Teste de publicidades

Obra de remanejamento de rede de esgoto no Canal do Fragoso já está 25% concluída

Obra de remanejamento de rede de esgoto no Canal do Fragoso já está 25% concluída

Tubulação de grande porte é uma das principais do Sistema de Esgotamento Sanitário de Olinda; ação termina em março de 2019

 

 

A obra para o remanejamento de uma importante rede coletora do Sistema de Esgotamento Sanitário de Olinda, ação necessária para permitir o andamento da reurbanização pelo Governo do Estado de parte do Canal do Fragoso, já está 25% concluída. A intervenção é realizada por etapas, por se tratar de uma obra de alta complexidade, e prevê implantar um quilômetro de uma nova tubulação de grandes dimensões (mil milímetros de diâmetro). Os serviços são executados no bairro de Jardim Atlântico e estão concentrados agora na Rua Professor Olímpio Magalhães, entre as Ruas Sérgio Godoy de Vasconcelos e Rua Aluísio de Azevedo – nas proximidades da Capela São Joaquim. Nesse trecho, serão assentados 80 metros de tubulação e a previsão é concluir o trabalho dentro de três meses (incluindo a repavimentação do asfalto).

 

Esse trecho da Rua Professor Olímpio Magalhães, que é pouco movimentado, foi totalmente interditado - exceto para pedestres e os moradores da rua. No período da obra, os motoristas que costumam trafegar no local devem seguir os desvios sinalizados: precisam acessar a Rua Aluísio de Azevedo, depois pegar a Rua Catulo da Paixão Cearense até a Rua Jornalista Édson Régis. Os desvios foram orientados pela Secretaria de Transportes e Trânsito de Olinda. A obra atenderá aos bairros de Jardim Atlântico, Bairro Novo e Casa Caiada e está sendo executada pela BRK Ambiental, parceira privada da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) no Programa Cidade Saneada, a PPP do Saneamento em Pernambuco, foi iniciada em março deste ano e segue o cronograma planejado. Toda obra recebe o investimento de R$ 6,5 milhões e será finalizada no mês de março de 2019.

 

Até o momento, já foram implantados mais de 250 metros da tubulação, uma das principais redes do sistema e responsável por transportar o esgoto para a estação de tratamento localizada no bairro de Jardim Atlântico. Além da Rua Professor Olímpio Magalhães, a obra também vai atuar em outras duas ruas de Jardim Atlântico. A equipe técnica já está concluindo os serviços de topografia na Rua Carlos Leite Moreira e na Travessa Regina Lacerda, para iniciar intervenções também nessas localidades, no mês de agosto, que serão executadas simultaneamente.


CARTA ABERTA À POPULAÇÃO DE CAMARAGIBE

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO DE CAMARAGIBE

Venho por meio desta carta informar a população de Camaragibe que fui exonerado do cargo de presidente da Fundação de Cultura de Camaragibe o qual exerci com muito entusiasmo e dedicação desde janeiro de 2017. Gostaria de agradecer ao Prefeito Meira pela confiança depositada e todos os secretários e funcionários da Prefeitura de Camaragibe.

Durante este um ano e meio, formei uma equipe experiente e com qualidade técnica para construir de forma democrática uma política cultural consistente, plural e eficiente. Nos pautamos pelo entendimento de cultura como um direito humano, importante pelo seu caráter simbólico e fundamental para a identidade cultural e bem-estar da população e também pelo seu viés de desenvolvimento social e econômico. 

Sendo assim, desenvolvemos ações no intuito de garantir à população uma política cultural que atuou na cidade de forma transversal em todas as áreas:
- a ativação, o acesso aos equipamentos de cultura de forma qualificada, tendo em vista que estavam ociosos ou sendo usados de forma parcial, 
- a fruição artística e a participação dos artistas, agentes culturais e da sociedade civil nas ações e ciclos culturais;
- a formação e a capacitação nas linguagens artísticas: audiovisual, artesanato, artes cênicas, artes visuais, literatura, música e patrimônio.

Para a estruturação e ativação dos equipamentos de cultura, fizemos a regularização de posse dos imóveis que abrigam os espaços culturais sob a gestão da Fundação de Cultura de Camaragibe. Elaboramos assim um projeto de lei que se tornou a Lei Nº 735/2017, com a aprovação da Câmara Municipal, instituindo oficialmente o Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro, a Biblioteca Pública Penarol de Camaragibe, o Centro de Criatividade Musical Raminho do Trombone e a Galeria Vila, esta última criada durante pela nossa gestão, com inauguração realizada no dia 07 de junho deste ano, com a exposição internacional “Diego e Frida - Um sorriso no meio do caminho”, garantida com apoio da Secult / Fundarpe / Governo de Pernambuco e Embaixada do México. Além da regularização jurídica, fizemos o chamamento de funcionários efetivos em concurso público para vagas da Biblioteca Penarol e Cine Teatro Bianor. 

