Teste de publicidades

Ex Presidente Dilma pede para os Pernambucanos votarem em Silvio Costa senador


Plenária do EIXO - CAXANGÁ com MARÍLIA ARRAES e TERESA LEITÃO

Plenária do EIXO - CAXANGÁ com MARÍLIA ARRAES e TERESA LEITÃO

MARÍLIA ARRAES E TERESA LEITÃO ESPERAM TODXS VOCÊS PARA MAIS ESSA ETAPA DE LUTA! 

 
Plenária do EIXO - CAXANGÁ com MARÍLIA ARRAES e TERESA LEITÃO, Nesta quinta feira, dia 20, às 19:30h, na Rua São Mateus, 141, Iputinga- Recife. (Casa de Recepções Silveira) próximo a padaria massa pura. 

Um novo momento e novos desafios

Um novo momento e novos desafios


Como sabemos, depois de todas as tentativas políticas e judiciais, os algozes do Ministério Público, Tribunal Superior Eleitoral, Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal, em um verdadeiro complô e aliados aos golpistas passaram por cima da recomendação do Comitê da ONU, rasgaram a Constituição e numa trama urdida impediram o Lula de ser candidato.

 


 Consolidada a trama ainda censuraram o tempo limite garantido por lei que seria até 17 de setembro para recorrer e substituir ou não a candidatura Lula. Nós - coletivamente - atendendo à própria determinação de Lula, substituímos o nosso líder por Fernando Haddad na cabeça de chapa com Manuela D´ávila para vice.

 

Estes são os candidatos oficiais da Coligação O Povo Feliz de Novo.
 Mesmo antes de Haddad ser oficialmente indicado como candidato a presidente, ainda na posição de vice, nas pesquisas eleitorais Ibope e Datafolha ele surpreendentemente já aparece empatado tecnicamente com todo o segundo escalão. 
 

Prestem bem atenção, a mídia esconde, faz karaokê, mas não diz que a transferência de votos do Lula para Haddad não poderia acontecer porque obviamente ele ainda não era oficialmente considerado candidato no lugar do Lula. O tempo dirá. 
 

 

Nós do PT trabalhamos internamente na instância, mas quando saímos para fora nos transformamos em uma verdadeira multidão de guerreiros. E somos nós, petistas guerreiros, juntamente com os brasileiros democratas que levaremos o Haddad ao segundo turno e vamos brigar até as últimas consequências para ganhar estas eleições.
 Assim iremos resgatar o direito à cidadania e ao bem estar social, o direito ao emprego, à saúde, à educação, à cultura e ao lazer, além de avançar na infraestrutura do país e aumentar o acesso da população aos produtos de primeira necessidade, na construção de creches em tempo integral, na atenção às necessidades básicas das mulheres, sobretudo em relação a empregos e salários. Enfim, resgatando e elevando para melhor o legado do governo do ex-presidente Lula. 
 

Este é o nosso compromisso e juramento para com ele, Lula. Sabemos que seremos cada vez mais atacados com injúria e difamação, com notícias mentirosas e requentadas, com o boicote e o ataque direto da Rede Globo.
 

 

Mas, unidos, teremos forças para ultrapassar todos estes desafios e ganhar mais esta eleição, até porque este é um desejo da maioria dos eleitores brasileiros, especialmente dos negros, dos pobres, das mulheres, dos movimentos sociais, entre eles LGBT, índios e todos aqueles que vivem na segregação social.
 

Abaixo a casa grande! 
 

Um abraço a todos.
 

Francisco Rocha da Silva, Rochinha


Marília Arraes, é a Nova Liderança de Pernambuco

Marília Arraes, é a Nova Liderança de Pernambuco

Por Blog do Silvinho 

 

A falta que Marília faz

 
Para que a disputa pelo governo de Pernambuco fosse equilibrada, uma de suas grandes estrelas foi retirada: Marília Arraes. O vácuo deixado por Marília na corrida estadual tem deixado a maioria das pessoas totalmente desinteressadas pelo jogo estadual. Até o final de julho, Marília era tida como a nova aposta da política pernambucana na renovação,e vinha ascendendo nas pesquisas de intenção de votos chegando a empatar com o governador Paulo Câmara que é candidato à reeleição e fez de tudo para ter o PT em seu palanque com um nítido desejo: Agregar a si o prestígio de que goza Lula em Pernambuco, e retirar Marília Arraes da disputa. 
 
