Teste de publicidades

Vereador João da Costa (PT-PE) é o novo presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara

Vereador João da Costa (PT-PE) é o novo presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara

Com o objetivo de dar contribuições para a sustentabilidade verde e desenvolvimento ambiental do Recife, o vereador João da Costa (PT) assume a presidência da Comissão de Meio Ambiente da Casa de José Mariano. Além do petista, estão no colegiado Goretti Queiroz (PSC) – vice-presidente da comissão – e Augusto Carreras (PSB), como membros titulares. 
 
 
O vereador João da Costa, que vai presidir os trabalhos no biênio 2019/2020, destacou a importância que a Comissão de Meio Ambiente terá nessa legislatura, sobretudo nas discussões em torno da revisão do Plano Diretor do Recife.  O petista, ex-prefeito da capital pernambucana, ressaltou que a questão ambiental é central para o desenvolvimento sustentável da cidade.
 
 
"Recife é uma cidade cortada por seis rios, 66 canais e precisa ser discutida do ponto de vista da sustentabilidade. Portanto, na comissão, além de uma participação ativa nas discussões do novo Plano Diretor, também vamos trabalhar um plano de drenagem para a cidade, a questão da arborização e outros temas de relevância para a população”, listou o vereador.
 
 
A comissão está finalizando o planejamento para este semestre, organizando as datas das reuniões e pautas para análise dos projetos. Além de João da Costa, Goretti Queiroz e Augusto Carreras, o colegiado ainda tem como suplentes os vereadores Ricardo Cruz (PPS) e Marcos di Bria (PSDC).

Gota D’Água realiza 38º desfile no Carnaval do Recife

Gota D’Água realiza 38º desfile no Carnaval do Recife

Boa parte da folia e tradições da Festa de Momo em Pernambuco se deve aos blocos de rua. Na Sexta-feira de Carnaval, dia 1º de março, a animação do Centro do Recife está garantida com o Bloco Gota D’água. Os funcionários da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) realizarão o 38º desfile da agremiação, levando para as ruas o cortejo de trios elétricos, passistas de frevo e carro de apoio. Para arrastar os foliões, o desfile será animado pelo Trio Asas da América, Trio Balada e Trio Absoluto, além da banda A Favorita e Diego Cabral e Banda. A saída do bloco está marcada para às 20h30, em frente a antiga sede da Compesa, na Avenida Cruz Cabugá, no bairro de Santo Amaro.

 

 

O percurso do bloco tem ao todo quatro quilômetros, inicia na Avenida Cruz Cabugá, segue até o Parque Treze de Maio e encerra na Rua da Aurora, nas imediações da Assembleia Legislativa. Como ocorre todos os anos, o Gota D’Água contará com o apoio da Prefeitura do Recife, CTTU (Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife), da Polícia Militar e de segurança particular. “O Gota D’Água é o único bloco das estatais que ainda desfila no Carnaval de Pernambuco e também é o único mantido por uma companhia de saneamento no Brasil. Somos resistência e vamos fazer, mais uma vez, uma festa muito bonita”, disse o presidente do Bloco Gota D’Água, Jaime Meira.

 

 

SERVIÇO:

 

Bloco Gota D’água – 38º Desfile

 

Dia: Sexta-feira (01/03)

 

Início do desfile de rua:às 20h30

 

Trajeto: começa na sede da Compesa da Cruz Cabugá (nº 1387, Santo Amaro), segue até o Parque Treze de Maio, Rua Princesa Isabel, e encerra na Rua da Aurora, nas imediações da Assembleia Legislativa.

 

Atrações: Trio Asas da América,Trio Balada, Trio Absoluto, Banda A Favorita, Diego Cabral e Banda e carro de apoio.


