Teste de publicidades

Apesar das Tramas de Paulo Câmara, Marília Arraes Cresce e Ameaça a Reeleição de Câmara

Apesar das Tramas de Paulo Câmara, Marília Arraes Cresce e Ameaça a Reeleição de Câmara

Nova pesquisa do Instituto Múltipla,  divulgada nesta quinta-feira,  registrada no TRE-PE e no Tribunal Superior Eleitoral, mostra que a candidatura da petista Marília Arraes é cada vez mais competitiva e ameaça a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB).

Segundo o Múltipla, o socialista lidera a disputa com 31% das intenções de voto, Marília chegou aos 21,5% e Armando Monteiro (PTB) agora é o terceiro somando 17,3%.

O governador estacionou em relação à pesquisa anterior, Armando caiu cerca de dois pontos e a neta de Arraes subiu de 18,5 para 21,5%.

Se a representante do PT chegar ao segundo turno tem tudo para derrotar o adversário, pois possivelmente contará com o apoio de Armando.

O Instituto realizou 600 entrevistas entre os dias 27 de abril e 1 de maio, em todas as regiões do Estado, seguindo a estratificação do IBGE.

Na pesquisa do Múltipla, Quando Paulo Câmara é “colado” a Joaquim Barbosa cai para 10,5%. Marília Arraes com o apoio de Lula chega a 49,8%.

Bolsonaro, Marina Silva e Guilherme Boulos tem peso tímido no apoio a Coronel Meira (5%), Júlio Lóssio (1,8%),  e Daniele Portela (0,3%). 

por Blog do Roberto Almeida 


Deputada Teresa Leitão diz que interesse do PSB é tirar Marília da disputa pelo governo de Pernambuco

Deputada Teresa Leitão diz que interesse do PSB é tirar Marília da disputa pelo governo de Pernambuco

por Inaldo Sampaio

A deputada Teresa Leitão (PT) declarou hoje (2), na Assembleia Legislativa, em aparte ao discurso do colega Álvaro Porto (PTB) criticando a “incoerência” do PSB em relação ao ex-presidente Lula, que  chegou a pensar que o interesse do PSB em reaproximar-se dos PT tinha a ver com o tempo de televisão e o prestígio eleitoral do ex-presidente da República.

No entanto, segundo ele, está cada vez mais “evidente” que o único interesse do governador Paulo Câmara (PSB) ao defender aliança do seu partido com o PT é retirar a candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) ao governo estadual.

“Como Marília se movimenta mais e aparece bem nas pesquisas de opinião, eles querem ela fora do páreo. Mas o partido ainda vai definir quem será o nosso candidato, se José Oliveira, se o deputado Odacy Amorim ou se a própria Marília”, disse a deputada.

Ela acrescentou que irá recorrer a todas as armas democráticas para que a candidatura própria seja viabilizada dentro do PT. “Até porque, para pragmatismo eleitoral, tem que existir limites”.

A deputada lembrou que o sentimento de Paulo Câmara em relação à prisão de Lula ficou bem claro no filme dos governadores que foram a Curitiba tentar visitar Lula na prisão.

“Eu nem vou comparar (o posicionamento de Paulo Câmara) com o dos governadores do PT. Vou citar o governador do Maranhão, Flávio Dino, que é o PCdoB e o da Paraíba, Ricardo Coutinho, que é do PSB. Enquanto estes se indignam e fazem referência à prisão política de Lula, uma vez que Lula é um preso político, Paulo Câmara se refere ao cidadão e ao pernambucano Lula”.


 Ministério Publico de Pernambuco realiza V Encontro Nacional do Ministério Público

Ministério Publico de Pernambuco realiza V Encontro Nacional do Ministério Público

 
MPPE realiza V Encontro Nacional do Ministério Público começa quarta-feira (02/05)
 
O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) realizará o V Encontro Nacional do Ministério Público essa semana, entre os dias 2 e 4 de maio, na Faculdade de Direito do Recife e no Banco Central do Brasil. A 5ª edição tem como temática “Ministério Público: Pensamento Crítico e Práticas Transformadoras”. O encontro será aberto às 19h de quarta-feira (2), no salão nobre da Faculdade de Direito do Recife, com apresentações culturais da Orquestra Criança Cidadã e do Grupo de Canto e Dança do Instituto do Ministério Público de Pernambuco (IMPPE).
 
