Teste de publicidades

Para quê privatizar o Aeroporto dos Guararapes?

Para quê privatizar o Aeroporto dos Guararapes?

A deputada Teresa Leitão solicitou uma audiência pública que vai promover um debate sobre uma hipotética privatização do Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre, que consta no plano de desestatização do Governo de Michel Temer. A deputada quer entender porque um dos aeroportos públicos mais elogiados do país está na mira das privatizações desse governo. A audiência foi solicitada na Comissão de Administração Pública e será no próximo dia 28 de novembro, às 9h, no auditório da Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco. 


 Clientes da Compesa podem negociar conta de água nos mutirões do Procon

Clientes da Compesa podem negociar conta de água nos mutirões do Procon

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) participa, no Recife, de dois mutirões de negociação do Procon neste mês. De hoje (21) até a próxima sexta-feira (24), os clientes poderão aproveitar as vantagens oferecidas pela Compesa no IV Mutirão dos Endividados do Procon Recife, que acontece no Centro Comunitário da Paz (COMPAZ) Governador Eduardo Campos, no Alto Santa Terezinha. O atendimento é realizado no horário das 9h às 14 horas. A partir da quinta-feira (23), outra oportunidade de negociação será oferecida durante o Mutirão dos Superendividados do Procon-PE. O evento será realizado até o dia 1º de dezembro, das 8h às 14h, na sede do Procon-PE, que fica localizado na rua Floriano Peixoto, nº 141, no bairro de São José.

A participação da Compesa nas duas ações busca resgatar os clientes e diminuir o nível de inadimplência em todo o Estado. Durante os dois mutirões, serão disponibilizadas para os clientes as melhores condições para parcelamentos da dívida e descontos para pagamentos à vista. Para cada negociação, serão considerados o tempo e valor do débito, além da situação financeira de cada cliente.

Além dos mutirões promovidos pelo Procon, a companhia disponibiliza diversos canais de atendimento para o cliente, que podem fazer suas solicitações nas lojas de atendimento de todo o Estado, na Agência Virtual da Compesa – acessando o endereço www.compesa.com.br - e pelo teleatendimento 0800 081 0195 (serviços).


Vereador Daniel Finizola (PT) : audiência na Câmara discute importância da Caixa 100% pública

Vereador Daniel Finizola (PT) : audiência na Câmara discute importância da Caixa 100% pública

CARUARU-PE - O objetivo da audiência é debater sobre a proposta de privatização da Caixa Econômica Federal, destacando a importância deste banco público em todo o país.

Em diálogo com Sindicatos e a Federação Nacional das Associações dos Gestores da Caixa (Fenag), o mandato do Vereador Daniel Finizola requereu a realização de Audiência Pública, a ser será realizada na próxima sexta, 24, a partir das 9 horas, na Câmara Municipal. O senador Humberto Costa participará da atividade.

“A Caixa 100% Pública é fundamental para continuar executando políticas sociais imprescindíveis para a nossa população. Caruaru é um exemplo claro da atuação da Caixa em prol da sociedade, através de sua rede de agências, pelos empreendimentos imobiliários financiados, pelo incentivo ao comércio, indústria e serviços e pelos mais diversos programas de alcance social. Nesse momento em que existe de fato uma ameaça de abertura do Capital da Caixa à iniciativa privada, precisamos atuar em defesa dela, sendo fundamental o apoio da sociedade”, disse Marconi Apolo, Diretor de Relações Institucionais da Fenag.

“Vivemos um momento de profunda crise no país, com ameaças e perdas reais do patrimônio público. O fantasma das privatizações, que já nos fez perder tanto na década de 90, volta a assombrar as Empresas Estatais, as Universidades Públicas e os serviços, sem os quais tantos direitos ficariam acessíveis apenas aos que podem pagar por eles. Por isso, defender a Caixa 100% pública é defender a riqueza nacional. É papel da Câmara Municipal incorporar a sociedade a um debate tão relevante, uma luta que exige toda nossa resistência”, afirmou o Vereador Daniel Finizola.

