Teste de publicidades

NOTA OFICIAL DO PT- PARTIDO DOS TRABALHADORES #OcupeRedeGlobo

NOTA OFICIAL DO PT- PARTIDO DOS TRABALHADORES #OcupeRedeGlobo


NOTA: Rede Globo incita golpe militar
 
É escandalosa a pressão da Rede Globo para que o Supremo Tribunal Federal negue ao ex-presidente Lula o direito constitucional de se defender em liberdade da condenação ilegal e injusta, sem crime nem provas, imposta por Sérgio Moro e agravada em decisão previamente combinada da 8a. Turma do TRF-4.
 
Chegaram ontem (3/4) ao cúmulo de encerrar o Jornal Nacional associando uma declaração do comandante do Exército, general Villas Boas, ao julgamento marcado para hoje do habeas corpus em defesa de Lula no STF.
 
Não é natural da democracia que chefes militares se pronunciem sobre questões políticas ou jurídicas, como vem ocorrendo nos últimos dias. Mais estranho ainda é que uma manifestação do comandante do Exército, general Villa Boas, em rede social, seja divulgada e manipulada no decorrer de uma edição do Jornal Nacional especialmente dedicada (23 minutos) a pressionar os ministros do STF.
 
Nos governos do PT, prestigiamos as Forças Armadas como nenhum outro desde a redemocratização do País. Em nossos governos, não faltou fardamento nem rancho para os recrutas. Investimos na defesa das fronteiras terrestres, das águas territoriais e do espaço aéreo, devolvendo a dignidade aos militares.
 
E assim como defendeu o general Villas Boas nas redes sociais, nós do PT sempre combatemos a impunidade e respeitamos a Constituição, inclusive no que tange ao papel das Forças Armadas definido na Constituição democrática de 1988.
 
A defesa da Constituição implica em reconhecer a presunção da inocência, conforme definida no parágrafo 57 do artigo 5o. É o que esperamos que seja ratificado hoje pelo plenário do STF.
 
A Globo quer repetir o que fez em 1964, quando incitou chefes militares contra o governo constitucional de Jango Goulart. E o faz agora para pressionar o Supremo. A Globo tem sido historicamente um veneno a democracia.
 
Colunistas amestrados da imprensa, porta-vozes do fascismo e até oficiais da reserva vêm brandindo a ameaça de um novo golpe militar contra o reconhecimento dos direitos de Lula. São as vozes do fascismo e da intolerância.
 
A saída para a crise política, econômica e social está na realização de eleições livres e democráticas, com a participação de todas as forças políticas e sem vetos autoritários a Lula. E no respeito ao pacto político consagrado na Constituição de 1988. É este pacto, democrático, que o STF tem o dever de proteger.

Senadora Gleisi Hoffmann
Presidenta do Partido dos Trabalhadores

Senador Lindbergh Farias 
Líder do PT no Senado Federal

Deputado Paulo Pimenta
Líder do PT na Câmara dos Deputados


O Fórum Municipal Popular de Educação do Recife Realiza a 1ª CMPER- Conferência Municipal Popular de Educação do Recife

O Fórum Municipal Popular de Educação do Recife Realiza a 1ª CMPER- Conferência Municipal Popular de Educação do Recife

O Fórum Municipal Popular de Educação do Recife – FMPER - é um coletivo de ação política, independente do Governo Municipal, composto por representantes dos trabalhadores da Educação pública e privada e da sociedade civil, com o objetivo de acompanhar, monitorar e fiscalizar as Políticas Públicas Educacionais do Recife, bem como promover debates, estudos e apresentar proposições para melhoria da qualidade da Educação Básica.

O resultado da Conferência será encaminhado à Conferência Estadual, à Secretaria de Educação, e à Comissão de Educação da Câmara de Vereadores do Recife, sendo um instrumento de luta por mudanças na Educação em especial do Recife.

Objetivos da Conferência: a 1ª CMPER- Conferência Municipal Popular de Educação do Recife tem por objetivo aprovar ou rejeitar o documento referencial de análise do PNE - Plano Nacional de Educação e iniciar uma revisão do PME-Plano Municipal de Educação.

PROGRAMAÇÃO

Abertura: 03 de Abril - Bloco G- UNICAP- Universidade Católica de Pernambuco, às 18h00.