Marília Arraes candidata a governadora seria a exclusividade de Lula em Pernambuco. Com a falta de opções no estado apontada em pesquisas pelo alto índice de indecisos, a petista seria com certeza uma pedra fundamental no tabuleiro político da sucessão. Paulo não quis arriscar. Preferiu tirá-la do jogo e voltar a enfrentar Armando e seu grupo a quem vive propagando que é a "Turma de Temer" que é o presidente mais impopular da história do país. 
 
De acordo com a última pesquisa até que tivesse seu nome vetado pelo PT, Marília pontuou 21% da preferência do eleitorado pernambucano. No entanto, ao sair do jogo não quis indicar um nome e nem tampouco declarar apoio. Caso isso viesse a acontecer, Marília poderia somar a alguma candidatura. Caso tenhamos um segundo turno, a petista pode sim declarar o apoio ao candidato da oposição. Marília chegou inclusive a expor suas dificuldades em apoiar Armando Monteiro para governador. A presença do DEM e do PSDB no palanque do trabalhista que segundo a própria Marília "é uma pessoa honrada e de palavra e de compromisso" deixa o seu palanque pesado.
 
Marília está totalmente dedicada à sua campanha por uma vaga na Câmara Federal e tende a ser uma das candidatas mais votadas desta eleição e também dedicada a eleger uma grande bancada petista tanto para a Câmara como para a Assembleia Legislativa. Por enquanto, da disputa estadual quer distância. Não vota nem com a gota serena em Paulo Câmara a quem acusa de golpista e nem tampouco em Humberto Costa que retirou dela o direito de pleitear a cadeira de governadora. Mas também a sua ausência do jogo estadual, faz com que o povo não se interesse tanto pela eleição estadual. 
 
Chamar a atenção
Marília estava conseguindo um feito inédito que nem Paulo e nem Armando conseguiram: Chamar a atenção para o debate a nível estadual, ou seja para governador de Pernambuco. Tanto Paulo Câmara como Armando Monteiro, Júlio Lóssio e Maurício Rands não estão conseguindo fazer com que a população preste atenção na disputa.

E por falar em Marília
A candidata a deputada federal pelo PT, Marília Arraes cumpre agenda hoje em Camaragibe juntamente com um grupo de militantes do PT.A concentração será às 16 horas na sede do PT, de onde partirão pela Elisa Cabral para um bate papo com a petista.

POSIÇÃO DA ESQUERDA POPULAR SOCIALISTA – TENDÊNCIA INTERNA DO PT SOBRE AS ELEIÇÕES EM PERNAMBUCO

POSIÇÃO DA ESQUERDA POPULAR SOCIALISTA – TENDÊNCIA INTERNA DO PT SOBRE AS ELEIÇÕES EM PERNAMBUCO

A EPS, assim como todo o PT, tem como prioridade máxima nessa eleição a luta contra o golpe. E para tanto, a defesa da candidatura de Lula e Haddad para derrotar os golpistas nas urnas e retomar os bons tempos do Governo Lula, quando o Brasil sorria, aquele país que permanece vivo em nossas memórias e que está sendo destruído pelos golpistas.
 
A volta do PT ao governo federal será o primeiro passo para interromper o golpe em curso, revogar a retirada de direitos feita pelos golpistas, anular as reformas neoliberais e realizar uma nova Constituinte inaugurando um novo período de ampliação de direitos e conquistas para o povo brasileiro.
 
Em Pernambuco, como é de amplo conhecimento defendemos a candidatura própria do PT para fazer esse combate aos golpistas locais, o que infelizmente não se concretizou. No entanto, continuamos afirmando que não votaremos em golpistas. Nem nos golpistas de primeira hora (aqueles que apoiaram a derrubada do Governo da Presidenta Dilma) nem nos que se somaram depois ao golpe, apoiando a retirada de direitos do povo.
 
Defenderemos e faremos campanha exclusivamente para as candidaturas do Partido dos Trabalhadores.
 
Dessa forma, reafirmamos o voto na candidatura da coligação nacional “O Povo Feliz de Novo!”, o voto 13 para Presidente. Indicamos também o voto no senador Humberto Costa - 130,  candidato à reeleição pelo PT.
 
Apoiamos para a Assembléia Legislativa, resguardando algumas construções locais, a candidatura à reeleição da Deputada Estadual Teresa Leitão – 13613. Teresa Leitão é uma militante histórica do PT e dos movimentos sociais. Professora, dirigente sindical, feminista, ex-presidenta estadual do PT e uma das deputadas mais atuantes da História da Assembléia Legislativa de Pernambuco.  Lutou contra o golpe e sempre esteve na linha de frente da luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora.
 