Com o objetivo de qualificar os equipamentos culturais, buscamos recursos de forma ampla, através de emendas parlamentares, parcerias para  projetos de editais estaduais e nacionais. Desde maio, o Cine Teatro Bianor está sendo requalificado e reformado com obras no valor de R$ 150 mil, recebendo um novo palco, restauração da acústica, sala de projeção, sistema elétrico e pintura, graças a uma emenda parlamentar do comprometido deputado estadual Edilson Silva através do Fundo Estadual dos Municípios (FEM). Esta emenda possibilitou sua reabertura hoje (27/07/2018). O nosso querido cine-teatro também recebeu a emenda da deputada Teresa Leitão, ainda em andamento.  O cine teatro acaba de receber também um kit completo de iluminação, destinado pela Funarte após seleção via edital público federal. 
 
Entendendo que a cultura de uma cidade deve ser feita de forma participativa e democrática, realizamos escutas públicas com diversos segmentos culturais, reuniões e eleições para ocupação das vagas em aberto do Conselho Municipal de Cultura. Realizamos pela primeira vez na cidade em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco - Fundaj o curso de “História da África, Educação e Debates de Gênero” para professores, gestores e lideranças sociais com a perspectiva de falar sobre as identidades étnicas no intuito de contribuir para o combate ao racismo e ao sexismo na interface com o ensino. 

Lançamos convocatórias de artistas para o Carnaval e São João de 2017 com o objetivo de tornar os ciclos culturais mais diversificados, com forte presença das nossas manifestações tradicionais da cultura popular, shows de artistas locais e atrações convidadas. Foi através destas convocatórias que atraíram mais de 500 inscritos, batendo recordes e ultrapassando a quantidade de propostas em anos anteriores, que conseguimos trazer pela primeira vez à Camaragibe shows de bandas e artistas como Eddie, Siba, Karina Buhr, Irah Caldeira, Lia de Itamaracá, Otto e Maciel Salu.

Com o intuito de criar uma programação cultural dinâmica, diversificada e de qualidade,  criamos projetos, fizemos parcerias e atraímos grandes eventos culturais para Camaragibe, eventos que antes só aconteciam na capital do estado. A população de Camaragibe pode desfrutar de uma rica programação audiovisual através do Festival Varilux de Cinema Francês e Animage, entre outras sessões.

Na área de Artes Visuais, realizamos o projeto Camaragibe nos Museus possibilitando a visita de alunos de escolas públicas a galerias e museus do Recife e promovemos oficinas com os artistas Cavani Rosas, Bia Melo, Simone Mendes e o fotógrafo Ricardo Peixoto dando possibilidade para que jovens da cidade também pudessem se aperfeiçoar e conhecer novas técnicas. Também criamos o Iniciarte, programa que fez oficinas diversas em comunidades de Céu Azul, Vera Cruz, Alto da Boa Vista, Celeiro e Vila da Fábrica com o foco na educação infantil.  

No setor musical,  realizamos o projeto Som na Eliza com diversos artistas de Camaragibe, produzimos o Concerto da Banda Sinfônica do Recife no Cine Teatro Bianor encerrando nossa programação de 2017, promovemos uma oficina de Técnico de Som com Marcílio Moura, o Seminário “Produção em Foco” com Alejandro Vargas e Elayne Bione e a oficina de Ritmos Amazônicos com Silvan Galvão, além das capacitações do Funcultura trazidas à cidade. Sem falar da realização do VI Encontro de Bois e Variantes que encheu de cores e de alegria as ruas da Vila da Fábrica em junho neste ano.

Na área de Literatura, organizamos e fizemos o inventário o acervo da Biblioteca Penarol, além de campanhas de doações de livros e cadastramento de novos usuários. Ampliamos o funcionamento da Biblioteca para os dois turnos e realizamos contações de histórias, palestras, lançamentos de livros e sessões de cineclube.  A Biblioteca Penarol ainda foi incluída no Programa Nacional Conecta e no programa Tô na Rede (organizado pela Rede Relacionais, Fundação Bill Gates e Biblioteca do Estado). 

No segmento de Artes Cênicas, realizamos o Seminário Cultura e Empreendedorismo, o I Encontro de Artes Cênicas de Camaragibe com diversas apresentações, workshops, peças e espetáculos solos, entre outros eventos. Fizemos parcerias e recebemos programação dos Festivais Trema e Palco Preto, apoiamos  as montagens da Paixão de Cristo e eventos diversos. Uma das mais importantes ações neste ano se deu com o convênio entre o Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro, o Curso de Licenciatura em Teatro da UFPE e o Laboratório de Artes Cênicas da UFPE (LAC). Foi através deste convênio que foi possível a realização do Curso de Produção Cênica - Módulo 1 que se encerrou com a presença dos alunos participantes na temporada da ópera "Rita", que esteve em cartaz no Teatro de Santa Isabel. E parceria com o Sesc Ler de São Lourenço da Mata, foi possível trazer para Camaragibe alguns espetáculos da Mostra Camurim de Teatro, Dança e Circo com apresentações gratuitas no Parque Maria Amazonas e na Rua Eliza Cabral.

Na área de Artesanato, fizemos cadastramento de artesãos, realizamos diversas feiras, organizamos a participação na FENEARTE em 2017 com estande próprio e promovemos a inclusão dos artesãos de Camaragibe em diversos eventos e feiras no estado. Neste ano, realizamos três feiras no Parque Maria Amazonas oferecendo variados produtos para a beleza e bem-estar da casa, além de artefatos utilitários, além da Feira Frida com as artesãs da cidade na abertura da Galeria Vila.

