Teste de publicidades

Passageiros reclamam de mudança nas linhas de ônibus que circulam pela Avenida Caxangá

Por G1 PE

Há um pouco mais de um mês, oito linhas de ônibus deixaram de ir do subúrbio ao Centro da capital para deixar passageiros na Avenida Caxangá, ao fazer parte da integração temporal da via com o corredor Leste-Oeste do BRT. Para o Grande Recife Consórcio de Transporte, a mudança representa mais comodidade para o passageiro e um ganho no tempo da viagem. Porém, os usuários do sistema reclamam de ônibus lotados, demora para chegar ao destino e problemas na compra do Vale Eletrônico Metropolitano (VEM). (Veja vídeo acima)

Agora, para utilizar o sistema é necessário pagar só a primeira passagem, desde que o embarque no segundo ônibus seja feito em até duas horas depois. Esse pagamento pode ser realizado apenas com o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM).

A empregada doméstica Gilda Gonçalves acredita que era feliz no transporte público do Recife e não sabia. Há 30 dias, o percurso de casa para o trabalho se tornou bem mais cansativo. "Antes eu gastava quarenta minutos para chegar no trabalho. Agora, eu saio de casa às 5h30 para chegar no trabalho às 7h30. E olha que eu vim imprensada na porta do ônibus", conta.

A reclamação mais frequente é exatamente esta: ônibus comuns e BRTs lotados. A dona de casa Irene Galdino não aguentou mais e resolveu trocar o meio de transporte pela disposição. Ela acha mais rápido fazer um trecho do caminho a pé de casa até a Estação Caiara, na Caxangá.

“Venho andando porque, se for esperar o [ônibus] Engenho do Meio, é mais atraso ainda. Gasto 10 minutos caminhando. Se fosse mudando de ônibus, dava quarenta minutos a mais. Preferia antes que era uma viagem só”, diz.

Com a novidade, são oito linhas que sofreram alteração. São elas: Engenho do Meio, Brasilit, Avenida do Forte, Sítio das Palmeiras, Torrões, Roda de Fogo, Monsenhor Fabrício e Barbalho/Detran. Ao todo, a novidade afeta 27 mil passageiros, segundo o Grande Recife Consórcio.

A auxiliar de serviços gerais Conceição Nilo saiu de Chã Grande, na Zona da Mata Sul, para uma consulta no Recife. Para usar o BRT, ela teria que comprar o VEM. Entretanto, quem precisou comprar o cartão nesta segunda-feira (13) encontrou dificuldade em duas das três estações percorridas pela reportagem, pois as máquinas estavam quebradas.

“A gente está na parada há meia hora, uma hora, mas não conseguimos pegar o ônibus se não tiver o cartão. Isso mesmo com dinheiro. Parece que nosso dinheiro não vale mais. A consulta está marcada há quatro meses e é bem provável que eu não consiga ser atendida”, afirma.

 

Respostas

 

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) concordou que algumas máquinas de venda do VEM apresentaram falhas no fim de semana. Segundo a Urbana-PE, elas foram consertadas e já estão funcionando. O cartão pode ser carregado nos Terminais de Integração, no posto de atendimento na Rua da Soledade, na área central do Recife, e pela internet.

Já o Grande Recife Consórcio de Transporte informou que continua acompanhando a mudança e fazendo alterações sempre que necessário. Disse também que o total de BRTs previsto para a integração Avenida Caxangá era de 59 veículos. Depois dos ajustes, há um mês, passou para 66 ônibus. Contudo, não divulgou o que será feito a partir das reclamações.

“O usuário que tem como destino a Avenida Conde da Boa Vista, e que utiliza a linha de BRT 2441 – Av. Caxangá (BR-101)/Centro, contou com ganho de acréscimos de veículos. Antes essa linha operava com 6 e agora conta com 12 ônibus. O desembarque dessa linha, na Avenida Conde da Boa Vista, que é feito em duas estações provisórias de BRT também teve seu horário ampliado, passando de 5h às 9h para 5h às 12h.

