seu nome no período investigado. Diante dessas evidências, Pieruccini afirmou, em novo depoimento, que fazia suas viagens de carro, 5 horas para ir e 5 para voltar, sempre no mesmo dia. Não há registros dessas supostas viagens nos pontos de pedágio entre as duas cidades. Disse ainda que telefonou de seu celular 4 vezes para Kluger, para combinar as entregas. O levantamento do sigilo telefônico de ambos mostra que Pieruccini não fez nenhum telefonema para Kluger no período. Disse que recebia os valores das mãos de Rafael Ângulo, também réu e tesoureiro de Youssef,. Ângulo negou esta versão em depoimento e afirmou que nunca ouviu falar em pagamentos de Youssef para a campanha da senadora.

4.Falsas delações cruzadas: Pieruccini é réu colaborador da Lava Jato e é orientado pelos mesmos advogados do doleiro Youssef. Seu depoimento, pleno de contradições, é o único que sustenta a última versão do doleiro. Trata-se, portanto, da chamada corroboração cruzada, quando um réu sustenta a mentira do outro, em proveito de ambos. Se a palavra de um delator não pode ser tomada como prova, tampouco pode ser validada por outro réu com interesses comuns.

5.Perdão para os falsos delatores: Mesmo diante de todas estas inconsistências e mentiras, a PGR pediu abertura de ação penal contra Gleisi, Paulo Bernardo e Kluger, que negaram peremptoriamente em depoimentos todas as acusações. Mas os supostos corruptores e seus agentes (Paulo Roberto Costa. Alberto Youssef e Pieruccini) obtiveram perdão judicial e não foram denunciados pela PGR. Que tipo de denúncia de corrupção é esta, em que só existem supostos corruptos e nenhum corruptor?

6.”Corrupção” sem ter cargo público: Na denúncia ao STF, a PGR acusa Gleisi Hoffmann pelo “recebimento de vantagens indevidas em razão do mandato parlamentar que cumpria” e em “comprovada atuação como parlamentar e líder do Partido dos Trabalhadores”. É evidente a má-fé: em 2010, quando teriam suposta e falsamente ocorrido os fatos investigados, Gleisi Hoffmann não ocupava nenhum cargo público, não tinha mandato parlamentar nem era líder do PT. Não tinha, durante a campanha, e não teve, depois de eleita, qualquer ingerência na indicação ou manutenção de diretores da Petrobrás,

7.”Ato de ofício” sem ter cargo público: A tese da PGR, sustentada unicamente na palavra de um delator, é de que Paulo Roberto Costa teria entregue (a quem?, pois isso não está descrito o na denúncia) R$ 1 milhão (o que nunca ocorreu) em troca de suposto apoio para manter-se no cargo de Diretor de Abastecimento da Petrobrás (o que nunca esteve na alçada de Gleisi Hoffmann). Num delírio acusatório, a PGR afirma: “No caso em exame, houve a prática efetiva de atos de ofício, consumando-se o abuso de poder de funcionários públicos.” Mais uma vez: que ato de ofício poderia ter sido praticado por alguém sem cargo público?

8.”Ato de ofício por omissão”: Apelando por fim para o absurdo, a PGR afirma que o suposto e inexistente ato de ofício não teria sido praticado durante a campanha eleitoral de 2010, mas depois, no mandato e no período em que Gleisi foi Ministra-Chefe da Casa Civil. E nesta hipótese de futurologia, segundo a denúncia, a Senadora teria praticado “ato de ofício por omissão”, uma inovação que a lei não prevê. Ocorre que até mesmo as testemunhas de acusação (o ex-senador Delcídio Amaral e o empresário Ricardo Pessoa) declararam em juízo que Gleisi Hoffmann nunca teve envolvimento nos desvios da Petrobrás. O fato é que a senadora sequer conhecia Paulo Roberto Costa, muito menos tinha conhecimento dos desvios, como não tinha a sociedade brasileira, antes que fossem revelados no curso da Operação Lava Jato. E recorde-se que Paulo Roberto perdeu seu cargo em 2012, dois anos antes do início da operação.

9.Denúncia sem crime: Entre tantos defeitos, a denúncia do Ministério Público não foi capaz de individualizar qualquer conduta ilegal da senadora Gleisi Hoffmann. Nem mesmo a alegação inicial, da transferência (inexistente) de R$ 1 milhão se refere a ela, mas apenas vagamente à “campanha”. Ninguém pode ser condenado, nem sequer denunciado, sem que se mostre o suposto crime cometido. E Gleisi Hoffmann não cometeu nenhum crime.