Em seguida, será formada a mesa de abertura do evento com a conferência “Formação nacional, reversão neoliberal e revolução brasileira”, apresentada pelo professor livre-docente do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, Plínio de Arruda Sampaio Júnior, com mediação do coordenador de Pesquisa da Escola Nacional do Ministério Público (ENAMP), Marcelo Pedroso Goulart.
 
Na quinta (3) e sexta (4), o evento será no auditório do Banco Central do Brasil, na Rua da Aurora, em Santo Amaro. No segundo dia estão previstas as mesas “Práticas transformadoras e Justiça restaurativa”, tendo como expositores o procurador-geral do MPPE, Francisco Dirceu Barros e o promotor Afonso Konzen, do Ministério Público Rio Grande do Sul (MPRS); “A questão racial e de gênero no MP brasileiro”, com a participação dos promotores Maria Ivana Botelho, do MPPE, e Eduardo Valério, do Ministério Público de São Paulo (MPSP); “Reforma processual e juízo de cooperação: novos caminhos ao fortalecimento da unidade institucional do Ministério Público”, com os promotores André Felipe Menezes, do MPPE, e Cássius Chai, do Ministério Público Maranhão (MPMA).
 
No terceiro e último dia do encontro, a programação inclui as mesas “Política criminal, encarceramento e criminalidade: perspectivas e desafios ao MP brasileiro em face dos seus compromissos e atribuições constitucionais”, tendo como expositores os promotores de Justiça Luís Sávio Loureiro e Irene Cardoso (ambos do MPPE), a doutoranda em Direito Manuela Abath Valença e a ouvidora nacional do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Maria Gabriela Peixoto; e a temática, “Ministério Público como garantia constitucional fundamental da sociedade: atribuições, deveres e práticas”, com a participação do promotor de Justiça Gregório de Almeida, do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e da procuradora do Trabalho Ludmila Lopes.
 
Serviço
V Encontro Nacional do Ministério Público,  “Ministério Público: pensamento crítico e práticas transformadoras”
Quando: 2 a 4 de maio
Local: Salão nobre da Faculdade de Direito do Recife (abertura) e auditório do Banco Central do Brasil
Informações: (81) 3182-7378/ 3182-7351/ 3182-7379

MoB - Movimento de Base do PT: Nota de Apoio a Candidatura de Marília Arraes

MoB - Movimento de Base do PT: Nota de Apoio a Candidatura de Marília Arraes

Apoio a Marília Arraes
 
MoB - Movimento de Base do PT
 
“A ousadia necessária rumo a mudança sempre que preciso.”
 
 Nós, do MoB -Movimento de Base do PT, vimos a público nos colocar nossa posição em relação as eleições de 2018 em Pernambuco.
 
 O Partido dos Trabalhadores passa por uma série de ataques jamais vistos a um partido político no Brasil desde a redemocratização. A perseguição ao PT ultrapassa os muros dos quartéis, adentrando nas casas e mentes da elite branca, rica e privilegiada, que jamais tolerou os benefícios que os governos do PT fizeram ao povo, dentro do país e até fora dele.
 
 Nossa maior liderança está presa, vítima de uma perseguição política, através de um processo jurídico repleto de nulidades e arbitrariedades. Desde o início do GOLPE de 2016 assistimos o ódio crescer, alimentado por uma imprensa oligárquica e compromissada seus financiadores. Fomos atacados em locais públicos e não reagimos. Assim a direita fascista ganhou força e criou um estado de exceção, amparado por uma grande parcela do judiciário federal elitista, analfabeto político e messiânico. É neste cenário de exceção judiciária, política e dos meios de comunicação de massa que teremos (ou não) as eleições no ano corrente. 
 
O GOLPE, com seus principais protagonistas: deputados, senadores, governadores, judiciário federal e meios de comunicação, trouxe profundos retrocessos sociais, políticos e econômicos à sociedade brasileira. Ousaram retirar direitos da CLT, algo tão brutal que nem a Ditadura Militar foi capaz tentar.
 
 Em Pernambuco, o PSB local teve papel fundamental no apoio ao GOLPE. O governador Paulo Câmara liberou todos os secretários(que tinham mandatos federais) para assumirem seus cargos a fim votarem a favor do “impeachment” sem crime. Todos os deputados do PSB, bem como o então senador pelo PSB, Fernando Bezerra Coelho, votaram sim para o GOLPE. 
 
Em 2014 o PSB já havia traído seus valores históricos de compromisso com a esquerda. No segundo turno, apoiou o candidato da direita Aécio Neves. Inauguraram um clima de agressões e ódio à Dilma e ao PT.
 
