Teste de publicidades

BEM-VINDOS, PRESIDENTE LULA E PRESIDENTA DILMA #ComLULAoSERTAOvirouMAR

BEM-VINDOS, PRESIDENTE LULA E PRESIDENTA DILMA #ComLULAoSERTAOvirouMAR

Finalmente, eles chegaram a Monteiro. Venham ver, Lula e Dilma, venham ver de perto o sonho que vocês dois transformaram em realidade. Venham ver a água invadindo nosso Sertão. Obrigado por essa bênção proporcionada ao povo nordestino! 

#ComLULAoSERTAOvirouMAR

 


Péssimo, caro e perigoso. Essa é a avaliação do Transporte Coletivo na Região Metropolitana do Recife

Péssimo, caro e perigoso. Essa é a avaliação do Transporte Coletivo na Região Metropolitana do Recife

Péssimo, caro e perigoso. Com vocês, o sistema de transporte público por ônibus da Região Metropolitana do Recife, na avaliação de quem o utiliza. E com frequência. Não o mero passageiro, aquele que apenas passa. Mas o usuário fiel, de todos ou quase todos os dias. Esse é o diagnóstico do serviço a partir de levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisas Uninassau. O transporte por ônibus é considerado péssimo porque o serviço deixa a desejar. Caro, porque o valor da tarifa não condiz com o que é oferecido. E perigoso, porque o medo está andando de ônibus. E não é de agora. Esse temor do usuário do transporte é, inclusive, o que mais chama atenção na pesquisa porque domina os questionamentos e revela um impacto direto na imagem do governo do Estado. E pessoalmente na do governador Paulo Câmara (PSB). Praticamente 100% das pessoas entrevistadas em seis terminais integrados do Grande Recife afirmaram ter medo de andar de ônibus por causa da falta de segurança, da violência. E não é para menos. Os assaltos nos coletivos, inclusive com mortes, têm sido frequentes. Os números mostram isso. Pouco importa se consideramos os dados do Sindicato dos Rodoviários – que indicam 821 assaltos até 13 de março – ou os do governo do Estado – que afirmam terem sido apenas 374 até fevereiro. A violência é sentida por quem utiliza o transporte público, provocando perdas e pânico.

jc-cid0319_onibus01

E histórias que comprovam o medo do passageiro não faltam. A analista de internet Suzana Almeida é uma de muitos que podem falar com propriedade sobre esse sentimento. Foi roubada no ônibus, em condições bem atípicas às estatísticas oficiais. Eram sete horas da manhã e uma mulher participou do assalto. Detalhes que mostram o quanto a insegurança no transporte cresceu e se espalhou. “Sempre voltei para casa à noite com medo. Mas pela manhã, às 7h, nunca. Jamais esperaria um assalto nesse horário. Ainda mais com uma mulher participando, extremamente violenta. Isso mostra que a situação está fora de controle mesmo e que nós, passageiros, estamos sós”, desabafa. Além do susto no momento do assalto, restam o medo permanente de novas investidas e o trauma diante da situação vivida. “Outro dia, desci do ônibus porque desconfiei de uma mulher e achei que ela tinha uma arma na bolsa. Virou costume descer do coletivo porque desconfio dos passageiros. É péssimo viver assim. Ainda mais sabendo que a mesma linha continua sendo assaltada no mesmo lugar e, supostamente, pelo mesmo casal, sem que nada seja feito”, lamenta. LEIA MAIS Precisamos nos unir pelo transporte público brasileiro. É urgente Cide Municipal: o automóvel financiando a melhoria do transporte público Onze assaltos a ônibus por dia e 1.916 investidas em 2016. Motoristas ameaçam parar no Carnaval 2017 É muita conversa mole sobre assalto a ônibus Venha andar na Zumbi do Pacheco­Barro (Loteamento), a linha do medo Outra revelação preocupante da pesquisa é que quase metade dos passageiros ouvidos (45%) já esteve em ônibus que foram assaltados, mesmo que não tenham sido vítimas diretas. Assaltados de fato, dentro do coletivo, foram 32,7% dos entrevistados. São dados que revelam que a sensação de insegurança é o grande inimigo do setor e do governo do Estado, responsável pela segurança pública. Para confirmar essa lógica, da ampliação do medo na rotina dos usuários, mais um detalhe da pesquisa: a maioria dos entrevistados disse temer ser assaltado no ônibus em qualquer período do dia. Não há mais a associação predominante com a noite. “Eu sou um exemplo dessa realidade. Nunca fui assaltada no coletivo, mas sempre que uso o transporte público tenho medo. Conheço diversas pessoas que o foram recentemente. Por isso, desde o ano passado tenho evitado utilizá­lo, seja pegando carona ou usando o carro mesmo”, declara a universitária Cláudia Patrícia Fonseca, que estuda no Centro do Recife.