FILHO DE BOLSONARO DECLARA GUERRA A VENEZUELA E QUER ASSASSINATO DE MADURO

FILHO DE BOLSONARO DECLARA GUERRA A VENEZUELA E QUER ASSASSINATO DE MADURO

Submisso a Donald Trump, que pretende se apoderar do petróleo venezuelano, Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, defendeu uma solução militar para a crise venezuelana e o assassinato do presidente Nicolás Maduro; no Twitter, ele afirmou que "achar que o problema da Venezuela é só dos venezuelanos é não enxergar um palmo adiante"; na mesma postagem, ele adicionou um vídeo, de 2017, onde em uma conversa com o opositor Roderick Navarro, diz que "Maduro só sai à base do tiro, da bala. Eu não acredito que ele vá sair pacificamente"; aventura, porém, não encontra respaldo nem entre os militares do governo Bolsonaro 

 
247 - Em meio às tentativas do Brasil de manter o "caráter humanitário, da ajuda do Brasil enviada à Venezuela, o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, foi na direção contrária e adotou um tom mais belicoso contra o governo de Nicolás Maduro. "...Achar que o problema da Venezuela é só dos venezuelanos é não enxergar um palmo adiante", postou Eduardo no Twitter na madrugada deste sábado (23). Na mesma postagem, ele colocou um vídeo de 2017 onde em uma conversa com o opositor Roderick Navarro diz que "Maduro só sai à base do tiro, da bala. Eu não acredito que ele vá sair pacificamente". 
 

Pouca horas antes de Carlos Bolsonaro demonstrar seu alinhamento à política externa dos Estados Unidos, que têm interesse na saída de Maduro do poder em função da Venezuela possuir as maiores reservas mundiais de petróleo, o presidente Jair Bolsonaro promoveu uma reunião ministerial de urgência sobre o assunto. Ali, ele foi advertido que o país poderia estar sendo usado como isca para fomentar conflito e dar margem a uma intervenção militar dos Estados Unidos. (Leia mais no Brasil 247)

Em uma outra reunião, esta com o vice-presidente, general Hamilton Mourão, que viajará á Bogotá, Colômbia, na próxima segunda-feira (25), como representante do Brasil no Grupo de Lima, Bolsonaro determinou que o Brasil não defenda uma intervenção militar no país vizinho. Entre os participantes da reunião estará o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, cujo governo vem sendo acusado por Maduro, além da China e Rússia, de fomentar a crise venezuelana para justificar uma ação militar. 

 

Por 247


Receita mira miliciano que tinha elo com Flávio

Receita mira miliciano que tinha elo com Flávio

A Receita Federal vai investigar movimentações financeiras de suspeitos de integrar grupos de milicianos no Rio. Entre os alvos, está o ex-PM Adriano Magalhães da Nóbrega, que tinha mãe e mulher empregadas no gabinete de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Alerj. A atuação do Fisco junto com o Ministério Público poderá mapear todos os que fizeram transações com os supostos criminosos. A Receita Federal vai ampliar a cooperação com o Ministério Público do Rio de Janeiro e investigar os envolvidos na Operação Os Intocáveis, que mira a atuação de milícias no Estado. Entre os alvos está o ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como líder de grupo criminoso conhecido como Escritório do Crime. A mãe e a mulher de Nóbrega trabalharam no gabinete que o hoje senador Flávio Bolsonaro (PSLRJ) ocupava até 31 de janeiro deste ano na Assembleia Legislativa do Rio.
 

 

Como revelou o Estado no mês passado, a Receita já atuava na análise das movimentações financeiras dos citados no relatório do Conselho de Controle de Atividade Financeira (Coaf) que apontou transações atípicas na conta de Fabrício Queiroz, também ex-assessor de Flávio, filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro. A Operação Os Intocáveis prendeu cinco suspeitos de integrar milícia que atua em Rio das Pedras, na Barra da Tijuca. Nóbrega, porém, segue foragido. De acordo com a Promotoria do Rio, o grupo atuava na grilagem de terras, na compra, venda e aluguel irregular de imóveis, na cobrança de taxas da população local e na receptação de mercadoria roubada, entre outros crimes. A mulher do ex-capitão, Danielle Mendonça da Costa Nóbrega, trabalhou no gabinete de Flávio de 6 de setembro de 2007 até 14 de novembro do ano passado. Já a mãe de Nóbrega, Raimunda Veras Magalhães, esteve lotada no mesmo gabinete de 11 de maio de 2016 também até 14 de novembro de 2018. Ambas recebiam salário de R$ 6.490,35. Raimunda é citada no relatório do Coaf que investiga corrupção no Legislativo fluminense. Ela repassou R$ 4.600 para a conta de Queiroz.
 