Plenárias dos Eixos: 04 de Abril, das 8h30h às 12h00.

Plenária final: 04 de Abril, das 13h40 às 18h30- Plenária Final- auditório do Bloco G da UNICAP

Quem pode participar? Convidados e delegados eleitos por entidades representantes dos trabalhadores da educação pública, particular, comunitárias e Universidades; Estudantes; representantes das famílias; entidades estudantis; entidades em defesa dos direitos humanos; entidades comunitárias, entre outras.

Quem elege os(as) delegados(das)? Os delegados serão eleitos pelas entidades, ou pelo Fórum, quando tiver interesse do segmento e no caso de negativa da Instituição em realizar o processo de escolha dos(as) delegados.

Qual a metodologia para escolha dos(das) delegados(das)? Assembléias ou reuniões da entidade para escolha dos(as) delegados(das).

* No ato do preenchimento da ficha do(a) delegado(a) eleita deve escolher um dos seguintes Eixos em discussão na Conferência: Eixo IV, Eixo V e Eixo VII . O resultado deve ser enviado para o seguinte e-mail: fomudeedu@gmail.com ou pessoalmente, ao Comitê Gestor e deve constar de: Fichas preenchidas dos(as) delegados(as) eleitos(as).

Calendário para escolha dos(as) delegados(das) : 15 a 27 de março . 

O que cada eixo vai abordar?
Cada Plenária temática vai discutir um Eixo e a revisão das Metas do PME-Plano Municipal de Educação do Recife, que estão em consonância.
Eixo IV: Qualidade da educação, democratização, acesso (vagas), permanência.
Eixo V: Diversidade étnico-racial, gênero, Direitos Humanos, Justiça social e cultura.
EIXO VII: A plenária irá discutir: valorização dos profissionais de Educação. 

Obra de esgoto em Cadeias chega as principais ruas do bairro

Obra de esgoto em Cadeias chega as principais ruas do bairro

      Mais de 14 mil metros de  tubulações foram assentadas em 38 ruas

 

Mais de 14 mil metros de rede coletora de esgoto já foram assentadas por meio da obra de implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário no município de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. As tubulações foram implantadas em 38 ruas do bairro de Candeias. Agora, as frentes de trabalho, para escavações e assentamento de rede coletora, encontram-se nas vias principais de Candeias: Avenidas Abdo Gabus, Bernardo Vieira de Melo e Presidente Castelo Branco. A primeira fase da obra, que está em andamento e já  foi executada 21% -  abrangendo parte dos bairros de Candeias, Piedade e Barra de Jangada.

 

O empreendimento está sendo realizado pelo Programa Cidade Saneada, a Parceria Público-Privada entre a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e a BRK Ambiental. Essa fase da obra recebe o investimento de R$ 85 milhões e a previsão é que seja concluída em julho de 2019. “O ritmo das obras está de acordo com o nosso planejamento. Essa primeira fase vai atender os três bairros com a implantação total de 61 mil metros de rede coletora, uma estação de tratamento e cinco estações de bombeamento de esgoto, beneficiando mais de 55 mil pessoas”, informa o diretor de Novos Negócios da Compesa, Ricardo Barretto.

 

A obra para construção do Sistema de Esgotamento Sanitário de Jaboatão dos Guararapes iniciou em maio do ano passado e vem sendo realizada por etapas, ou seja, as intervenções acontecem em um bairro por vez. “Neste primeiro momento, a obra foi dividida em duas etapas. A intenção é que o avanço das intervenções aconteça de forma gradual atendendo a um planejamento que visa, entre outras coisas, minimizar os transtornos à população local, sempre atentos às questões socioambientais”, explica Christian Fonseca, diretor de engenharia e obras da BRK Ambiental.

 

O Programa Cidade Saneada é responsável pela operação, manutenção, ampliação e implantação de sistemas de esgotamento sanitário nos 15 municípios da Região Metropolitana do Recife.