A espera por Lula e Dilma

A espera por Lula e Dilma

Texto de Otavio Antunes.
Imagens de Felipe Kfouri e Sérgio Silva.

– Posso mandar um recado pra Lula? Vem Titio! Vem Mamãe! – referindo-se a Dilma – Pra gente encher vocês de abraços.

É desse jeito que “Doutor”, apelido de Alfredo Alves Pontiero, ao perceber as câmeras, dirige-se a nossa equipe, na cidade de Monteiro (PB), que recebeu um trecho da transposição do Rio São Francisco. E ele não é o único a falar de forma carinhosa dos ex-presidentes. Percorremos o trajeto entre João Pessoa e Monteiro, 311 km, devagar, ouvindo as pessoas sobre o País, o estado, e principalmente a região.

 Existe um sentimento genuíno e comovente de gratidão a Lula e Dilma. Há pouco mais 55 km de João Pessoa, paramos na cidade de Sobrado, em uma barraca na beira da estrada. Tomamos água de cocô e ouvimos a história do Senhor Marcos Vinicius Trigueiro Barbosa e Silva.

– Criei, ali mesmo – aponta para uma casa de teto vermelhinho e cercado por um lindo pomar – toda minha família. Meus irmãos são daqui também. Só não está conosco o meu filho, que mora em João Pessoa, onde faz o curso de engenharia na Federal. Quem ia imaginar que ficaria mais fácil fazer uma faculdade, né? Meu filho vai ser engenheiro! – relata orgulhoso.


Marcos Vinicius Trigueiro Barbosa e Silva.

E não é nem preciso perguntar o que mudou nos últimos anos para que ele diga:

– Lula, meu filho. Foi Lula, o nosso presidente. Nunca ninguém tinha cuidado da gente desse jeito. Foi tanta coisa. Educação, Bolsa Família, emprego melhorou muito... agora piorou de novo, né? E essa maravilha da água, que ninguém acreditou nele quando disse que ia trazer. Daqui vai sair muita caravana pra Monteiro. O povo vai tudo lá agradecer o Lula.

A cada quilometro distante de João Pessoa a paisagem vai ficando um pouco mais árida. Não demora até começarmos a cruzar com rios completamente secos no trajeto, como o Riacho Caboclo. Em mais algumas paradas, descobrimos que o povo sertanejo não reclama da seca e da natureza. Ao contrário: aceita resignado o clima da região.

– Não se luta contra a falta de chuva. A natureza tem o tempo dela. A gente tem é que ter inteligência para viver bem entre as chuvas. É difícil. Muito difícil! Mas agora a gente tem cisterna, caixa, poço; antes era ainda mais difícil. Faz sete anos que não chove direito aqui. Sete anos! E nós estamos firmes, porque ainda tem o seguro safra. Foi a melhor coisa que Lula fez, porque a gente planta e lida na terra com muito carinho, mas as vezes não chove. E antes a gente perdia tudo quando isso acontecia. Agora estamos protegidos – Relata Roberto Gomes.


Roberto Gomes (dir) e Cícero (esq).