 

A entrada da Receita no caso segue o padrão adotado desde a Operação Lava Jato, em que o foco dos investigadores é o caminho do dinheiro de grupos criminosos. Como o Fisco tem o maior banco de dados fiscais, bancários e patrimoniais do País, seus relatórios são considerados os mais completos para auxiliar nas investigações. No caso da milícia, a atuação do órgão poderá rastrear todos aqueles que fizeram algum tipo de transação, não só com os suspeitos de integrar o grupo, mas também com parentes, pessoas próximas ou empresas ligadas a eles. Em busca de possíveis crimes tributários, os auditores devem produzir relatórios para subsidiar o trabalho dos promotores com o mapeamento do caminho do dinheiro movimentado. Ao Estado, uma fonte com acesso à investigação afirmou que já foram realizadas algumas reuniões entre investigadores e a Receita para tratar da cooperação no caso.
 

 

 A reportagem ainda tem outros trechos que recordam discursos de Flávio Bolsonaro nos quais ele fez homenagens a policiais milicianos.


Comissão de Planejamento Urbano e Obras da Câmara do Recife percorre Capibaribe para avaliar possibilidade de transporte fluvial

Comissão de Planejamento Urbano e Obras da Câmara do Recife percorre Capibaribe para avaliar possibilidade de transporte fluvial

A "avenida líquida" do Rio Capibaribe, que possui cerca de 280 km de extensão, sendo 16 km só no Recife, é posta como alternativa para mobilidade do Recife desde a década de 1980, quando os primeiros projetos de navegabilidade foram apresentados. A princípio, o rio era visto como potência para o turismo. Hoje, os a concepção sobre o uso do Capibaribe inclui essa e outras possibilidades, como a do transporte coletivo fluvial voltado para o deslocamento dos recifenses a partir do uso misto de modais. Para avaliar possibilidade de transporte fluvial na cidade, a Comissão de Planejamento Urbano e Obras da Câmara Municipal do Recife, liderada pelo vereador Rodrigo Coutinho (Solidariedade), realizará uma visita técnica ao Capibaribe no próximo sábado (23).

 

 

O grupo irá percorrer aproximadamente 8 km de extensão para conhecer de perto a realidade das margens e trajetos possíveis. Tudo isso para viabilizar no que for possível o transporte fluvial. “A mobilidade é uma forma de resgatar o Capibaribe para a própria cidade do Recife. O nosso cartão postal hoje, em muitos trechos, é depósito de lixo. O Rio deveria ser a menina dos olhos do nosso município e nossa comissão, consciente dessa necessidade, está realizando esta visita técnica para levantar possibilidades mais saudáveis socioeconomicamente para o rio e para a cidade", comenta Coutinho.

 

 

A partir da navegabilidade seria possível se locomover entre alguns bairros de Recife sem encarar o trânsito das principais vias. O que significa, na prática, que há um potencial efetivo para aliviar problemas de mobilidade. Atualmente, a capital pernambucana conta com um projeto de navegabilidade que aguarda conclusão. Com extensão de 2,9 km, o projeto Rios da Gente, se concluído, teria capacidade para transportar 300 mil passageiros por mês a partir de ramais que atenderiam ao eixo norte e ao oeste da cidade.

 

 

Atualmente, a capital pernambucana conta com um projeto de navegabilidade que aguarda conclusão. Projetado para ter extensão de 13,9 km, o projeto Rios da Gente, se concluído, teria capacidade para transportar 300 mil passageiros por mês a partir de ramais que atenderiam ao eixo norte e ao oeste da cidade. Em relações proporcionais, toda a extensão do Rio somente na capital não representa 10 vezes o tamanho da Avenida Conde da Boa Vista, duas avenidas e meia da Agamenon Magalhães e quase três vezes o tamanho da Caxangá.

