Teste de publicidades

Blocos do PT fazem prévia por Lula livre em Olinda

Blocos do PT fazem prévia por Lula livre em Olinda

A troça carnavalesca Sapo Barbudo, criada no ano passado para homenagear o ex- presidente Lula, junta-se ao bloco das mulheres do PT, Bovoá com Elas e ao Feitiço da Estrela, do PT de Olinda, numa prévia por Lula livre, neste sábado, 23. 

 

O encontro dos blocos petistas terá concentração às 13h, na Praça do Carmo e depois percorrerá as ladeiras de Olinda. A orquestra que acompanha os blocos promete muito frevo com temas alusivos à campanha pela libertação de Lula.

 

Na Rua Treze de Maio está previsto um encontro com o Bloco da Diversidade que também programou sua prévia para o sábado e tem como tema "Ninguém vai voltar para o armário". 

 

A prévia carnavalesca é organizada pelas Secretarias e Setoriais do PT de Pernambuco e promete reunir militantes e foliões que desejam ver o retorno da Democracia no país, simbolizado na conquista da libertação de Lula, preso a quase um ano injustamente, sem crimes e sem provas. “A ideia é levar a nossa bandeira de Lula Livre durante o carnaval e convidar os blocos a se somarem com a gente”, diz Júnior Afro, Secretário de Cultura do PT PE.


 

Abaixo, letra da troça carnavalesca O Sapo Barbudo, composta pelo músico pernambucano Alex Mono.

 

O Sapo Barbudo (Alex Mono)

 

A nossa troça tá na rua
Vem pra fazer a festa popular
É a troça do Sapo Barbudo
Que o Coiso vai ter que engolir
Quero Lula Livre
Sem Perseguição
Reforma da Previdência NÃO !
Queiram ou não queiram os juízes
O Sapo Barbudo
É o preferido da Nação

 

SERVIÇO:
Encontro de blocos petistas por Lula Livre

Quando: Sábado, 23/02
Onde: Concentração na Praça do Carmo, Olinda.
Horário:  A partir das 13h


O Nordeste não se encaixará na Reforma da Previdência

O Nordeste não se encaixará na Reforma da Previdência

Por Álvaro Robério

 

Reforma da Previdência: “Idosos em condição de miserabilidade tenham renda mensal de R$ 400,00 a partir dos 60 anos. E, apenas aos 70, receberam o salário mínimo".

 

Você tem ideia de que forma isso vai impactar na economia e na vida da população do Nordeste?

 

O economista Gustavo Maia Gomes certa feita definiu que a economia do Nordeste é uma "economia sem produção". Não obstante sua afirmativa diz muito sobre a vida do nordestino.

 

Situados em uma região sem investimento público, pois grande parte do dinheiro que vem para combater a seca e a miséria é desviado pelos coronéis e barões, ainda lhe restava a previdência como consolo para quando se alcançava a idade avançada (velhice). Muitos agricultores que não conseguem produzir devido à falta de água e investimentos, conseguiam se aposentar e ter no final da vida condições de criar os filhos e sobreviver após vários anos de vulnerabilidade e sofrimento.

 

O uso da previdência não era apenas o consolo para aqueles que tinha uma vida difícil, mas também o resultado do trabalho sofrido desempenhado na agricultura e pecuária do semiárido, resultando em aposentadoria precoce muitas vezes pela falta do acesso à saúde e outras tantas pela vida laboral sem apoio do Estado.

 

No Nordeste, infelizmente, quem ocupava cargos na Previdência eram os filhos de barões e poderosos que tinham condições de enviar seus filhos à capital para cursar direito, medicina, engenharia e economia, assim ao retornarem dos grandes centros eram aprovados em concurso público, selecionados ou indicados para assumirem cargos na Previdência Social.

Isso perdurou por muitas décadas, e continua sendo corriqueiro em estatais e instituições públicas do país

Nesse contexto, as aposentadorias eram utilizadas como forma de angariar votos, através de auxílio doença e aposentadoria efetiva liberada por agentes com interesses políticos. Essa prática é conhecida como “voto de cabresto” no país.

 

Ligada a essa discussão, ainda, pode se associar a "Indústria da Seca", descrita pelo jornalista Antônio Carlos Callado em 1960. Naquela época, Callado falava da "Indústria da Seca" e do viés da reforma agrária, assim como, do uso da estrutura pública para fins privados. Enquanto, os recursos públicos eram utilizados ilicitamente pelos barões e senhores da terra os agricultores continuavam tentando produzir nas terras desérticas, sem trator, sem água, sem nada; e quando adoeciam não tinham médico, hospital ou qualquer assistência.