 Compesa comemora o Dia Mundial da Água em todas as regiões do estado

Compesa comemora o Dia Mundial da Água em todas as regiões do estado

 

Programação com atividades de educação socioambiental acontece até a próxima semana; no Recife, haverá visita de 600 alunos da rede pública ao Universo Compesa e  grande evento no Parque da Jaqueira

 

 

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) ampliou as comemorações do Dia Mundial da Água, que será celebrado amanhã (22), até o final de março, com uma programação de atividades de educação ambiental, em todo estado, para mobilizar e sensibilizar a população acerca da importância do consumo racional da água e preservação dos recursos hídricos. De hoje (21) até sexta-feira (23), 600 alunos das redes de ensino municipal e estadual na Região Metropolitana do Recife (RMR) visitam o Universo Compesa, espaço interativo, digital e educativo que funciona na sede da companhia, no bairro de Santo Amaro. Nesta quinta-feira, o Dia Mundial da Água também será comemorado nas regiões do Sertão e Agreste. No Marco Zero da cidade de Caruaru, a companhia vai realizar uma programação com atividades interativas, circuito de jogos e oficinas de plantio de mudas. A programação acontece das 9h às 17 horas.

 

Também haverá uma grande ação no Parque Euclides Dourado, em Garanhuns, a partir das 9h30, com atividades voltadas à temática da preservação dos recursos hídricos, palestras, jogos e dinâmicas educativas. Em Petrolina, foram programadas visitas de escolas das redes pública e privada da cidade à Estação de Tratamento de Água (ETA) Vitória para os alunos participarem de jogos e dinâmicas educativas, palestras, além de conhecer todo o processo de tratamento de água. As visitas serão realizadas até o dia 29 de março. A Casa Verde Compesa, localizada em Arcoverde, promove, amanhã (22), uma brincadeira de Caça ao Tesouro Ambiental e visita ao Jardim Sensorial para alunos da rede pública de ensino. Até o fim do mês, a Casa Verde ainda realiza palestras educativas para estudantes.

 

Universo - No Recife, os estudantes que participarem da visita ao Universo Compesa aprenderão sobre os processos de abastecimento de água, de coleta e tratamento de esgoto, além de dicas de economia de água, com o apoio de maquetes em 3D de navegação simples e interativa. A visita é realizada por meio de uma parceria entre a Compesa, o Espaço Ciência e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco. No próximo domingo (25), será promovido um grande evento no Parque da Jaqueira, no bairro das Graças. A programação será realizada no Econúcleo da Jaqueira, no período das 13h às 17h, e contará com circuito de jogos educativos, ações interativas e uma maquete virtual que apresenta o funcionamento de uma ETA e dá dicas de uso racional da água nas atividades do dia a dia.

 

No dia 27 de março, outra importante mobilização acontecerá no Complexo do Instituto de Educação de Pernambuco (IEP), no bairro de Santo Amaro, Recife, que reúne as escolas estaduais Sizenando Silveira, Sylvio Rabelo, Waldemar de Oliveia e Rochael de Medeiros. No horário das 9h às 15h, serão realizadas ações de educação ambiental. A programação comemorativa ao Dia Mundial da Água ainda se estende a Ilha de Fernando de Noronha. Entre os dias 26 e 29, a companhia promoverá ações educativas e de sensibilização em escolas, estabelecimentos comerciais e rede hoteleira, além de abordagens ao público nos principais pontos turísticos do arquipélago. Na Zona da Mata, o município de Tamandaré já recebeu ações educativas e palestras. 

 

Toda programação da Compesa divulga a campanha “A água é para Todos. Use com Responsabilidade”, que buscar estimular o consumo sustentável e a preservação das águas. Esse tema está alinhado com a Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), da qual o Brasil é signatário, com foco específico no ODS 6, que visa assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos. “Nosso objetivo é mobilizar a população para contribuirmos com a construção de uma nova cultura de valorização dos recursos hídricos”, declarou o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo Santos.

 

Concurso  Durante todo mês de março, as equipes de articulação socioambiental da Compesa estão visitando escolas estaduais em todo o estado para divulgar a 4ª edição do concurso cultural Água: Juntos Vamos Preservar, realizado em parceria com a Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco e apoio do Shopping RioMar e da Asa Indústria. O concurso conta com três categorias – Desenho, Fotografia e Vídeo - e a premiação acontecerá em junho, na ocasião da Semana do Meio Ambiente.