 O prefeito do Recife, Geraldo Júlio/PSB, era o mais exaltado nos comícios e palanques do estado. Outdoors e pichações em muros com a frase “O PT matou Eduardo” se espalharam por Recife. 
 
Foram e são práticas que os colocaram em posição diametralmente oposta aos ideais progressistas e democráticos do PT, impossibilitando qualquer reaproximação. 
 
Diante de tal cenário e analisando a conjuntura do estado e do país, nós que fazemos o MoB - Movimento da base do PT, reafirmando o nosso compromisso de resgatar o pensamento da verdadeira esquerda e rejeitando qualquer tipo de imposição vertical dentro do partido, já havíamos decidido caminhar com a candidatura própria em Pernambuco. Não queremos reconstruir ou refundar o PT, desejamos afirmar que somos um partido de massa, com uma MILITÂNCIA PUNGENTE E COMBATIVA, formada por filiados, simpatizantes e eleitores históricos, cuja esmagadora maioria defende candidatura própria. 
 
Três alternativas estão colocadas e, de forma democrática, decidimos buscar o diálogo com os(a) três pré-candidatos(a) ao governo. Assim fizemos com Marília Arraes e José de Oliveira, entretanto não conseguimos ouvir o candidato Odacy Amorim por falta de retorno do mesmo. 
 
Com todo respeito, deferência e reconhecimento que o companheiro José Oliveira merece de todos nós, devemos agradecê-lo, pois a sua postulação foi a maneira encontrada de colocar o partido para essa discussão e provocar o debate democrático, o que é fundamental nesse momento. 
 
O Deputado Odacy Amorim, infelizmente, perdeu uma ótima oportunidade de fazer o bom debate, infelizmente nada temos que acrescentar sobre sua postulação ou projetos sintonizados com o partido. 
 
Por tudo aqui colocado, o MoB-Movimento de Base de Pernambuco, DECLARA APOIO À CANDIDATURA da Vereadora MARÍLIA ARRAES PARA A DISPUTA DO GOVERNO DE PERNAMBUCO pelo PT, nas eleições de outubro próximo. 
 
Diante do que Marília Arraes vem defendendo e lutando, acreditamos que sua candidatura representa ganhos políticos fundamentais na defesa do presidente Lula diante de toda a perseguição que está sofrendo e disputa pela narrativa de esquerda no estado de Pernambuco e, sobretudo, pelo conjunto de ações planejadas que nos apresentou, todas em sintonia com os preceitos e linhas programáticas do PT. 
 
A nossa posição não é de aderência pura e simples, é resultado de conjunto de fatores já expostos, e principalmente, de compromisso com nossas bandeiras históricas, a saber: 
 
- Mandato democrático, transparente e participativo 
- Respeito e diálogo com os movimentos sociais 
- Defesa da saúde pública 
- Educação pública de qualidade 
- Segurança pública, cidadã e reformatação da SDS 
- Valorização e investimento na cultura 
- Mobilidade urbana com foco no pedestre, nos ciclistas e no transporte público de massa com qualidade, em todos os conglomerados urbanos de Pernambuco 
- Investimento nos esportes e atividades de lazer para a população carente 
- Fortalecimento das políticas públicas para minorias: LGBTQ, negros, mulheres, indígenas e juventude 
- Atuação sistemática contra toda e qualquer forma de preconceito 
- Política de inclusão às pessoas com deficiência 
- Valorização das periferias e regiões com alto grau de vulnerabilidade social 
- Reestruturação geral nos presídios e abrigos para jovens com respeito aos direitos humanos 
- Implantação de uma política de respeito ao idoso
 - Conter, através de vetos, todos e quaisquer privilégios diretos ou indiretos aos poderes executivo, legislativo e judiciário 
- Criação de mecanismo que possam gerar emprego e renda aos pernambucanos na RMR, Agreste, Zonas da Mata e Sertão 
- Estudo e criação de novos polos econômicos em parceria com órgãos federais 
- Economia solidária como forma de organização social dos trabalhadores e combate a exclusão social. 
 
Sem mais, só nos resta ir à luta. 
 