Na setor de Patrimônio, incentivamos e apoiamos as candidaturas de representantes de Camaragibe a receber o registro de Patrimônio Vivo de Pernambuco. Realizamos estudos, visitas técnicas, reuniões com Fundarpe e Iphan e solicitação formal ao DNIT para a transferência de posse da antiga Estação Ferroviária de Alberto Maia para a municipalidade, com o objetivo de restaurar e transformar a estação num equipamento cultural. Criamos grupo de trabalho com membros da equipe da Fundação de Cultura, Conselho Municipal de Cultura de Camaragibe e sociedade civil para elaboração do Inventário Cultural de Camaragibe, que tem previsão de ser apresentado em agosto deste ano.

Citamos algumas das ações realizadas não por vaidade, mas porque como gestor público neste período tenho a obrigação de exercer a transparência pública, ou seja, apresentar as ações realizadas pela Fundação de Cultura. Temos certeza que não fizemos tudo o que desejávamos, mas buscamos incansavelmente viabilizar o melhor para a construção gradativa das políticas culturais de Camaragibe, uma cidade rica em talentos e potenciais, que só precisam de incentivo e investimento continuado. A cidade não pode sucumbir à mediocridade daqueles que se amparam na Cultura com fins eleitoreiros e de autopromoção pensando apenas numa gestão que reforce a política de balcão. 

Agradecemos imensamente à população, artistas, produtores, agentes culturais e ao Conselho Municipal de Cultura de Camaragibe, que apoiaram, incentivaram, criticaram e deram sugestões para a construção coletiva das políticas culturais. Somos gratos também a artistas e produtores de outras cidades que trouxeram a sua arte e conhecimentos à nossa cidade. Agradecemos especialmente aos vereadores de nossa cidade, aos deputados e aos gestores da Secult, Fundarpe, Governo de Pernambuco e Prefeituras do Recife, Fundação de Cultura de Caruaru e Paudalho pelos projetos, parcerias e intercâmbios. 

Agradecemos ainda mais intensamente à equipe que contribuiu de todas as formas para que todas nossas ideias saíssem do papel: Albino Baru, Amauri Lins, André Soares,  ngelo Fábio, Charles Figueiredo, Clerrom Moreira, Ellis Regina, Fabiana Bezerra, Flora Noberto, Gilberto Seino, Ialy Cintra, Jarmeson de Lima, José Marcone (Jimmy), Josivan Rodrigues, Karol Pacheco, Késsia Oliveira, Larissa Fonseca, Laudeci Nanci (Preta), Márcio Souza, Prazeres Barros, Renata Queiroz, Rose Di Lourdes, Severino Arlindo (Brizola), Sílvia Tereza, Tayná Leite e Thâmisa da Hora.
   
Seguimos com o coração e mente tranquilos, com a sensação de dever cumprido e desejando a nova gestão força e que as políticas culturais de Camaragibe avancem com responsabilidade, de forma plural e democrática.

Olímpio Costa
Cidadão camaragibense, economista, produtor cultural e cineasta.


Luciana Santos e o atestado da derrota do PSB

Luciana Santos e o atestado da derrota do PSB

Por Jornalista Camila Barbosa

 

A candidatura de Marília Arraes não ressuscitou apenas o sonho do Pernambucano de eleger um governo com alma nova.

A falta de atrativo e expectativa de vitória da chapa majoritária encabeçada pelo quase ex governador  Paulo Câmara, aliada a marca de golpista do PSB, criou um desespero interno a ponto de tentar ressuscitar politicamente a candidata derrotada nas eleições de 2016 em Olinda, Luciana Santos.

Luciana em 2014 já amargava a rejeição da era PC do B em Olinda. Conseguiu se eleger nas últimas vagas para Deputada Federal, assumiu a presidência de um partido que em Pernambuco não fez nenhum Deputado Estadual, nenhum prefeito de relevância e quase não a elege. Mesmo assim, foi a candidata à prefeita de Olinda na eleição que marcou o enterro definitivo da era desastrosa Luciana/Renildo.

Na ânsia de tentar diminuir a cara do golpe do seu palanque, e trazer uma mulher na tentativa de contrapor a irreversível presença de Marília Arraes na eleição, o PSB cogita a presença de Luciana Santos para vice de Paulo Câmara, em mais um grosseiro erro político da quase sepultada Frente Popular de Pernambuco.

O governador Paulo Câmara, após a sua primeira derrota nessas eleições (não conseguir junto a Direção Nacional do PT rifar a candidatura de Marília Arraes) caminha a passos largos para mais uma derrota, dessa vez nas urnas. 

Após o pré candidato ao Senado Jarbas Vasconcelos anunciar apoio a Geraldo Alckmin, a ex deputada federal em atividade, com baixíssimas chances de reeleição Luciana Santos, só agregará a chapa do governador mais incoerência e nenhuma força política. 

Defender Lula e Dilma na Câmara Federal e permitir que o seu partido em Pernambuco se comporte como um puxadinho do PSB do Golpe, é além de incoerente, pouco inteligente da parte de ambos. Luciana termina de sepultar qualquer chance de reeleição de Paulo Câmara.