 

Desse panorama resultava o processo de aposentadoria do nordestino e o começo de uma vida menos sofrida financeiramente, mais sofrida pela permanência da falta de acesso à saúde, à educação e à alimentação para a família.

 

A previdência durante muitos anos foi utilizada por esses que hoje querem resolver o problema do Brasil para seus fins escusos, sem responsabilidade e qualquer respeito para com o cidadão.

 

O governo que propõe alterações tão duras para corrigir o déficit público causado pela corrupção, isenções fiscais, regalias do funcionalismo público e débitos de empresas à administração pública, querem repassar o arrocho fiscal para os profissionais que levam uma vida tão sofrida atuando como professores da rede pública, agricultores e outros na margem da sociedade lutando, diariamente, para encontrar alguma esperança em uma nação tão desigual, principalmente, entre as regiões Nordeste e Sudeste.   

 

Essa reforma, entretanto, não ataca em praticamente nada os políticos, militares e servidores do alto escalão, que deverão continuar possuindo as mesmas regalias de sempre. Essa crise, também, se deve as instituições onde esses servidores do alto escalão trabalham sem conseguir punir ninguém, cobrar os dividendos das empresas ao estado e muito menos intervir nas ilicitudes praticadas no serviço público, ou seja, a falta de otimização e eficiência das instituições são agravantes dessa crise.

 

Poucos dias atrás, o Congresso que quer resolver a vida do Brasil recuou sobre a abertura da "CPI Lava Toga", que seria o início do combate ao ativismo judicial que ocorre nos tribunais da nação, e um processo de fortalecimento das instituições brasileiras. 

 

O governo que temos hoje acha que a morte de uma pessoa é incalculável, a justiça também acha isso. Contudo, a corrupção e os desvios de dinheiro são calculáveis, os danos da previdência sobre a vida da população são calculáveis, medidas como essa quando não causam a morte dos mais vulneráveis recolocam eles em situação de pobreza e de exploração.

 

O ato de atirar em alguém é tão letal quanto o de aprovar uma reforma onde empresas devem cerca de R$ 500 bilhões a Previdência. No Brasil, chegar aos 60 anos conseguindo trabalhar tem se tornando uma missão difícil, pois a saúde é ruim, educação quando começava a avançar o Congresso Nacional aprovou uma “PEC do Teto de Gastos”, então, é difícil entender e digerir tudo isso. Ao final, parece que estamos andando em círculos e, ainda, continuamos sem um projeto de nação com as mesmas elites dominantes no poder, como frisa muito bem o historiador Marcos Costa.

 

O governo fala que serão economizados R$ 1 trilhão em 10 anos com a Reforma da Previdência, na verdade, é só metade, pois cerca de R$ 500 bilhões nunca serão vistos pela Previdência, já que as empresas se acostumaram a nunca pagar ao Estado brasileiro.

 

Mas no final, Maia Gomes queria dizer que não existe emprego no Nordeste e as pessoas dependem da aposentadoria para sobreviver (...) e que a economia é atrasada, falta educação e condições para se produzir. Deste modo, a economia girar em torno da previdência e do funcionalismo público, pois são esses que possuem alguma renda para fazer o sistema econômico girar.

 

Precisamos fazer uma reforma, mas não precisávamos prejudicar a vida da população sofrida do Nordeste para manter as regalias de quem sempre causou danos a estrutura econômica, política e social do país. Essa reforma precisa atacar as regalias de quem sempre teve, e não tirar de quem nunca teve.

 

*Graduando em Ciências Econômicas (UFRPE) e História (UNICESUMAR)


Vaza conversa em que Bolsonaro pede para Onyx negociar acordo com Bebianno

Vaza conversa em que Bolsonaro pede para Onyx negociar acordo com Bebianno

Ministro chefe da Casa Civil teria ligado "por engano" a um jornalista d'O Globo, que registrou uma conversa com Bolsonaro, em que o presidente fala sobre o suposto dossiê que Bebianno estaria preparando para atacá-lo e ainda dispara: "Se ele me cobrar individualmente, eu to f**" 

 
O jornal O Globo, em matéria divulgada na noite desta quarta-feira (20), colocou ainda mais lenha na fogueira da crise instaurada entre o ex-ministro Gustavo Bebianno e o presidente Jair Bolsonaro, que começou com as denúncias de candidaturas laranjas do PSL, partido do presidente e dirigido, à época da campanha, por Bebianno. 
 

