Teste de publicidades

Campanha : Ajude Roberto Justus sair do Brasil.

Campanha : Ajude Roberto Justus sair do Brasil. "Vote Lula 2018" #TchauJustus

Campanha :
Ajude Roberto Justus sair do Brasil. 
"Vote Lula 2018" #TchauJustus


Eleições 2018. A disputa pelo governo de Pernambuco já começou!

Eleições 2018. A disputa pelo governo de Pernambuco já começou!

A eleição de 2018 tem se apressado a começar em meio a um cenário de crise. Impulsionados pela má avaliação do governador Paulo Câmara que tem o crescimento da violência como o maior desafio em sua campanha de reeleição, os partidos se antecipam para apresentar, o quanto antes, os nomes que disputarão o governo de Pernambuco.
 Um nome vem numa crescente na disputa, a vereadora Marília Arraes (PT), tem circulado bastante pelo interior do estado num claro sinal que aceitara o desafio. Marília Arraes, têm adotado discurso e postura como se de campanha, onde critica ações do Governo Paulo Câmara em especial a questão da segurança publica, a tática da petistas, também é de defesa do ex-presidente Lula como uma forma de democratizar o País após o “golpe”.


Luciene Malta: Páscoa e Indignação

Luciene Malta: Páscoa e Indignação

 

Cristãos, cristãs, catolicos/as, povo de terreiro, agnósticos/as, espíritas...
De quinta a domingo lembramos o calvário e celebramos a ressurreição de Jesus Cristo.
E chega a Páscoa, quando nos renovamos e renascemos na perspectiva de boas atitudes.
Nesse período exaltemos a salvaguarda do/a próximo/a, em especial aqueles/as que pereceram pelas mãos omissas do Estado.
Não há Páscoa para as famílias de Abenigna Lúcia, Mirella e Edvaldo Silva (mais um da Silva), assassinados/as barbaramente.
Espero uma Páscoa onde todos/as se indignem e ocupem as ruas contra esse estado de coisas 
Chorar por Jesus Cristo crucificado, é chorar por todas as vítimas e famílias a mercê da irresponsabilidade e falta de políticas públicas do estado de PE.
Sem perder a esperança, ocupemos as ruas para que a ressurreição de um mundo possível surja a partir das nossas lutas."

Boa Páscoa!

Luciene Malta


 Em delação,Executivo da Odebrecht  Benedito Júnior confirma doação ilícita à campanha de Geraldo Júlio em 2012

Em delação,Executivo da Odebrecht Benedito Júnior confirma doação ilícita à campanha de Geraldo Júlio em 2012

Por Noelia Brito
 
Trecho da delação premiada do ex-executivo da Odebrecht, Benedicto Junior, divulgada hoje, pelo Supremo Tribunal Federal, confirma apelidos e doações ilícitas, pelo chamado Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, a vários políticos pernambucanos, cujos nomes já haviam aparecido na famosa planilha da Odebrecht, além de outros que ainda não haviam sido revelados.
 
No vídeo, é possível confirmar que o apelido "Neto", que na Planilha aparecia associado ao prefeito Geraldo Júlio, por apontar uma doação de R$ 3 milhões a sua campanha à prefeitura do Recife, em 2012, na verdade era o apelido utilizado para indicar o ex-governador Eduardo Campos, já falecido, para quem foram doados, de forma ilícitas, R$ 11 milhões nos anos de R$ 2008, 2010 e 2012, confirmando-se, assim, que naquele ano, a Odebrecht, de fato, havia doado, a pedido de Campos, para a campanha de Geraldo Júlio, os valores apontados nas Planilhas apreendidas com o próprio Benedicto Júnior, pela Polícia Federal, durante a Operação Acarajé, numa das fases da Lava Jato, em fevereiro de 2016 (Leia AQUI). Esses repasses foram feitos com a intermediação de João Antônio Pacífico.