Deputada Teresa Leitão (PT)  O PT comprova: tem compromisso com a educação

Deputada Teresa Leitão (PT) O PT comprova: tem compromisso com a educação

A deputada Teresa Leitão emitiu nota em resposta aos ataques do ministro da educação do governo golpista de Michel Temer, Mendonça Filho, à políticas exitosas do PT na área. “Não tem outra expressão. Realmente foi uma tragédia do ponto de vista de trabalho realizado à frente do ministério. Não que não possa ter pontos positivos, mas o conjunto da obra, para ser direto e assertivo, sem componente político ou de disputa política, de fato foi um tremendo fracasso”, afirmou Mendonça em entrevista ao cientista político, Antônio Lavareda, no programa 20 minutos.

NOTA 

O PT comprova: tem compromisso com a educação

 

Na semana passada em Brasília/DF, próximo ao Palácio do Planalto, um menino de 8 anos desmaiou na sala de aula. Era uma escola pública e o socorrista do SAMU, chamado pela professora, diagnosticou: FOME; o menino desmaiou de fome. Isto sim, é TRAGÉDIA Ministro Mendonça!

O que a volta do Brasil ao mapa da fome, depois do golpe, tem a ver com a educação? Muita coisa, Ministro. O direito à educação é tão fundamental quanto o direito à comida. Eles se interligam por um valor chamado HUMANIDADE, que vai muito além da merenda escolar, mesmo com os avanços nos governos do PT imprimidos ao PNAE – Plano Nacional de Alimentação Escolar – que trouxe a agricultura familiar e os produtos saudáveis para dentro das nossas escolas.

A dimensão do direito à educação sem distinção de sexo, raça, religião, idade e condição social, como dispõe a lei, nela não se esgota, apenas se referencia. Por isso os governos do PT alargaram os horizontes do direito à educação para todos e para todas, como indica a lei e, sobretudo, como determinou a intencionalidade política de um projeto de país, de um projeto de nação, de um projeto de Pátria Educadora!

O Ministro Mendonça lembra bem os tempos de FHC, cujo foco foi o ensino fundamental. Verdade. O direito era restrito às crianças de 7 a 14 anos do ensino regular, para onde confluíam todos os programas prioritários. E os demais níveis e etapas da educação? Tratados como “restos”. Creches e pré-escola, coisa de rico ou da assistência social. Ensino Médio, era para poucos com taxas de matrículas que caiam de 95% no fundamental para 81% no médio, gerando uma legião de quase 10 milhões de jovens entre 15 e 17 anos sem qualquer presença confirmada de escolaridade no censo escolar. Ensino Profissional proibido por decreto. Ensino Superior, especialmente público, um luxo com alto grau de seletividade.

Para combater esta verdadeira tragédia foi preciso muito trabalho dos governos do PT, desde aumento dos investimentos até um amplo processo de democratização da participação social e institucional culminando com o Plano Nacional de Educação, que dispõe sobre a construção do Sistema Nacional de Educação entre União, Estados e Municípios. É público e notório o que o PT fez de bom e bem feito na educação.

O MEC do golpe não soube aproveitar nada. Desmontou o Fórum Nacional de Educação, diminui vagas no Ensino Superior, persegue reitores, impõe uma reforma do Ensino Médio ilusória que retoma a dualidade entre escola pública e privada, fecha turmas de Educação de Jovens e Adultos, sucumbe ao debate curricular da inócua e obscura “ideologia de gênero” que ameaça professores com a “lei da mordaça”, entrega os royalties do pré-sal ao capital internacional comprometendo a execução das metas do PNE. A saída apontada compromete dois pilares da educação pública: seu caráter eminentemente público e gratuito, portanto com fito no direito e a valorização dos profissionais da educação como protagonistas, sujeitos e intelectuais da história.

Não nos resignaremos. Os ataques propalados ao educador pernambucano Paulo Freire, como parte da trama, são um alerta à luta! A educação emancipadora incomoda e liberta! Que nenhum menino tenha desmaio de fome em nossas escolas! Que a nenhum menino ou menina sejam negadas comida e educação!

Teresa Leitão – Deputada Estadual
Dirigente estadual e nacional do PT
Coordenadora Geral da CAED – Comissão de Assuntos Educacionais do PT

Compesa: Falta d’água e baixa pressão impede que água chegue as torneiras dos moradores da Vila União na zona oeste do Recife

Compesa: Falta d’água e baixa pressão impede que água chegue as torneiras dos moradores da Vila União na zona oeste do Recife

Moradores da Vila União, na Iputinga, zona leste do Recife, denunciam problemas no abastecimento de água das residências, a pressão da água nas torneiras está reduzida.
A comunidade reclama que a situação provoca transtornos no cotidiano de muitas famílias. 
A dona de casa Marcela de Kacia  conta que as roupas se acumulam no tanque e louças estão na pia há dias na residência da família, também localizada na Vila União.
"Eu tenho um bebê, e isso demanda o uso de muita água para garantir a limpeza, alimentação dele e a nossa. Com as torneiras secas, a louça e a roupa vão se acumulando", afirma.