Já o passageiro que tem como destino a Avenida Conde da Boa Vista e deseja utilizar linhas convencionais ganhou acréscimos de veículos em duas delas. A 2439 – Av. Caxangá (BR – 101)/Conde da Boa Vista, que antes operava com quatro veículos, foi ampliada para oito carros. E a 2446 – UR-07, que operava com oito ônibus, teve um acréscimo de um veículo, passando a operar com nove”.

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/passageiros-reclamam-de-mudanca-nas-linhas-de-onibus-que-circulam-pela-avenida-caxanga.ghtml


Vídeo narrado por Wagner Moura explica as ameaças da reforma da Previdência

por Redação RBA 
 
REPRODUÇÃO/TVT
reforma da previdência

Transformando o INSS em funerária: "As pessoas vão se aposentar no caixão"

São Paulo – Em vídeo produzido pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) para a Frente Povo Sem Medo, o ator Wagner Moura narra as ameaças aos direitos dos trabalhadores contidas na reforma da Previdência proposta pelo governo Temer e que tramita atualmente no Congresso Nacional. Idade mínima de 65 anos, igualando homens e mulheres, e os 49 anos de contribuição exigidos para ter acesso à aposentadoria integral são os pontos principais criticados no vídeo, também veiculado pelo Seu Jornal, da TVT

"Querem aprovar a idade mínima para aposentadoria aos 65, isso num país onde muitos morrem antes disso. A expectativa de vida em várias regiões do norte e nordeste está abaixo de 65 anos. Nas periferias das grandes cidades, também. Em São Paulo, por exemplo, bairros como Capão Redondo, São Mateus, Grajaú e tantos outros têm média de vida menor que 65 anos. Assim vão transformar o INSS numa funerária. As pessoas vão se aposentar no caixão", descreve o vídeo. Ele lembra ainda que o presidente Michel Temer se aposentou aos 55 anos, ganhando mais de R$ 30 mil. 

Por conta da dupla jornada submetida às mulheres, que trabalham fora e têm de cuidar dos filhos e das tarefas domésticas, igualar a idade mínima entre homens e mulheres é "uma tremenda injustiça", diz o texto. 

"O Brasil ainda é um país machista e a maior parte dos serviços domésticos, infelizmente, sobra para mulheres. Com esse acúmulo de trabalho, é justo que as mulheres se aposentem antes, como é hoje. A reforma da Previdência quer acabar com esse direito."

Sobre os 49 anos de contribuição, o vídeo alega que essa é uma condição inacessível para a maioria dos trabalhadores brasileiros. "Quem trabalha por conta, sem registro, não conta. Se ficar desempregado, esse tempo também não conta. Ou seja, para alguém se aposentar com salário integral aos 65 anos, tem que começar a trabalhar aos 16 anos com carteira assinada e permanecer assim até os 65. Não pode ficar desempregado e nem deixar de contribuir nenhum dia. É possível isso?"

Por fim, Wagner Moura apela para a mobilização popular para barrar a reforma: "Essa proposta já está no Congresso Nacional. Eles querem votar isso rápido, nas próximas semanas, para não dar tempo de a população entender o que está acontecendo e conseguir se mobilizar. Isso não pode acontecer. Junte-se a essa luta. Ligue e mande mensagens pelas redes sociais para o seu deputado e senador. Venha para as mobilizações do Povo Sem Medo, em defesa da aposentadoria e dos nossos direitos. Ainda dá tempo, antes que acabem com o nosso futuro."

 


Contra ‘reforma criminosa’, movimentos vão às ruas do país

Contra ‘reforma criminosa’, movimentos vão às ruas do país

por Giselly Santos/ Leia Já

 

A pressão dos movimentos sociais e partidos de oposição contra a aprovação da reforma da Previdência, em tramitação no Congresso Nacional, tem sido uma constante nas últimas semanas. Na próxima quarta-feira (15), a postura ganhará um reforço. Isso porque eles pretendem sair às ruas do país em manifestação para refutar a atualização das regras previdenciárias. 

No Recife, o ato que integra o Dia Nacional de Paralisação Contra a Reforma da Previdência será às 9h, com concentração na Praça Oswaldo Cruz, no bairro da Boa Vista. De acordo com o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Pernambuco, Carlos Veras (PT), diversas categorias do setor público vão paralisar as atividades neste dia e os professores vão protagonizar uma greve nacional na capital pernambucana.