Luciana teve uma militância que somou méritos em muitas vias, mas permitiu jogar sua trajetória na vala comum do fisiologismo da velha política. Representa o fracasso de um projeto que de comunista não tem mais nem o nome. É uma extensão da sepultura do socialismo em Pernambuco.

Para Paulo Câmara, se a ideia é diminuir ou pelo menos equilibrar a disputa com a presença de uma mulher na vice, sendo Luciana Santos, o que vai conseguir agregar é um partido sem expressão no estado, sem estrutura e uma ex prefeita que se quer foi ao segundo turno em Olinda. A cidade derrotou o projeto político pessoal Santos/Calheiros e abriu espaço para um novo tempo.

Se o PSB anseia ver uma mulher no governo, já pode se acostumar com Marília Arraes no Palácio do Campo das Princesas, para sentar na cadeira de governadora. É Marília Arraes! A hora é dela e Pernambuco já mandou dizer ao Brasil. Pernambuco não tem mais tempo para alimentar a política de alianças compradas e partidos alugados. 

Mas convenhamos, sem Marília Arraes na disputa era difícil o Palácio lembrar de Luciana até para a disputa a Federal. O fator Marília Arraes serviu  para ressuscitar a falecida política Luciana Santos e colocar seu nome em posição num tabuleiro que em qualquer lugar que ela figurar vai amargar nova derrota. Mas sem a ameaça de Marília Arraes, nem para isso o Palácio precisava de Luciana.


Fórum Municipal Popular de Educação do Recife.  A quem interessa a BNCC?

Fórum Municipal Popular de Educação do Recife. A quem interessa a BNCC?

FÓRUM MUNICIPAL POPULAR DE EDUCAÇÃO DO RECIFE

 

                                         NOTA PÚBLICA 

 
A QUEM INTERESSA A BASE NACIONAL COMUM C CURRICULAR – BNCC? 
 
O Fórum Municipal Popular de Educação do Recife se manifesta contrário à versão da Base Nacional Comum Curricular-BNCC, da Educação Básica, apresentada em abril de 2018. Caminhamos juntos às entidades científicas (ANPAD-Associação Nacional de Pós-Graduação em Pesquisa em Administração; ANPAE-Associação Nacional de Política e Administração da Educação; ANFOPE-Associação Nacional pela Formação dos Profissionais de Educação); Entidades sindicais e de representação de professores(as), a CNTE- Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação; CONTEE-Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino; a Campanha Nacional pelo Direito à Educação- PE e entre outras.
 
A quem interessa a efetivação da BNCC? No que tange à defesa, interessa aos que são defensores de uma proposição centralizadora nos seguintes aspectos: currículo, formação docente, e avaliação, que se articulam ao discurso de uma unidade nacional arquitetada. O que se configura em um processo de exclusão. A quem interessa no jogo Político tais políticas curriculares? E quais os seus efeitos na prática?
 
Em diversos momentos da história nacional observamos a recorrente discussão sobre as políticas de centralização do currículo, entre as quais se insere a instituição da BNCC. Contudo, a proposição de se padronizar o ensino e a educação tem sido problematizada no campo curricular, ressaltando que o currículo situa-se em um campo de disputas que não é neutro. Ele expressa uma historicidade, um contexto, conflitos de interesses. Portanto, os(as) professores(as) e profissionais de educação precisam se apropriar desse debate e posicionar-se de forma crítica diante da premente ameaça a educação brasileira. Assim, destacamos:
 
A proposição da BNCC não foi, discutida com a sociedade, as entidades que representam os (as) professores (as), os profissionais de educação, as entidades acadêmicas, a escola, a Rede Municipal de Ensino do Recife, Estadual, a Rede particular e comunitária. O que a configura em outras palavras, que o caráter de participação na formulação da política de BNCC foi meramente informativo e que as condições para que essa participação fosse efetivada não foram garantidas. Assim, o documento está distante de ser resultado de um processo democrático, passando a ser uma imposição do Ministério de Educação-MEC, do antigo Ministro Mendonça Filho e do Governo golpista de Michel Temer.
 
A impossibilidade de construção de uma unidade curricular, sem reconhecer os complexos jogos de poder que buscam ocultar a diversidade do contexto em diferentes práticas. O que denota um perigo premente de padronização de narrativas como forma de regulação, que pode ser analisada através de diversos instrumentos, a exemplo dos processos de avaliação geridos pelo Estado.
 
Tensões entre o controle e a autonomia da escola. Com a aprovação da BNCC serão incentivados testes padronizados que dizem respeito à (in)capacidade da escola, ou seja, o que produz uma compreensão normativa de currículo, a partir da qual se procura ignorar a imprevisibilidade da vida cotidiana da escola.
 
O risco de padronização de um modelo de professor(a) competente. Teremos, ainda, um instrumento, suporte para acelerar o processo de avaliação dos(as) profissionais de educação, construindo instrumentos de forma unificada em função de expectativas de resultados e de crescentes metas necessárias ante a defesa e os argumentos da suposta unificação das competências. Nessa perspectiva, corremos o risco da padronização do(a) professor(a) competente, caminhando para um processo de demonização dos que não alcançarem bons resultados.
 