Recife, 30 de abril de 2018 
 
Joaquim Araújo 
Prazeres Barros 
Daniel Garcia 
J. Carlos Silva
 Jaílson Pereira
 Luiz Felipe Morais
 Carlos Alberto Athayde
 Morgana Chaves
 Ronaldo Couto
 Heraldo Araújo
 Gabriela Araújo
 Valéria Cerqueira
 Cicleide Roque
 Ana Claudia Oliveira
 Jenner Nascimento
 Priscila Freitas
 Eunice Maior
 João Barza
 Maurício Soriano
 Giovani de Morais
 Maria Luíza Quaresma
 Paulo Alexandre
 Telma Ratta
 Thiago Queiroz
 Alba Tatiana Siqueira
 Paulo Freitas
 Rodrigo Matos
 Fabiana Bezerra
 Deise Aguiar
 Leonardo Araújo
 Marise de Souza Morais
 Gabriele Freitas
 Gilvan Freitas
 Luciano Gonçalo
 Sarah B. Albuquerque
 Amanda Aguiar
 Luciana Arantes

Compesa inicia obra de melhoria do abastecimento de água para bairros da Zona Norte do Recife

Compesa inicia obra de melhoria do abastecimento de água para bairros da Zona Norte do Recife

Intervenções começaram pelo bairro de Casa Amarela, com assentamento de tubulações na Estrada do Arraial

 

 

Após realizar melhorias das redes de distribuição de água em vários bairros do Recife, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) avança com essas ações para a Zona Norte da cidade. As intervenções iniciaram pela Estrada do Arraial, no bairro de Casa Amarela, onde uma frente de trabalho está implantando mil metros de novas tubulações. Os serviços começaram na altura da Rua Padre Lemos e seguem até a Avenida Dezessete de Agosto, trecho que deve ser concluído na primeira quinzena do mês de maio. A nova rede está sendo assentada numa pequena faixa da rua, que foi isolada próxima à calçada e, por este motivo, a obra não interfere no trânsito local. Depois da Estrada do Arraial, o assentamento de tubulações será realizado na Avenida Dezessete de Agosto, em Casa Forte, e na Rua Apipucos, no bairro de Apipucos.

 

Essa importante  obra iniciada pela Compesa busca melhorar o abastecimento de água para 182 mil pessoas nos bairros de Casa Amarela, Casa Forte, Poço da Panela, Santana, Parnamirim, Apipucos, Monteiro, Macaxeira, Alto do Mandu, Arruda, Mangabeira, Bomba do Hemetério, Água Fria, Campo Grande, Hipódromo, Fundão, Cajueiro e Campina do Barreto. O Governo Paulo Câmara  investe R$ 22,8 milhões nessa fase do projeto, denominado de Lote 3 das Obras de Setorização do Recife, que vai reforçar o fornecimento de água para essa região e aumentar o controle operacional do sistema, permitindo equalizar as pressões nas tubulações, reduzir as perdas e a frequência de vazamentos. Os recursos foram financiados junto ao FGTS/ Caixa Econômica.

 

O projeto prevê a implantação de dez macromedidores e quatro Válvulas Redutoras de Pressão (VRPs) e o assentamento de 75 quilômetros de rede de distribuição - entre ampliação e substituição de tubulações. “As ações de setorização na rede buscam modernizar e aumentar o controle operacional do sistema por meio da instalação de dispositivos de medição de vazão e pressão, além da troca e implantação de novas tubulações. Com esses investimentos, vamos monitorar indicadores da rede por telemetria. O Lote 3, que corresponde a essa área da Zona Norte do Recife, será dividido em oito setores distintos de abastecimento de água”, explica a gerente de Obras da Compesa, Roselene Carneiro. A obra também vai realizar a substituição de cerca de três mil hidrômetros nos bairros da Zona Norte que serão contemplados pelo projeto. A previsão é concluir todo Lote 3 até março de 2020.


27 de Abril – Dia da Empregada Doméstica: 30 anos de Luta e Compromisso do Sindicato das Trabalhadoras Domésticas do Recife

27 de Abril – Dia da Empregada Doméstica: 30 anos de Luta e Compromisso do Sindicato das Trabalhadoras Domésticas do Recife

Tem muita gente que não consegue viver sem elas. São pessoas importantes na administração da família, só elas sabem onde tudo está dentro de casa.

Antigamente, as empregadas domésticas eram consideradas pessoas “de casa”, trabalhavam anos a fio no mesmo emprego, adquirindo a afeição e o respeito de muitas famílias, algumas continuavam morando com a família, quando já em idade avançada e consideradas uma terceira “avó”. Na realidade, até hoje, existem famílias assim, mas são raras.

As ajudantes do lar desempenham papel importante dentro de uma família, principalmente para a mulher da casa. Quando a dona da casa trabalha fora então, é imprescindível ter alguém que a ajude.