   Stedile: “Nós, do MST, estamos convencidos de que e? preciso defender o Lula”

Stedile: “Nós, do MST, estamos convencidos de que e? preciso defender o Lula”

Dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra comenta a ameaça de prisão contra o ex-presidente Lula 

 

ntegrante da Direção Nacional do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), João Pedro Stedile analisa a ameaça de prisão do ex-presidente Lula, após finalização dos recursos no Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF4).

Para o dirigente, a trama para impedir a candidatura de Lula à Presidência da República é a expressão do temor da direita política, associada a setores do judiciário e do Ministério Público, em representação dos interesses imperialistas sobre a soberania do Brasil. “O processo da lava-jato é uma fantasia, uma montagem de power point”, destacou Stedile, em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato.

No vídeo, ele destaca as contradições da direita, ao não conseguir apresentar uma candidatura forte o suficiente para disputar o pleito. Ainda segundo ele, o MST está convicto da necessidade de defender a liberdade e o direito de Lula ser candidato, de modo que o movimento estará em permanente mobilização.

 

Veja a entrevista na íntegra:


Bairros de Afogados e Boa Viagem recebem  hoje  obras na rede de esgoto

Bairros de Afogados e Boa Viagem recebem hoje obras na rede de esgoto

Duas intervenções no sistema de esgotamento sanitário do Recife iniciam hoje (16), a partir das 22h, nos bairros de Boa Viagem, na Zona Sul, e de Afogados, na Zona Oeste da cidade. A previsão é concluir as ações no domingo (18) e nos dois locais haverá interferência parcial no trânsito, com a interdição de uma das faixas da via. No bairro de Afogados, os serviços serão realizados na Rua da Paz, em frente ao número 91, para recuperar três metros de uma tubulação que está danificada. Para executar os trabalhos, a faixa da esquerda da Rua da Pazsentido cidade-subúrbio será interditada, numa extensão de 15 metros. O desvio será sinalizado e poderá ser feito na própria via.

 

Já em Boa Viagem, será feito um reparo na rede coletora localizada na Rua Setúbal, em frente ao número 422, com a substituição de mais de três metros de uma tubulação (300 milímetros de diâmetro), que está localizada a mais de três metros de profundidade. Para realizar esta obra, será preciso interditar um trecho de 12 metros de uma das faixas da Rua Setúbal, entre as ruas Dr. Vicente Gomes e Verdes Mares. As intervenções serão executadas pela BRK Ambiental, parceira privada da Compesa no Programa Cidade Saneada.


Marília Arraes: Sou militante da esquerda desde jovem e a figura de João Paulo sempre foi, para mim, uma inspiração

Marília Arraes: Sou militante da esquerda desde jovem e a figura de João Paulo sempre foi, para mim, uma inspiração

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

É com surpresa que tenho acompanhado o surgimento de uma série de notícias e especulações atribuindo a mim, e a pessoas de minha proximidade dentro do Partido dos Trabalhadores, supostas ações de enfrentamento/críticas/acirramento contra o ex-prefeito João Paulo, o que segundo fontes - que não mostram o rosto ou a voz - teria motivado o pedido de afastamento do partido, oficializado por João Paulo, na última terça-feira. Sou militante da esquerda desde jovem e a figura de João Paulo sempre foi, para mim, uma inspiração. Muito mais que isso, sua liderança histórica no PT, seu trabalho revolucionário no comando da Prefeitura do Recife, sua atuação aguerrida como parlamentar na Câmara Municipal do Recife, na Assembleia Legislativa de Pernambuco e na Câmara Federal são um exemplo para qualquer militante ou parlamentar que tenha compromisso com as causas populares e a justiça social. A disposição de me lançar pré-candidata ao Governo do Estado, nascida a partir do estímulo da base partidária do próprio PT – não pode ser confundida ou transformada, por pessoas costumam atuar para desagregar, em algo diferente do que é: uma proposta legítima, sempre submetida ao debate interno. O PT é um partido conhecido pela pluralidade de opiniões e pela ampla democracia interna, no qual as divergências são tratadas como degraus de uma construção coletiva. Vivemos momentos graves na Política nacional e local, com a fragilização de nossa jovem democracia e o retrocesso de direitos e conquistas históricas. E é exatamente para tentar tirar o foco de nossa verdadeira luta, que forças aliadas ao que há de mais retrógrado e nocivo na política brasileira, querem dispersar nossas atenções e energias.  Sigo com a certeza e a tranquilidade de quem cumpre seu papel de parlamentar, mulher, militante e cidadã pernambucana e sempre à disposição para o debate e a construção coletiva de um País e de um Pernambuco melhor para todxs. 