 


 

Além dessas doações, outros repasses foram confirmados por Benedicto Júnior como destinados a pernambucanos:
 
 
Doações via Carlos Armando Paschoal
 
“Curitiba” – Roberto Freire (PPS-SP), atual ministro da Cultura – R$ 200 mil (2010)
 
Doações via João Pacífico
 
“Neto” – Eduardo Campos (PSB-PE), ex-governador de Pernambuco – R$ 11 milhões (em 2008, 2010 e 2012)
 
“Viagra” – Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), atual deputado federal – R$ 700 mil (2010)

“Batalha” e “Chorão” – Sérgio Guerra (PSDB-PE), ex-senador – R$ 1,06 milhão (2010) e R$ 450 mil (2012)

“Jujuba” – Bruno Araújo (PSDB-PE), atual ministro das Cidades – R$ 300 mil (2010) e R$ 300 mil (2012)

“Novilho” – Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), atual senador – R$ 200 mil (2010)
 
“Chaveiro” – José Chaves, ex-deputado federal pelo PTB-PE – R$ 100 mil (2010)

“Bronca” – Paulo Rubem Santiago – ex-deputado federal pelo PDT-PE – R$ 266 mil (2010)

NOTA OFICIAL – Pernambuco exige respostas

O Brasil assiste perplexo as revelações das delações de executivos da Odebrecht. O povo Brasileiro exige que os culpados sejam punidos e que deste episódio nasça um País mais justo, mais digno e sobretudo uma nova forma de fazer política, com responsabilidade e respeito às pessoas.

 

Aqui em Pernambuco, a população acompanha estarrecida a revelação de que a construtora Odebrecht e o PSB, que está à frente do governo do Estado desde 2007, formalizaram um esquema de propina em que 3% de todas as principais obras realizadas eram destinadas ao partido para financiar campanhas eleitorais, como as de 2010, 2012 e 2014. Estão na lista de irregularidades obras como a Arena Pernambuco, o Complexo Prisional de Itaquitinga, a adutora de Pirapama, a Refinaria Abreu e Lima e o polo petroquímico de Suape.

 

São citados nomes importantes que ocuparam cargos estratégicos nos governos do PSB. Além disso, duas das obras, a Arena e Itaquitinga, foram contratadas no modelo de PPPs quando o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, e o governador Paulo Câmara eram presidente e vice do comitê gestor da PPPs, responsáveis portanto pela definição da viabilidade e lançamento das licitações.

 

Apesar de tudo, no entanto, o PSB local, tem adotado a tática do silêncio. Não queremos fazer pré-julgamentos nem tampouco juízo de valor, mas entendemos como graves as revelações das delações em relação ao Estado. A Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco reconhece o direito constitucional da presunção de inocência, contudo entende como um profundo desrespeito aos pernambucanos o silêncio eloquente do PSB . Pernambuco exige uma resposta.

 

Bancada de Oposição de Pernambuco


Marília Arraes topa se candidatar em 2018

Marília Arraes topa se candidatar em 2018

Por Inaldo Sampaio/ Fogo Cruzado

O PT iniciou no ultimo domingo o processo de eleição direta (PED) para a renovação dos seus dirigentes em âmbito municipal, estadual e federal. É o único partido político que faz isto. Escolhe os seus dirigentes em eleição direta, dando voz e vez a todos os seus filiados. No caso de Pernambuco, o partido se uniu e reconduzirá o advogado Bruno Ribeiro ao cargo de presidente estadual. A convenção será no próximo mês de maio, seguindo-se em junho o 6º congresso nacional do partido para a escolha do novo presidente (que deverá ser a senadora Gleisi Hoffmann) e do futuro candidato à sucessão de Michel Temer, além da política de alianças. Pernambuco pode vir com uma novidade neste processo: a candidatura da vereadora Marília Arraes ao Governo do Estado. Ela não só aceita o desafio, como está motivada para combater os governos de Paulo Câmara e de Geraldo Júlio, e o partido (PSB) com o qual rompeu um ano atrás.
 

O PT é o único partido político do Brasil que escolhe os seus dirigentes por eleição direta
 
Peregrinação pelo Estado
Neta de Miguel Arraes e sobrinha de Eduardo Campos, a vereadora Marília Arraes (PT) resolveu viajar pelo Estado para defender a volta de Lula em 2018 e ouvir o povo sobre a Lei da Terceirização e a reforma da Previdência. Por ser a única “cara nova” de que o PT dispõe para o pleito majoritário do próximo ano, o partido só não a convoca para o desafio se for estreito.

