SOBRE A VIOLÊNCIA E A LEGALIZAÇÃO DO PORTE DE ARMAS

SOBRE A VIOLÊNCIA E A LEGALIZAÇÃO DO PORTE DE ARMAS

Por Luciano Figueiroa 

Não é a arma que torna um cidadão violento.
Fosse assim a população norte americana já tinha ido à extinção.
Nas mãos de uma pessoa violenta qualquer coisa é uma arma.
Não é o álcool ou qualquer tipo de droga que torna uma pessoa violenta.
A violência é inerente ao ser humano. O único ser que mata por esporte, poder e dinheiro.
Desde que o ser humano ainda era homo sapiens que ele mata. 
Em estágios mais antigos onde o ser humano era fraco se fazia necessário enfrentar as dificuldades de sobrevivência ainda existiu a idéia de comunitário.
Depois que o homem criou armas para auxiliá-lo no combate às feras que existiam na natureza, mostrou pra que veio e para ter o prestígio e o domínio nas tribos passou a matar seus semelhantes.
A princípio dentro da própria tribo, depois a guerrear com outras tribos por alimento e território.
Muito antes de existirem armas de fogo, essas mesmas que são proibidas aqui no Brasil, as guerras perpetradas pelo ser humano eram sanguinárias. e só existiam instrumentos cortantes e perfurantes.
Não tem jeito, a maldade é intrínseca ao ser humano e não adianta proibir armas de fogo pois quem é violento e quer usá-las, procura os mercados ilegais e compra e mata mesmo.
Vemos isso todos os dias nos noticiarios.
É como a proibição de drogas ilícitas. Quem realmente quer, arruma onde comprar.
Não defendo o uso das armas de fogo mas sou contra a proibição da venda legalizada.
Todos os dias vemos casos de pessoas que morrem esfaqueadas e até apedrejadas. E aí? Vão proibir a compra de facas e de pedras?
O problema no Brasil é que o sistema é ineficiente e as leis são usadas com dois pesos e duas medidas, isso quando são aplicadas.
Se tivéssemos leis rígidas para quem matasse, para assaltantes e para crimes hediondos, garanto que o indivíduo pensaria duas vezes antes de puxar um gatilho, arremessar paralelepípedos ou pedras, portar e usar uma faca ou facão contra outrem.
O Brasil é o País em que reina a hipocrisia social.
Enquanto se discute o porte de arma, dezenas de mulheres são estupradas todos os dias com uma arma chamada pênis (não apenas).
Enquanto se discute porte de arma, homens portando armas de fogo de forma ilegal perpetram um verdadeiro feminicídio e a matança por questões homofóbicas e raciais.
O problema no Brasil não é apenas a questão do tráfico de drogas, mas a intolerância, o racismo, a homofobia, a falta de respeito para com o próximo...
Não diferencio um bandido que mata alguém covardemente, de uma pessoa que se esconde atrás de uma tela de computador para agir com homofobia, racismo e qualquer tipo de intolerância, inclusive religiosa. Um mata o corpo o outro mata a alma, mata a dignidade.
Ambos são criminosos.
Não diferencio um bandido que mata com bala na rua de magistrados/as que recebem auxílio moradia sem necessidade, quando  milhares de pessoas  sequer tem um mocambo pra morar.
Não diferencio o traficante de armas ou drogas, que levam pessoas inocentes à morte, de parlmentares que rasgaram mais de 54 milhões de votos e que estão afundando o País, trazendo pobreza e miséria para milhões de inocentes (até para os que foram a favor do golpe).

Há esperança? 

Luciano Figueiroa