Marília Arraes – vereadora do Recife


Instituto Lula lança financiamento coletivo

Instituto Lula lança financiamento coletivo

O Instituto Lula lança uma campanha de financiamento coletivo com o objetivo de sustentar suas atividades neste primeiro semestre de 2018.

 

Como todos vêm acompanhando, está em curso uma campanha de perseguição judicial e midiática contra um projeto de país soberano e mais igual que tem no ex-presidente Lula sua principal figura.

 

As consequências desta campanha chegaram ao Instituto Lula e hoje ameaçam a existência da entidade cujas elaborações deram origem a programas que mudaram o país, como Fome Zero, Minha Casa Minha Vida e Luz Para Todos entre outros e que também realizou os recentes projetos Brasil da Mudança — sobre o legado de políticas públicas dos governos Lula —, Memorial da Democracia — o museu virtual dedicado às lutas democráticas no Brasil — e que é responsável a preservação do acervo documental e arquivístico do ex-presidente.

 

Durante três anos a Receita Federal vasculhou as contas do Instituto buscando indícios de que a entidade teria fugido de seus objetivos estatutários. Baseada numa interpretação da qual divergimos, a receita determinou a perda das isenções fiscais do Instituto num período retroativo de cinco anos, o que nos gerou um passivo milionário. Essas medidas estão sendo questionadas jurídica e administrativamente, mas isso demandará um tempo incompatível frente à situação de emergência em que a entidade se viu lançada.

 

Diante deste cenário nos vimos motivados a buscar o apoio das pessoas que comungam do entendimento de que é imprescindível manter o Instituto Lula vivo e operante, dando continuidade à sua missão e mantendo vivo o legado da trajetória do ex-presidente Lula.

 

Por esses motivos, lançamos uma campanha de financiamento com o objetivo de arrecadar R$ 720 mil, montante que permitiria a manutenção das atividades do Instituto por um semestre. Durante a campanha, o Instituto publicará semanalmente a prestação de contas com os valores arrecadados em relação à meta.

 

Pessoas físicas e jurídicas podem participar. Para doar qualquer valor, basta acessar participe.institutolula.org, digitar ou escolher uma quantia e preencher nome e CPF. A cobrança é feita via PagSeguro e não é necessário ter ou criar qualquer tipo de conta para doar.


 

#SejaInstitutoLula

#InstitutoLula

 

Quando seremos indenizados pelos juízes que esvaziaram nosso direito de votar?

Quando seremos indenizados pelos juízes que esvaziaram nosso direito de votar?

Liana Cirne Lins, a advogada e doutora em Direito Público, analisa a condenação do juiz paranaense Bento Luiz de Azambuja Moreira a pagar R$ 12 mil por humilhar agricultor. Em 2007, o magistrado interrompeu uma audiência porque o agricultor estava de chinelos. “Preconceito de classe reverberado por trás da toga”, afirma 

 

Em 2007, um juiz paranaense impediu um trabalhador de participar de uma audiência de instrução e julgamento. O motivo para tal foi o fato de que o trabalhador calçava chinelos de dedo, o que foi interpretado pelo magistrado como inapropriado, vedando-se ao jurisdicionado o direito de participar do ato processual em que seriam produzidas as provas, determinando-se a redesignação da audiência.

O jurisdicionado voltou para sua casa, obedecendo à determinação judicial. Porém, irresignado. E o advogado tomou as medidas judiciais cabíveis, além de denunciar à mídia o ato que, a toda evidência, extrapolava a manifestação do juiz como agente estatal: tratava-se de preconceito de classe reverberado por trás da toga, se valendo ilegitimamente do poder jurisdicional de que o juiz fora investido para o fim de humilhar, sem qualquer fundamento legal, aquele que a lei deveria proteger.

No dia em que a audiência foi remarcada, o trabalhador compareceu calçando um par de sapatos três números menor do que o de seus pés. E o juiz, impactado pela repercussão negativa do caso, levou sapatos usados para “presentear” o reclamante.