De acordo com o jornal, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, teria ligado “por engano” para o celular do jornalista, que registrou uma conversa sigilosa entre o ministro e o presidente. No diálogo, Bolsonaro escala Lorenzoni para negociar um acordo com Bebianno para que o ex-ministro não o ataque.

 

Antes de ser demitido, Bebianno havia afirmado que, se caísse, cairia “atirando”. Já na manhã desta quarta-feira (20) o jornal Folha de S. Paulo denunciou que o ex-ministro estaria preparando um “dossiê” sobre a campanha e as primeiras semanas de mandato de Bolsonaro para atacá-lo.

Na conversa registrada pelo O Globo, Lorenzoni afirma que já conversou com Bebianno sobre o assunto e que o ex-ministro teria “dado sua palavra” de que não atacaria o presidente. “A Folha deu uma nota e o Antagonista acabou de reproduzir e ele (Bebianno) acabou de ligar e pediu para tirar. Que é o seguinte… Que ele estava preparando documentos e não sei o quê para atacar. Ele disse ao Jorge (possivelmente Jorge Oliveira, subchefe de Assuntos Jurídicos do Planalto): ‘o que eu tinha para fazer, eu fiz ontem. Eu não dou mais nenhuma palavra, acabou tudo ontem. Eu to te dando a minha palavra. Ok?’ Então, agora, no fim da tarde, para tu saber, eu vou lá dar uma conversada com ele”, disse o ministro da Casa Civil.

Bolsonaro, no entanto, se mostrou preocupado por ainda ser representado por Bebianno, que é advogado, em processos judiciais.

“Você vai conversar com ele sobre as ações?”, pergunta Bolsonaro. Onyx responde que sim.

 

“Se ele [Bebianno] me cobrar individualmente o mínimo, eu tô fodido. Tem que vender uma casa minha para poder pagar”, comenta o presidente. 

 

Ouça o áudio da conversa abaixo. 

 

 

 

Direto da Redação da Revista Fórum.


João da Costa convoca audiência pública para discutir a Reforma da Previdência

João da Costa convoca audiência pública para discutir a Reforma da Previdência

A Reforma da Previdência e os seus reflexos será tema de uma audiência pública a ser realizada na Câmara do Recife nas próximas semanas. Convocado pelo vereador João da Costa (PT), o encontro vai reunir os trabalhadores, movimentos sociais, centrais sindicais, entidades representativas de classe e especialistas. A reunião pretende ouvir a opinião dos recifenses sobre a Reforma, apresentada pelo Governo Federal nesta quarta-feira (20).
 
 
A expectativa é que a audiência pública ocorra no mês de março. Segundo João da Costa, a audiência servirá para que a população do Recife possa se manifestar em relação à proposta e coletar contribuições para amenizar os efeitos maléficos propostos pelo Governo Jair Bolsonaro.
 
 
As contribuições, de acordo com João da Costa, serão encaminhadas aos 25 deputados federais e três senadores de Pernambuco. A ideia é que a bancada federal pernambucana possa utilizar as sugestões dos recifenses para propor emendas à matéria. O texto da Reforma da Previdência começa a tramitar no Congresso Nacional nos próximos dias.
 
 
Para João da Costa, o Governo Bolsonaro apresentou um “pacote de maldades” com o texto da Reforma da Previdência. "Esse projeto tem um endereço certo: retirar dos pobres, dos trabalhadores, das pensionistas e demais brasileiros recursos necessários para garantir o pagamento da dívida pública e que os banqueiros não corram riscos, emprestando recursos ao governo federal", sacramentou. "Qual é o trabalhador que fica trabalhando 40 anos ininterruptos para poder contribuir com a Previdência Social?", questiona o petista, ressaltando as novas regras para ter acesso à aposentadoria, que são 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens.
 
 
O vereador e ex-prefeito do Recife destacou que os governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff ofereceram à Nação propostas de Reforma da Previdência. "A gente tem a percepção de que pra garantir a regularidade fiscal é fundamental que o Brasil cresça e gere empregos e rendas, para que a arrecadação das receitas possa crescer e garantir que, num País tão desigual, os trabalhadores tenham dignidade na velhice”, concluiu João da Costa.
 
Foto: Carlos Lima/Câmara Municipal do Recife.