 

PONTES

 

Outro ponto que esbarra com o desenvolvimento do transporte fluvial no Recife é a condição das pontes da cidade. Além da construção de estações, seria necessário realizar serviços de manutenção das infraestruturas. Membros da comissão já haviam feito uma vistoria inicial, que demonstrou corrosão na base. As bases das pontes do Derby, na área central do Recife e da Torre, na zona norte, estão entre as deterioradas. A visita técnica da Comissão de Planejamento Urbano e Obras também pretende avaliar essas questões.


Tornozeleira para monitorar agressor de mulher é defendida por deputado Augusto Coutinho

Tornozeleira para monitorar agressor de mulher é defendida por deputado Augusto Coutinho

Projeto de lei começou a tramitar na Câmara Federal e, se aprovado, vai permitir que vítimas requeiram na justiça o monitoramento dos agressores por sistema eletrônico

 

Agressores de mulheres poderão passar a ser monitorados por tornozeleiras eletrônicas, como forma de garantir que mantenha a distância mínima de dois quilômetros, já prevista em lei, da vítima. A medida foi proposta pelo deputado federal Augusto Coutinho (SD-PE), que apresentou, esta semana, um projeto alterando a Lei Marinha da Penha para incluir o direito da mulher agredida de requerer perante a justiça o uso da tornozeleira pelo criminoso.  “Quem já foi vítima de violência sabe o que é conviver com o medo de que o caso se repita. Usar essa tecnologia é forma de aumentar a segurança das mulheres”, disse o parlamentar.

O projeto, de número 903/2019, foi o primeiro apresentado por Augusto Coutinho neste mandato e a ideia veio de uma prática adotada há alguns anos em Pernambuco, quando um juiz entendeu que o uso da tornozeleira em agressores de mulheres poderia ser um sistema de alerta eficaz. “Tínhamos uma iniciativa que se mostrava exitosa no estado, mas era importante uma legislação que agasalhasse isso, dando o respaldo necessário, inclusive, para advogados de outros estados fazerem tal solicitação, caso achem preciso”.

Pela proposta, um sistema de alarme conectado à tornozeleira fica com a vítima e outro junto à polícia. Caso o agressor se aproxime da mulher agredida em um raio inferior a dois quilômetros ambos alarmes soam. Pela central de monitoramento, a polícia liga para o agressor avisando que ele se afaste, sob o risco de ser preso, e aciona as equipes que estiverem na proximidade. “É interessante, também, porque a vítima irá saber que está sob risco, podendo sair do local a tempo”, acrescentou o Augusto Coutinho.

O parlamentar defende que o projeto é viável, inclusive, financeiramente. “Todos os estados têm este aparelho e o custo para aquisição de novos não é algo que inviabilize o PL. Pelo contrário, é um investimento em uma política eficaz de combate à violência contra a mulher que pode, inclusive, minimizar outros custos do poder público”. Desde 2013, quando a medida passou a ser adotada em Pernambuco, mais de 700 homens passaram a usar tornozeleira. 


 Paralisação parcial do Sistema Botafogo na segunda-feira (25)  por 48 horas

Paralisação parcial do Sistema Botafogo na segunda-feira (25) por 48 horas

Uma paralisação  parcial do Sistema Botafogo,  por 48 horas,  será realizada pela Companhia Pernambucana de Saneamento - Compesa  na próxima segunda-feira (25). Os serviços serão executados na tubulação principal ( adutora), responsável pelo abastecimento de parte do município de Paulista, Região Metropolitana do Recife. A paralisação programada será iniciada às 22h da segunda seguindo até  às 22 horas da quarta-feira (27). A iniciativa será necessária para a instalação de duas válvulas  reguladoras de vazão  com vistas a melhoria das pressões da rede de abastecimento de bairros  localizados  nas áreas mais  altas de Paulista, a exemplo  das localidades de  Alameda Paulista e Jaguarana.