Chegando em Monteiro, a primeira coisa que avistamos é o Rio Paraíba. Mas este é um rio diferente: uma estrutura de concreto contrasta com as margens verdinhas do leito. Crianças e adolescentes mergulham e fazem piruetas em um ritmo frenético, para depois subirem rapidamente uma rampa improvisada e mergulharem novamente. Tudo sob o olhar atento de curiosos que aplaudem e sorriem a cada mergulho. A cada salto, alguém mais velho alerta:

– Cuidado, menino! Do lado de lá é pedra e aqui tem muito ferro – referindo-se aos limites do poço artificial que se formou no ponto de encontro entre o Rio e a estrutura da transposição. 

Ligamos as câmeras e novamente as pessoas se aproximam para falar.

– Nem dormi direito nesses dias. Fiz bandeira, camiseta e tô preparado pra receber Lula e Dilma. Vem que vou te abraçar com minhas mãos e meus pés Lula – diz um sorridente Lucivanio Sousa Santos, ou Vaninho, como seus amigos o chamam.

O personagem inicial da nossa matéria, o “Doutor” Alfredo, ainda emenda um convite simbólico e cheio de significados a Lula:

– Titio! Venha, Titio, comer bode mais nós e toma uma mais nós, com limão e um bodinho. Pirão de peixe! Estamos esperando, Titio, com os braços abertos. Venha morar em Monteiro mais a gente! Quem matou a fome dos pobres foi titio Lula, não foi outro não. Primeiro Deus, depois Titio. Matou a fome dos pobres, a sede dos pobres, foi Titio. Se não fosse Titio, os pobres estavam lascados, não tinha mais pobre vivo não.

A cidade respira a visita. É o grande assunto em todas as rodas de conversa. Lula e Dilma terão, certamente, uma calorosa e acolhedora recepção.


Vereadora Marília Arraes (PT) diz que inauguração da Transposição por Temer foi uma farsa

Vereadora Marília Arraes (PT) diz que inauguração da Transposição por Temer foi uma farsa

Por Amanda Miranda / Blog do Jamildo

 

Um dia antes da visita do ex­presidente Lula (PT) à Transposição do Rio São Francisco em Monteiro, na Paraíba, a vereadora do Recife Marília Arraes (PT) criticou a inauguração oficial do eixo leste da obra, feita pelo presidente Michel Temer (PMDB) no último dia 10, na mesma cidade. Em entrevista à rádio local Monteiro FM, a petista admitiu erros do partido, mas frisou que “não foi o PT que inventou a corrupção”, citando PSDB, PMDB e PSB como partidos que também têm políticos como réus em processos na Operação Lava Jato. Prima do ex­governador Eduardo Campos e neta de Miguel Arraes, Marília iniciou a vida política no PSB, mas hoje é líder da oposição ao prefeito Geraldo Julio, um dos principais nomes do partido. 

A água chegou a Monteiro dez anos depois do início das obras da Transposição, no início do segundo mandato de Lula, com a cerimônia em que Temer enfrentou protesto e respondeu com ironia aos manifestantes. “A inauguração que foi feita por eles foi uma farsa, foi uma tentativa que de se apropriar de uma obra que vem sendo pensada desde o Império, mas que só quem teve coragem de fazer foi o ex­-presidente Lula”, disse a vereadora, mantendo o discurso petista de cobrar a paternidade do projeto. “Foi uma apropriação indébita do governo golpista de Michel Temer de uma obra que foi do governo Lula, do governo Dilma.”

Marília Arraes também defendeu a candidatura de Lula em 2018. “Aprendi com o meu avô que o personalismo na política é algo muito prejudicial, mas a gente vê em Lula alguém que é capaz de mobilizar as massas e a gente precisa hoje de uma liderança”, justificou. Apesar disso, analisou que ainda é cedo para se falar na composição da chapa. 

Entre as críticas de Marília Arraes ao PMDB de Temer, uma foi retomando o processo de impeachment de Dilma Rousseff (PT), que vai a Monteiro com Lula neste domingo (19). “Nós fomos depostos do poder assim como e pelas mesmas mãos que depuseram Arraes em 1964”, disse, lembrando o avô. Mesmo assim, afirmou que não foi um erro do PT se aliar aos peemedebistas nas eleições. “O PT precisava de governabilidade. Nós vivemos num sistema de presidencialismo de coalizão”, alegou. “Foi um mal necessário.” Para ela, é necessário rever o sistema político. 

