Bruno Ribeiro (PT-PE) :

Bruno Ribeiro (PT-PE) : "Lula está sendo alvo de uma perseguição da direita."

 

por Taciana Carvalho/Leia Já

Bruno Ribeiro elevou o tom, na noite desta quinta (11), para deixar um recado a todos que são contra a candidatura do ex-presidente 

 

Durante o lançamento do Comitê Metropolitano em Defesa da Democracia e do Direito de Lula Ser Candidato a presidente, no Recife, na noite desta quinta-feira (11), o presidente do Partido dos Trabalhadores de Pernambuco, Bruno Ribeiro, elevou bastante o tom para deixar um recado aos antilulistas: "Vão ter que engolir Lula".

Ribeiro afirmou para uma plateia composta por petistas e militância que lotou o auditório Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), localizado em Santo Amaro, que o líder petista não tem culpa alguma e que o ex-presidente é vítima de uma perseguição política. "Lula é inocente. A gente tem repetido isso. Lula é um cidadão honrado. É um inocente que sofreu a maior devassa que um cidadão pode sofrer. Não sei quantos cidadãos aguentariam a devassa que Lula enfrentes", ressaltou. 

O presidente do PT-PE falou que há todo um aparato na Justiça para blindar o presidente Michel Temer (PMDB) e o "criminoso" senador Aécio Neves, que continua exercendo o seu mandato diferente do que acontece com o ex-presidente. "Vão ter que engolir Lula porque querem rasgar a democracia. A gente viu uma agenda ser manipulada no Tribunal Regional Federal da 4 Região.  Paulo Malu foram 15 anos para ser julgado e, em quatro meses, pautaram o julgamento de Lula".

Bruno Ribeiro falou que Lula está sendo alvo de uma perseguição da direita. "Porque sabem que ele é a oportunidade de trazer de volta o que foi perdido". Avisou ainda que o julgamento que acontece no próximo dia 24 é apenas uma etapa da luta. 

A representante do PCdoB no evento, Manoela Mirela, acrescentou que Lula tem o direito de ser candidato. "Querem retirar ele da eleição. O golpe está muito bem orquestrado, mas nossa militância vai estar em Porto Alegre para defender a democracia do país", disse.