Recife não resiste a dia de chuva e o caos se instala na cidade

Recife não resiste a dia de chuva e o caos se instala na cidade

Com obras do tipo "comprimido efervescente" não resiste às chuvas, Um dos principais corredores viários do Recife, a avenida Caxangá ficou totalmente alagada próximo ao viaduto da BR101, as Obras Sonrisal de Geraldo Júlio, não resiste às fortes chuvas. #RecifeDesgovernado #RecifeNaChuvaGejuEmRoma


Lançamento múltiplos de livros na Casa do Cachorro Preto

Lançamento múltiplos de livros na Casa do Cachorro Preto

Por Sheila Oliveira

 

O quadrinista belo-horizontino Jão, autor do livro Baixo Centro e da revista PARAFUSO nº0, lança seus trabalhos pela primeira vez em Olinda.

PARAFUSO nº 0 é a nova revista de Jão, comemorando uma década de atuação do artista nesta área. A obra apresenta a história “Vigilantes”, uma narrativa de ficção científica sem textos, que propõe uma reflexão sobre temas como linchamento e "justiça com as próprias mãos", a partir do gênero de super-heróis.

A primeira novela gráfica de Jão, Baixo Centro, foi lançada pela Editora Miguilim em novembro de 2015. Os lugares, os personagens e o cotidiano da cidade são inspirações para a obra, que traz uma história de aventura de dois personagens pelas ruas da capital mineira. A ideia surgiu a partir da relação do quadrinista com o centro da cidade, quando ele morava nas proximidades do viaduto Santa Tereza. A região – situada em Belo Horizonte, mas com características comuns às cidades grandes – é trabalhada nos desenhos ao longo de toda a trama. O objetivo do livro é permitir diversas camadas de interpretação.

Como quadrinista, Jão integrou a programação de diversos eventos do Brasil, como a Comic Con Experience (Expo São Paulo, 2016), a feira Des.Gráfica (Museu da Imagem e do Som, São Paulo, 2016), cinco edições do Festival Internacional de Quadrinhos, em Belo Horizonte, e a Rio Comicon 2010, além de ter um de seus trabalhos publicados no exterior, como parte da antologia Pequenos Heróis (Devir, 2010/Aquário, 2015), publicada nos Estados Unidos como Little Heroes (215Ink, 2012). Em Recife esta semana, o artista também participa da CCXP Nordeste. Na área cultural, ele é cocriador e um dos organizadores de dois eventos na capital mineira, a feira mensal de publicações independentes Faísca — Mercado Gráfico e o festival Traço — música e desenhos ao vivo.
O artista estará disponível ao longo de todo evento para autógrafos e trocas de ideias com os interessados, além da venda de suas publicações.

Lançamento dos Livros
Baixo Centro e Parafuso 0
Domingo, 16 de abril
18h
n’A Casa do Cachorro Preto.


Moro presenciou vazamento ilegal, em tempo real, para Antagonista

Moro presenciou vazamento ilegal, em tempo real, para Antagonista

Por Eduardo Guimarães Blog da Cidadania

Como alvo de ofensiva judicial por conta de ter divulgado vazamento de informações relativas à Operação Lava Jato, causa-me espécie episódio bizarro ocorrido durante depoimento sigiloso do delator Marcelo Odebrecht ao juiz Sergio Moro no início do ano.

Em março do ano passado, Moro decretara sigilo sobre todo processo que decorreria das planilhas apreendidas pela Polícia Federal, que listavam doações feitas pelo Grupo Odebrecht a mais de 200 políticos do país, pertencentes a mais de dez partidos.

As planilhas relacionaram políticos a valores pagos pela Odebrecht, vários desses políticos com foro privilegiado.

O resultado dessas delações você vai acompanhar na íntegra em cinco vídeos listados abaixo e que, juntos, somam mais de duas horas de duração.

Porém, é preciso destacar episódio ocorrido no vídeo da delação de Marcelo Odebrecht na minutagem 2:15:50.

A defesa de Marcelo Odebrecht protesta porque aquela oitiva era sigilosa e, enquanto transcorria, um dos advogados do depoente descobre que o site Antagonista estava transmitindo em tempo real tudo que ocorria na sala de audiência.

Confira o diálogo travado entre a defesa de Marcelo Odebrecht e Sergio Moro:

Defesa de Marcelo Odebrecht — Antes que Vossa Excelência encerre a gravação, estou vendo aqui, no site Antagonista, que o depoimento do senhor Marcelo está sendo transmitido, neste exato momento, em tempo real, de sorte a desrespeitar a determinação de Vossa Excelência do segredo de Justiça. Está aqui. Quer que eu coloque para Vossa Excelência? (…) E só pode ser vazado daqui de dentro. Então, nós estamos numa situação de flagrância. É só entrar no site e ver.