Nota da Secretária Estadual de Cultura do PT-Pernambuco: Por uma política pública para a arte e a cultura negra

Nota da Secretária Estadual de Cultura do PT-Pernambuco: Por uma política pública para a arte e a cultura negra

No Brasil a população negra somam 53%, esse percentual de negros e negras é o somatório da classificação de pretos e pardos auto declarados segundo o IBGE. Um contingente populacional que ao longo da história, resistiu ao tráfico, ao regime que colocou milhares de seres humanos em situação de servidão e tortura, como mão de obra gratuita para enriquecer o país e estruturar o estado brasileiro.

O sistema escravista e capitalista brasileiro, fez constituir uma sociedade racista e preconceituosa que colocou a população negra brasileira em situação de exclusão e  inferioridade. O resultado desse sistema que mesmo após o fim oficial da escravidão com a Lei Áurea de 1888, gerou um país em que, mais de cem milhões de seres humanos (negros), constituem a maioria dos encarcerados, dos que tem salário inferior, dos que vivem em situação de rua, dos que vivem com doenças mentais, entre outras mazelas sociais que acometem essa população negra.

Porém, enquanto existiu escravidão, houve luta negra contra o regime. E nos diversos momentos da história brasileira, a população negra permaneceu criando formas de lutar por sua dignidade e liberdade plena. Assim, fomentou centenas de quilombos, irmandades negras, sociedades secretas, terreiros, centenas de rebeliões nas senzalas, nos navios, nas casas grandes, nos centros urbanos. Foi assim também na primeira república, nas ditaduras da década de trinta e na ditadura militar no século passado.

Além das revoltas, a resistência negra se deu no campo das ideias e da cultura com os Jornais (imprensa negra), os clubes sociais negros, os clubes carnavalescos de categorias profissionais, as escolas de samba, os diversos grupos culturais como maracatus e afoxés, teatro e grupos culturais diversos. Também na inserção na política com atos públicos /políticos, nos debates, discursos, irmandades católicas, religiões de matriz africana.

Essa história de luta dos negros e negras brasileiros, suas formas de resistência histórica e de reafirmação da identidade, encontrou no antigo Quilombo dos Palmares, um conjunto de comunidades livres, entre os estados de Pernambuco e Alagoas. Um símbolo de insurgência, resistência e organização. De posse da história de uma insurgência negra(durou 100 anos), o movimento negro contemporâneo elegeu Zumbi como herói e a data de seu assassinato – 20 de novembro, como data símbolo de luta e liberdade, se contrapondo às comemorações do dia 13 de maio, data da assinatura da lei do fim da escravidão.

Neste  20 de novembro de 2017, queremos exaltar a história de um conjunto de povos oriundos do continente africano que trouxeram consigo histórias de vida, costumes, línguas, um legado cultural diverso, com suas características de povos de ascendência Bantus, Yorubas, Nagôs, para citar algumas. Características que se refletem na língua portuguesa, nas expressões religiosas, nas manifestações culturais e artísticas, na estética das periferias. No Brasil, apesar da legislação, a cultura negra é discriminada e vitimada pelo racismo à  brasileira que aplaude, assiste a espetáculos populares negros, desfila no carnaval, curte a musicalidade negra traduzida no samba, no reggae, no samba reggae, nos tambores e nas vozes negras, MAS NÃO BUSCA INCLUÍ-LA.

                                                              O Estado protegerá as manifestações das culturas                                                                                                                       populares, indígenas e afro-brasileiras (art. 215 –                                                                                                                          Constituição Federal).

No Brasil, passos para corrigir erros históricos e valorizar a cultura negra brasileira foram dados. A constituição de 1988 reconheceu a cultura afro-brasileira e os territórios quilombolas, e no âmbito do ministério da cultura foi criada a fundação cultural palmares.

