Solidariedade e outros 10 partidos pedem retirada de trabalhadores rurais e BPC da Reforma da Previdência

O líder do Solidariedade na Câmara Federal, deputado Augusto Coutinho (PE), assinou ao lado de outros 10 líderes partidários uma nota em que os parlamentares se comprometem a retirar da Reforma da Previdência, discutida em Brasília, pontos que poderiam prejudicar a população mais vulnerável. No documento, os parlamentares informaram que vão trabalhar contra “a parte que trata de forma igual os desiguais e penaliza quem mais precisa”, do texto enviado pelo governo.

 

O grupo se posicionou favorável à votação da Reforma, mas anunciou que suas bancadas são contra os itens que tratam dos trabalhadores rurais e dos beneficiários do programa de prestação continuada, o BPC, que atende pessoas com deficiência e maiores de 65 anos em estado de miserabilidade.

 

O deputado federal Augusto Coutinho (Solidariedade) afirma que a medida foi tomada para reduzir as disparidades existentes entre ricos e pobres no Brasil. “Entendo que a previdência atual do Brasil é a maior transferência de recursos do pobre para o rico e a gente precisa fazer alguma coisa. No entanto, nosso país é desigual, a gente precisa tirar privilégios de quem ganha muito e não prejudicar os que mais precisam”, argumenta o deputado do Solidariedade. Além de Coutinho, assinaram a nota os líderes dos seguintes partidos: PSDB, DEM, PP, PR, PRB, PSD, PTB, MDB, Podemos e Cidadania.