 
 
 

Habitação no Recife, de Modelo nas Gestões Petista ao caos na Gestão do PSB

Habitação no Recife, de Modelo nas Gestões Petista ao caos na Gestão do PSB

Por Felipe Cury

A grande promessa de campanha do prefeito do Recife, Geraldo Júlio ainda não saiu do papel. A urbanização da comunidade do Bode, localizada no bairro do Pina, Zona Sul da cidade, foi anunciada com muita repercussão na sua primeira disputa eleitoral em 2012. 

Naquela campanha, o então candidato a prefeito, prometeu que na comunidade seriam construídos habitacionais e áreas de lazer para os moradores que residem ao lado da Via Mangue. No entanto, nada disso foi feito durante todo o seu primeiro mandato. Ano passado, a prefeitura cercou uma área do antigo terreno do Aeroclube e como informa a placa instalada no local, ali seriam construídos cerca de 100 apartamentos, com obra orçada em mais de 10 milhões de reais. 

Apesar da promessa do prefeito, a construção de habitacionais na comunidade do Bode não é prioridade para prefeitura do Recife. 

Esse projeto do Bode, que inicialmente era a urbanização da área, depois virou a construção de pouco mais de 100 unidades habitacionais e até agora não tem um tijolo colocado no canteiro de obras, mostra bem como a política habitacional foi e é tratada pela atual gestão: prioridade zero.

Ao longo da atual gestão, quatro secretários já passaram pela pasta de Habitação do Recife e nem os projetos recebidos da gestão anterior foram todos entregues. A tendência é de piora, uma vez que a Secretaria de Habitação foi extinta na reforma administrativa aprovada no início deste ano e virou uma Secretaria Executiva.

Mesmo a prefeitura tendo entregue 1336 apartamentos desde 2013 no Recife, o número está muito aquém da necessidade da população. 

O déficit habitacional estimado é de cerca de 60 mil moradias no Recife. Somente no Bode, na gestão do PT, foram construídas cerca de 600 unidades habitacionais nos conjuntos Via Mangue I e II. Famílias que moravam em palafitas na área foram beneficiadas. É quase a metade do total entregue pela gestão do PSB. Também foi prometido um plano de habitação, que poderia prever a utilização de imóveis subutilizados na região central da cidade. Contudo, até o momento não tenho conhecimento se foi finalizado este plano e se houve participação popular na sua construção. Enfim, habitabilidade é e deve ser prioridade de qualquer gestão pública.

Gestor público e militante pela Reforma Urbana e Direito à Cidade no Recife. O ativista já foi diretor de planejamento e articulação social da secretaria de habitação e da coordenação do Orçamento Participativo  da Prefeitura do Recife.


Aprovado Requerimento do Vereador de Caruaru Daniel Finizola (PT) que solicita a criação do Fundo Municipal de Políticas para as Mulheres

Aprovado Requerimento do Vereador de Caruaru Daniel Finizola (PT) que solicita a criação do Fundo Municipal de Políticas para as Mulheres

Na última sessão ordinária, no último dia 9, foi aprovado o requerimento que solicita a criação do Fundo Municipal de Políticas para as Mulheres, tendo como uma de suas fontes arrecadadoras parte do recurso oriundo da Zona Azul, podendo ser denominado de Zona Lilás. 

#ZonaLilás
#PolíticasPúblicasParaAsMulheres
#TamoJunto
#RequerimentosAprovados
#MandatoPopular
#MandatoFinizola


Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência

Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência

Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática parlamentar para impedi-lo.

O tema veio a público durante seminário organizado em conjunto pelas Bancadas e pela direção nacional do PT, em Brasília, com o intuito de subsidiar nossa militância para o debate e enfrentamento da “reforma” em suas cidades. A questão posta, que abordo aqui em caráter pessoal, visto que nem a CEN ou as Bancadas deliberaram a respeito, é se devemos ou não propor emendas ao monstrengo do governo usurpador.

É trivial, na atividade parlamentar, apresentar emendas aditivas, supressivas, modificativas e, mesmo, substitutivos integrais a projetos de autoria de parlamentares ou de outros poderes da República. Por que, então, a dúvida?