Nas últimas décadas, governos populares em prefeituras como Porto Alegre, São Paulo, São Carlos, Salvador, Fortaleza, Icapui, Recife, para citar algumas, iniciaram ações de valorização das culturas populares e afro brasileiras e promoveram diálogos com o movimento social e cultural negro para reconhecer a importância dessas manifestações culturais para as suas cidades. Tais ações se constituíram em embriões para a construção de políticas públicas de cultura.

No Recife, as ações afirmativas para a cultura negra foram se constituindo ao longo dos últimos anos com os governos do PT. A criação do Núcleo da Cultura Afro Brasileira; os Maracatus de Baque Virado na Abertura do Carnaval da Cidade; o Polo Afro do Carnaval; o Fórum do Orçamento Participativo de Negros e Negras; a feira de Culinária Afro no ciclo junino;  o Catálogo das Manifestações Culturais Negras; o Polo Hip Hop; o dia de Iemanjá no calendário cultural oficial da cidade; o Mês da consciência negra. Hoje, todas essas ações estão sendo ameaçadas pela política atual da gestão municipal.

No âmbito nacional, efetivamente, só em 2003 com o Presidente Lula, foi possível a criação de leis e decretos que reconhecem e valorizam das tradições negras no Brasil. Se inicia um processo de reparação histórica, desde a lei que torna obrigatório o ensino de história e cultura afro brasileira e africana nas escolas, (10.639/03), aos editais afirmativos, o cultura viva, o sistema nacional de cultura e o Plano Nacional de Cultura, seus colegiados setoriais e planos, a exemplo dos planos de culturas populares, plano de culturas indígenas, de patrimônio, de artesanato e o Plano Nacional para a cultura afro brasileira.

Defendemos uma política de cultura que considere a legislação vigente, o Estatuto da Igualdade Racial e o Decreto Presidencial n. 6.040, de 7 de fevereiro de 2007 que institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais e reconhece no Art. 3º como: Povos e Comunidades Tradicionais: grupos culturalmente diferenciados e que se reconhecem como tais, que possuem formas próprias de organização social, que ocupam e usam territórios e recursos naturais como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição.

Para celebrar o dia nacional da consciência negra, reafirmamos a importância de um plano para negras e negros em Pernambuco, alinhado com o plano nacional (http://www.palmares.gov.br/archives/32089). Reafirmamos o compromisso de combater o racismo na cultura e de promover ações afirmativas para o segmento cultural negro.


Secretaria Estadual de Cultura do PT
20 de novembro – dia nacional da consciência negra

Desmonte do Plano Municipal de Cultura será debatido na segunda-feira 27

Desmonte do Plano Municipal de Cultura será debatido na segunda-feira 27

A Câmara de Vereadores do Recife realizará um debate em audiência pública na próxima segunda-feira (27), às 18h, sobre o desmonte do Plano de Cultura do Recife. O pedido é da Vereadora Marília Arraes (PT-PE).
Para a reunião, foram convidados os movimentos de cultura do Recife, entre outros representantes.

A audiência acontecerá no Plenário da Câmara Municipal do Recife.


Deputada Teresa Leitão (PT), dar uma tapa sem mão no Ministro da Educação Mendonça Filho,  e diz que tragédia é menino desmaiar de fome na escola

Deputada Teresa Leitão (PT), dar uma tapa sem mão no Ministro da Educação Mendonça Filho, e diz que tragédia é menino desmaiar de fome na escola

Por Teresa Leitão, deputada estadual, dirigente do Partido dos Trabalhadores e coordenadorageral da Comissão de Assuntos Educacionais do PT Na semana passada em Brasília, no Distrito Federal, próximo ao Palácio do Planalto, um menino de 8 anos desmaiou na sala de aula. Era uma escola pública e o socorrista do Samu, chamado pela professora, diagnosticou: FOME; o menino desmaiou de fome. Isto sim, é TRAGÉDIA, ministro Mendonça! 