 

 

Para  instalar os equipamentos em unidades do Sistema Botafogo haverá falta de água em localidades da cidade do Paulista :  Mutirão, Maranguape II, Engenho Maranguape, Artur Lundreen I, Artur Lundren II, Jaguarana, Centro de Paulista, Torres Galvão, Jaguaribe,  Jardim Maranguape, Alameda Paulista e Janga. Segundo o gerente de Produção da Compesa, Euris Oliveira, os serviços  são de natureza complexa e  não poderão ser feitos com a adutora em funcionamento ( com água), sendo necessário a suspensão temporária do fornecimento de água. Uma equipe de 30 profissionais estará trabalhando na operação. A distribuição de água será retomada após a conclusão dos serviços  e obedecerá o calendário de abastecimento de cada área. Informações sobre o retorno do abastecimento das localidades  afetadas podem ser obtidas pelo 0800 081 0195.


Blocos do PT fazem prévia por Lula livre em Olinda

Blocos do PT fazem prévia por Lula livre em Olinda

A troça carnavalesca Sapo Barbudo, criada no ano passado para homenagear o ex- presidente Lula, junta-se ao bloco das mulheres do PT, Bovoá com Elas e ao Feitiço da Estrela, do PT de Olinda, numa prévia por Lula livre, neste sábado, 23. 

 

O encontro dos blocos petistas terá concentração às 13h, na Praça do Carmo e depois percorrerá as ladeiras de Olinda. A orquestra que acompanha os blocos promete muito frevo com temas alusivos à campanha pela libertação de Lula.

 

Na Rua Treze de Maio está previsto um encontro com o Bloco da Diversidade que também programou sua prévia para o sábado e tem como tema "Ninguém vai voltar para o armário". 

 

A prévia carnavalesca é organizada pelas Secretarias e Setoriais do PT de Pernambuco e promete reunir militantes e foliões que desejam ver o retorno da Democracia no país, simbolizado na conquista da libertação de Lula, preso a quase um ano injustamente, sem crimes e sem provas. “A ideia é levar a nossa bandeira de Lula Livre durante o carnaval e convidar os blocos a se somarem com a gente”, diz Júnior Afro, Secretário de Cultura do PT PE.


 

Abaixo, letra da troça carnavalesca O Sapo Barbudo, composta pelo músico pernambucano Alex Mono.

 

O Sapo Barbudo (Alex Mono)

 

A nossa troça tá na rua
Vem pra fazer a festa popular
É a troça do Sapo Barbudo
Que o Coiso vai ter que engolir
Quero Lula Livre
Sem Perseguição
Reforma da Previdência NÃO !
Queiram ou não queiram os juízes
O Sapo Barbudo
É o preferido da Nação

 

SERVIÇO:
Encontro de blocos petistas por Lula Livre

Quando: Sábado, 23/02
Onde: Concentração na Praça do Carmo, Olinda.
Horário:  A partir das 13h


O Nordeste não se encaixará na Reforma da Previdência

O Nordeste não se encaixará na Reforma da Previdência

Por Álvaro Robério

 

Reforma da Previdência: “Idosos em condição de miserabilidade tenham renda mensal de R$ 400,00 a partir dos 60 anos. E, apenas aos 70, receberam o salário mínimo".

 

Você tem ideia de que forma isso vai impactar na economia e na vida da população do Nordeste?

 

O economista Gustavo Maia Gomes certa feita definiu que a economia do Nordeste é uma "economia sem produção". Não obstante sua afirmativa diz muito sobre a vida do nordestino.

 

Situados em uma região sem investimento público, pois grande parte do dinheiro que vem para combater a seca e a miséria é desviado pelos coronéis e barões, ainda lhe restava a previdência como consolo para quando se alcançava a idade avançada (velhice). Muitos agricultores que não conseguem produzir devido à falta de água e investimentos, conseguiam se aposentar e ter no final da vida condições de criar os filhos e sobreviver após vários anos de vulnerabilidade e sofrimento.

 

O uso da previdência não era apenas o consolo para aqueles que tinha uma vida difícil, mas também o resultado do trabalho sofrido desempenhado na agricultura e pecuária do semiárido, resultando em aposentadoria precoce muitas vezes pela falta do acesso à saúde e outras tantas pela vida laboral sem apoio do Estado.