Questionada sobre os processos em que Lula é réu na Operação Lava Jato e a corrupção dentro do Partido dos Trabalhadores, a vereadora afirmou: “Não foi o PT que inventou a corrupção. Hoje o PSDB tem muito mais investigados do que o PT. O PMDB, partido de Michel Temer, tem muito mais investigados do que o PT. O PSB também tem vários réus” Ela ainda disparou: “Dilma foi uma mulher honesta tirada do poder por bandidos. O ex-­presidente Lula até agora não teve nada provado contra ele. Houve erros? Houve. Mas não foi só o PT que errou.”


PT quer CPI para aprofundar investigações da Operação Carne Fraca

PT quer CPI para aprofundar investigações da Operação Carne Fraca

Em nota assinada pelo líder, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), a bancada do PT na Câmara anunciou, nesta sexta-feira (17), que vai coletar assinaturas para criar uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) com o objetivo de investigar o esquema desmontado pela Polícia Federal através da Operação Carne Fraca.

A operação, deflagrada nesta sexta, prendeu 38 pessoas e revelou um esquema de venda ilegal de carnes por frigoríficos. O atual ministro golpista da Justiça, Osmar Serraglio, foi aparece em áudio da operação, conversando com o suposto líder do esquema criminoso, chamando-o de “grande chefe”.

De acordo com Zarattini, “o Congresso Nacional deve contribuir com as investigações, já que as denúncias afetam diretamente os interesses do País”.

Leia a nota, na íntegra:

“NOTA DA BANCADA DO PT NA CÂMARA

Em razão da gravidade das denúncias levantadas pela Operação Carne Fraca, deflagrada nesta sexta-feira (17) pela Polícia Federal, a Bancada do PT anuncia que, a partir de segunda-feira, começará a coleta de assinaturas para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito.

O Congresso Nacional deve contribuir com as investigações, já que as denúncias afetam diretamente os interesses do País. Em 2016, as exportações de carnes só perderam para a soja e os minerais, nos grandes grupos de commodities. O Brasil detém 40% do mercado mundial da carne de frango, 20% do mercado mundial de carne bovina e 9% do de carne suína.

As denúncias devem ser apuradas com rigor, para evitar danos à imagem do Brasil no exterior e a nossas exportações.

A CPI complementará as investigações, incluindo apuração rigorosa do esquema de propinas com envolvimento de funcionários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e das denúncias de que o atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), teria ligações com um dos participantes das irregularidades.

Brasília, 17 de março de 2017

Dep. Carlos Zarattini (PT-SP), líder do partido na Câmara dos Deputados

 

*Do PT na Câmara


 A corrente Construindo um Novo Brasil CNB-PT Realiza Plenária no Recife

A corrente Construindo um Novo Brasil CNB-PT Realiza Plenária no Recife

A corrente do PT, Construindo um Novo Brasil (CNB), irá realizar uma plenária sobre conjuntura nacional e estadual e o 6º Congresso Nacional do PT, na próxima segunda (20), na sede da CUT/PE às 16 horas. Com a presença de Márcio Macêdo, Secretário Nacional de Finanças e Planejamento do PT.


Modernização da rede de distribuição de água de sete bairros do Recife está na reta final

Para dar continuidade às obras de setorização na cidade do Recife, na Região Metropolitana, a Compesa vai realizar uma intervenção na Rua Padre Carapuceiro, em Boa Viagem, na Zona Sul, para a instalação de uma válvula redutora de pressão (VRP) na rede de abastecimento de água. Para executar o serviço, será preciso suspender o abastecimento nos bairros de Boa Viagem, Imbiribeira, Pina e Brasília Teimosa, a partir das 5h da próxima segunda-feira até às 8h da terça (21). O fornecimento de água para as áreas afetadas será retomado logo após a conclusão dos trabalhos. Além da implantação da válvula, uma equipe de 15 técnicos vai fazer a interligação da adutora individual para os três distritos já isolados que abrangem os bairros do Pina (Brasília Teimosa), Boa Viagem e Imbiribeira. Não haverá necessidade de interditar  a via, pois a obra será executada na bifurcação entre a Rua Padre Carapuceiro e a Avenida Dom João VI, uma área onde, hoje, não há tráfego de veículos.