O que a volta do Brasil ao mapa da fome, depois do golpe, tem a ver com a educação? Muita coisa, ministro. O direito à educação é tão fundamental quanto o direito à comida. Eles se interligam por um valor chamado humanidade, que vai muito além da merenda escolar, mesmo com os avanços nos governos do PT imprimidos ao Pnae– Plano Nacional de Alimentação Escolar –, que trouxe a agricultura familiar e os produtos saudáveis para dentro das nossas escolas. A dimensão do direito à educação sem distinção de sexo, raça, religião, idade e condição social, como dispõe a lei, nela não se esgota, apenas se referencia. Por isso os governos do PT alargaram os horizontes do direito à educação para todos e para todas, como indica a lei e, sobretudo, como determinou a intencionalidade política de um projeto de país, de um projeto de nação, de um projeto de pátria educadora. O ministro Mendonça lembra bem os tempos de FHC, cujo foco foi o ensino fundamental. Verdade. O direito era restrito às crianças de 7 a 14 anos do ensino regular, para onde confluíam todos os programas prioritários. E os demais níveis e etapas da educação? Tratados como “restos”. Creches e pré-escola, coisa de rico ou da assistência social. Ensino médio, era para poucos com taxas de matrículas que caíam de 95% no fundamental para 81% no médio, gerando uma legião de quase 10 milhões de jovens entre 15 e 17 anos sem qualquer presença confirmada de escolaridade no censo escolar. Ensino profissional, proibido por decreto. Ensino superior, especialmente público, um luxo com alto grau de seletividade. Para combater esta verdadeira tragédia foi preciso muito trabalho dos governos do PT, desde aumento dos investimentos até um amplo processo de democratização da participação social e institucional culminando com o Plano Nacional de Educação, que dispõe sobre a construção do Sistema Nacional de Educação entre União, Estados e municípios. É público e notório o que o PT fez de bom e bem feito na educação. O MEC do golpe não soube aproveitar nada. Desmontou o Fórum Nacional de Educação, diminui vagas no ensino superior, persegue reitores, impõe uma reforma do ensino médio ilusória que retoma a dualidade entre escola pública e privada, fecha turmas de Educação de Jovens e Adultos, sucumbe ao debate curricular da inócua e obscura “ideologia de gênero” que ameaça professores com a “lei da mordaça”, entrega os royalties do pre-sal ao capital internacional comprometendo a execução das metas do PNE. A saída apontada compromete dois pilares da educação pública: seu caráter eminentemente público e gratuito, portanto com fito no direito e a valorização dos profissionais da educação como protagonistas, sujeitos e intelectuais da história. Não nos resignaremos. Os ataques propalados ao educador pernambucano Paulo Freire, como parte da trama, são um alerta à luta! A educação emancipadora incomoda e liberta! Que nenhum menino tenha desmaio de fome em nossas escolas! Que a nenhum menino ou menina sejam negadas comida e educação!

Deputada Teresa Leitão (PT):  Alepe realizará 6°Seminário de Educação do Poder Legislativo lembrando bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817

Deputada Teresa Leitão (PT): Alepe realizará 6°Seminário de Educação do Poder Legislativo lembrando bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817

Entre os dias 5 e 6 de dezembro ocorrerá na Assembleia Legislativa de Pernambuco o 6º Seminário de Educação do Poder Legislativo de Pernambuco. O evento será realizado pela Comissão de Educação e Cultura, em parceria com a Escola do Legislativo. Segundo a presidente da Comissão, deputada Teresa Leitão (PT), neste ano a programação do encontro vai lembrar as comemorações do bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817.
 
De acordo com Teresa, o primeiro dia de palestras terá uma discussão sobre o tema: Significado da Revolução Pernambucana de 1817, com o escritor Paulo Santos de Oliveira, autor de A Noiva da Revolução. No dia seguinte, haverá discussões sobre educação e democracia e sobre a Base Nacional Comum Curricular.
 
“É um evento que mobiliza muitos setores da área educacional, não apenas estudantes e professores, mas também pessoas da área acadêmica e dos movimentos sociais e sindical. Com as comemorações do Bicentenário da Revolução Pernambucana, o seminário se revestirá de um significado muito importante”, frisou.
 
As inscrições gratuitas e direcionadas para estudantes e profissionais da área de educação poderão ser feitas até o dia 30 de novembro, pelos e-mails da Comissão de Educação (comissao_educacao@alepe.pe.gov.br) e da Escola do Legislativo (cpedagogia_el@alepe.pe.gov.br) ou em seus respectivos telefones (81) 3183.2407 e 3183.2469.

