Um novo momento e novos desafios

Um novo momento e novos desafios


Como sabemos, depois de todas as tentativas políticas e judiciais, os algozes do Ministério Público, Tribunal Superior Eleitoral, Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal, em um verdadeiro complô e aliados aos golpistas passaram por cima da recomendação do Comitê da ONU, rasgaram a Constituição e numa trama urdida impediram o Lula de ser candidato.

 


 Consolidada a trama ainda censuraram o tempo limite garantido por lei que seria até 17 de setembro para recorrer e substituir ou não a candidatura Lula. Nós - coletivamente - atendendo à própria determinação de Lula, substituímos o nosso líder por Fernando Haddad na cabeça de chapa com Manuela D´ávila para vice.

 

Estes são os candidatos oficiais da Coligação O Povo Feliz de Novo.
 Mesmo antes de Haddad ser oficialmente indicado como candidato a presidente, ainda na posição de vice, nas pesquisas eleitorais Ibope e Datafolha ele surpreendentemente já aparece empatado tecnicamente com todo o segundo escalão. 
 

Prestem bem atenção, a mídia esconde, faz karaokê, mas não diz que a transferência de votos do Lula para Haddad não poderia acontecer porque obviamente ele ainda não era oficialmente considerado candidato no lugar do Lula. O tempo dirá. 
 

 

Nós do PT trabalhamos internamente na instância, mas quando saímos para fora nos transformamos em uma verdadeira multidão de guerreiros. E somos nós, petistas guerreiros, juntamente com os brasileiros democratas que levaremos o Haddad ao segundo turno e vamos brigar até as últimas consequências para ganhar estas eleições.
 Assim iremos resgatar o direito à cidadania e ao bem estar social, o direito ao emprego, à saúde, à educação, à cultura e ao lazer, além de avançar na infraestrutura do país e aumentar o acesso da população aos produtos de primeira necessidade, na construção de creches em tempo integral, na atenção às necessidades básicas das mulheres, sobretudo em relação a empregos e salários. Enfim, resgatando e elevando para melhor o legado do governo do ex-presidente Lula. 
 

Este é o nosso compromisso e juramento para com ele, Lula. Sabemos que seremos cada vez mais atacados com injúria e difamação, com notícias mentirosas e requentadas, com o boicote e o ataque direto da Rede Globo.
 

 

Mas, unidos, teremos forças para ultrapassar todos estes desafios e ganhar mais esta eleição, até porque este é um desejo da maioria dos eleitores brasileiros, especialmente dos negros, dos pobres, das mulheres, dos movimentos sociais, entre eles LGBT, índios e todos aqueles que vivem na segregação social.
 

Abaixo a casa grande! 
 

Um abraço a todos.
 

Francisco Rocha da Silva, Rochinha