Tal discurso mobiliza uma garantia de ordem, isto é, de se ensinar tudo aquilo que se considera necessário que os alunos aprendam, criando mecanismos hegemônicos.
 
Padronização do processo de formação. Outro aspecto a destacar será a real possibilidade de padronização para formação dos(as) professores(as) e profissionais da educação, avançando os modelos notadamente conservadores. O que remete ao retorno do Tecnicismo com uma nova roupagem, uma narrativa de suposta construção de novas Bases para a Educação Nacional. Deste modo, uma base curricular nacional como objeto pronto será resultado de uma intervenção de poder, cujo objetivo central é avançar na privatização da educação pública.
 
ASSINAM:
 
Fórum Municipal Popular de Educação do Recife
 
ASSADIR- Associação dos Auxiliares de Desenvolvimento Infantil do Recife;
 
Campanha Nacional pelo Direito à Educação;
 
CERVAC – Centro de Reabilitação e Valorização da Criança;
 
Conselho Tutelar;
 
CTB – Central dos trabalhadores do Brasil;
 
CUT- Central Única dos Trabalhadores-PE;
 
Fórum LGBT de Pernambuco;
 
Mães pela diversidade;
 
NEAB-UFPE-Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros;
 
NEAFI- Núcleo de Educação Integral e Ações Afirmativas;
 
Rede de Mulheres Negras de Pernambuco;
 
SINDSEPRE-Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos da Administração Direta e Indireta da Prefeitura do Recife;
 
SINPRO- Sindicato dos Professores no Estado de Pernambuco;
 
UBES – União Brasileira dos Estudantes Secundaristas;
 
UEP- União dos Estudantes de Pernabuco;
 
UESP- União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco;
 
Uyala Mukaji- Sociedade das Mulheres Negras de Pernambuco;

Compesa leva  água do Rio São Francisco para abastecer distrito de Cabanas, em Cachoeirinha, no Agreste

Compesa leva água do Rio São Francisco para abastecer distrito de Cabanas, em Cachoeirinha, no Agreste

Três mil moradores da localidade serão abastecidos por meio da Adutora do Agreste
 
O distrito de Cabanas, situado na zona rural do município de Cachoeirinha, no Agreste de Pernambuco, será mais uma localidade beneficiada com água do Rio São Francisco, graças ao esforço do Governo do Estado para finalizar a Adutora do Moxotó e a etapa útil da Adutora do Agreste. O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, esteve hoje (25) em Cabanas, juntamente com o prefeito Ivaldo, para assinar a ordem de serviço de início das obras de implantação do Sistema de Abastecimento de Água (SAA) do distrito, um investimento superior R$ 1 milhão. Essa obra permitirá que os 3 mil moradores da localidade passem a receber água nas torneiras todos os dias. “O governador Paulo Câmara está determinado a espalhar a água do Rio São Francisco para as comunidades que mais precisam”, destacou Roberto Tavares, presidente da Compesa. 
 
Será construída uma adutora, com dez quilômetros de extensão, a partir da Adutora do Agreste, que fica localizada às margens da BR-232 - antes da cidade Tacaimbó (sentido Sertão/Recife) – para transportar água até o distrito de Cabanas. Além da adutora, a obra consiste no assentamento de rede de distribuição para atender a localidade, que antes era abastecida por meio de um sistema precário administrado pelo município. “A população está hoje em festa com essa obra, esperada há mais de 50 anos. Sou grato ao governador Paulo Câmara pelo compromisso cumprido”, afirmou o prefeito de Cachoeirinha, Ivaldo de Almeida.  A obra está prevista para ser concluída no prazo de quatro meses.

Marília fortalece pré-candidatura no Litoral Sul nesta quarta

Marília fortalece pré-candidatura no Litoral Sul nesta quarta

A vereadora e pré-candidata ao Governo de Pernambuco, Marília Arraes (PT), teve uma quarta-feira (25) cheia de compromissos no Litoral Sul pernambucano. Durante passagem por Rio Formoso, Tamandaré, Gameleira e Cabo de Santo Agostinho, a petista participou de plenárias, concedeu entrevistas e se reuniu com várias lideranças da região.

Recepcionada pelo empresário Jorge Marques, a vereadora participou de uma plenária em apoio à sua pré-candidatura ao Governo de Pernambuco no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Formoso. "Arraes não ia até um município sem conversar com os trabalhadores rurais. Estamos fazendo isso porque sabemos da importância de visitar os sindicatos do nosso Estado", afirmou.

Durante o encontro, o ex-prefeito de Água Preta, Armando Souto, nome histórico da Mata Sul, falou da importância de apoiar Marília na disputa deste ano. "Apoiar Marília é fundamental, já que a nossa região precisa de um olhar cuidadoso. Nossa região é muito sofrida, por isso o nome de Marília é tão importante para desenvolver nosso povo", ressaltou Souto.

Já na cidade de Gameleira, onde participou de uma entrevista na Rádio Gameleira FM, a vereadora falou sobre o abandono da região por parte do atual governador e acenou para o Senador Humberto Costa (PT). "Ele é meu candidato ao Senado. Ele e Silvio Costa são meus candidatos. Eu quero Humberto comigo pois ele tem meu voto pessoal."