Trata-se, a meu ver, de uma impossibilidade de emendar para tornar “menos pior” o que os golpistas engendraram. Além do que, a abertura de negociações agora, sem que os principais interessados, nos movimentos e entidades, se disponham a isso até o momento, seria arrefecer as pressões, aliviar as vacilações de parlamentares da base governista em contradição com a proposta e preocupados com o descontentamento de seu eleitorado.

Por isso, as emendas da oposição deveriam ir na linha de suprimir os pilares da proposta do governo ilegítimo, aquelas que cancelam direitos e criam novas obrigações. Cumpririam, também, o papel de alongar o debate, retardar os prazos curtíssimos da votação pretendida, favorecendo um debate mais amplo com a população e no interior do Congresso.

Aos que cobram alternativas para uma Previdência mais sustentável que a atual, vale lembrar o período do governo Lula — quando não se contestava o sistema de seguridade –, e sugerir, entre outras providências: 1. Combater o desemprego e gerar novos empregos com carteira assinada, pois assim aumentariam as receitas da Previdência; 2. Aumentar o salário–mínimo e os demais salários, medida que elevaria as receitas e ativaria a demanda, estimulando a retomada da economia hoje em recessão; 3. Cobrança rigorosa das enormes dívidas dos sonegadores da Previdência; 4. Formalização de empresas que vivem à margem do sistema; Reforma tributária progressiva para taxar os grandes patrimônios e riquezas, e os ganhos hoje isentos de rentistas e especuladores.

Temos convicção de que nossa aguerrida oposição parlamentar, apoiada pelas manifestações de rua convocadas para os próximos dias, será vitoriosa contra mais esta maldade de Temer & Associados.

Rui Falcão é presidente nacional do PT


Todo mundo sabe quem era o dono do jatinho

Todo mundo sabe quem era o dono do jatinho

Como se pode observar no Facebook do Conversa Afiada, o ansioso blogueiro esteve em Recife na companhia do mestre Mino Carta.

Depois de trepidante evento, em que se falou muito bem do Treme e da Globo, os dois foram jantar com os gentis anfitriões.

E lá soube:

• que o Estado de Pernambuco é premiado com o maior número de operações da Polícia Federal;

• que em Pernambuco se montou um esquema que reproduz o de Serginho Cabral no Rio de Janeiro: as propinas era extorquidas em TODAS as obras, e ANTES, durante e depois das obras;

• que em Pernambuco, como em São Paulo - na imaculada sesmaria tucana -, e no Rio, os laranjas são muitos e de muito tempo;

• que chovia dinheiro torrencialmente - em doses muito mais volumosas do que a chuva de dinheiro que se verificou em João Pessoa, e de que o tucano Cunha Lima é testemunha ocular;

• que em Pernambuco mata-se laranja que foge ao controle - como, talvez, seja o caso daquele pobre coitado assassinado num motel;

• que em Pernambuco se sabe que, em Recife, como nos jardins de São Paulo, há vários supostos imóveis que, em caixotes, armazenam dólares, reais e euros;

• que em Pernambuco todo mundo sabe quem é o dono do jatinho em que morreu Eduardo Campos e no qual a Bláblárina viajou seis vezes;

• que em Pernambuco se acredita que a Blablárina e Ministro do Tribunal das Contas da União também saibam;

• que em Pernambuco se acredita que o fator decisivo para a derrota de Dilma na Câmara tenha sido o PSB de Pernambuco, que a traiu miseravelmente depois de tudo o que ela e Lula fizeram por Pernambuco;

• que em Pernambuco se acredita que o PSB de Pernambuco não mande mais nada no partido, nacionalmente: todo o poder se deslocou para o PSB de São Paulo, que co-governa com o Santo.

https://www.conversaafiada.com.br/brasil/todo-mundo-sabe-quem-era-dono-jatinho


A Vereadora do Recife Marília Arraes, Sai Em Defesa do Povo Venezuelano Contra as Agressões do Ministro Aloysio Nunes

A Vereadora do Recife Marília Arraes, Sai Em Defesa do Povo Venezuelano Contra as Agressões do Ministro Aloysio Nunes