Compesa realiza obra na Estrada do Arraial para melhorar abastecimento de água para Alto do Mandu

Compesa realiza obra na Estrada do Arraial para melhorar abastecimento de água para Alto do Mandu

Haverá interdição de trecho da via para a execução dos serviços

 

 

Melhorar o abastecimento de água das áreas de morros do Recife, onde há maior dificuldade de distribuição na capital pernambucana, sempre foi uma meta da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Amanhã (21), a Compesa avança nesse sentido para beneficiar o fornecimento de água especificamente do Alto do Mandu e adjacências, na Zona Norte do Recife. A partir das 9h, será iniciada uma intervenção para interligar a rede de distribuição de água dessa área, denominada de Distrito 12, ao alimentador (adutora) principal do sistema. Os serviços serão realizados na Estrada do Arraial, na esquina do Mercado Público de Casa Amarela com a Rua Largo de Casa Amarela. A rua será interditada parcialmente, ou seja, apenas uma faixa, numa extensão de 20 metros. A previsão é concluir a obra no local, com o reaterro da vala, até o meio-dia da sexta-feira (22).

 

 

 

Para realizar esse trabalho, a Compesa contará com o apoio de agentes da CTTU (Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife) para organizar e orientar o trânsito. “Essa intervenção é uma das etapas das ações de setorização, um grande projeto que está em andamento e contempla todo o Recife com investimentos na rede de distribuição de água, como substituição de tubulações, implantação de válvulas e macromedidores, que permitirão aumentar o controle operacional, equalizar as pressões, otimizar o uso da água disponível no sistema e reduzir as perdas”, explica Rafael Ramos, gerente de Obras da Compesa.

 

 

 

Essa intervenção na Estrada do Arraial faz parte do Lote 3 das Obras de Setorização do Recife, que vai beneficiar 182 mil pessoas nos bairros do Alto do Mandu, Casa Amarela, Casa Forte, Poço da Panela, Santana, Parnamirim, Apipucos, Monteiro, Macaxeira, Arruda, Mangabeira, Bomba do Hemetério, Água Fria, Campo Grande, Hipódromo, Fundão, Cajueiro e Campina do Barreto – que serão divididos em oito setores de abastecimento. Tratam-se de ações para modernizar o sistema, que passará a contar com dispositivos de medição de vazão e pressão e o monitoramento de indicadores da rede por telemetria.


Áudios confrontam versão de Bolsonaro sobre conversa com Bebianno

Áudios confrontam versão de Bolsonaro sobre conversa com Bebianno

O presidente Jair Bolsonaro conversou com o ex-ministro da Secretaria-Geral Gustavo Bebianno pelo aplicativo de mensagens WhatsApp três vezes no dia 12 de fevereiro, um dia antes de sua alta médica no hospital Albert Einstein, na capital paulista. Os áudios das conversas entre os dois, divulgados pela revista Veja, confrontam a versão do presidente de que ele não havia falado naquele dia com o então auxiliar. As gravações mostram ainda que ambos conversaram também sobre o esquema de candidaturas laranjas do PSL, revelado pela Folha e que levou à queda de Bebianno. No diálogo sobre o escândalo, o presidente faz referência a denúncia de que uma candidata laranja em Pernambuco recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público na eleição do ano passado. Bolsonaro afirma que querem "empurrar essa batata quente" em seu colo.

"Querer empurrar essa batata quente desse dinheiro lá pra candidata em Pernambuco pro meu colo, aí não vai dar certo. Aí é desonestidade e falta de caráter. Agora, todas as notas pregadas nesse sentido foram nesse sentido exatamente, então a Polícia Federal vai entrar no circuito, já entrou no circuito, pra apurar a verdade. Tudo bem, vamos ver daí… Quem deve paga, tá certo? Eu sei que você é dessa linha minha aí. Um abraço", disse.
 

Em entrevista ao jornal O Globo, Bebianno disse na semana passada que havia conversado três vezes com o presidente. No dia seguinte, no entanto, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) disse que o então ministro havia mentido, o que foi chancelado pelo presidente, em entrevista à TV Record. Nas gravações divulgadas, que seriam das conversas daquele dia, Bolsonaro e Bebianno falaram sobre o cancelamento de viagem de uma comitiva de auxiliares à Amazônia e sobre uma audiência que o ministro teria com o vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet Camargo.

"Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento", disse. No mesmo áudio, Bolsonaro chamou a Globo de "inimiga" e disse que o vice-presidente é o "maior cara que me ferrou" antes, durante e depois da campanha eleitoral. "Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final. Um abraço aí", acrescentou.
 

No caso da viagem à Amazônia, que seria feita no dia 13 de fevereiro, Bolsonaro pediu para cancelá-la e disse que, ao realizá-la, a comitiva de ministros estaria criando "a expectativa de uma obra", o que seria posteriormente cobrado do presidente.

"Daí vai ficar o povo todo me cobrando. Isso pode ser feito quando nós acharmos que vai ter recurso, o orçamento é nosso, vai ser aprovado. Então, essa viagem não se realizará", disse.
 