Quando o trabalhador soube do “presente”, por meio dos jornalistas, disse que iria recusar os sapatos do juiz e continuar usando o calçado três números abaixo do seu. Lembro de suas palavras: “não vim aqui pedir o que não é meu; vim exigir o que é meu direito”.

Usei esse caso em sala de aula durante muitos anos para explicar o conceito de pretensão: posição subjetiva de poder exigir a subordinação do interesse alheio ao próprio interesse, por força da incidência do ordenamento jurídico. O juiz não sabia o que era pretensão processual, mas o trabalhador sem sapatos sabia.

Em 2007, as redes sociais não possuíam o alcance que têm hoje. Mas mesmo assim a história repercutiu enormemente. Sabíamos de incontáveis casos de abusos, como o caso da juíza que não permitia uso de bermudas na audiência, levando trabalhadores a trocarem de roupa em pleno corredor da justiça do trabalho localizada na região metropolitana de Porto Alegre. Eram tantos os casos, e tão invisibilizados, que a repercussão do “caso das sandálias” nos deu esperanças de que juízes e juízas iriam passar a refletir com muito maior senso crítico sobre os limites inerentes ao exercício da atividade jurisdicional.

Infelizmente, nesses onze anos, caminhamos no sentido oposto. O esvaziamento dos poderes daquele que deveria ser o órgão de controle externo do poder judiciário, o CNJ, pelo próprio STF, corroborou o vale-tudo judicial que assistimos de modo tão escancarado nos dias de hoje. O juiz nunca esteve tão nu.

O encontro da presidenta* do STF, ministra Cármen Lúcia, com o presidente investigado Michel Temer, em visita do último na residência da juíza a quem compete julgá-lo, repetindo gesto que ocorreu há cerca de dois anos com o ministro Gilmar Mendes, é nada menos do que um acinte.

Para além da notória violação dos limites que, ultrajados, implicam suspeição do magistrado, há um elemento político ainda mais grave nesse agir acintoso: quando os ministros da mais alta corte do país escarnecem dos limites impostos pela própria toga, colocam em xeque não apenas sua atuação como agentes estatais, mas a credibilidade e a razão de existir do judiciário como um todo.

Afinal, conforme clássica lição de Chiovenda, o proprium da jurisdição é a imparcialidade. O que justifica o poder do estado de dizer, em última instância e mediante uso da força, como devem as pessoas comportarem-se, é o fato de que o estado o faz impondo o direito ao caso concreto de modo isento.

Essa lição hoje soa de intolerável ingenuidade. E é justamente isso que assusta: a jurisdição tem ínsita um contrato social, qual seja, o de que o monopólio da jurisdição tem como contrapartida o devido processo legal, com todas as garantias a ele inerente.A ruptura do contrato social da jurisdição escancara a arbitrariedade nua de uma casta judicial que tomou para si e usurpou o poder jurisdicional que tem fundamento na soberania popular.

Por isso, quando nessa semana recebemos a grata notícia de que o juiz paranaense que proibiu o trabalhador de participar da audiência de instrução por calçar sandálias foi condenado a pagar ao estado indenização de doze mil reais, em ação regressiva movida pelo estado contra o juiz, um sopro de tímida esperança nos toca.

Não porque, nesse momento de excessos e ativismo judicial exacerbado, possamos confiar no próprio judiciário para ditar seus limites. Mas apenas por nos relembrar que juízes e juízas não são o estado quando agem por si: a toga não tem o condão de conferir legitimidade aos seus atos arbitrários, praticados com excesso do poder jurisdicional conferido pela cláusula da soberania popular.  E mesmo quando alguns magistrados o esqueçam, é fundamental que nós lembremos.

Resta a pergunta: diante de um judiciário que rompe com seu proprium para se colocar como protagonista da política partidária, para burlar o processo eleitoral e tirar do tabuleiro das eleições o candidato com maior chance de êxito nas urnas, teremos algum dia reconhecido nosso direito à indenização, pelos excessos cometidos, por violação ao nosso direito ao voto e à democracia?

