Recife inicia vacinação de pessoas com comorbidades

Recife inicia vacinação de pessoas com comorbidades

Nova faixa será divida em dois grupos que já poderão fazer o agendamento a partir das 18h deste sábado (1º) e se vacinar já neste domingo (2)



A Prefeitura do Recife libera, a partir das 18h deste sábado (1º), o agendamento para vacinação contra covid-19 de pessoas com comorbidades. A imunização já poderá ser feita a partir deste domingo (2). O anúncio foi feito pelo prefeito João Campos. A expectativa da Prefeitura do Recife é vacinar, ao todo, mais de 75 mil pessoas desse novo grupo.

“A partir de hoje, às 18h, estará disponível o agendamento de um novo grupo, formado por pessoas com comorbidades. Serão dois eixos. O primeiro para pessoas com idades entre 18 e 59 anos com obesidade mórbida, síndrome de Down, vivendo com HIV, transplantadas de órgão sólido ou medula óssea e com doença crônica em diálise. O segundo é formado por pessoas com 55 a 59 anos com comorbidades especificadas no PNO. Tudo isso está no Conecta Recife”, explicou João Campos, no anúncio feito em visita ao centro de vainação drive-thru montado no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5).

 


O prefeito destacou que na plataforma também é possível ter acesso ao modelo da documentação que precisará ser anexada para o agendamento. “Nossa rede está preparada. Quem não tiver laudo, deve procurar alguma unidade de saúde da cidade para obter o documento”, orientou o prefeito. 

Passam a ser contempladas com a vacinação, neste momento, as pessoas de 18 a 59 anos que são transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas com Síndrome de Down; pessoas vivendo com HIV; pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise); e pessoas com obesidade mórbida. Também vão poder se vacinar as pessoas com idade entre 55 e 59 anos com quaisquer comorbidades elencadas no Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19 (PNO), definidas pelo Ministério da Saúde.


O cadastro e o agendamento devem ser feitos através do sitewww.conectarecife.recife.pe.gov.br ou do app Conecta Recife, selecionando o grupo de comorbidades ao qual pertence. O app está disponível gratuitamente na PlayStore, para Android, e AppStore, para quem utiliza o sistema iOS. Para comprovar a condição de saúde, é obrigatório anexar, durante o agendamento, um laudo ou declaração informando a comorbidade.

Nesse primeiro momento, serão aceitos como documento comprobatório a declaração, em modelo fornecido pela Secretaria de Saúde do Recife (disponível no Conecta Recife), que deve ser preenchida e assinada por médico, ou laudo médico que contenha uma das comorbidades elencadas no PNO com o respectivo CID (Classificação Internacional de Doenças) da doença/condição.

Os documentos anexados no Conecta Recife também devem ser levados no dia agendado para vacinação. A declaração ou o laudo precisam ser originais e ficarão retidos no local. Apenas as pessoas com Síndrome de Down estão isentas da declaração, tendo em vista que a informação poderá ser autorreferida.

 



GRUPOS:
18+
- pessoas transplantadas de órgão sólido ou medula óssea;
- Pessoas com síndrome de Down
- Pessoas vivendo com HIV;
- Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise);
- Pessoas com obesidade mórbida.

55+
- Pessoas com quaisquer comorbidades no Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra Covid-19 (PNO). 

COMORBIDADES NO PNO:
- Diabetes miellitus 
- Pneumopatias crônicas graves 
- Hipertensão arterial persistente e nos estágios 1, 2 e 3 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade 
- Insuficiência cardíaca 
- Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar 
- Cardiopatia hipertensiva 
- Síndromes coronarianas 
- Valvopatias
- Miocardiopatias e pericardiopatias
- Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas 
- Arritmias cardíacas 
- Cardiopatia congênita no adulto
- Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados 
- Doença cerebrovascular 
- Imunossuprimidos
- Pacientes oncológicos com tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses 
- Hemoglobinopatia grave 
- Cirrose hepática 

 

Fotos: Rodolfo Loepert/PCR
Vídeo: Diego Nigro/PCR