Congresso Estadual da Articulação de Esquerda lança a pré-candidatura do Vereador do PT de Serra Talhada, Sinézio Rodrigues, a Deputado Estadual

Congresso Estadual da Articulação de Esquerda lança a pré-candidatura do Vereador do PT de Serra Talhada, Sinézio Rodrigues, a Deputado Estadual

Ontem, (18/11),Foi realizado o Congresso Estadual da Articulação de Esquerda, uma importante força política do Partido dos Trabalhadores, na oportunidade foi oficialmente lançada pela militância a pré- candidatura a Deputado Estadual do Vereador do PT de Serra Talhada, Sinézio Rodrigues .
Esteve prestigiando o Congresso a pré-candidata à governadora, Marília Arraes, que fez questão de ressaltar a importância da candidatura de Sinézio Rodrigues, Marília, teve uma recepção muito calorosa.


Esquerda Popular Socialista- EPS/PT Declara Apoio a pré-candidatura de Marília Arraes, governadora de Pernambuco.

Esquerda Popular Socialista- EPS/PT Declara Apoio a pré-candidatura de Marília Arraes, governadora de Pernambuco.

Lugar do PT é ao lado da classe trabalhadora
Construir em Pernambuco alternativa de esquerda e de oposição, para enfrentar o golpe e defender Lula

O VI Congresso Estadual do PT decidiu, por unanimidade, apresentar candidatura própria do PT ao governo de Pernambuco e construir uma política de alianças com os partidos do Campo Popular.

As eleições de 2018, se realizadas, serão fortemente orientadas, em todos os níveis, pelo golpe que está em curso no Brasil.

As forças golpistas, mesmo divididas sobre diversas questões, estão unidas no programa estratégico, que inclui: a destruição dos direitos trabalhistas; a entrega da soberania nacional com a privatização e desnacionalização de setores estratégicos da economia; fim do papel do Estado como indutor do desenvolvimento e da distribuição de renda; além da destruição do PT, dos movimentos sociais e das demais forças de esquerda.

A unidade das forças populares é uma necessidade estratégica para resistir e lutar contra os retrocessos e em defesa da democracia. A luta social e as manifestações de rua são o principal ambiente de onde se pode extrair a vitória da classe trabalhadora. O ex-presidente Lula é alvo de uma perseguição implacável, justamente por que é a liderança capaz de promover esta unidade e representar o retorno de esperança para o povo brasileiro. Defender Lula é sinônimo de defender a democracia. A eleição de 2018 só será democrática se Lula puder concorrer e a democracia só será restabelecida se elegermos um governo popular para barrar o ataque aos direitos da classe trabalhadora, reverter o curso desenfreado do neoliberalismo, confrontar o conservadorismo e a intolerância que se reproduzem fertilmente neste ambiente e retomar o projeto democrático e popular.

Esta é a mais importante tarefa dos petistas para 2018. Garantir que tenham eleições, defender Lula, retomar um governo popular capaz de derrotar o golpe em curso.

Em Pernambuco, o governo Paulo Câmara (PSB) foi a favor do golpe. Esse apoio foi decisivo para viabilizar o impeachment. Rompeu recentemente com Temer, mas aplica a mesma lógica privatista e entreguista, como demonstram o empenho pela privatização da Copergas e da Compesa, além da gestão privatista na Saúde. A inércia deste governo tem levado nosso estado a um desemprego maior do que a média nacional e aos alarmantes e amedrontadores índices de violência, cujas maiores vítimas são as mulheres.

O modelo de governo neoliberal adotado tanto por Temer (PMDB) quanto por Paulo Câmara (PSB) é o de enfrentar a crise capitalista com a espoliação e enfraquecimento do Estado e o empobrecimento da classe trabalhadora. Este foi o compromisso que uniu PSB e PMDB em torno do golpe e continua sendo a agenda dos governos Temer e Paulo Câmara, mesmo após o rompimento de ambos.

Por outro lado, a velha direita pernambucana (PSDB e DEM), que no último período atuou alinhada ao PSB, rearticula-se agora em busca de um projeto próprio, demonstrando não querer mais continuar a terceirização de seu programa através do governo do PSB.

A novidade neste polo é a aproximação do senador Armando Monteiro Neto (PTB) a estas forças. Embora tenha sido ministro de Dilma e se posicionado contra o impeachment, o senador Armando e seu grupo tem votado sistematicamente no Congresso em favor do projeto neoliberal, como nos casos da PEC da Morte, da Terceirização irrestrita e da Reforma Trabalhista.