Para a Câmara Federal apoiamos a candidatura de Carlos Veras - Deputado Federal – 1314. Carlos Veras é presidente estadual da Central Única dos Trabalhadores (CUT), dirigente da Frente Brasil Popular e uma das principais lideranças no estado na luta contra o golpe e contra as reformas de Temer. Um jovem trabalhador rural da agricultura familiar, defensor da Reforma Agrária e atuante em todas as lutas da classe trabalhadora, do campo e da cidade, nos últimos anos em Pernambuco.
 
Seguiremos firmes em defesa das candidaturas petistas, especialmente da candidatura de Lula. Como disse a nota do PT: “Contra a cassação política, com Lula até o fim!”
 
Lula Inocente!
Lula Livre!
É Lula. É Haddad. É o povo!
 
Recife, 10 de setembro de 2018
Executiva Estadual da EPS

POSICIONAMENTO DO MST, PARA CAMPANHA ELEITORAL EM PERNAMBUCO 2018

POSICIONAMENTO DO MST, PARA CAMPANHA ELEITORAL EM PERNAMBUCO 2018

Camaradas, a eleição de outubro próximo, para além de uma questão tática, se transformou em uma estratégia importante da luta de classes, determinante para o povo brasileiro. Representa derrotar o golpe e eleger Lula ou quem ele indicar para presidente, com um programa de governo que permita realizar uma política econômica que fortaleça e que melhore a vida do povo, com garantia de trabalho, educação, saúde, transporte, habitação, programas contra a violência, investimentos na agricultura camponesa, programas de apoio às populações do Semiárido, recuperação de políticas públicas para crianças, mulheres, povo negro, LGBTs, idosos e jovens.

        Se faz fundamental realizar, de imediato, um referendo nacional revogatório, que permita ao Presidente da República, revogar todas as medidas e reformas realizadas contra os interesses do povo, aplicados pelo governo golpista durante os dois últimos anos e meio do golpe. Além disso, firmar o compromisso de realizar as reformas urgentes e estratégicas que não foram realizadas no ciclo anterior como: a reforma do sistema político brasileiro, que deverá estabelecer um novo sistema eleitoral no Brasil, permitindo eleições democráticas e sem controle dos grupos econômicos e com novas formas de participação popular; a reforma do poder judiciário; reforma tributária; reforma agrária; reforma urbana, democratização da comunicação. Estas são condições estratégicas para que possamos atuar e elevar o nível de organização e de consciência da população do campo e das cidades, para assim construir as grandes mobilizações nacionais com bandeiras de luta que conduzam o processo da construção do PROJETO POPULAR PARA O BRASIL.

 

     O golpe feriu a democracia brasileira, o estado democrático de direito, de forma suja e rasteira. Setores da elite econômica do país, representado pelos bancos, pelo agronegócio, pelos grupos hegemônicos de comunicação e pelo judiciário, com respaldo da classe média e participação direta das bancadas parlamentares que representam os interesses destes setores, operaram de forma articulada para criminalizar não apenas o PT, mas, toda esquerda brasileira, em especial para desconstruir Lula como liderança do povo brasileiro. Também agem para desmontar todo um pensamento crítico de esquerda que lutou contra a ditadura militar, pelas diretas já, pela constituinte e pela redemocratização política no Brasil.

 

     A sociedade está polarizada e os projetos políticos ganham envergadura. Não se trata apenas de eleger candidatos, se trata de disputar consciência e de aprofundar nosso projeto político histórico.   

     Em Pernambuco, neste período de Golpe, o formato partidário vigente não deu conta das tarefas políticas de mobilizar, organizar e convocar a população para a resistência.

 

     Os movimentos e organizações sociais, que, em sua maioria, não tem vínculo orgânicos direto com os partidos de esquerda, passaram a ser protagonistas deste processo, que elegerá Lula, ou quem ele indicar, a presidente.

 

     A nova correlação de forças e o novo cenário político promoveram alterações na conformação da política brasileira. 

 

     Aqui em Pernambuco surge uma nova geração de militantes disposta a conduzir a luta política para um novo estágio da luta de classes, mobilizando e organizando o povo nas suas diversas novas ferramentas de organização e participação política (Marilia Arraes é fruto deste cenário político de lutas intensivas).