Existem milhares de pessoas, que fazem dessa profissão, o seu ganha pão e é com ele que sustentam as suas famílias. O salário é baixo, o serviço é bastante, os sapos que tem que engolir são grandes, em muitos casos, as humilhações que passam são também enormes, mas mesmo assim, lá estão elas, todos os dias, bem cedinho, antes mesmo dos donos da casa se levantarem, já em atividade, cuidando de tudo para que quando eles despertarem, tudo esteja do seu gosto.

Algumas moram no próprio emprego, ou por não terem onde morar ou por morarem muito longe, outras, pegam duas ou três conduções pra poder estar bem cedinho na casa de suas patroas, levantar cedo para as empregadas domésticas não é novidade, muitas delas tem que cuidar da sua própria casa, antes de sair para o trabalho.

É uma vida dura, disso ninguém tem dúvida. Desde 1972, os empregados domésticos, homens ou mulheres, passaram a ter a sua própria legislação, reconhecidos os seus direitos em pela Lei nº 5.859, tem direito a FGTS, carteira assinada, férias, 13º salário, repouso remunerado semanal, aposentadoria, auxilio doença e licença maternidade.

Aqueles que fazem uso dos serviços prestados pelas “empregadas domésticas” devem lembrar-se de que elas e eles são também: filhos, pais, mães, esposas e maridos e que como todos os seres humanos, tem uma vida cheia de problemas.

Neste dia 27 de abril, quando se comemora o “Dia da Empregada Doméstica”, lembremo-nos de apertar a sua mão e dizer parabéns e muito obrigado.
 

O PT de Pernambuco numa hora decisiva, É Candidatura Própria ou Submissão ao PSB

O PT de Pernambuco numa hora decisiva, É Candidatura Própria ou Submissão ao PSB

O PT em Pernambuco está prestes a tomar uma das mais importantes decisões da sua história. Após 12 anos sem disputar o governo estadual, o partido vai decidir no encontro estadual marcado para 12 de maio a sua tática eleitoral. A posição que anima amplos setores da base partidária e muita gente fora do PT é o lançamento de candidatura própria e de Marilia Arraes, vereadora do PT Recife, como candidata a governadora.

A defesa de uma candidatura do PT para disputar o governo estadual tem suas raízes em dois aspectos. O primeiro está no fato do PSB ter desempenhado um papel destacado na articulação e na aprovação do golpe, e depois, participada da composição do governo Temer. O segundo é a desastrada gestão do governador Paulo Câmara, que detém alto grau de rejeição e baixos índices de aprovação popular. 

  A fragilidade do governo provocou uma forte dissidência na “nova frente popular”, base da vitória do PSB em 2014. Saiu o PSDB, o DEM, para formar com o PTB de Armando Monteiro um novo bloco oposicionista que já agrega outras siglas menores. Além destes, o MDB foi retirado do controle de Jarbas Vasconcelos e passado para Fernando Bezerra Coelho, um dos principais articuladores deste bloco de oposição de direita. Um significativo prejuízo politico, eleitoral, tempo de TV, etc. 

A eleição caminharia para uma disputa entre apoiadores do golpe, polarizada por Paulo Câmara apoiado pelos partidos que se mantem no governo estadual e pelo candidato do novo bloco de oposição, ainda a ser definido, com tendência a ser Armando Monteiro. O quadro foi modificado pelo crescimento do apoio a candidatura Marilia Arraes, registrado em seguidas pesquisas. Apesar do desgaste a que vem sendo submetido há vários anos, o PT aparece como o portador de uma boa nova, apresentando uma alternativa que rompe com a logica do mais do mesmo, atrai apoios fora do partido, aponta para uma perspectiva de um bom desempenho eleitoral e um indiscutível fortalecimento politico no estado.

Uma situação animadora, que deveria consolidar a unidade partidária que vem sendo reconstruída desde o acordo que envolveu todas as tendências internas após o ultimo PED, restabelecendo o ambiente de debate nas instancias, construção de consensos fundamentais, entre os quais a posição de colocar o PT na oposição ao governo estadual. Mas infelizmente o partido se aproxima do encontro estadual com divisões internas.

Duas outras pré-candidaturas foram inscritas, o que esta dentro da nossa normalidade, mas lideranças e tendências passaram a defender o apoio a Paulo Câmara. Uma divergência que aparece de uma forma bem diferente da tradição do PT, pois não foi debatida publicamente e nem foi oficialmente apresentada, haja vista que encerrado o prazo para inscrição de tese que defenda apoio a candidatos de outro partido ninguém registrou esta defesa para ser debatida no encontro. Nos bastidores se alimentou o temor do isolamento, da falta de apoios, e centralmente, que Lula poderia precisar e defender esta aliança.