Após a conversa, ela participou de um ato em apoio à sua pré-candidatura na cidade. A vereadora também participou de um encontro, à convite de Mundinho, vice-prefeito de Tamandaré, para fortalecer o seu nome na região.

Ao final do dia, a pré-candidata participou de algumas reuniões no Cabo de Santo Agostinho, ao lado do vereador Ezequiel Santos, com vereadores e lideranças políticas de cidades vizinhas.


Uma postura estadista de Marília Arraes faz toda diferença

Uma postura estadista de Marília Arraes faz toda diferença

Humildade, reconhecimento e gratidão, são valores essenciais para uma boa administradora no campo político 
 
Numa recente ocasião acompanhei uma conversa me fez refletir que estadistas não são criados, eles surgem naturalmente, sem alarde, sem pisar em outrem. É formidável quando vemos mulheres altivas, cravando suas marcas. 
 
O gesto da vereadora Marília Arraes para com o senador Humberto costa, revela que espirito vencedor é o comprometido com o bem estar de seus semelhantes. É a grandeza de espírito. Faz toda diferença numa sociedade corrompida, egoísta, covarde e que atropela o curso natural da ordem, em detrimento ao próximo, visando a manutenção do poder e no poder.

Basta de passar vergonha PT/PE, respeite sua militância.

Basta de passar vergonha PT/PE, respeite sua militância.

Por Prazeres Barros  
Militante Petista 

 

Venho tentando não falar sobre o que acontece no PT de Pernambuco. De um lado, por acreditar que questões de divergências internas devem e podem ser debatidas no interior do partido. Por outro lado, acredito que não será “colocando lenha na fogueira”, que iremos resolver nossos problemas, mas parece que o partido nos força a tomamos uma posição de exposição, se é assim, assim será. 
Gosto muito dos ditados que a vida nos ensina, portanto antes de olhar a casa do vizinho, é fundamental olharmos a nossa, vamos aos fatos de forma pragmática.
É FATO que Pernambuco busca uma alternativa de mudança politica na forma de fazer, de ouvir, de pensar e atender a população, e nós – maioria absoluta do PT e da sociedade Pernambucana -, estamos oferecendo esta oportunidade ao Estado. 
A candidatura de Marília Arraes há muito saiu do controle dos militantes do PT e se alastrou por Pernambuco, ou seja, não cabe mais ao partido a decisão de mate-la ou não, é uma NECESSIDADE de um povo que buscar alguém que os represente, que renove a esperança e traga uma motivação na politica. 
Negar, desgastar, desconstruir essa alternativa, é renegar ao partido o papel de protagonismo nesse momento tão delicado da nossa historia aqui em Pernambuco. 
O que parte do partido vem fazendo no sentido de RIFAR essa candidatura é VERGONHOSO, HIPOCRITA, ASQUEROSO e acima de tudo, PERIGOSO. 
Sabemos da NECESSIDADE do PSB interferir internamente no partido, até aí podemos entender, afinal um governo fraco, com alto índice de rejeição, que usa da maquina para cooptar entidades, partidos, pessoas, não iria fugir a regra com o PT. 
Ai paramos, pensamos, pensamos e pensamos.....
Sim, do PSB podemos esperar tudo, afinal quem conspirou e traiu o PT diversas vezes, nada de bom poderia vim, mas de membros do Partido, o porquê de tantos ataques, xingamentos, desrespeito e desconstrução de uma candidatura PRÓPRIA? 
Como já dizia o ditado: Tem caroço nesse angu.....e muitos caroços.
O que leva dirigentes do partido, assessores de parlamentares, militantes que “mudaram de lado”, a fazerem com tanta ênfase e ate agressividade à defesa de uma aliança que não nos traz nenhum beneficio e que nos enterra em definitivo no Estado? Que nos apunhalou pelas costas e nos humilhou em todos os momentos de aliança? 
Qual interesse verdadeiro, que não seja a falácia de usar o nome de Lula em vão? 
Sejamos ao menos verdadeiros nesse momento de tantas perdas de Direitos que estamos vivendo. Vamos colocar as cartas na mesa e jogar limpo sobre o desespero que estamos presenciando nesses últimos dias. 
Vamos tentar ajudar no que parece difícil desvendar: 
1. É chantagem do PSB, sobre o quê ou sobre quem? 
2. São mais cargos ou manutenção dos que estão lá? 
3. É promessa de estrutura/dinheiro/poder? 
4. É apoio a futura eleição do PED? 
Todas as alternativas podem estar corretas, menos usar o nome da “unidade”, da “questão nacional”, por “Lula”. 
Estamos cansadas, esgotadas, a cada dia mais enojadas e revoltadas. Brincar, tripudiar, desrespeitar uma militância como o PT, é ter a ousadia de desafiar o desconhecido enfurecido e transformar toda revolta em um grande tsuname de repudio para quem pratica ou financia a destruição do Partido. 
AVISO DADO. 

 


Deputado Estadual Odacy Amorim (PT) declara apoio à Marília Arraes

Deputado Estadual Odacy Amorim (PT) declara apoio à Marília Arraes

Depois de retirar sua pré-candidatura ao Governo de Pernambuco na semana passada, o deputado estadual Odacy Amorim (PT) declarou apoio, neste domingo (22), à pré-candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) a governadora.