Recém-empossado ministro golpista das Relações Internacionais, Aloysio Nunes, já iniciou suas atividades agredindo o povo e a soberania da Venezuela. Nunes - que vale lembrar É UM CHANCELER DE GOVERNO USURPADOR, SEM VOTO – ameaça retaliações contra o governo legítimo do presidente Nicolás Maduro, por “considerar a Venezuela uma ditadura”. Seguindo a mesma linha machista e misógina de seu chefe, o presidente golpista Michel Temer, ele ainda disparou abusos contra a chanceler venezuelana Delcy Rodríguez, que para ele “não tem muita importância nem mesmo em seu país, onde o importante são os carcereiros". As respostas não param de chegar dos quatro cantos do mundo, inclusive da própria Delcy que sintetizou perfeitamente o papel de Nunes: "é repudiável e desprezível que um funcionário da ditadura do Brasil pretenda julgar a Venezuela. Aloysio Nunes traiu o povo do Brasil e se colocou a serviços das oligarquias golpistas e corruptas que se lançam contra o povo". E nós, mulheres pernambucanas, forjadas na luta e resistência gritamos em alto e bom som: #ForaGolpistas#ForaMachistas!


480 anos do Recife e de 482 anos de Olinda

480 anos do Recife e de 482 anos de Olinda

Na comemoração do aniversário de 480 anos do Recife e de 482 anos de Olinda o PT-Pernambuco parabeniza a militância das duas cidades, que cotidianamente constroem a luta e as conquistas que o povo necessita nessas duas cidades.


O PT é fundamentalmente coração, afirma Sergio Mamberti

Kamilla Ferreira/Agência PT
6º Congresso Nacional do PT

Sérgio Mamberti em sua residência em São Paulo.

“Lula lá, sem medo de ser feliz”Sergio Mamberti, 78, ator e militante do PT desde a sua fundação recorda da frase da campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a presidência da República, ainda em 1989. “O PT sempre falou com a linguagem do coração. O PT é fundamentalmente coração e o Lula expressa isso claramente”, conclui.

Em plena efervescência, no final da década de 1970, intelectuais, artistas e operários se uniram no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC,  Mamberti estava entre eles. “Na verdade, eu cheguei antes do PT nascer”, conta.

Nessa época, relembra, a ditadura militar havia chegado ao seu esgotamento máximo. O assassinato do jornalista Vladimir Herzog pelos militares em 1975 e de Manoel Fiel Filho, logo depois, demarcaram isso.

“O grande despertar começa com as greves do ABC, e com a chegada do Lula como uma liderança e uma possibilidade real de futuro para o Brasil. Então a gente se uniu a ele e aos outros companheiros”, explica. “Fizemos espetáculos na época das greves. O PT nasceu junto com os artistas. Não podemos esquecer de artistas como Lélia Abramo e de intelectuais como Antonio Candido”, afirma.

“O que é mais lindo no PT é que ele começou tão frágil e tão pequeno e com uma missão tão importante, mas a gente acreditava que a gente podia”, explica. “Não éramos tantos, mas éramos substanciais porque acreditávamos que podíamos construir esse partido”.

“Foi um desejo, um sentimento, foi uma inspiração que criou o Partido dos Trabalhadores. Essa inspiração veio do coração, e a cultura está ligada à emoção. São as diferentes identidades que o Brasil têm”, diz.

“O que é mais lindo no PT é que ele começou tão frágil e tão pequeno e com uma missão tão importante, mas a gente acreditava que a gente podia”

Segundo ele, o PT nasceu do sonho socialista e esse sonho certamente continua. “Quando Lula cria esse partido com essa identidade, um partido dos trabalhadores, ele fala justamente daqueles que constroem a riqueza de um país. A gente não pode esquecer nunca desse sonho.”

Cultura e política

“O PT nasce com a visão da participação da sociedade, na construção do processo político”, diz. E, para Mamberti, faltou um aprofundamento da construção política. “Principalmente tendo em vista a questão de comunicação do Brasil. Esse trabalho de desconstrução de tudo o que a gente faz através dos meios poderosos de comunicação que a gente tem”, diz. “Eles desconstroem diariamente tudo o que a gente vem construindo.”