 

No Nordeste, infelizmente, quem ocupava cargos na Previdência eram os filhos de barões e poderosos que tinham condições de enviar seus filhos à capital para cursar direito, medicina, engenharia e economia, assim ao retornarem dos grandes centros eram aprovados em concurso público, selecionados ou indicados para assumirem cargos na Previdência Social.

Isso perdurou por muitas décadas, e continua sendo corriqueiro em estatais e instituições públicas do país

Nesse contexto, as aposentadorias eram utilizadas como forma de angariar votos, através de auxílio doença e aposentadoria efetiva liberada por agentes com interesses políticos. Essa prática é conhecida como “voto de cabresto” no país.

 

Ligada a essa discussão, ainda, pode se associar a "Indústria da Seca", descrita pelo jornalista Antônio Carlos Callado em 1960. Naquela época, Callado falava da "Indústria da Seca" e do viés da reforma agrária, assim como, do uso da estrutura pública para fins privados. Enquanto, os recursos públicos eram utilizados ilicitamente pelos barões e senhores da terra os agricultores continuavam tentando produzir nas terras desérticas, sem trator, sem água, sem nada; e quando adoeciam não tinham médico, hospital ou qualquer assistência.

 

Desse panorama resultava o processo de aposentadoria do nordestino e o começo de uma vida menos sofrida financeiramente, mais sofrida pela permanência da falta de acesso à saúde, à educação e à alimentação para a família.

 

A previdência durante muitos anos foi utilizada por esses que hoje querem resolver o problema do Brasil para seus fins escusos, sem responsabilidade e qualquer respeito para com o cidadão.

 

O governo que propõe alterações tão duras para corrigir o déficit público causado pela corrupção, isenções fiscais, regalias do funcionalismo público e débitos de empresas à administração pública, querem repassar o arrocho fiscal para os profissionais que levam uma vida tão sofrida atuando como professores da rede pública, agricultores e outros na margem da sociedade lutando, diariamente, para encontrar alguma esperança em uma nação tão desigual, principalmente, entre as regiões Nordeste e Sudeste.   

 

Essa reforma, entretanto, não ataca em praticamente nada os políticos, militares e servidores do alto escalão, que deverão continuar possuindo as mesmas regalias de sempre. Essa crise, também, se deve as instituições onde esses servidores do alto escalão trabalham sem conseguir punir ninguém, cobrar os dividendos das empresas ao estado e muito menos intervir nas ilicitudes praticadas no serviço público, ou seja, a falta de otimização e eficiência das instituições são agravantes dessa crise.

 

Poucos dias atrás, o Congresso que quer resolver a vida do Brasil recuou sobre a abertura da "CPI Lava Toga", que seria o início do combate ao ativismo judicial que ocorre nos tribunais da nação, e um processo de fortalecimento das instituições brasileiras. 

 

O governo que temos hoje acha que a morte de uma pessoa é incalculável, a justiça também acha isso. Contudo, a corrupção e os desvios de dinheiro são calculáveis, os danos da previdência sobre a vida da população são calculáveis, medidas como essa quando não causam a morte dos mais vulneráveis recolocam eles em situação de pobreza e de exploração.

 

O ato de atirar em alguém é tão letal quanto o de aprovar uma reforma onde empresas devem cerca de R$ 500 bilhões a Previdência. No Brasil, chegar aos 60 anos conseguindo trabalhar tem se tornando uma missão difícil, pois a saúde é ruim, educação quando começava a avançar o Congresso Nacional aprovou uma “PEC do Teto de Gastos”, então, é difícil entender e digerir tudo isso. Ao final, parece que estamos andando em círculos e, ainda, continuamos sem um projeto de nação com as mesmas elites dominantes no poder, como frisa muito bem o historiador Marcos Costa.

 

O governo fala que serão economizados R$ 1 trilhão em 10 anos com a Reforma da Previdência, na verdade, é só metade, pois cerca de R$ 500 bilhões nunca serão vistos pela Previdência, já que as empresas se acostumaram a nunca pagar ao Estado brasileiro.