Em outros diálogos, também divulgados pela publicação, Bolsonaro saiu em defesa do filho e afirmou que ele não tinha a intenção de derrubar o ministro. Para ele, trocar mensagens pelo WhatsApp não significa que eles conversaram.

"O caso incitando a saída é mais uma mentira. Você conhece muito bem a imprensa, melhor do que eu. Agora: você não falou comigo nenhuma vez no dia de ontem. Ele [Carlos] esteve comigo 24 horas por dia. Então não está mentindo, nada, nem está perseguindo ninguém", disse. Em resposta, de acordo com a Veja, Bebianno lembrou que trocou mensagens com o presidente três vezes e questionou o motivo do ataque do filho. Segundo ele, Carlos está errado e "não pode atacar um ministro dessa forma". "Isso está errado. Por que esse ódio? Qual a relevância disso? Vir a público me chamar de mentiroso?", questionou. Bolsonaro ainda acusou Bebianno de "mandar" no site Antagonista por ele ter divulgado informação de que o presidente não atendeu o então ministro durante a crise das candidaturas laranjas. A informação, na verdade, foi publicada originalmente pela Folha, o que foi destacado em outro áudio por Bebianno.

"Eu não plantei nada. Ela replica o que a Folha falou. Está escrito aqui: 'segundo a Folha, segundo a Folha, o ministro Gustavo Bebianno tentou ligar para Jair Bolsonaro neste domingo para explicar o caso, mas o presidente não atendeu'. Quem mencionou isso não foi o Antagonista, foi a Folha", disse Bebianno.

Ainda em relação à crise no governo, Bebianno alegou inocência e disse que, como presidente nacional do partido, ficou responsável exclusivamente pela campanha à sucessão presidencial. Bebianno presidiu o PSL de janeiro a outubro de 2018. "A prestação de contas que me competia foi aprovada com louvor. Agora, cada estado fez a sua chapa. Em nenhum partido, capitão, a nacional é responsável pelas chapas estaduais. O senhor sabe disso melhor do que eu", disse.
 

Segundo o ex-ministro, se foi escolhida uma candidata laranja em Pernambuco, a responsabilidade é do atual presidente nacional do PSL, Luciano Bivar.

O comando formal da sigla no estado é do advogado particular e aliado de Bivar, Antonio de Rueda. "No caso de Pernambuco, pelo Bivar, logicamente.

Se o Bivar escolheu candidata laranja, é um problema dele, político. E é um problema legal dela explicar o que ela fez com o dinheiro. Da minha parte, eu só repassei o dinheiro que me foi solicitado por escrito", disse. Bebianno disse ainda que Bolsonaro "está bem envenenado" e que a consciência dele está tranquila.

"E tomara que a polícia chegue mesmo à constatação do que foi feito, mas eu não tenho nada a ver com isso. O Luciano Bivar que é responsável lá pela chapa dele", afirmou.
 

Parlamentares da oposição criticaram o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o acusaram de mentir após a divulgação dos áudios. "Ele chamou o ministro de mentiroso, mas ele que é o mentiroso", afirmou à Folha o líder do PSOL, Ivan Valente (SP).

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), afirmou que o ex-ministro mostrou para o Brasil que Bolsonaro mentiu.

"Bebianno desmente Bolsonaro em áudio para todo o Brasil saber que temos um presidente mentiroso", escreveu nas redes sociais.


MPPE ingressa com ação civil pública contra prefeito de Camaragibe

MPPE ingressa com ação civil pública contra prefeito de Camaragibe

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da 2ª Promotoria de Justiça Cível de Camaragibe, ajuizou hoje ação civil pública de improbidade administrativa na 1ª Vara Cível da Comarca de Camaragibe contra o prefeito da cidade, Demóstenes e Silva Meira, a secretária de Assistência Social, Tatiana Dantas da Silva, e o secretário de Educação do município, Denivaldo Freire Bastos.
 
 
O MPPE requereu que a Prefeitura de Camaragibe seja intimada a remeter a relação e cópia de todos os contracheques dos ocupantes de cargos comissionados; que seja reconhecida a existência de ato de improbidade administrativa, condenando os réus a ressarcir o erário público no valor equivalente às diárias dos servidores comissionados; e que os três sejam condenados às penalidades previstas na Lei de Improbidade Administrativa, que incluem perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração que recebem como agentes públicos e proibição de contratar com o Poder Público.
 