Aproxima-se o encontro estadual e Lula nunca fez esta defesa, o PSB nacional acena com o lançamento de candidato pró- prio a presidente, foi um dos últimos partidos a aderir à frente em defesa da democracia, a sua gestão continua ruim como sempre, e uma pergunta persiste. O que de verdade justifica defender uma aliança com um partido golpista, mesmo que a custo do aumento do desgaste do PT que estaria fazendo acordos incoerentes e que fatalmente o afastaria da base social que tem referencia no partido.

A resposta da Articulação de Esquerda e de todas as forças que apoiam a candidatura própria com Marilia Arraes candidata do PT a governadora e apostar no debate interno, lutar para unificar o PT em torno da retomada do protagonismo de um partido que tem a tarefa histórica de fazer sua defesa, combater o golpe, mobilizar pela liberdade de Lula e organizar sua campanha a presidente da republica, e fazer destas eleições de 2018 uma batalha pela democracia e pelos direitos da classe trabalhadora. A unidade do PT com base nestas bandeiras de luta e a garantia de vitorias politicas e eleitorais em Pernambuco e no Brasil.

E a hora da verdade, vamos à luta!

Mucio Magalhães, da Comissão Executiva Estadual do PT em Pernambuco


Deputada Teresa Leitão (PT) diz que chance de aliança do PT com o PSB em Pernambuco é zero

Deputada Teresa Leitão (PT) diz que chance de aliança do PT com o PSB em Pernambuco é zero

A deputada estadual Tereza Leitão, do PT, comentou neste sábado, 21, que uma possível aliança do PT à reeleição do governador Paulo Câmara, PSB, tem “chance zero”. A petista fez a declaração durante a passagem da pré-candidata ao governo do estado, Marília Arraes (PT), pelas cidades de Sertânia e Arcoverde, no Sertão do Moxotó.

As falas do evento foram todas contrárias aos que querem uma união do PT com o PSB. A metralhadora ‘fogo amigo’ do grupo pro-Marília Arraes, vem tendo um alvo: o senador Humberto Costa, PT, que vem dando sinais ser da ala pró-aliança com o PSB.

Costa pode ser um dos “corpo mole” a quem a parlamentar estadual se referiu em sua fala no evento.“O período de discutir alianças já passou e no próximo dia 12 de maio os delegados do partido irão discutir uma candidatura própria do partido”, revelou

Tereza também atacou o “corpo mole” de algumas lideranças petistas no estado que ficam “choramingando” que o PT tem pouco deputado estadual e nenhum federal. “Essa situação, todos estamos cientes desde 2014 e não é de agora”.  

Por Blog do Ricardo Banana


Cidade de Jataúba volta a receber água após seis anos em colapso

Cidade de Jataúba volta a receber água após seis anos em colapso

Abrir as torneiras e ver a água saindo provocou emoção e alívio para a população de Jataúba, na região Agreste. “O pessoal da Compesa disse que traria a água em um mês e, antes do período prometido, chegou em nossa cidade. É um grande alívio”, comemorou Severino Neto. Lavar os pratos com água na torneira é motivo de felicidade para a dona de casa Maria de Fátima. “Estou muito alegre com a volta do abastecimento, após tantos anos sem água. Agora podemos realizar as nossas atividades diárias sem maiores preocupações”, afirmou a moradora. A companhia voltou a abastecer a cidade após seis anos consecutivos de seca na região. Isso porque as chuvas registradas neste início de inverno garantiram a rápida recuperação dos dois mananciais que atendem Jataúba, as barragens de Sítio Luiza e Poço Fundo.

 

Uma boa parte da cidade já está recebendo água pela rede de distribuição e a expectativa dos técnicos é que, dentro de 30 dias, toda a população de Jataúba, 17 mil pessoas, esteja com o abastecimento regularizado. A Compesa ainda não está operando com a capacidade máxima do sistema. A liberação da água está sendo feita de forma gradativa para evitar estouramentos. A fase de testes para o retorno da operação do sistema foi iniciada no último dia 11, confirmando a expectativa de prazo anunciada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), no final de março.

 

O gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Bruno Adelino alerta que, durante essa fase de ajustes operacionais, é normal ocorrer vazamentos na adutora e rede de distribuição. Ele adianta que sempre que isso ocorre é preciso paralisar o sistema para as ações corretivas. “Estamos com equipes permanentes para corrigir com rapidez”, explicou. Para abastecer a cidade, além da Barragem do Sítio Luiza, localizada em Jataúba e que agora acumula 300 mil metros cúbicos de água, a Compesa também utiliza água da Barragem de Poço Fundo, no município de Santa Cruz do Capibaribe, e que atingiu 30,34% da sua capacidade máxima - que é de 27,6 milhões de metros cúbicos de água.