 

Mas no final, Maia Gomes queria dizer que não existe emprego no Nordeste e as pessoas dependem da aposentadoria para sobreviver (...) e que a economia é atrasada, falta educação e condições para se produzir. Deste modo, a economia girar em torno da previdência e do funcionalismo público, pois são esses que possuem alguma renda para fazer o sistema econômico girar.

 

Precisamos fazer uma reforma, mas não precisávamos prejudicar a vida da população sofrida do Nordeste para manter as regalias de quem sempre causou danos a estrutura econômica, política e social do país. Essa reforma precisa atacar as regalias de quem sempre teve, e não tirar de quem nunca teve.

 

*Graduando em Ciências Econômicas (UFRPE) e História (UNICESUMAR)


Vaza conversa em que Bolsonaro pede para Onyx negociar acordo com Bebianno

Vaza conversa em que Bolsonaro pede para Onyx negociar acordo com Bebianno

Ministro chefe da Casa Civil teria ligado "por engano" a um jornalista d'O Globo, que registrou uma conversa com Bolsonaro, em que o presidente fala sobre o suposto dossiê que Bebianno estaria preparando para atacá-lo e ainda dispara: "Se ele me cobrar individualmente, eu to f**" 

 
O jornal O Globo, em matéria divulgada na noite desta quarta-feira (20), colocou ainda mais lenha na fogueira da crise instaurada entre o ex-ministro Gustavo Bebianno e o presidente Jair Bolsonaro, que começou com as denúncias de candidaturas laranjas do PSL, partido do presidente e dirigido, à época da campanha, por Bebianno. 
 

De acordo com o jornal, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, teria ligado “por engano” para o celular do jornalista, que registrou uma conversa sigilosa entre o ministro e o presidente. No diálogo, Bolsonaro escala Lorenzoni para negociar um acordo com Bebianno para que o ex-ministro não o ataque.

 

Antes de ser demitido, Bebianno havia afirmado que, se caísse, cairia “atirando”. Já na manhã desta quarta-feira (20) o jornal Folha de S. Paulo denunciou que o ex-ministro estaria preparando um “dossiê” sobre a campanha e as primeiras semanas de mandato de Bolsonaro para atacá-lo.

Na conversa registrada pelo O Globo, Lorenzoni afirma que já conversou com Bebianno sobre o assunto e que o ex-ministro teria “dado sua palavra” de que não atacaria o presidente. “A Folha deu uma nota e o Antagonista acabou de reproduzir e ele (Bebianno) acabou de ligar e pediu para tirar. Que é o seguinte… Que ele estava preparando documentos e não sei o quê para atacar. Ele disse ao Jorge (possivelmente Jorge Oliveira, subchefe de Assuntos Jurídicos do Planalto): ‘o que eu tinha para fazer, eu fiz ontem. Eu não dou mais nenhuma palavra, acabou tudo ontem. Eu to te dando a minha palavra. Ok?’ Então, agora, no fim da tarde, para tu saber, eu vou lá dar uma conversada com ele”, disse o ministro da Casa Civil.

Bolsonaro, no entanto, se mostrou preocupado por ainda ser representado por Bebianno, que é advogado, em processos judiciais.

“Você vai conversar com ele sobre as ações?”, pergunta Bolsonaro. Onyx responde que sim.

 

“Se ele [Bebianno] me cobrar individualmente o mínimo, eu tô fodido. Tem que vender uma casa minha para poder pagar”, comenta o presidente. 

 

Ouça o áudio da conversa abaixo. 

 

 

 

Direto da Redação da Revista Fórum.


João da Costa convoca audiência pública para discutir a Reforma da Previdência

João da Costa convoca audiência pública para discutir a Reforma da Previdência

A Reforma da Previdência e os seus reflexos será tema de uma audiência pública a ser realizada na Câmara do Recife nas próximas semanas. Convocado pelo vereador João da Costa (PT), o encontro vai reunir os trabalhadores, movimentos sociais, centrais sindicais, entidades representativas de classe e especialistas. A reunião pretende ouvir a opinião dos recifenses sobre a Reforma, apresentada pelo Governo Federal nesta quarta-feira (20).
 