O deputado, que ao lado do militante José de Oliveira postulava o seu nome dentro do partido a vaga de pré-candidato ao Governo, sinalizou pela candidatura própria do partido.


A militância petista da zona oeste do Recife se mobiliza  pelas redes sociais para apoiar a candidatura de Marília Arraes

A militância petista da zona oeste do Recife se mobiliza pelas redes sociais para apoiar a candidatura de Marília Arraes

Através de um grupo no WhatsApp e no Facebook, militantes do PT e simpatizantes se mobilizam para dar suporte à  pré campanha da candidata do partido ao Governo do Estado, Marília Arraes. Os militantes os utilizam as redes sociais para compartilhar agendas e material da pré campanha alem de organizarem a reuniões do grupo

 
O principal grupo de compartilhamento no WhatsApp é chamado de “Mobilização Eixo-Caxangá”, foi organizado por moradores da zona oeste do Recife. 
 
 
 
"Reunião de Mobilização do EIXO - CAXANGÁ em apoio à pré-candidatura de MARÍLIA ARRAES e em defesa de LULA
 
Nesta quinta feira, dia 26, às 19h., na Rua São Francisco de Paula, 37-103, Caxangá Recife. (Clube dos Servidores) ao lado do terminal de integração da Caxangá."
 
Imagem incorporada 
 

Obras de melhoria do abastecimento motivam paralisação do Sistema Tapacurá por 48 horas

Obras de melhoria do abastecimento motivam paralisação do Sistema Tapacurá por 48 horas

Intervenção ocorrerá a partir das 7h da terça-feira (24) e segue até às 7h da quinta-feira (26)


A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) programou, na próxima semana, uma parada do Sistema Produtor Tapacurá para possibilitar obras de melhoria do abastecimento de água do Recife. A paralisação do sistema, o segundo maior da Região Metropolitana do Recife, vai durar 48 horas, inicia às 7h da terça-feira (24) e segue até às 7h da quinta-feira (26), suspendendo o fornecimento de água para  bairros do Recife, exceto os localizados na Zona Sul da cidade (área  atendida por outros sistemas), e também para dez localidades de Jaboatão dos Guararapes, dois de Olinda e todo município de Camaragibe. A parada foi planejada para dar continuidade às Obras de Setorização do Recife, um grande investimento que permite  a divisão da rede de distribuição  em setores distintos de abastecimento, instalação de equipamentos para controle de vazões e pressões, além de substituições de tubulações antigas ou subdimensionadas, ações que  visam a  melhoria do  fornecimento de água  e combate às perdas.

 

As obras que motivam a paralisação  fazem parte de uma série de interligações da nova rede implantada em 14 bairros das Zonas Oeste e Norte do Recife. As intervenções  serão realizadas no bairro das Graças, nas Ruas Amélia e Senador Alberto Paiva, por uma equipe de 15 técnicos. Os serviços ocorrerão próximo ao meio-fio da calçada, por este motivo, só será isolada uma faixa da pista, com interferência parcial no trânsito local. A área da obra será sinalizada, conforme orientações da CTTU (Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife). A Compesa ainda vai aproveitar a parada de Tapacurá para realizar manutenções preventivas nas unidades do sistema, como a Estação de Tratamento de Água (ETA) Castelo Branco, no Curado, e nas adutoras.

Outra intervenção importante será para trocar uma válvula de grande porte localizada em uma das adutoras dos Grandes Anéis de Distribuição do Recife, na Avenida Abdias de Carvalho, em frente ao Sport Club do Recife, no sentido BR-232. Além da equipe técnica, serão mobilizados para o local diversos equipamentos de grande porte, que farão a retirada da válvula antiga e a colocação do novo equipamento. Também haverá interdição parcial do trânsito no local, com o isolamento de uma das faixas da avenida, numa extensão de 20 metros, e sob a orientação da CTTU.

Na quinta-feira, após a conclusão dos serviços, o sistema voltará a funcionar com o restabelecimento do abastecimento de água para as áreas afetadas pela paralisação. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800 081 0195.
Todo projeto das Obras de Setorização da área plana do Recife é dividido em quatro lotes e recebe o investimento de R$139 milhões, recursos financiados pelo Governo do Estado e Compesa junto ao FGTS. As ações de setorização permitem o controle de pressões, através de implantação de válvulas redutoras de pressão, controle de vazões, com a instalação de macromedidores, além da implantação de novas tubulações.