 
Além disso, a Subprocuradoria-geral de Justiça em Assuntos Jurídicos do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), atuando por delegação do procurador-geral de Justiça, instaurou ontem (18) procedimento investigatório criminal (PIC) com o objetivo de apurar a prática de intimidação aos ocupantes de cargos comissionados da Prefeitura de Camaragibe.
 
O caso foi amplamente noticiado após a divulgação de áudios de WhatsApp atribuídos ao prefeito Demóstenes Meira. 
 
No âmbito do PIC, o subprocurador-geral de Justiça Clênio Valença expediu ofício ao prefeito para que ele informe, no prazo de 72 horas, se Tatiana Dantas da Silva, identificada nos áudios como noiva de Demóstenes Meira e uma das atrações musicais do bloco Canário Elétrico, é servidora municipal.
 
Se o vínculo com a administração pública de fato existir, o MPPE oficiou para que ele apresente o ato de nomeação dela e demais documentações que entender cabíveis. 
 
“A princípio, as informações amplamente veiculadas dão conta de práticas de peculato, constrangimento ilegal e uso indevido dos serviços públicos.
 
Chama a atenção a forma contundente com que o prefeito se dirige aos ocupantes de cargos comissionados, mas ele, assim como todo cidadão, vai apresentar a sua versão dos fatos, terá direito ao contraditório e à ampla defesa. Com o aprofundamento das investigações é que poderemos concluir se houve prática de crimes por parte do gestor público e adotar as medidas necessárias”, detalhou Clênio Valença.
 
O Ministério Público também requisitou a Demóstenes Meira informar o quantitativo de guardas municipais designados para realizar a segurança do bloco carnavalesco, uma vez que em um dos áudios há menção à designação de 30 guardas para garantir a segurança dos comissionados que comparecerem, caracterizando, em tese, a utilização indevida de serviços públicos para atender a interesses privados.
 
 
Além disso, o secretário de Educação de Camaragibe e presidente do bloco Canário Elétrico, Denivaldo Freire, também será notificado para esclarecer quem efetuou o pagamento das despesas do bloco carnavalesco e da apresentação de Tatiana Dantas da Silva no evento realizado no final de semana.
 
 

João da Costa aponta reflexos das crises do Governo Bolsonaro no Recife e prega união de partidos

João da Costa aponta reflexos das crises do Governo Bolsonaro no Recife e prega união de partidos

Da tribuna da Câmara Municipal, o vereador João da Costa (PT) alertou os reflexos que a série de crises produzidas pelo Governo Jair Bolsonaro têm produzido em todo o País, em especial no Recife. O petista citou como exemplo o caso do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, ameaçado de demissão, que tem gerado paralisia da União para enfrentar os graves problemas nacionais. João da Costa pregou a união de partidos e movimentos sociais para construir uma alternativa e defender os interesses dos trabalhadores.
 
 
“Estamos há cinco dias com o ministro Gustavo Bebianno ameaçado de demissão pelo presidente e tem que vir o vice-presidente Mourão pra dizer que de hoje não passa”, destacou João da Costa. “Essa paralisia tem influência direta em políticas públicas. O Brasil continua com 13 milhões de desempregados. Quem anda nas periferias do Recife como nós vê os reflexos do desemprego, da insegurança e a ansiedade do povo pra que o Brasil volte a crescer, gerar empregos e renda”.
 
 
Ex-prefeito do Recife, João da Costa destacou que a paralisia do Governo Federal tem prejudicado municípios como o Recife no que tange à celebração de convênios e empréstimos com organismos internacionais para realizar obras. “O governo paralisado, sem projeto para o País, gerador de crises, não traz perspectivas para, através de convênios e de pacto com os municípios, dispor de recursos para fazer habitacionais, para melhorar a mobilidade urbana, enfrentar a insegurança das grandes cidades brasileiras", listou o vereador.
 
 
João da Costa enfatizou que o PT tem procurado articular-se com partidos e movimentos sociais para construir uma alternativa aos projetos do Governo Bolsonaro. O vereador também destacou que o seu partido regressou à Frente Popular em Pernambuco e no Recife, buscando retomar o diálogo e defender a democracia.
 
 
“Foi a partir dessa necessidade nacional de enfrentarmos um quadro de crise, que voltamos a nos constituir aqui em Pernambuco e no Recife com a Frente Popular. Uma aliança com o PSB, o PCdoB e outros partidos que têm o objetivo de juntar forças para enfrentar esse grave momento que vive o nosso País”, justificou vereador, aproveitando para comunicar, oficialmente, o ingresso da bancada petista à base do governo na Casa de José Mariano.
 