 

 A intervenção faz parte do projeto de Setorização do Lote 2, que já está 95% concluído, e beneficia os bairros de Boa Viagem, Pina (inclui Brasília Teimosa), Afogados, Imbiribeira, São José, Santo Antônio e IPSEP, com a modernização, aumento do controle operacional e redução de perdas no sistema. A rede que atende os sete bairros foi dividida em dez distritos, por meio do assentamento de 149 quilômetros de tubulações, instalação de válvulas redutoras de pressão e macromedidores. Cada um dos distritos terá a entrada e saída de água controladas e as pressões da rede equalizadas com o objetivo de melhorar a distribuição de água e evitar que uma grande área seja afetada - com a suspensão do abastecimento - na ocorrência de estouramentos e vazamentos no sistema.

 

Ao todo, as obras de setorização na cidade do Recife são divididas em cinco lotes e receberão R$ 139 milhões, recursos do Governo Federal (Caixa Econômica) com contrapartida da Compesa. Só para o Lote 2, foram destinados R$ 53 milhões e a previsão é concluir essa etapa até o mês de abril. Para concluir o Lote 2, restam mais três intervenções de setorização. Uma delas será realizada no bairro de Afogados para o assentamento de 380 metros de tubulações (500 mm) no solo utilizando o método não destrutivo - que evita quebrar o pavimento. A implantação da rede vai reforçar o abastecimento do Centro do Recife. As outras duas intervenções serão realizadas na Rua Amazonas, no bairro do Ipsep, e na Rua 5 de Novembro, em Afogados, para a instalação de VPRs e macromedidores.


Uma boa notícia  para os moradores do município do Brejo da Madre de Deus, no Agreste  pernambucano

Uma boa notícia para os moradores do município do Brejo da Madre de Deus, no Agreste pernambucano

 

Uma boa notícia  para os moradores do município do Brejo da Madre de Deus, no Agreste  pernambucano. A Compesa  retomou hoje (17)  o fornecimento de água para os moradores  pela rede de distribuição após o registro de chuvas, nos últimos dias,  na região. A cidade, onde está localizada o Teatro de Fazenda Nova ( Nova Jerusalém), estava em colapso desde novembro do ano passado, em  consequência  da estiagem prolongada. Segundo o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Bruno Adelino,  as chuvas foram suficientes para  regularizar a Barragem de Santana 1, que está cheia, e  permitiram o armazenamento de  23% da  Barragem de Santana II, outra fonte hídrica do município. 

 

 

Diante desse quadro, a Compesa já retomou a distribuição de água para os moradores e está avaliando a implantação  do novo calendário de abastecimento, que na fase mais crítica, anterior ao colapso dos mananciais, chegou a ser  atendida pelo regime de dois dias com água e  20 dias sem. “Ainda é cedo para definirmos qual o regime a ser implantado, mas  o volume de água acumulado já nos  garante uma certa tranquilidade para esperamos o inverno”, afirmou o gerente. A Barragem de Santana II tem a capacidade de acumular  568 mil metros cúbicos de  água e hoje está com 23% do volume máximo de reservação, ou seja,  125 mil metros cúbicos de água. Já o manancial Santana I  é um reservatório de nível, ou seja, ele não acumula água e  depende  diretamente do regime de chuvas. Durante o período de colapso, a Compesa atendeu a população com dez carros-pipa  por meio de cisternas comunitárias espalhadas pela cidade.

 

A cidade de Brejo da Madre de Deus é conhecida mundialmente  pelo espetáculo da Paixão de Cristo em Nova Jerusalém/Fazenda Nova e será uma das beneficiadas pela obra da Adutora do Agreste, que está sendo executada pelo governo de Pernambuco. “Essa adutora irá beneficiar ainda outras 67 cidades do Agreste e é considerada o  empreendimento estruturador para resolver a questão da falta de água na região, que  tem o pior balanço hídrico do Nordeste”, finalizou Bruno Adelino.