 

 

Localidades afetadas pela  paralisação do Sistema Tapacurá:

 

RECIFE :

 

AFLITOS, AFOGADOS, ÁGUA FRIA, ALTO DO MANDÚ, ALTO SANTA ISABEL, AREIAS, ARRUDA, BAIRRO DO RECIFE, BARRO, BEBERIBE, BOA VISTA,

BOMBA DO HEMETÉRIO, BONGI, BRASILIT, CABANGA, CAÇOTE, CAJUEIRO, CAMPINA DO BARRETO, CAMPO GRANDE, CASA AMARELA, CASA

FORTE, CAXANGÁ, CIDADE UNIVERSITÁRIA, COELHOS, COQUE, COQUEIRAL, CORDEIRO, DERBY, DOIS IRMÃOS, ENCRUZILHADA, ENGENHO DO

MEIO, ESPINHEIRO, ESTÂNCIA, FUNDÃO, HIPÓDROMO, ILHA DO LEITE, ILHA DO RETIRO, ILHA JOANA BEZERRA, IPUTINGA, JAQUEIRA, JARDIM

PETRÓPOLIS, JARDIM SÃO PAULO, JIQUIÁ, MACAXEIRA, MADALENA, MANGABEIRA, MANGUEIRA, MONSENHOR FABRÍCIO, MONTEIRO,

MUSTARDINHA, PAISSANDU, PARNAMIRIM, PONTO DE PARADA, POÇO DA PANELA, PRADO, RODA DE FOGO, ROSARINHO, SANCHO, SAN MARTIN,

SANTANA, SANTO AMARO, SANTO ANTÔNIO, SÃO JOSÉ, SOLEDADE, TAMARINEIRA, TEJIPIÓ, TORRE, TORREÃO, TORRÕES, TOTÓ, VÁRZEA, ZUMBI.

DOS GUARARAPES

JABOATÃO DOS GUARARAPES:

CAVALEIRO, PACHECO, JABOATÃO VELHO (CENTRO), SUCUPIRA, SOCORRO, CURADOS I, II, III, IV E V.

CAMARAGIBE

OLINDA :

PEIXINHOS, SÃO BENEDITO.

 

TODA CIDADE DE CAMARAGIBE.


Obras da Adutora de Serro Azul já são realidade no Agreste

Obras da Adutora de Serro Azul já são realidade no Agreste

Assentamento de tubulações é realizado em Bezerros e Santa Cruz do Capibaribe 

 

A execução da obra da Adutora de Serro Azul, um importante empreendimento para garantir a sustentabilidade hídrica do Agreste, está a todo vapor. Duas frentes de trabalho estão concentradas no assentamento de tubulações, uma situada no distrito de Sapucarana, em Bezerros, e outra em Santa Cruz do Capibaribe, próxima a Estação de Tratamento de Água (ETA) da cidade e da PE-160, e já contabilizam dois mil metros de rede implantados. A adutora vai transportar água da Barragem de Serro Azul, situada em Palmares, na Zona da Mata Sul, para atender dez municípios do Agreste, a região que mais sofre com os efeitos da escassez de chuvas decorrentes do histórico de secas cíclicas. Serão beneficiados 1, 5 milhão de pessoas em Belo Jardim, Sanharó, Caruaru, Tacaimbó, São Bento do Una, São Caetano, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Bezerros e Gravatá.

 

Segundo o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, encontrar alternativas para resolver a questão hídrica do Agreste tem sido um grande desafio para o governador Paulo Câmara, que não tem medido esforços para captar os recursos necessários para viabilizar as obras. “Não podemos deixar de enaltecer o esforço e competência dos técnicos da Compesa que têm apontado várias alternativas para operacionalizar obras que visam ao aproveitamento das fontes hídricas existentes, mesmo que sejam projetos de transposições de bacias ou construção de adutoras de médio e longos percursos”, argumenta Tavares. O presidente enaltece a escolha da captação na Barragem de Serro Azul, concebida inicialmente para contenção de cheias na Mata Sul e por estar localizada em uma região onde há bons índices de pluviometria.

 

A adutora de Serro Azul terá 58 quilômetros de extensão, saindo de Palmares até o ponto de interligação com a Adutora do Agreste, entre os municípios de Caruaru e Bezerros. Serão captados na barragem 500 litros de água, por segundo, vazão suficiente para ampliar significativamente a oferta de água nas cidades contempladas. A obra conta com um aporte de R$ 200 milhões, fruto de um convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com previsão de conclusão para julho do próximo ano. O empreendimento conta ainda com a construção de quatro estações elevatórias (sistemas de bombeamento), implantação de reservatórios com capacidade total de 4.500 metros cúbicos de água, instalação de 28 quilômetros de linhas de transmissão elétrica, além da automação do sistema.

 

ETA Belo Jardim 

 

Uma das frentes de trabalho relacionadas ao projeto da Adutora de Serro Azul está situada na Estação de Tratamento de Água (ETA) de Belo Jardim. A unidade está recebendo uma obra de adequação, ampliação e modernização a fim de triplicar a sua capacidade de operação, de 180 litros de água, por segundo, para 600 L/s. Por meio da Adutora do Agreste, a ETA receberá água da Transposição do Rio São Francisco – trazida para a região Agreste pela Adutora do Moxotó, que já está em pré-operação. Quando a Adutora de Serro Azul estiver pronta, a ETA de Belo Jardim também receberá água da Barragem de Serro Azul. Nesse caso, a água vai percorrer um caminho de 58 quilômetros da Mata Sul até Bezerros e, de lá, seguirá por mais 100 quilômetros, pelas tubulações da Adutora do Agreste ao longo da BR-232, até a ETA de Belo Jardim. Além da população de Belo Jardim, da ETA também sairá água para atender as cidades de Tacaimbó, Sanharó e São Bento do Una. Essa obra, que deve ser concluída dentro de dez meses, está orçada em R$ 4 milhões.