 
Foto: Carlos Lima/Câmara Municipal do Recife

Ironia do destino: Governo Bolsonaro pode trazer de volta o eletrochoque e filho de Bolsonaro precisa de ajuda psicológica

Ironia do destino: Governo Bolsonaro pode trazer de volta o eletrochoque e filho de Bolsonaro precisa de ajuda psicológica

Uma  nota publicada hoje por Lauro Jardim, do O Globo,  reforçou minha suspeita de que Carlos Bolsonaro precisa  de ajuda psicológica.

 

É visível um distúrbio que dificulta sua convivência com a realidade.

Ele tinha ambição de inspirar um serviço secreto  paralelo de espionagem.

Já existe um serviço secreto chamado Abin.

 

O paralelo seria montado com com delegados e agentes da PF de sua confiança.

 

Desfecho do projeto, segundo o colunista do O Globo.

 

O general Augusto Heleno, que, aliás, comanda a Abin, vetou a maluquice.

Um filho de presidente, sem cargo, querer montar um serviço secreto revela uma anomalia de quem vive em estado de paranóia, criando uma realidade paralela.

 

Essa nota do Lauro Jardim é apenas um detalhe das minhas suspeitas sobre o desequilíbrio emocional de Carlos Bolsonaro.

 

Quem montou a guerra contra Gustavo Bebianno – e não é de agora – foi Carlos.

 

Chegou a ponto de colocar um espião no Palácio do Planalto: o primo mais conhecido como “Leo Índio”.

 

O jovem circula por lá com crachá amarelo, mas sem cargo.

Uma das razões secretas para o atrito de Bolsonaro com Bebianno foi a opinião de Carlos de que seu secretário-geral vazava informações sobre a família aos jornalistas da Globo.

 

Daí as reportagens sobre Fabrício Queiroz e Flávio Bolsonaro.

 

Na condição de porta-voz do pai – o que já é uma anomalia – ele chamou Bebianno de  mentiroso .

 

O que além de descabido um filho de presidente agir como se fosse autoridade, produz um crime: ele vazou uma gravação secreta.

Não é só.

 

Ele acha que Bebianno tem relações especiais com o site Antagonista que, segundo como publicou Carlos, estaria pronto para fazer negócios com dinheiro público.

 

Bolsonaro passou a ver as notas do Antagonista com sinais da traição de seu secretário-geral.

 

Como sabemos, o presidente também tem surtos paranóicos: daí não andar de avião particular, com medo de sabotagem.

 

A forma como Carlos transformou a Globo em inimiga – e aí juntando de Bebianno ao general Mourão – reforça ainda mais a suspeita de transtorno mental.

 

Chamou as Organizações Globo de chantagista por causa de dinheiro público.

 

Mais: acusou-a de torcer pela morte do pai.

 

Lembremos que Carlos comentou, num post, que pessoas próximas estariam interessadas na morte de seu pai.

 

Era um recado a Mourão e Bebianno, passando pelas Organizações Globo.

 

Daí que estou falando sério ao dizer que Carlos Bolsonaro precisa de ajuda psicológica urgente.

 

Antes que cause mais danos ao seu pai e ao seu governo.

Logo, ao país.


Dia Nacional de Luta: MOVIMENTO SINDICAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Dia Nacional de Luta: MOVIMENTO SINDICAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Sindicalistas estão montando uma estratégia para tentar mudar o texto da reforma da Previdência na Câmara.

 

A partir da próxima semana, assim que o projeto chegar na Casa, eles farão uma incursão nos gabinetes dos deputados para convencê-los a incluir emendas na proposta do Planalto.

 

Já está certo que ao menos dois pontos serão defendidos pelo grupo: a diminuição da idade mínima, fixada por Jair Bolsonaro em 65 anos para homens e 62 para mulheres, e um prazo maior para a transição.


Bebianno Caiu: Após reunião, Bolsonaro avisa Bebianno que ele está fora do governo

Bebianno Caiu: Após reunião, Bolsonaro avisa Bebianno que ele está fora do governo

Após reunião com Gustavo Bebianno acompanhada por ministros e pelo vice, Hamilton Mourão, o presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o outrora aliado da Secretaria-Geral da Presidência, segundo integrantes do Palácio do Planalto.

 

A saída dele do governo deve ser formalizada na segunda-feira (18), com publicação no Diário Oficial. Bolsonaro teria, inclusive, deixado o ato de exoneração assinado no Planalto nesta sexta (15).

 

O presidente esteve com Bebianno no início desta noite. A conversa entre os dois teria sido ríspida. A gota d’água, segundo integrantes do Planalto, foi o vazamento de diálogos privados, exclusivos da Presidência, entre Bolsonaro e Bebianno ao site O Antagonista e à revista Veja. 