Obra emergencial para recuperar trecho da rede coletora de esgoto na Avenida Conselheiro Aguiar

Obra emergencial para recuperar trecho da rede coletora de esgoto na Avenida Conselheiro Aguiar

 

Será realizada uma intervenção emergencial na Avenida Conselheiro Aguiar, no bairro de Boa Viagem, zona Sul do Recife, para a recuperação de três metros de tubulação da rede coletora de esgoto que opera no local. A Compesa inicia a obra hoje (17), a partir das 22h, nas proximidades do número 2.070 da Conselheiro Aguiar, em frente à agência da Caixa Econômica Federal. A tubulação integra a rede coletora que atende o bairro de Boa Viagem e conduz o esgoto para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Cabanga.

 

Para executar a intervenção, será preciso interditar um trecho de 20 metros das duas faixas centrais da avenida. Placas de sinalização indicarão o desvio, que deve ser feito pelos veículos na própria via, através das faixas laterais. A previsão é finalizar os serviços até o próximo domingo (19). A intervenção será executada pela Odebrecht Ambiental, parceira da Compesa no programa Cidade Saneada. 


Ministro da Justiça do governo Temer aparece em grampo da PF na operação contra frigoríficos

Ministro da Justiça do governo Temer aparece em grampo da PF na operação contra frigoríficos

Serraglio foi flagrado em grampo da PF quando era deputado federalIsaac Amorim/07.03.2017/Ministério da Justiça

O atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio, apareceu em um grampo telefônico da PF (Polícia Federal) na investigação da Operação Carne Fraca, deflagrada nesta sexta-feira (17). Deputado federal licenciado, Serraglio substituiu Alexandre de Moraes, que vai assumir vaga no STF (Supremo Tribunal Federa), no início de março.

Serraglio fez um telefonema, quando era deputado, ao ex-superintendente regional do Ministério da Agricultura no Paraná, Daniel Gonçalves Filho — líder do esquema criminoso. Eles trataram sobre o fechamento do frigorífico Larissa, da cidade de Iporã (PR). Vale lembrar que Serraglio tem foro privilegiado.

Em nota, o Ministério da Justiça informou que "não há qualquer indício de ilegalidade nessa conversa degravada" e que a operação de hoje é um "exemplo cabal" de que o atual ministro manteve a "autonomia" da PF (leia a nota abaixo).

De acordo com a Justiça Federal, "em conversa com o deputado OSMAR SERRAGLIO, DANIEL é informado acerca de problemas que um Frigorífico de Iporã estaria tendo com a fiscalização do MAPA (o frigorífico LARISSA situa-se na referida cidade)". Veja a conversa grampeada abaixo.

Frigorífico comprava carne podre e disfarçava com química

Osmar (?): grande chefe tudo bom?
Daniel: tudo bom
Osmar (?): viu, tá tendo um problema lá em IPORÃ, cê tá sabendo?
Daniel: não
Osmar (?): o cara lá, que..o cara tá fiscalizando lá...apavorou o PAULO lá, disse que hoje vai fechar aquele FRIGORÍFICO... botô a boca...deixou o PAULO apavorado! Mas pra fechar tem o rito, num tem? Sei lá. Como funciona um negócio desse?
Daniel: deixa eu ver o que tá acontecendo...tomar pé da situação lá tá...falo com o Senhor(...)

O delegado da PF Maurício Moscardi Grillo explicou que, como Serraglio era deputado federal quando apareceu no grampo, "não poderíamos avançar em nenhuma investigação". Além disso, ressaltou que o parlamentar "não foi em nenhum momento interceptado". 

Mesmo assim, Grillo disse que o caso foi "encaminhado ao procurador-geral da República [...] para que não houvesse dúvidas sobre a investigação e a legalidade do que estava sendo apurado".