O ator resgata uma das propostas do início do PT:

“Era um sonho que cada diretório se transformasse em um espaço de cultura e através da discussão cultural ocorresse também uma discussão política”, relembra. “Porque não resgatar essa possibilidade de que cada diretório seja um centro de discussão da comunidade, de forma que cultura e política estejam juntos e que possamos pensar em outras formas de comunicação?”, pergunta.

Diversidade e Democracia

Para Mamberti, outra marca do PT é a diversidade e a democracia interna. “O próprio Lula estava falando, nesses 37 anos do PT, que a coisa mais importante do partido é essa pluralidade, a diversidade de opiniões e essa convivência democrática”, afirma. “É isso que tem nos mantido vivos e atuantes dentro do processo político brasileiro”, diz. “A questão da diversidade e de uma visão mais ampla e plural do Brasil talvez tenha sido a visão mais estruturadora do partido.”

Congressos Nacionais do PT

Sérgio Mamberti resgata as lembranças das discussões acaloradas nos congressos petistas. “Em 1991 (1º Congresso), no intervalo, as pessoas estavam almoçando e a gente começou a discutir tanta coisa que as pessoas falaram: ‘o que a gente devia estar discutindo lá dentro (no Congresso), a gente está discutindo aqui”, relembra rindo.

Para ele, os congressos petistas sempre serviram para fazer as grandes avaliações, corrigir rumos e fazer avanços. “O 6º Congresso do PT vai ser iluminador. Ele pode nos dar a possibilidade de estarmos juntos para repensarmos estratégias e continuarmos nossas lutas”, afirma.

“As discussões são muito acaloradas e apaixonadas. Todo mundo discutindo no refeitório, antes, depois. Inflama o PT e essa chama tem que estar presente no 6º Congresso”.

A discussão do golpe vai estar neste contexto, acredita ele. “Depois do golpe contra a democracia, tivemos que nos reposicionar. O 6º Congresso vai ser uma grande oportunidade de fazer uma discussão ampla e tomar decisões sobre as mudanças e de como vai ser a nossa atuação para que a gente possa resistir à uma realidade tão dura”, diz.

 

Fernanda Estima/Acervo Sérgio Buarque de Holanda

Golpe

“Eu tenho 78 anos e não imaginei que a essa altura da vida nós íamos estar atuando desta maneira. Mas estamos na luta”, diz.

Para ele, assim que a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT) ganhou as eleições em 2014, a direita já começou a atuar para derrubá-la. Segundo ele, o PT acreditou que o processo democrático havia alcançado uma firmeza institucional que não correspondeu à realidade. “Quem passou pelo golpe de 1964, sabe que essas forças reacionárias não desistem”.

O ator denuncia a espoliação do patrimônio brasileiro posta em prática pelo governo golpista. “ A usina de Belo Monte foi posta à venda. O complexo petroquímico de Suape custou R$ 9 bilhões e foi vendido por R$ 1, 2 bi, o Tillerson (secretário de Estado dos Estados Unidos e ex-CEO da Exon) querendo conversar com o Serra sobre o pré-sal”, conta.

“Quem passou pelo golpe de 1964, sabe que essas forças reacionárias não desistem”

A conjuntura internacional também é bastante desfavorável, aponta ele. “Toda aquela espionagem que o Snowden denunciou  (em 2014, Edward Snowden denunciou que os Estados Unidos espionaram Dilma e a Petrobras ilegalmente) já era uma preparação para o golpe”, diz.

“A gente vai ter que fazer uma avaliação não só no plano nacional mas da nossa América do Sul que foi tão fustigada neste processo”, diz. “Qual será nossa estratégia para recuperar esse espaço junto com o povo brasileiro?”, questiona.

Dona Marisa

“As mulheres petistas são muito valentes e acho que a Marisa representou isso muito bem. A figura da Marisa tem que ser mais exaltada por tudo o que ela representou. Todas as reuniões e conferências que eu tive presente ela também estava. Nunca foi só uma primeira-dama, mas uma primeira-companheira mesmo, uma grande companheira”.

