IPUTINGA

IPUTINGA

Iputinga é um bairro do Recife, situado na zona norte da cidade, às margens do rio Capibaribe, conhecido como bairro dos artistas. Iputinga, chamado de Ipueira nos documentos antigos, é um vocábulo de origem Tupi, usado pelos indígenas para designar lugares do campo que se enchem d’água no inverno, permanecendo alagada por algum tempo.

Consultando livros como Velhas igrejas e subúrbios históricos, de Flávio Guerra e Arredores do Recife, de Pereira da Costa, verifica-se que não há uma referência direta ao bairro da Iputinga. Na época da colonização, em meados do século XVI, foram as primeiras terras divididas entre os colonos.

Essas terras eram consideradas de excelente posição e ótimas para a agroindústria do açúcar. Muitos engenhos surgiram na várzea do Capibaribe, entre eles o Engenho São João, Engenho Santo Antônio e Engenho do Meio. Com o passar do tempo, foram surgindo nesses engenhos prósperos povoados, que deram origem aos bairros de hoje.

As terras da várzea do Capibaribe abrangem o que hoje são os bairros de Brasilit, Cidade Universitária, Iputinga, Monsenhor Fabrício, Engenho do Meio, Bomba Grande, Cordeiro aproximando-se da Madalena e Torre, daí concluir-se que a origem da Iputinga segue a mesma origem dos bairros da várzea do Capibaribe, especialmente ao próprio bairro da Várzea.

Das grandes casas dos tempos dourados do açúcar, no bairro da Iputinga, restam algumas ruínas, como o casarão do Engenho Barbalho. O rio Capibaribe, que há muito tempo não tem águas cristalinas, as favelas assentadas em suas margens e as enchentes periódicas, contribuíram para os moradores, principalmente os de melhores condições econômicas, fossem aos poucos se evadindo do bairro.