Juiz Sergio Moro —  Tá… Ehhh… A gente trata disso sem precisar da gravação aqui.

Defesa de Marcelo Odebrecht – Não, não, faço questão que isso fique registrado aqui.

Juiz Sergio Moro – Não, sim, mas…

Defesa de Marcelo Odebrecht – Vossa excelência não quer ver a fidelidade da transmissão?

Juiz Sergio Moro – Sim, doutor. Mas é uma questão pertinente ao interrogatório dele [Marcelo Odebrecht]. Nós tratamos na ata. Pode interromper a gravação.

Se o próprio juiz Sergio Moro decretou sigilo daquele depoimento, certamente o vazamento do que estava sendo dito por Odebrecht poderia constituir algum tipo de embaraço às investigações da Lava Jato.

A defesa de Odebrecht afirma que alguém do Judiciário ou do Ministério Público que estava presente ao depoimento estava – nada mais, nada menos – com um celular em punho, conectado prestando serviço ao site Antagonista e transmitindo para ele o que se passava sigilosamente na sala de audiência.

A defesa de Odebrecht aponta que estaria ocorrendo, naquele instante, flagrante de um crime que envolveria quem gravava e quem transmitia o que estava sendo gravado.

A pergunta que não quer calar é: alguém foi preso e processado por “obstrução da justiça” e por “quebra de sigilo”? O Antagonista todos sabemos que não foi incomodado. Será que o membro do judiciário ou do Ministério Público que transmitiu as imagens e o áudio para o Antagonista está sendo processado?

Aliás, a defesa afirma que um crime foi flagrado. Quem estava gravando a audiência sem autorização não deveria ter sido preso em flagrante?

Finalmente, a reação do juiz Sergio Moro que você leu acima e irá ouvir no vídeo abaixo condiz com o ímpeto demonstrado pelo magistrado em relação a “outros” vazamentos?

Confira, abaixo, o momento em que a defesa de Marcelo Odebrecht reclama do vazamento, a reação do juiz Moro e, em seguida, todos os vídeos das delações da Odebrecht.

Flagrante de quebra de sigilo para Antagonista

Demais delações – na íntegra







Fornecedores da Compesa são premiados pela excelência na prestação de serviços

Fornecedores da Compesa são premiados pela excelência na prestação de serviços

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) já colhe os bons resultados do Programa de Avaliação de Fornecedores implantado na empresa há três anos. A ação busca melhorar, de forma contínua, o desempenho das empresas no fornecimento de insumos para a companhia, considerando todas as etapas do processo, desde a qualidade dos produtos até o cumprimento ou redução dos prazos e pontualidade da entrega. Das 87 empresas de pequeno, médio e grande porte que fornecem materiais para a Compesa, regularmente, 52 atingiram as metas estabelecidas pela companhia, no ano de 2016. Como reconhecimento pelo trabalho realizado, a Compesa premiou as empresas parceiras pela dedicação, esforço e excelência na qualidade da prestação de serviços agregado ao produto.
 
"A avaliação estimula os nossos fornecedores a se engajarem numa melhoria contínua da qualidade dos seus serviços e a Compesa, por sua vez, reconhece as empresas que atenderam ao conjunto de indicadores estabelecidos no IDEP - Índice de Desempenho das Empresas Parceiras", explica a diretora de gestão Corporativa da Compesa, Simone Albuquerque, pontuando que a Compesa é pioneira e a única empresa de saneamento do país que possui um programa dessa natureza. Dentre os fornecedores da companhia, há empresas regionais, nacionais e até multinacionais.
 
Das parceiras premiadas, 15 são de grande porte, 17 de médio porte e 20 são pequenas empresas. Todas as parceiras premiadas atingiram, no mínimo, 80% das metas estabelecidas no conjunto de indicadores, ao longo do ano passado. E para cada categoria, foi efetuado o acompanhamento das pontuações obtidas pelos fornecedores utilizando uma metodologia que considerou requisitos e práticas desejáveis para um melhor relacionamento entre a companhia e os fornecedores.
 
O acompanhamento regular da gestão do fornecimento de materiais traz benefícios para o bom andamento das operações da companhia. "Se contamos com fornecedores que nos atendem com qualidade e dentro do prazo, também conseguimos atender nosso público interno com satisfação. Um atraso na entrega de materiais pode paralisar os serviços da companhia, afetar diretamente o início de uma obra, por exemplo, ou o conserto de um vazamento. Toda a prestação de serviços precisa essencialmente de pessoas e materiais", explica a diretora.


Eleições interna do PT tem a participação de 290 mil petistas

Eleições interna do PT tem a participação de 290 mil petistas

Secretaria Nacional de Organização do PT divulgou, nesta quarta-feira (12), o resultado do Processo de Eleições Diretas (PED) municipais de 2017. A votação foi realizada no último domingo (9), quando 290.124 mil filiados foram às urnas em 3.315 municípios de todo o país. Foram eleitos os Presidentes e Diretórios do PT em 2.740 municípios e também as delegações aos 27 Congressos Estaduais, segundo dados da Sorg.

O PED abre oficialmente o período que precede o “6º Congresso Nacional do PT – Marisa Leticia Lula da Silva”, que será realizado nos dias 1, 2 e 3 de junho deste ano. Os números podem aumentar em função de eventuais recursos que serão analisados e julgados nos estados, segundo informou o secretário Nacional de Organização, Florisvaldo Souza.

“Temos uma votação bem próxima de 300 mil, o que é extraordinário. Claro que essa é minha opinião, mas foi uma demonstração de força, uma resposta da militância àqueles que nos atacam e tentam diminuir o PT. É o PT produzindo política e cada vez mais próxima da população para discutir o futuro dos municípios, estados e do País”, declarou Florisvaldo.

De acordo com o secretário, o número de delegados eleitos no PED que poderão votar nos congressos estaduais serão definidos somente após o julgamento dos recursos. A previsão é que todos os recursos sejam julgados pelas instâncias estaduais até o dia 24 de abril.

Agora, o partido se prepara para a segunda fase do processo: os congressos estaduais que serão realizados nos dias 5, 6 e 7 de maio. “Nos congressos estaduais vamos tirar a delegação para o Congresso Nacional. Nesse o momento, estou saindo do processo do PED de forma otimista”, declarou o secretário Nacional de Organização.

Ainda segundo Florisvaldo, o PED abriu um importante período de debates sobre a conjuntura nacional, a situação dos trabalhadores e o desmonte do País.

PED em números

Em São Paulo, o estado com mais mobilização no dia 9 de abril, 50.645 mil petistas deixaram suas casas para participar do processo. O segundo estado que mais mobilizou filiados foi Minas Gerais, com 43,208 mil votantes. No Rio de Janeiro, 25.401 petistas votaram. Dos estados do Norte e Nordeste, o PT do Ceará mobilizou 22.880 pessoas nos municípios que possuem diretório municipal. Piauí contou com 10.543 e Pará com 10.255 filiados. No Rio Grande do Sul, 18.859 petistas votaram no PED municipal e no Paraná, 11.139.

Em outros 575 municípios a votação foi válida somente para eleição de delegados estaduais, pois 486 municípios não tinham previsão de realizar a eleição municipal e outros 89 municípios não atingiram o quórum em nível municipal. Já as eleições para presidente e diretório foram realizadas em 3.315 cidades.

Por Ana Flávia Gussen, da Agência PT de Notícias


Professores realizam “via-crúcis” em Pernambuco para protestar contra reformas do governo Temer

Professores realizam “via-crúcis” em Pernambuco para protestar contra reformas do governo Temer

Por Pedro de Paula, colaborador da Rede Fórum de Jornalismo

Professores de diversas cidades de Pernambuco realizaram um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência nesta terça-feira (11). A concentração do ato aconteceu na Praça do Derby, no Recife, a partir das 14h.

A manifestação foi organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintepe). A “via-crúcis” teve início às 16h e os participantes fixaram uma cruz em cada ponto do caminho percorrido.

Durante o percurso, a população foi conscientizada sobre os problemas vividos
pelos profissionais. Um dos temas abordados no protesto foi o piso nacional do magistério.

Os professores haviam realizado outro ato contra as reformas no dia 17 de março e pediram ajuda aos 25 deputados pernambucanos no Congresso Nacional.

 

Fotos: Pedro de Paula