 

Após a publicação de que o presidente havia sinalizado a aliados que demitiria seu secretário-geral, pessoas próximas ao ministro confirmaram que ele será exonerado e que não há volta na decisão de Bolsonaro.

 

Bebianno tornou-se personagem central da primeira grande crise do novo governo na quarta (13), quando o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, disse nas redes sociais que ele havia mentido ao afirmar em entrevista ao O Globo que estava conversando normalmente com o titular do Planalto mesmo após a Folha revelar o esquema de candidaturas laranjas no PSL em ao menos dois estados.

 

O ministro comandou o partido durante a campanha de 2018 e, por isso, chancelou a liberação de verbas hoje sob suspeita.

 

Num sinal de que havia autorizado a ofensiva do filho sobre Bebianno, Bolsonaro concedeu entrevista à TV Record na noite da mesma quarta reafirmando que não havia falado com o auxiliar. Ele ainda anunciou que havia pedido para o ministro Sergio Moro (Justiça) pedir à Polícia Federal que investigasse o caso.

 

Desde então, a permanência de Bebianno no governo ficou em suspenso. Ele já foi braco direito do presidente e, durante a campanha presidencial, participou como poucos de decisões estratégicas para a disputa. 

 

Por Folha de São Paulo


PT: 39 anos de lutas, sonhos e resistência

PT: 39 anos de lutas, sonhos e resistência

Por Flávia Hellen Lula da Silva*

 

 

No último dia 10, o Partido dos trabalhadores e das trabalhadoras completou 39 anos de muita luta em defesa dos nossos direitos e de um Brasil mais justo e soberano.

 

Em tempos de ascensão do FASCISMO e de perseguição aos movimentos sociais é necessário intensificarmos a defesa do maior instrumento de luta da classe trabalhadora no Brasil. E também reforçarmos os princípios revolucionários que o fundaram.

 

O PT surge como alternativa popular de organização dos oprimidos, pensado e articulado com setores progressistas da igreja, com os movimentos populares do campo e da  cidade, com o Movimento negro, o feminista e o estudantil que não viam até então no Brasil um espaço partidário popular e que defendesse o socialismo democrático.

 

A história do PT se confunde com a história de lutas e conquistas  da nossa gente e não se pode falar de  transformação sem ressaltar o protagonismo dos petistas.

 

Na última década o Brasil mudou radicalmente com a chegada dos trabalhadores e das trabalhadoras ao poder e defender esse legado é essencial para que possamos derrotar o fascismo e, sobretudo, apontar uma nova agenda e um novo programa para o País.

 

Nossa geração está vivendo um dos momentos mais críticos do seu tempo! A chegada da burguesia que arquiteta a entrega das nossas riquezas, golpeando nossa soberania e atacando nossos direitos.

 

Precisamos estar organizados e mobilizados para ENFRENTAR e RESISTIR aos ataques que o governo Bolsonaro, que junto a classe dominante, quer-nos impor movimentos anti-democráticos e entreguistas que favoreçam seus lucros e perpetuem seus privilégios.

 

O Desemprego, o aumento do gás, os cortes na Educação, as privatizações, o enfraquecimento dos povos indígenas, a perseguição às minorias LGBTs, as políticas que compactuam com o genocídio do povo negro, entre outros representam um verdadeiro retrocesso no estilo de vida que a classe trabalhadora pôde ter no último período com a política de inclusão social promovido pelos governos petistas.

 

Nesses 39 anos faz-se necessário uma autocrítica dos caminhos que nos trouxeram até aqui, um caminho de contradições, mas marcado por inúmeras conquistas sociais, políticas e econômicas  para nossa gente.

 

Estamos  em processo de reorganização, de reaproximação com a nossa base social e com os princípios que fizeram de nós uma das maiores  experiências de luta do Povo trabalhador, mas também é um período de atualizar nosso método, programa e modelo organizacional, de abrir as portas do nosso partido para os novos atores e atrizes sociais que ainda não veem nas estruturas partidárias um lugar acolhedor.

 

É hora da apontar novos rumos, derrotar o fascismo, organizar o povo e fazer o Brasil voltar a sonhar, inspirado na luta das juventudes, das mulheres, dos negros e negras, da população LGBT, do povo trabalhador.

 

Nesses 39 nove anos fica cada vez mais claro que o PT é um partido necessário e reorganizá-lo é a tarefa mais importante que temos para o próximo período.

 

Vida longa ao PT.

 

Lula Livre.

 

*Flávia Hellen é estudante e militante da juventude do Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras.