Teste de publicidades

√Āudios confrontam vers√£o de Bolsonaro sobre conversa com Bebianno

√Āudios confrontam vers√£o de Bolsonaro sobre conversa com Bebianno

O presidente Jair Bolsonaro conversou com o ex-ministro da Secretaria-Geral Gustavo Bebianno pelo aplicativo de mensagens WhatsApp três vezes no dia 12 de fevereiro, um dia antes de sua alta médica no hospital Albert Einstein, na capital paulista. Os áudios das conversas entre os dois, divulgados pela revista Veja, confrontam a versão do presidente de que ele não havia falado naquele dia com o então auxiliar. As gravações mostram ainda que ambos conversaram também sobre o esquema de candidaturas laranjas do PSL, revelado pela Folha e que levou à queda de Bebianno. No diálogo sobre o escândalo, o presidente faz referência a denúncia de que uma candidata laranja em Pernambuco recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público na eleição do ano passado. Bolsonaro afirma que querem "empurrar essa batata quente" em seu colo.

"Querer empurrar essa batata quente desse dinheiro lá pra candidata em Pernambuco pro meu colo, aí não vai dar certo. Aí é desonestidade e falta de caráter. Agora, todas as notas pregadas nesse sentido foram nesse sentido exatamente, então a Polícia Federal vai entrar no circuito, já entrou no circuito, pra apurar a verdade. Tudo bem, vamos ver daí… Quem deve paga, tá certo? Eu sei que você é dessa linha minha aí. Um abraço", disse.
 

Em entrevista ao jornal O Globo, Bebianno disse na semana passada que havia conversado três vezes com o presidente. No dia seguinte, no entanto, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) disse que o então ministro havia mentido, o que foi chancelado pelo presidente, em entrevista à TV Record. Nas gravações divulgadas, que seriam das conversas daquele dia, Bolsonaro e Bebianno falaram sobre o cancelamento de viagem de uma comitiva de auxiliares à Amazônia e sobre uma audiência que o ministro teria com o vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet Camargo.

"Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento", disse. No mesmo áudio, Bolsonaro chamou a Globo de "inimiga" e disse que o vice-presidente é o "maior cara que me ferrou" antes, durante e depois da campanha eleitoral. "Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final. Um abraço aí", acrescentou.
 

No caso da viagem à Amazônia, que seria feita no dia 13 de fevereiro, Bolsonaro pediu para cancelá-la e disse que, ao realizá-la, a comitiva de ministros estaria criando "a expectativa de uma obra", o que seria posteriormente cobrado do presidente.

"Daí vai ficar o povo todo me cobrando. Isso pode ser feito quando nós acharmos que vai ter recurso, o orçamento é nosso, vai ser aprovado. Então, essa viagem não se realizará", disse.
 

Em outros diálogos, também divulgados pela publicação, Bolsonaro saiu em defesa do filho e afirmou que ele não tinha a intenção de derrubar o ministro. Para ele, trocar mensagens pelo WhatsApp não significa que eles conversaram.

"O caso incitando a saída é mais uma mentira. Você conhece muito bem a imprensa, melhor do que eu. Agora: você não falou comigo nenhuma vez no dia de ontem. Ele [Carlos] esteve comigo 24 horas por dia. Então não está mentindo, nada, nem está perseguindo ninguém", disse. Em resposta, de acordo com a Veja, Bebianno lembrou que trocou mensagens com o presidente três vezes e questionou o motivo do ataque do filho. Segundo ele, Carlos está errado e "não pode atacar um ministro dessa forma". "Isso está errado. Por que esse ódio? Qual a relevância disso? Vir a público me chamar de mentiroso?", questionou. Bolsonaro ainda acusou Bebianno de "mandar" no site Antagonista por ele ter divulgado informação de que o presidente não atendeu o então ministro durante a crise das candidaturas laranjas. A informação, na verdade, foi publicada originalmente pela Folha, o que foi destacado em outro áudio por Bebianno.

"Eu não plantei nada. Ela replica o que a Folha falou. Está escrito aqui: 'segundo a Folha, segundo a Folha, o ministro Gustavo Bebianno tentou ligar para Jair Bolsonaro neste domingo para explicar o caso, mas o presidente não atendeu'. Quem mencionou isso não foi o Antagonista, foi a Folha", disse Bebianno.

Ainda em relação à crise no governo, Bebianno alegou inocência e disse que, como presidente nacional do partido, ficou responsável exclusivamente pela campanha à sucessão presidencial. Bebianno presidiu o PSL de janeiro a outubro de 2018. "A prestação de contas que me competia foi aprovada com louvor. Agora, cada estado fez a sua chapa. Em nenhum partido, capitão, a nacional é responsável pelas chapas estaduais. O senhor sabe disso melhor do que eu", disse.
 

Segundo o ex-ministro, se foi escolhida uma candidata laranja em Pernambuco, a responsabilidade é do atual presidente nacional do PSL, Luciano Bivar.

O comando formal da sigla no estado é do advogado particular e aliado de Bivar, Antonio de Rueda. "No caso de Pernambuco, pelo Bivar, logicamente.

Se o Bivar escolheu candidata laranja, é um problema dele, político. E é um problema legal dela explicar o que ela fez com o dinheiro. Da minha parte, eu só repassei o dinheiro que me foi solicitado por escrito", disse. Bebianno disse ainda que Bolsonaro "está bem envenenado" e que a consciência dele está tranquila.

"E tomara que a polícia chegue mesmo à constatação do que foi feito, mas eu não tenho nada a ver com isso. O Luciano Bivar que é responsável lá pela chapa dele", afirmou.
 

Parlamentares da oposição criticaram o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o acusaram de mentir após a divulgação dos áudios. "Ele chamou o ministro de mentiroso, mas ele que é o mentiroso", afirmou à Folha o líder do PSOL, Ivan Valente (SP).

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), afirmou que o ex-ministro mostrou para o Brasil que Bolsonaro mentiu.

"Bebianno desmente Bolsonaro em áudio para todo o Brasil saber que temos um presidente mentiroso", escreveu nas redes sociais.


MPPE ingressa com a√ß√£o civil p√ļblica contra prefeito de Camaragibe

MPPE ingressa com a√ß√£o civil p√ļblica contra prefeito de Camaragibe

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da 2ª Promotoria de Justiça Cível de Camaragibe, ajuizou hoje ação civil pública de improbidade administrativa na 1ª Vara Cível da Comarca de Camaragibe contra o prefeito da cidade, Demóstenes e Silva Meira, a secretária de Assistência Social, Tatiana Dantas da Silva, e o secretário de Educação do município, Denivaldo Freire Bastos.
 
 
O MPPE requereu que a Prefeitura de Camaragibe seja intimada a remeter a relação e cópia de todos os contracheques dos ocupantes de cargos comissionados; que seja reconhecida a existência de ato de improbidade administrativa, condenando os réus a ressarcir o erário público no valor equivalente às diárias dos servidores comissionados; e que os três sejam condenados às penalidades previstas na Lei de Improbidade Administrativa, que incluem perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração que recebem como agentes públicos e proibição de contratar com o Poder Público.
 
 
Além disso, a Subprocuradoria-geral de Justiça em Assuntos Jurídicos do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), atuando por delegação do procurador-geral de Justiça, instaurou ontem (18) procedimento investigatório criminal (PIC) com o objetivo de apurar a prática de intimidação aos ocupantes de cargos comissionados da Prefeitura de Camaragibe.
 
O caso foi amplamente noticiado após a divulgação de áudios de WhatsApp atribuídos ao prefeito Demóstenes Meira. 
 
No âmbito do PIC, o subprocurador-geral de Justiça Clênio Valença expediu ofício ao prefeito para que ele informe, no prazo de 72 horas, se Tatiana Dantas da Silva, identificada nos áudios como noiva de Demóstenes Meira e uma das atrações musicais do bloco Canário Elétrico, é servidora municipal.
 
Se o vínculo com a administração pública de fato existir, o MPPE oficiou para que ele apresente o ato de nomeação dela e demais documentações que entender cabíveis. 
 
“A princípio, as informações amplamente veiculadas dão conta de práticas de peculato, constrangimento ilegal e uso indevido dos serviços públicos.
 
Chama a atenção a forma contundente com que o prefeito se dirige aos ocupantes de cargos comissionados, mas ele, assim como todo cidadão, vai apresentar a sua versão dos fatos, terá direito ao contraditório e à ampla defesa. Com o aprofundamento das investigações é que poderemos concluir se houve prática de crimes por parte do gestor público e adotar as medidas necessárias”, detalhou Clênio Valença.
 
O Ministério Público também requisitou a Demóstenes Meira informar o quantitativo de guardas municipais designados para realizar a segurança do bloco carnavalesco, uma vez que em um dos áudios há menção à designação de 30 guardas para garantir a segurança dos comissionados que comparecerem, caracterizando, em tese, a utilização indevida de serviços públicos para atender a interesses privados.
 
 
Além disso, o secretário de Educação de Camaragibe e presidente do bloco Canário Elétrico, Denivaldo Freire, também será notificado para esclarecer quem efetuou o pagamento das despesas do bloco carnavalesco e da apresentação de Tatiana Dantas da Silva no evento realizado no final de semana.
 
 

Jo√£o da Costa aponta reflexos das crises do Governo Bolsonaro no Recife e prega uni√£o de partidos

Jo√£o da Costa aponta reflexos das crises do Governo Bolsonaro no Recife e prega uni√£o de partidos

Da tribuna da Câmara Municipal, o vereador João da Costa (PT) alertou os reflexos que a série de crises produzidas pelo Governo Jair Bolsonaro têm produzido em todo o País, em especial no Recife. O petista citou como exemplo o caso do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, ameaçado de demissão, que tem gerado paralisia da União para enfrentar os graves problemas nacionais. João da Costa pregou a união de partidos e movimentos sociais para construir uma alternativa e defender os interesses dos trabalhadores.
 
 
“Estamos há cinco dias com o ministro Gustavo Bebianno ameaçado de demissão pelo presidente e tem que vir o vice-presidente Mourão pra dizer que de hoje não passa”, destacou João da Costa. “Essa paralisia tem influência direta em políticas públicas. O Brasil continua com 13 milhões de desempregados. Quem anda nas periferias do Recife como nós vê os reflexos do desemprego, da insegurança e a ansiedade do povo pra que o Brasil volte a crescer, gerar empregos e renda”.
 
 
Ex-prefeito do Recife, João da Costa destacou que a paralisia do Governo Federal tem prejudicado municípios como o Recife no que tange à celebração de convênios e empréstimos com organismos internacionais para realizar obras. “O governo paralisado, sem projeto para o País, gerador de crises, não traz perspectivas para, através de convênios e de pacto com os municípios, dispor de recursos para fazer habitacionais, para melhorar a mobilidade urbana, enfrentar a insegurança das grandes cidades brasileiras", listou o vereador.
 
 
João da Costa enfatizou que o PT tem procurado articular-se com partidos e movimentos sociais para construir uma alternativa aos projetos do Governo Bolsonaro. O vereador também destacou que o seu partido regressou à Frente Popular em Pernambuco e no Recife, buscando retomar o diálogo e defender a democracia.
 
 
“Foi a partir dessa necessidade nacional de enfrentarmos um quadro de crise, que voltamos a nos constituir aqui em Pernambuco e no Recife com a Frente Popular. Uma aliança com o PSB, o PCdoB e outros partidos que têm o objetivo de juntar forças para enfrentar esse grave momento que vive o nosso País”, justificou vereador, aproveitando para comunicar, oficialmente, o ingresso da bancada petista à base do governo na Casa de José Mariano.
 
 
Foto: Carlos Lima/Câmara Municipal do Recife

Ironia do destino: Governo Bolsonaro pode trazer de volta o eletrochoque e filho de Bolsonaro precisa de ajuda psicológica

Ironia do destino: Governo Bolsonaro pode trazer de volta o eletrochoque e filho de Bolsonaro precisa de ajuda psicológica

Uma  nota publicada hoje por Lauro Jardim, do O Globo,  reforçou minha suspeita de que Carlos Bolsonaro precisa  de ajuda psicológica.

 

É visível um distúrbio que dificulta sua convivência com a realidade.

Ele tinha ambição de inspirar um serviço secreto  paralelo de espionagem.

Já existe um serviço secreto chamado Abin.

 

O paralelo seria montado com com delegados e agentes da PF de sua confiança.

 

Desfecho do projeto, segundo o colunista do O Globo.

 

O general Augusto Heleno, que, aliás, comanda a Abin, vetou a maluquice.

Um filho de presidente, sem cargo, querer montar um serviço secreto revela uma anomalia de quem vive em estado de paranóia, criando uma realidade paralela.

 

Essa nota do Lauro Jardim é apenas um detalhe das minhas suspeitas sobre o desequilíbrio emocional de Carlos Bolsonaro.

 

Quem montou a guerra contra Gustavo Bebianno – e não é de agora – foi Carlos.

 

Chegou a ponto de colocar um espião no Palácio do Planalto: o primo mais conhecido como “Leo Índio”.

 

O jovem circula por lá com crachá amarelo, mas sem cargo.

Uma das razões secretas para o atrito de Bolsonaro com Bebianno foi a opinião de Carlos de que seu secretário-geral vazava informações sobre a família aos jornalistas da Globo.

 

Daí as reportagens sobre Fabrício Queiroz e Flávio Bolsonaro.

 

Na condição de porta-voz do pai – o que já é uma anomalia – ele chamou Bebianno de  mentiroso .

 

O que além de descabido um filho de presidente agir como se fosse autoridade, produz um crime: ele vazou uma gravação secreta.

Não é só.

 

Ele acha que Bebianno tem relações especiais com o site Antagonista que, segundo como publicou Carlos, estaria pronto para fazer negócios com dinheiro público.

 

Bolsonaro passou a ver as notas do Antagonista com sinais da traição de seu secretário-geral.

 

Como sabemos, o presidente também tem surtos paranóicos: daí não andar de avião particular, com medo de sabotagem.

 

A forma como Carlos transformou a Globo em inimiga – e aí juntando de Bebianno ao general Mourão – reforça ainda mais a suspeita de transtorno mental.

 

Chamou as Organizações Globo de chantagista por causa de dinheiro público.

 

Mais: acusou-a de torcer pela morte do pai.

 

Lembremos que Carlos comentou, num post, que pessoas próximas estariam interessadas na morte de seu pai.

 

Era um recado a Mourão e Bebianno, passando pelas Organizações Globo.

 

Daí que estou falando sério ao dizer que Carlos Bolsonaro precisa de ajuda psicológica urgente.

 

Antes que cause mais danos ao seu pai e ao seu governo.

Logo, ao país.


Dia Nacional de Luta: MOVIMENTO SINDICAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Dia Nacional de Luta: MOVIMENTO SINDICAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Sindicalistas estão montando uma estratégia para tentar mudar o texto da reforma da Previdência na Câmara.

 

A partir da próxima semana, assim que o projeto chegar na Casa, eles farão uma incursão nos gabinetes dos deputados para convencê-los a incluir emendas na proposta do Planalto.

 

Já está certo que ao menos dois pontos serão defendidos pelo grupo: a diminuição da idade mínima, fixada por Jair Bolsonaro em 65 anos para homens e 62 para mulheres, e um prazo maior para a transição.


Bebianno Caiu: Após reunião, Bolsonaro avisa Bebianno que ele está fora do governo

Bebianno Caiu: Após reunião, Bolsonaro avisa Bebianno que ele está fora do governo

Após reunião com Gustavo Bebianno acompanhada por ministros e pelo vice, Hamilton Mourão, o presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o outrora aliado da Secretaria-Geral da Presidência, segundo integrantes do Palácio do Planalto.

 

A saída dele do governo deve ser formalizada na segunda-feira (18), com publicação no Diário Oficial. Bolsonaro teria, inclusive, deixado o ato de exoneração assinado no Planalto nesta sexta (15).

 

O presidente esteve com Bebianno no início desta noite. A conversa entre os dois teria sido ríspida. A gota d’água, segundo integrantes do Planalto, foi o vazamento de diálogos privados, exclusivos da Presidência, entre Bolsonaro e Bebianno ao site O Antagonista e à revista Veja. 

 

Após a publicação de que o presidente havia sinalizado a aliados que demitiria seu secretário-geral, pessoas próximas ao ministro confirmaram que ele será exonerado e que não há volta na decisão de Bolsonaro.

 

Bebianno tornou-se personagem central da primeira grande crise do novo governo na quarta (13), quando o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, disse nas redes sociais que ele havia mentido ao afirmar em entrevista ao O Globo que estava conversando normalmente com o titular do Planalto mesmo após a Folha revelar o esquema de candidaturas laranjas no PSL em ao menos dois estados.

 

O ministro comandou o partido durante a campanha de 2018 e, por isso, chancelou a liberação de verbas hoje sob suspeita.

 

Num sinal de que havia autorizado a ofensiva do filho sobre Bebianno, Bolsonaro concedeu entrevista à TV Record na noite da mesma quarta reafirmando que não havia falado com o auxiliar. Ele ainda anunciou que havia pedido para o ministro Sergio Moro (Justiça) pedir à Polícia Federal que investigasse o caso.

 

Desde então, a permanência de Bebianno no governo ficou em suspenso. Ele já foi braco direito do presidente e, durante a campanha presidencial, participou como poucos de decisões estratégicas para a disputa. 

 

Por Folha de São Paulo


PT: 39 anos de lutas, sonhos e resistência

PT: 39 anos de lutas, sonhos e resistência

Por Flávia Hellen Lula da Silva*

 

 

No último dia 10, o Partido dos trabalhadores e das trabalhadoras completou 39 anos de muita luta em defesa dos nossos direitos e de um Brasil mais justo e soberano.

 

Em tempos de ascensão do FASCISMO e de perseguição aos movimentos sociais é necessário intensificarmos a defesa do maior instrumento de luta da classe trabalhadora no Brasil. E também reforçarmos os princípios revolucionários que o fundaram.

 

O PT surge como alternativa popular de organização dos oprimidos, pensado e articulado com setores progressistas da igreja, com os movimentos populares do campo e da  cidade, com o Movimento negro, o feminista e o estudantil que não viam até então no Brasil um espaço partidário popular e que defendesse o socialismo democrático.

 

A história do PT se confunde com a história de lutas e conquistas  da nossa gente e não se pode falar de  transformação sem ressaltar o protagonismo dos petistas.

 

Na última década o Brasil mudou radicalmente com a chegada dos trabalhadores e das trabalhadoras ao poder e defender esse legado é essencial para que possamos derrotar o fascismo e, sobretudo, apontar uma nova agenda e um novo programa para o País.

 

Nossa geração está vivendo um dos momentos mais críticos do seu tempo! A chegada da burguesia que arquiteta a entrega das nossas riquezas, golpeando nossa soberania e atacando nossos direitos.

 

Precisamos estar organizados e mobilizados para ENFRENTAR e RESISTIR aos ataques que o governo Bolsonaro, que junto a classe dominante, quer-nos impor movimentos anti-democráticos e entreguistas que favoreçam seus lucros e perpetuem seus privilégios.

 

O Desemprego, o aumento do gás, os cortes na Educação, as privatizações, o enfraquecimento dos povos indígenas, a perseguição às minorias LGBTs, as políticas que compactuam com o genocídio do povo negro, entre outros representam um verdadeiro retrocesso no estilo de vida que a classe trabalhadora pôde ter no último período com a política de inclusão social promovido pelos governos petistas.

 

Nesses 39 anos faz-se necessário uma autocrítica dos caminhos que nos trouxeram até aqui, um caminho de contradições, mas marcado por inúmeras conquistas sociais, políticas e econômicas  para nossa gente.

 

Estamos  em processo de reorganização, de reaproximação com a nossa base social e com os princípios que fizeram de nós uma das maiores  experiências de luta do Povo trabalhador, mas também é um período de atualizar nosso método, programa e modelo organizacional, de abrir as portas do nosso partido para os novos atores e atrizes sociais que ainda não veem nas estruturas partidárias um lugar acolhedor.

 

É hora da apontar novos rumos, derrotar o fascismo, organizar o povo e fazer o Brasil voltar a sonhar, inspirado na luta das juventudes, das mulheres, dos negros e negras, da população LGBT, do povo trabalhador.

 

Nesses 39 nove anos fica cada vez mais claro que o PT é um partido necessário e reorganizá-lo é a tarefa mais importante que temos para o próximo período.

 

Vida longa ao PT.

 

Lula Livre.

 

*Flávia Hellen é estudante e militante da juventude do Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras.


Onze meses sem Marielle: interferência na investigação preocupa

Onze meses sem Marielle: interferência na investigação preocupa

Para diretora da Anistia Internacional, “o que já foi divulgado sobre o caso levanta sérias questões sobre possíveis ilegalidades” 

 

Em 14 de março de 2018, a vereadora Marielle Franco e Anderson Gomes, seu motorista, foram brutalmente assassinados. Onze meses depois, não se sabe quem matou e quem mandou matá-los, assim como a motivação para o assassinato – por mais que seja evidente desde o dia zero a força e a importância da atuação política de Marielle no Complexo do Maré, no Rio de Janeiro.

 

Para marcar a data e seguir pressionando pela resolução do crime, a Anistia Internacional lançou nessa quarta-feira (13) o documento “O labirinto do caso Marielle Franco”, que aponta incoerências e o que se sabe sobre o tema.

 

“O que já foi divulgado publicamente sobre o caso levanta questões sérias sobre possíveis ilegalidades dentro de instituições de segurança no país, já que munições e armas de propriedade do Estado teriam sido desviadas. É de extrema preocupação que um lote de munição da Polícia Federal tenha sido desviado, usado em homicídios, e que depois de tanto tempo as autoridades não tenham dado uma explicação satisfatória”, afirma Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional.

 

A organização critica o fato de que, desde que se completaram cinco meses da investigação, os órgãos estatais responsáveis pela investigação seguem anunciando que o caso está próximo de sua conclusão, porém, quase um ano após o crime, isso nunca aconteceu.

 

O relatório elenca ainda alguns dos pontos mais preocupantes sobre o caso, elaborados a partir de informações divulgadas pelas autoridades e imprensa. Entre eles, estão “a falta de respostas sobre o desligamento das câmeras de segurança do local do crime dias antes do assassinato, o desaparecimento de submetralhadoras do arsenal da Polícia Civil do Rio de Janeiro e negligências no armazenamento do carro.”

 

“Em novembro do ano passado, o então ministro de  Segurança Pública anunciou que a Polícia Federal iria investigar as investigações do assassinato de Marielle Franco diante de denúncias de que haveria um grupo organizado com participação de agentes do Estado agindo para interferir negativamente no andamento das investigações. Essa suspeita é grave e precisamos que as novas autoridades federais deem uma resposta à altura e que a gente saiba a conclusão da investigação aberta pela Polícia Federal”, solicita Werneck.

 

As últimas notícias sobre o caso apontam a forte suspeita de haver participação do grupo miliciano Escritório do Crime, da região do Rio das Pedras (RJ), no assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, segundo informações do jornal O Globo.

 

Até novembro do ano passado, o senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) empregava em seu gabinete a esposa e a mãe do ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como o comandante do Escritório do Crime.

 

Acesse aqui o documento da Anistia Internacional “O Labirinto do Caso Marielle Franco”.

 

Por Brasil de Fato


Den√ļncia leva Pol√≠cia Militar a prender dois homens por furto de √°gua em Belo Jardim

Den√ļncia leva Pol√≠cia Militar a prender dois homens por furto de √°gua em Belo Jardim

Captação irregular em dois pontos da Adutora do Agreste levou a prisão em flagrante 

 

 

Maior obra hídrica do país e que irá tirar a cidade de Belo Jardim, no Agreste, do colapso, a Adutora do Agreste tem sido alvo de ações criminosas que prejudicam a fase de pré-operação do sistema. Após a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) prestar queixa à Polícia Militar, a guarnição do Comando do 15° BPM de Belo Jardim e o efetivo da GT local flagraram ontem (13) furto de água na tubulação da adutora, que faz a transposição das águas do Rio São Francisco para a cidade, no KM 175, às margens da BR 232.

 

Dois homens de 20 e 50 anos foram presos em flagrante por estarem captando água, sem autorização, em dois pontos da tubulação da Adutora do Agreste com um caminhão-pipa e uma carroça. Levando em consideração apenas a capacidade de armazenamento do caminhão, 10 mil litros de água estavam sendo subtraídos a cada captação. Não se tem estimativa sobre o período de tempo em que o crime estava sendo cometido. Os envolvidos foram conduzidos à delegacia da cidade, onde deverão responder processo por furto qualificado de água. 

 

De acordo com a Compesa, o roubo de água ocorrido em alguns pontos ao longo da Adutora do Agreste. A Companhia tem fiscalizado rotineiramente a obra e informado às autoridades policiais sobre a prática para que operações de fiscalização sejam realizadas para coibir esse tipo de irregularidade, como foi o caso da ação da Operação Sossego realizada ontem em Belo Jardim, que resultou na prisão em flagrante das duas pessoas envolvidas. 


Dep. Carlos Veras (PT-PE) realiza o primeiro pronunciamento na C√Ęmara dos Deputados

Dep. Carlos Veras (PT-PE) realiza o primeiro pronunciamento na C√Ęmara dos Deputados

Hoje realizei meu primeiro pronunciamento na Câmara dos Deputados deixando claro que não aceitaremos nenhum tipo de ataque contra a CUT. Não são os dirigentes sindicais que fazem apologia ao crime. Não são os dirigentes sindicais que colocam criança no colo e fazem o símbolo de uma arma. Não são os dirigentes sindicais que carregam nas costas o gosto do sangue do assassinato de Margarida Alves e de Chico Mendes e do massacre dos Eldorados do Carajás. Não somos nós que incentivamos o ódio e a intolerância. Não somos nós os responsáveis pelos assassinatos de indígenas, de sem terras, de mulheres e da comunidade LGBT. A CUT defende os trabalhadores e é responsável por não deixar que acabassem com muitos dos nossos direitos. Respeitem a CUT!

Assista o discurso completo clicando no link e não deixe de comentar: https://goo.gl/y3RDEd

 

#NaLutaComAGente
 

#CarlosVeras
#CUT


Compesa anuncia liberação de trecho da Rua Henrique Dias, em Olinda, antes do Carnaval

Compesa anuncia liberação de trecho da Rua Henrique Dias, em Olinda, antes do Carnaval

A  Companhia Pernambucana  de Saneamento - Compesa anunciou,  nesta terça-feira (12),  que  será liberado até o Carnaval o  trecho de dez metros da Rua Henrique Dias, no bairro do Varadouro, em Olinda - interditado desde dezembro do ano passado - para os serviços de recuperação do imóvel 115.  A Compesa  informou ainda  que foram  finalizados ontem (11), os  trabalhos de  recuperação da estrutura do referido imóvel, que sofreu danos  durante  a construção de  uma caixa de proteção para equipamentos, que serão   instalados no local  para a  melhoria e eficiência operacional do sistema de abastecimento de água da cidade. A  previsão é finalizar  a reposição do revestimento da fachada  até o fim do mês e, posteriormente, antes da folia de Momo, a área será liberada após os serviços de pavimentação.

 

A instalação de  equipamentos  na Rua Henrique Dias  é uma das ações previstas no Programa Olinda+Água que tem como meta ofertar água todos os dias em 15 bairros de Olinda até 2021, um investimento de R$ 152 milhões. Os serviços de recuperação do imóvel foram realizados por uma consultoria especializada em recuperação de imóveis históricos, devidamente autorizada pela prefeitura municipal por meio da  SEPACTUR - Secretaria de Patrimônio, Cultura, Turismo e Desenvolvimento Econômico  de Olinda.  Todo o trabalho de recuperação foi realizado com as mesmas técnicas construtivas utilizadas no século XIX.

 

A primeira fase do trabalho foi o reforço do terreno, que cedeu. Foi feito o estaqueamento de concreto armado em baixo do imóvel para estabilização da fundação, garantindo que toda a estrutura seja preservada. A recuperação da fachada foi realizada com utilização de reforço de grampos de aço com a utilização de argamassa de cal para não modificar as características originais da construção, além da porta e janela em madeira, recuperadas. As escoras de madeira foram retiradas nesta segunda-feira  para o início da  fase final, que é o revestimento da fachada, a fase de acabamento. Paralelo a isso, foi iniciado também os serviços de reposição da pavimentação de todo o trecho onde a intervenção foi realizada.

 

A expectativa é que o trabalho de reposição  do pavimento ( paralelepípedo)  seja finalizado até o fim desta semana. Porém, haverá a necessidade de o trecho permanecer interditado para possibilitar a cura do rejunte. “Estamos agilizando os procedimentos para que a área da obra seja liberada antes do Carnaval”, reforça  o gestor da obra Olinda+Água, Vivaldo Melo. Todos os custos de recuperação, bem como os danos materiais (utensílios) do imóvel foram assumidos pelo consórcio contratado para a execução da obra. Os técnicos da Compesa atuam permanentemente no acompanhamento das intervenções.


Nota Oficial da Comiss√£o Executiva do PT-Pernambuco

Nota Oficial da Comiss√£o Executiva do PT-Pernambuco

No início da tarde desta segunda, 11/02, Bruno Ribeiro, apresentou à Executiva Estadual sua renúncia à presidência do PT de Pernambuco. Bruno Ribeiro apresentou uma carta (anexa), um breve balanço contendo as conquistas políticas do Partido no período de sua presidência e anunciou que voltará a se dedicar integralmente à advocacia, mantendo sua militância especialmente em defesa dos direitos humanos e, em especial, pela liberdade de Lula.

 

A Executiva Estadual, ao tempo que agradece, homenageia o companheiro pela sua importante contribuição dada ao partido na presidência estadual.

 

De acordo com as regras partidárias, estabelecidas no estatuto, o vice-presidente, Glaucus Lima, assume interinamente a presidência, devendo ser convocada uma reunião do Diretório Estadual para eleição do novo presidente entre os diretorianos, em no máximo 60 dias.

 

Recife, 11 de fevereiro de 2019
 

COMISSÃO EXECUTIVA DO PT-PE