Veja a nota do Ministério da Justiça na íntegra:

"Se havia alguma dúvida de que o Ministro Osmar Serraglio, ao assumir o cargo, interferiria de alguma forma na autonomia do trabalho da Polícia Federal, esse é um exemplo cabal que fala por si só. O Ministro soube hoje, como um cidadão igual a todos, que teve seu nome citado em uma investigação. A conclusão tanto pelo Ministério Público Federal quanto pelo Juiz Federal é a de que não há qualquer indício de ilegalidade nessa conversa degravada."

Fonte: R7.com


DILMA CHUTA O PAU DA BARRACA E DIZ QUE O BRASIL É GOVERNADO POR LADRÕES

DILMA CHUTA O PAU DA BARRACA E DIZ QUE O BRASIL É GOVERNADO POR LADRÕES

Eleita com 54 milhões de votos e derrubada por um golpe parlamentar, liderado por políticos que em breve serão investigados por esquemas de corrupção, caixa dois e propina, a presidente deposta Dilma Rousseff concedeu à jornalista Maria Cristina Fernandes sua mais contundente entrevista, desde que foi afastada do poder.

Sem meias palavras, Dilma deixou claro que o Brasil hoje é governador por ladrões. Não apenas Michel Temer, mas vários de seus aliados foram apontados como corruptos por Dilma.

"O gato angorá tem uma bronca danada de mim porque não o deixei roubar. Chamei o Temer e disse: 'ele não fica'", diz Dilma, explicando por que demitiu Moreira Franco da Secretaria de Aviação Civil.

Coincidência ou não, Moreira Franco, que recentemente ganhou o foro privilegiado, aparece nas delações da Odebrecht, sendo acusado de cobrar propinas nas concessões de aeroportos.

Sobre Temer, Dilma deixa claro que é o próprio Eduardo Cunha, preso há mais de quatro meses em Curitiba, quem o chama de ladrão, nas perguntas que tentou encaminhar a ele, mas que foram vetadas pelo juiz Sergio Moro. "Lá está Eduardo Cunha dizendo que quem roubava na Caixa Econômica Federal, no FGTS, é o Temer. Leia minha filha. Alguém não sabe que o Cunha está dizendo que não foi o Yunes, mas o Temer?", questiona Dilma, mencionando ainda o ex-assessor especial José Yunes, que disse ter sido "mula" de Eliseu Padilha.

Dilma explica ainda por que não se aliou a Eduardo Cunha, para tentar evitar o golpe. "Você está falando de um gângster inteligente. Devia ajoelhar e aceitar as condições?", questiona. "Você vai me desculpar, mas eu não vou assaltar o País. Eduardo Cunha e eles assaltam o País".

A presidente legítima, que tem circulado como popstar pelo exterior, disse ainda que um de seus erros foi permitir que Michel Temer assumisse a articulação política, ao lado de Eliseu Padilha. Com isso, os dois perceberam as fragilidades da base aliada e prepararam o bote do golpe parlamentar de 2016. Padilha e outros aliados de Temer, como Geddel Vieira Lima, também são elencados por Dilma na categoria de "ladrões".

"Saber quem eles são, nós sabemos. Não tenho a menor dúvida de quem é Padilha e Geddel. Sabia direitinho. Inclusive uma parte do que sou e da minha intolerância é porque eu sabia demais quem eles eram".

Resumo da ópera: Dilma caiu porque não permitiu que a turma do PMDB, hoje no poder sem intermediários, roubasse o quanto queria.

Fonte: site 247


E SE LULA VOLTAR?

E SE LULA VOLTAR?

Por PT-Pernambuco

O ex-presidente Lula tem liderado as últimas pesquisas de intenção de voto para as eleições de 2018. O programa Super Manhã, da Rádio Jornal, realizou debate nesta quinta-feira, 16, com os convidados Bruno Ribeiro, presidente do PT estadual, o cientista político Adriano Oliveira e o jornalista Fernando Castilho. O tema do Super Manhã, com Geraldo Freire, foi “ O fator Lula nas eleições de 2018. E se Lula voltar?

Foto: Rádio Jornal

Era Lula é lembrada com bons olhos até pelos apoiadores do impeachment