Carta aos dirigentes do PT-Pernambuco

Carta aos dirigentes do PT-Pernambuco

#TôcomLula, #TôcomMarília

Aos dirigentes petistas de Pernambuco

Por favor, leiam o PIG (Partido da Imprensa Golpista) pernambucano.

Lá você sabe o que dirigente do PT pensa. Jamais acredite no que se decide em reunião. 
Invente uma versão sobre o que pensa a Nacional.( se quiser saber a verdade ouça a entrevista da Presidenta Gleisi na radio jornal na terça, 17/04)

Adivinhe tese que não foi escrita, não é defendida, nem assinada, mas publicada com todas as tintas no PIG do PSB.
Leia a tese nas entrelinhas dos jornais: virar base de Paulo Câmara, defender o seu "não governo", fazer campanha com os carrascos de Dilma, disputar uma brechinha no palanque com Bolsonaro, Marina, Ciro, Manoela e Barbosão.... e quem sabe dar um mandatinho proporcional aos que já abandonaram o barco.

Instância aqui não tá valendo quase nada.
E ainda tem gente com 1 ptmetro para medir quem é mais petista do que o outro e saber quem é mais histórico também.

Eu mesma me filiei desde 85. De lá pra cá vi muita disputa. Vi um sabotar ação do outro. Vi gente saindo por cálculo eleitoral.
Vi cadeira voando. Vi direção não ser sequer avisada de ações de mandatos. Vi intervenção. Vi boicote. Vi maiorias forjardas. Vi rupturas jamais imaginadas. Vi muitos em campanha, votando e elegendo fora do PT, mesmo o PT tendo candidato. Vi petista comemorando derrota de petista. 
Tudo girando em torno das mesmas lideranças.
Mas parece que a roda foi inventada agora.

Hoje Tô com Lula, Tô com Marília, ainda acreditando que esse PT é possível. 
Porque os ataques que sofre o PT não foram capazes de exterminá-lo.
Porque vi também nossas vitórias serem abraçadas pela militância e nossas derrotas choradas por ela. Fizemos e estamos fazendo autocríticas. Reaproximamos o partido da luta social. Estamos sendo reenergizados pela necessidade de resistência. 
A sabedoria popular ensina muito. 
Vamos resistir e o povo vai ser vitorioso nessa eleição. 
Aqui em Pernambuco vamos ressurgir como alternativa real de poder. É só olhar o mundo e ver.
Precisamos de Lula Livre e Lula Presidente. Queremos Marília Arraes governadora petista.

 Sheila Oliveira


Marília fala como candidata e nega possibilidade de subir no palanque socialista

Marília fala como candidata e nega possibilidade de subir no palanque socialista

Pré-candidata disse que tem segurança de que sua candidatura “é pra ganhar” e critica quem ainda alimenta possibilidade de aliança com o PSB

A pré-candidata ao governo de Pernambuco Marília Arraes foi a convidada do Debate das Dez do programa Manhã Total, da Rádio Pajeú. Marília discutiu por uma hora vários temas relacionados à sua pré-candidatura. Dentre eles, o fato de que a resolução do PT que saiu esta semana reafirmando o projeto de candidatura própria.

Ela lamentou que, apesar do encaminhamento, ainda tentem “plantar” a possibilidade de aliança com o PSB, dizendo eu esse jogo parte dos socialistas. “Nossos adversários ficam plantando essa dúvida na cabeça das pessoas todos os dias. Tivemos até 23 de fevereiro como prazo de proposta  de aliança.  Não está na pauta do encontro do dia 12 discutir aliança. Me espanta que continuem colocando isso como indefinido””

Ela disse que a candidatura de Joaquim Barbosa inviabiliza qualquer possibilidade de entendimento via Executiva Nacional. O que poderia acontecer era o PSB nacional chamar Pernambuco e dizer, nós precisamos de vocês nessa trincheira do PSB. Mas será que vai acontecer? O PSB é o partido do candidato Joaquim Barbosa, que encabeçou o processo do Mensalão, começando a perseguição contra o PT. Que colocou em prática a teoria do domínio do fato. Colocariam Joaquim Barbosa para apoiar o PT? Será?. Não há possibilidade de intervenção do PT nacional em Pernambuco”.