 
A expectativa é que a audiência pública ocorra no mês de março. Segundo João da Costa, a audiência servirá para que a população do Recife possa se manifestar em relação à proposta e coletar contribuições para amenizar os efeitos maléficos propostos pelo Governo Jair Bolsonaro.
 
 
As contribuições, de acordo com João da Costa, serão encaminhadas aos 25 deputados federais e três senadores de Pernambuco. A ideia é que a bancada federal pernambucana possa utilizar as sugestões dos recifenses para propor emendas à matéria. O texto da Reforma da Previdência começa a tramitar no Congresso Nacional nos próximos dias.
 
 
Para João da Costa, o Governo Bolsonaro apresentou um “pacote de maldades” com o texto da Reforma da Previdência. "Esse projeto tem um endereço certo: retirar dos pobres, dos trabalhadores, das pensionistas e demais brasileiros recursos necessários para garantir o pagamento da dívida pública e que os banqueiros não corram riscos, emprestando recursos ao governo federal", sacramentou. "Qual é o trabalhador que fica trabalhando 40 anos ininterruptos para poder contribuir com a Previdência Social?", questiona o petista, ressaltando as novas regras para ter acesso à aposentadoria, que são 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens.
 
 
O vereador e ex-prefeito do Recife destacou que os governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff ofereceram à Nação propostas de Reforma da Previdência. "A gente tem a percepção de que pra garantir a regularidade fiscal é fundamental que o Brasil cresça e gere empregos e rendas, para que a arrecadação das receitas possa crescer e garantir que, num País tão desigual, os trabalhadores tenham dignidade na velhice”, concluiu João da Costa.
 
Foto: Carlos Lima/Câmara Municipal do Recife.

Compesa realiza obra na Estrada do Arraial para melhorar abastecimento de água para Alto do Mandu

Compesa realiza obra na Estrada do Arraial para melhorar abastecimento de água para Alto do Mandu

Haverá interdição de trecho da via para a execução dos serviços

 

 

Melhorar o abastecimento de água das áreas de morros do Recife, onde há maior dificuldade de distribuição na capital pernambucana, sempre foi uma meta da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Amanhã (21), a Compesa avança nesse sentido para beneficiar o fornecimento de água especificamente do Alto do Mandu e adjacências, na Zona Norte do Recife. A partir das 9h, será iniciada uma intervenção para interligar a rede de distribuição de água dessa área, denominada de Distrito 12, ao alimentador (adutora) principal do sistema. Os serviços serão realizados na Estrada do Arraial, na esquina do Mercado Público de Casa Amarela com a Rua Largo de Casa Amarela. A rua será interditada parcialmente, ou seja, apenas uma faixa, numa extensão de 20 metros. A previsão é concluir a obra no local, com o reaterro da vala, até o meio-dia da sexta-feira (22).

 

 

 

Para realizar esse trabalho, a Compesa contará com o apoio de agentes da CTTU (Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife) para organizar e orientar o trânsito. “Essa intervenção é uma das etapas das ações de setorização, um grande projeto que está em andamento e contempla todo o Recife com investimentos na rede de distribuição de água, como substituição de tubulações, implantação de válvulas e macromedidores, que permitirão aumentar o controle operacional, equalizar as pressões, otimizar o uso da água disponível no sistema e reduzir as perdas”, explica Rafael Ramos, gerente de Obras da Compesa.

 

 

 

Essa intervenção na Estrada do Arraial faz parte do Lote 3 das Obras de Setorização do Recife, que vai beneficiar 182 mil pessoas nos bairros do Alto do Mandu, Casa Amarela, Casa Forte, Poço da Panela, Santana, Parnamirim, Apipucos, Monteiro, Macaxeira, Arruda, Mangabeira, Bomba do Hemetério, Água Fria, Campo Grande, Hipódromo, Fundão, Cajueiro e Campina do Barreto – que serão divididos em oito setores de abastecimento. Tratam-se de ações para modernizar o sistema, que passará a contar com dispositivos de medição de vazão e pressão e o monitoramento de indicadores da rede por telemetria.