Do lado dos trabalhadores, estão a resistência, a luta, a relação com os movimentos sociais, o esforço na construção da Frente Brasil Popular e todas as formas de luta. E é este o lugar do PT. Ao lado da classe trabalhadora. Oferecer aos lutadores sociais, ao povo pernambucano, uma alternativa de esquerda e de oposição, alinhada com Lula, para enfrentar os golpistas neoliberais. Apresentar candidatura própria ao conjunto das forças populares para disputar o governo de Pernambuco em 2018. 

Entre as lideranças petistas, a companheira Marília Arraes reúne as melhores condições para esta disputa. A sua disposição e disponilibilidade para cumprir esta tarefa tem reanimado e reenergizado os petistas e a nossa base nos movimentos sociais.

Uma companheira jovem que representa a renovação pela esquerda da política pernambucana, que se coloca na linha de frente da oposição aos governos do PSB e Temer. Marília mantém relação estreita com os movimentos sociais, assume suas pautas. É firme no combate ao golpe, na defesa de Lula, para enfrentar uma dura eleição como uma porta-voz do projeto democrático-popular.

A Esquerda Popular Socialista(EPS) defende este caminho para o PT de Pernambuco. Apresentar uma alternativa eleitoral que aglutine os lutadores sociais, sinalize claramente para a construção do campo de esquerda no estado e renove as esperanças do povo pernambucano para eleger Lula presidente, parlamentares comprometidos com as causas populares e dar um rumo diferente ao nosso estado. Por tudo isso, apoiamos a pré-candidatura de Marília Arraes, governadora.

Esquerda Popular Socialista- EPS/PT
Pernambuco, novembro de 2017


Compesa prepara estações de bombeamento do Sistema Prata/Pirangi para ampliar abastecimento de água

Compesa prepara estações de bombeamento do Sistema Prata/Pirangi para ampliar abastecimento de água

A Compesa vai paralisar o abastecimento de Caruaru por 24 horas para realizar nesta segunda, 20, serviços elétricos e hidráulicos no Sistema Prata/Pirangi para que novos conjuntos motorbomba possam ser instalados nas estações de bombeamento do Sistema. Os trabalhos terão início às 6h da próxima segunda (20) e seguem até às 6h da terça (21). Com isso, o período de abastecimento do setor 3 de Caruaru, previsto para começar no dia 20, terá início no dia 21, se estendendo até a manhã do domingo, dia 26. Esta é mais uma ação do governo Paulo Câmara e está sendo executada junto com a inversão do fluxo de água da adutora de Jucazinho para que os municípios de Riacho das Almas, Cumaru, Passira e Salgadinho voltem a receber água pela rede de distribuição da Compesa.

 

 Ao todo, as três estações de bombeamento existentes no Sistema Prata/Pirangi serão compostas por 12 novos conjuntos motor-bomba. A previsão da Compesa é de que todos os conjuntos estejam prontos até o fim de dezembro deste ano para atender a meta estipulada pelo Governador Paulo Câmara. Mais de R$ 3 milhões estão sendo investidos nessa importante obra.

 

Relação dos bairros do setor 3 que terão mudança no calendário de abastecimento: parte baixa do Maria Auxiliadora, Loteamento Hosana, Vila do Aeroporto, parte baixa do José Carlos de Oliveira, Vila Padre Inácio, Vila Diocesano, parte baixa do Novo Mundo, João Barreto, João Mota, Vila Kennedy, Kennedy, Sol Poente, Caiucá Portal do Agreste, Posto Agamenon, Sítio Campos, Vila Cipó, Vista Alegre, Lagoa de Pedra, Mestre Vitalino, Alto do Moura Village, Residencial Alto do Moura, Residencial Luiz Bezerra Torres l e ll, Bares do Alto do Moura, Alto das Sete Luas, Tcheguevara, Vila Fernando Lyra, Luiz Gonzaga, Polo Caruaru, UFPE, Alphaville, Hospital Mestre Vitalino, Parque da Cidade, parte alta do Universitário, Portal do Sol, Jardim dos Coqueiros, parte alta do Vassoural, Rosanópolis, UPA, parte do Petrópolis (ruas: 1ª tv, 2ªtv, 3ªtv e Rua Prof. Adélia Leal, Manoel Lopes, Henrique Soares, Santa Catarina, Cristo Rei, Sanharó, 2ªtv Cícero José Dutra e Teófilo Otoni), Adalgisa Nunes 1 e 2.