Marília voltou a criticar a gestão Câmara. “A má gestão decorre da falta de liderança do governador, pois todo seu grupo político acha que poderia estar no lugar dele. Ele não está lá por militância reconhecida, por seu espaço. Isso gera uma crise de gestão quando você tem um líder que não é respeitado. Ele não se deu conta de que tomou posse”. Ela criticou as políticas de segurança, hídrica, dentre outras. “Houve desmente do Pacto Pela Vida e Políticas Sociais que faziam a prevenção”, criticou.

Governabilidade: Marília avaliou a possibilidade de que seja eleita sem ter maioria na ALEPE, uma possibilidade. “Faz dez anos que sou parlamentar e isso nos dá experiência de mandato e de vida, e de articulação. Respeito quem pensa diferente. O que importa é o diálogo dentro dos limites republicanos. Vamos dialogar de poder executivo para o poder legislativo e eles vão votar o melhor para Pernambuco”.

Marília descartou apoio a Armando ou Câmara em um eventual segundo turno. “Não iria estar a mais de um ano andando o Estado se não tivesse certeza de que estaremos no segundo turno. A gente sente quando a eleição é pra ganhar e quando é pra perder. Essa é pra ganhar. Quem deixar de ir ao segundo turno é que vai ter que decidir quem apoiar”. Ela garantiu que não há possibilidade de subir no palanque no PSB. “Posso garantir isso ao povo de Pernambuco. Nesse palanque eu não subo”.

Participação de Lula na campanha: perguntada como fará para atrelar a imagem de Lula à sua pré-campanha estando preso, Marília afirmou que o palanque petista em Pernambuco é o único que vai defender o ex-presidente. “Não vai restar dúvidas e será consequência as pessoas nos identificarem como a candidatura de Lula”.

Luciano Duque x Kaio: Marília voltou a dizer que o prefeito de Serra Talhada Luciano Duque será determinante em sua candidatura e possível governo, mas destacou subliminarmente que ele não deverá ocupar função no governo.

“Duque vai ter papel essencial porque tem experiência de gestão, mas é cedo, até porque Duque tem responsabilidade com Serra Talhada”.

Ela não quis opinar sobre a possibilidade de apoio de Duque a Kaio Maniçoba, criticada por Bruno Ribeiro, em virtude da defesa do impeachment pelo parlamentar do Solidariedade. “Nunca tive essa conversa com Luciano. Para mim é complicado opinar nesse sentido. Não interfiro na decisão das pessoas que fazem parte do nosso grupo”, resumiu-se a dizer.

O debate teve participação de Júnior Finfa, Mário Viana Filho, Juliana Lima, Marcelo Patriota, além de ouvintes da Rádio Pajeú. 

por Blog do 


Barragem Cachoeira II se recupera e melhora abastecimento de Serra Talhada

Barragem Cachoeira II se recupera e melhora abastecimento de Serra Talhada

O município de Serra Talhada, distante 415 quilômetros do Recife, foi beneficiado com as recentes chuvas registradas no Sertão do Pajeú. A Barragem de Cachoeira II, que contribui com o abastecimento da cidade, conseguiu se recuperar e está hoje com 76,63 % da sua capacidade total, que é de 21 milhões de metros cúbicos de água. De acordo com o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Luciano Freitas, com esse volume, um total de 16 milhões e 116 mil metros cúbicos, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) já teve condições de melhorar o fornecimento de água da cidade, reduzindo um pouco o calendário de abastecimento. Já estão sendo desenvolvidas ações de ajustes operacionais para que a rede de distribuição possa receber o aumento da produção de água. “A nossa expectativa é que, até o final de abril, a gente consiga  reduzir ainda mais o rodízio em  Serra Talhada”, informa o gerente.

 

Mesmo que Cachoeira II não consiga verter – embora seja bastante provável, caso persistam as chuvas - o volume já acumulado no reservatório garante o abastecimento da cidade por dois anos, somado ao reforço da Adutora do Pajeú. O gerente Luciano Freitas lembra que, em função dos sete anos consecutivos de seca, desde o ano de 2015, a Barragem de Cachoeira II apresentava nível baixo de armazenamento, 25% da sua capacidade. Nesse período foram feitos ajustes operacionais para que a água disponível pudesse atender à população por um prazo maior.  No entanto, em 2016, com a incidência de poucas chuvas, o nível da barragem caiu ainda mais, oscilando entre 17 % a 20%, até que no final de 2017 o nível baixou até 4%, quando a Compesa deixou de explorar a barragem e passou a atender a cidade apenas pela Adutora do Pajeú.