* Presidenta é palavra que existe nos dicionários da língua portuguesa, no gênero feminino, há mais de cem anos. Um certo processualista comentou uma vez que pouco importava a existência da palavra no dicionário, o uso da expressão com inclinação no gênero feminino era demonstração de deselegância. Em meu modesto modo de pensar, deselegância é torturar a língua portuguesa recusando a obrigatória inclinação, seja em gênero, seja em número. Imaginem a elegância de falar “os presidente”.  

Por Liana Cirne Lins


Compesa pede a liberação de R$ 68,2 milhões para a Adutora do Agreste.

Compesa pede a liberação de R$ 68,2 milhões para a Adutora do Agreste.

O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento- Compesa, Roberto Tavares,  apresentou nesta quarta-feira  (14), em Brasilia, pleito do governador Paulo Câmara junto ao Ministério da Integração Nacional  para a  liberação de R$ 68,2 milhões para a conclusão da primeira etapa útil da Adutora do Agreste. Na reunião entre o representante do Governo de Pernambuco e o Secretário Nacional de Infraestrutura Hídrica, Antônio de Pádua, e do diretor de Obras Hídricas, do MI,  Stanley Rodrigues, o presidente da Compesa fez um balanço sobre ao andamento da Adutora do Agreste e mostrou que a obra está em ritmo acelerado e não pode ter descontinuidade, pois a ansiedade dos municípios do Agreste é grande e é justa.

 

Desde o início da obra  da Adutora do Agreste, em 2013, até dezembro de 2017, o governo federal repassou  R$ 804 milhões do total conveniado, de R$ 1,246 bilhão. Com os últimos repasses, realizados em dezembro do ano passado, a Compesa garantiu o pagamento de  faturas em atraso  e ganhou fôlego para tocar 26 frentes de trabalho. “Se forem liberados os R$ 68,2 milhões, além de concluir a obra de integração da Adutora do Moxotó  com a Adutora do Agreste,  iremos abrir outras frentes como a que vai para Águas Belas e Iati, e a que vai para São Bento do Una e Lajedo”, afirma o presidente Roberto Tavares. Ele adianta que a antecipação da primeira etapa útil da Adutora do Agreste irá atender 10 cidades, partindo da cidade de Arcoverde, no Sertão, até São Caitano, no Agreste, beneficiando mais de 400 mil pessoas já nesse primeiro semestre de 2018.


Servidores ocupam Câmara de SP contra “reforma” de Doria

Servidores ocupam Câmara de SP contra “reforma” de Doria

Violência marcou a ocupação que deixou servidores feridos, duas mulheres foram agredidas com cassetete. PT divulgou nota em solidariedade aos servidores 

 

Servidores e manifestantes ocuparam na manhã desta quarta-feira (14) a Câmara Municipal de São Paulo contra a “reforma” da previdência municipal proposta pelo governo do tucano João Doria. Como de praxe, a polícia atuou de forma violenta deixando servidores, incluindo professores da rede municipal, feridos. Duas mulheres foram agredidas com um cassetete pela Guarda Civil Metropolitana (GCM).

As cenas de violência foram divulgadas por meio das redes sociais e denunciadas pelos próprios servidores e funcionários da Câmara. Dezenas de escolas paralisaram contra o projeto tucano.

Os funcionários públicos estavam desde a noite de terça-feira (13) acampados em frente à sede do Legislativo municipal e participaram nesta quarta de um ato que contou com as presenças de vereadores do PT e de outros partidos de oposição e representantes dos servidores públicos.

Na noite de terça, o PT municipal já havia se posicionado contra a reforma apresentada na Câmara no mesmo dia. O Setorial Sindical do PT divulgou nota rechaçando o projeto. “O candidato travestido de Prefeito João Dória, mais uma vez preocupado com suas intenções eleitorais para presidência da república ou governo de estado, às vésperas de renunciar o mandato de prefeito, quer a todo custo aprovar na Câmara Municipal de SP um projeto que onera todos servidores públicos, ampliando o desconto da previdência de 11 para até 19%”, disse a nota.

As discussões sobre a Reforma da Previdência municipal continuarão nesta quarta-feira (14) durante a reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJ) e na quinta-feira (15/3), em Audiência Pública promovida pela CCJ e pela Comissão de Finanças e Orçamento.

Veja como foi a ocupação e o ato:

 

 

 

 

 

Foto: Paula Aparecida

Servidora fica ferida durante ocupação

Da redação da Agência PT de Notícias