Lula

autoria desconhecida/CSBH

Encontro de Lula com Artistas promovido pela candidatura “Lula Presidente” nas eleições de 1998

O ator também se emociona ao falar de Lula. “Certamente o Lula é para todos nós essa expressão de tudo isso que a gente quer. É um homem com todas as contradições, defeitos e qualidades, mas ele tem essa capacidade de liderar”, aponta.  “Então eu acho que nós temos de acreditar muito e dar muita força para que possa estar aí nessa luta com a gente e liderar mais uma vez neste processo”.

Por Clara Roman, da Agência PT de Notícias


Temer, o machista, volta atacar outra vez e diz que transposição é filha de mãe solteira

Temer, o machista, volta atacar outra vez e diz que transposição é filha de mãe solteira

Pernambuco 247 - Em visita à cidade de Campina Grande nesta sexta-feira, 10, Michel Temer se negou a reconhecer o óbvio: que a transposição do São Francisco é uma obra histórica do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, executada na sua maioria por Dilma Rousseff, deposta pelo golpe de 2016.

Temer disse que "ninguém pode ter a paternidade das obras de transposição". "Não quero a paternidade dessa obra. Ninguém pode tê-la. Ela é do povo brasileiro e nordestino porque foram vocês que pagaram os impostos que nos permitiram fazer essa obra", afirmou.

O povo, no entanto, reconhece o pai da criança.

Para o jornalista Elio Gaspari, a transposição do Rio São Francisco já está para Lula como Brasília está para JK (leia aqui). 

Leia reportagem da Agência Brasil sobre o assunto: 

Temer diz que ninguém pode ter a paternidade da transposição do São Francisco

O presidente Michel Temer disse hoje (10) que ninguém pode ter a paternidade das obras de transposição do Rio São Francisco, uma vez que ela foi financiada pelo povo brasileiro por meio do pagamento de impostos. A declaração foi feita durante visita que faz à Paraíba.

Um pouco antes do discurso presidencial, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, havia dito que a execução do projeto só foi possível graças também à atuação de diversos ministros e ex-presidentes, desde sua concepção, o que, seguindo ele, inclui, além do presidente Temer, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Para Temer, a paternidade da obra só pode ser concedida ao contribuinte brasileiro. "Não quero a paternidade dessa obra. Ninguém pode tê-la. Ela é do povo brasileiro e nordestino porque foram vocês que pagaram os impostos que nos permitiram fazer essa obra", disse o presidente durante visita ao Complexo Multimodal Aluízio Campos, em Campina Grande.

No complexo, serão instalados diversos empreendimentos comerciais, industriais, científicos e tecnológicos, além de empresas do setor de logística. Localizado próximo a terminais rodoviários, aeroviários e portuários, além de ferrovias, gasoduto e às BRs-104 e 230, o complexo representará facilidades para o escoamento do que for produzido na região.

Durante o evento, Temer assinou a ordem de serviço para a adequação de capacidade da BR-230, trecho Cabedelo-Oitizeiro. As obras na rodovia, ao longo de 28 quilômetros (km), vão envolver a criação da terceira faixa em alguns pontos e a construção de viadutos e passarelas.

De Campina Grande, o presidente irá aos municípios de Sertânia e de Monteiro, na divisa entre Pernambuco e a Paraíba, para ver a chegada das águas da transposição do Rio São Francisco. Em Sertânia, ele abrirá a comporta de um dos trechos de transposição do Rio São Francisco.

De helicóptero, o presidente vai se deslocar até o município de Monteiro, no lado paraibano, para acompanhar o deslocamento das águas do São Francisco. Em Monteiro, ele participa de cerimônia alusiva à chegada das águas, com a presença de autoridades locais.

http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/284355/Para-Temer-transposi%C3%A7%C3%A3o-%C3%A9-filha-de-m%C3%A3e-solteira.htm


MORAES CENSURA ENTREVISTA DE EUGÊNIO ARAGÃO À AGÊNCIA PT

MORAES CENSURA ENTREVISTA DE EUGÊNIO ARAGÃO À AGÊNCIA PT

A liminar impede que o partido mantenha no ar uma entrevista com o ex-ministro da Justiça do governo Dilma Rousseff Eugênio Aragão, repleta de críticas à conduta de Moraes à frente da pasta. Aragão também condenava o histórico do novo ministro do STF.

http://www.pt.org.br/moraes-censura-entrevista-de-eugenio-aragao-ao-site-do-pt/