III) A indignação de Gleisi Hoffmann

Em seu depoimento à Justiça, transcrito nas alegações finais, a senadora Gleisi Hoffmann mostrou sua indignação com as falsas denúncias e com o julgamento midiático a que foi submetida por causa de uma denúncia sem fundamento e sem provas. Eis a transcrição deste trecho do depoimento:

Então na verdade, eu quero deixar registrado isso, porque como eu lhe disse, eu não tive nenhum outro momento que eu pude falar nesse processo, única vez que eu falei foi no inquérito policial, na Polícia Federal, eu não fui mais ouvida. E tive que ouvir todos, inclusive através da imprensa, com delações vazadas, com depoimentos vazados, com tudo. É verdade que a denúncia foi aceita, num clima eminentemente político, que já mudou muito (…).

Então é óbvio que a gente fica indignado que a gente tem que ficar respondendo uma coisa que é mentirosa. Me desculpa, é mentirosa. Eles não me deram esse dinheiro, eu não peguei esse dinheiro, entendeu? E eu quero saber qual é o meu crime de corrupção passiva. O que eu fiz pra essa gente que justifique eu estar sendo acusada de corrupção passiva. O que eu fiz pro Paulo Roberto Costa? O que eu fiz pros fornecedores da Petrobrás? Onde eu dei vantagem? Mesmo depois, como ministra chefe da Casa Civil. Onde eu dei vantagem? Nenhuma, nem como senadora. Peguem todas as minhas votações que eu tive no Senado, meus projetos de lei, meus posicionamentos e vocês vão ver que não tem uma votação ali que possa ter beneficiado. Muito pelo contrário. Então eu só tenho que ficar extremamente indignada (…).

Então, eu sinceramente, doutor, eu espero, não estou pedindo pra ter nenhum tratamento diferenciado. Muito pelo contrário, eu só quero ter o tratamento dentro da lei, do devido processo legal. Se tiver nexo causal, se vocês provarem que eu pratiquei corrupção passiva e que eu lavei dinheiro, eu vou responder pelos crimes. Mas eu não fiz. E, portanto, tem que ter prova nesse processo. Porque, senão, não dá pra condenar.

Brasília, 20 de dezembro de 2017

Por Assessoria de Imprensa do Partido dos Trabalhadores


PARABÉNS CUMARU; PELOS 54 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA

PARABÉNS CUMARU; PELOS 54 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA

A cidade de Cumaru, que fica localizada no agreste de Pernambuco, completa hoje dia (20/12) 54 ANOS de emancipação politica;  localizado

 à margem ocidental do rio Capibaribe o município já contava em 1908, segundo dados históricos, com 60 casas.
Cumaru, anteriormente conhecido como Malhadinha, segundo o padre Montoya, significa alimento indigesto. Estudos relacionados aos apesctos físicos indicam que o clima do município é bom, frio e saudável. 
Gentílico: cumaruense 

Formação Administrativa 
Distrito criado com a denominação de Malhadinha, pela lei municipal n 2, de 19-12-1892, subordinado ao município de Limoeiro.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Malhadinha figura no município de Limoeiro.
Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.
Pelo decreto-lei estadual n 235, de 09-12-1938, o distrito de Malhadinha passou a denominar-se Cumarú.
No quadro fixado para vigorar no período de 194-1948, o distrito de Cumarú figura no município de Limoeiro.
Pela lei estadual n 421, de 31-12-1948, o distrito de Cumarú teve sua grafia alterado para Cumarú.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito já grafado Cumarú figura no município de Limoeiro.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VI-1960.
Elevado à categoria de município com a denominação de Cumarú, pela lei estadual nº 4966, de 20-12-1963, desmembrado de Limoeiro. Sede no antigo distrito de Cumarú. Constituído de 2 distritos: Cumarú e Ameixas. Desmembrado de Limoeiro. Instalado em 28-06-1964.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos Cumarú e Ameixas.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005. 
Alteração toponímica distrital 
Malhadinha para Cumarú alterado, pelo decreto-lei estadual n 235, de 09-12-1938. 

Alteração de grafia 
Cumarú para Cumaru teve sua grafia alterado, pela lei estadual n 421, de 31-12-1948.

Fonte

IBGE