 

     Por outro lado, surgem e se fortalecem novas formas de organização e ferramentas políticas como: a Frente Brasil Popular, o Levante Popular da Juventude, Redes de Médicas e Médicos Populares, Consulta Popular, novas organizações camponesas, Via Campesina, entre outras. Nós do MST, lutamos intensivamente para que Marilia Arraes fosse candidata a governadora representando e construindo este novo campo político, mas infelizmente fomos vencidos em nome da aliança para eleição nacional de Lula Presidente.

 

     Sem Marília como candidata a governadora, as forças políticas tiveram que se reposicionar e nós do MST definimos nossa posição, com as seguintes orientações, por ordem de prioridade: número um, dedicação total à campanha para presidente, elegendo Lula ou quem ele indicar, como estratégia para derrotar o golpe.

 

     Segunda prioridade é fortalecer a chapa de candidatos (as) a deputados federais e estaduais do partido dos trabalhadores (PT), em especial das candidatas e candidatos que estiveram conosco nas ruas neste último período histórico.

 

     Nós do campo, fechamos apoio prioritário à candidatura de Carlos Veras para deputado federal e Doriel Barros para deputado estadual, mas também vamos fortalecer e qualificar as candidaturas de Marília Arraes, Ferrnando Ferro, bem como outros candidatos a deputados federais que compõem a chapa própria do PT.

 

     Para deputados estaduais convocamos a militância para fortalecer a campanha e defender o mandato da deputada Tereza Leitão, das candidatas Professora Liana Cisne e Cristina Costa e toda a chapa.

 

     Convocar voto no 13 para garantir legenda e fortalecer o conjunto da chapa para federal e estadual.

 

     Eleger o máximo de deputadas e deputados que se posicionaram contra o golpe, como o deputado Wolnei Queiros, apoiando candidaturas que contribuam para o avanço das forças de esquerda em PE, dos partidos do PT, PCdoB, PSOL, PDT e PCO.

 

     Terceira prioridade é derrotar a turma do Temer em Pernambuco, aglutinados em volta da candidatura de Armando Monteiro ao governo do estado, em especial os candidatos golpistas ao senado, por isso a coordenação do MST, definiu que a candidatura de Humberto Costa é nossa maior prioridade, vamos fortalecer a campanha de Humberto (PT) para impedir a vitória da direita e para que ele posso continuar no Senado Federal defendendo a luta dos trabalhadores.

 

Também indicamos para o segundo voto ao senado, Silvio Costa (Avante) por sua intransigência na defesa de Lula, de Dilma e contra o Golpe e para as candidatas do PSOL ao senado Eugênia Lima e Albanise Pires. Para Governador, com compromisso da Frente Popular de Pernambuco de avançar em políticas para o desenvolvimento da agricultura camponesa e da reforma agrária, na educação, na saúde, na segurança pública, estamos oficializando nosso apoio ao candidato a governador Paulo Câmara, seguindo a aliança nacional da campanha Lula Presidente e no estado com o PSB, PCdo B e PT para governo do estado.

 

Bem como, o compromisso da Frente Popular de Pernambuco, em incorporar demandas históricas ao programa de governo em 4 áreas: criar a Secretaria de Desenvolvimento Rural e Reforma Agrária, com orçamento compatível ao tamanho de Pernambuco; Criar a Secretaria Executiva de Educação do Campo, com autonomia política e administrativa, em substituição a atual gerência de Educação do Campo; Criar na secretaria de cultura, uma gerência de Cultura do campo; e na Secretaria de Saúde, uma gerência para tratar da saúde do campo. Vamos manter o alinhamento nacional declarando apoio ao candidato do PSB ao governo do estado PAULO CÂMARA, mas acima de tudo para impedir o retorno do governo do estado para os conservadores retrógados. Basta de retrocesso. Vamos para as ruas disputar os corações e mentes do nosso povo, para lutar contra o golpe e nos posicionar para as lutas futuras, que certamente vão vir.

 

A vitória eleitoral é apenas uma batalha contra o golpe, muitas batalhas vão vir até a vitória final. Vamos organizar a Frente Brasil Popular em cada município de Pernambuco, utilizando o CONGRESSO DO POVO, como grande mobilizador e organizador do povo, organizar em comitês, em núcleos, fazer agitação, animação e propagando do Projeto Popular, organizar o congresso estadual massivo e em janeiro de 2019 participar intensamente, da construção do congresso nacional do povo brasileiro.

 

     O Congresso do Povo como um espaço de participação popular, de construção do projeto popular para o Brasil e de definições táticas e estratégicas para o próximo período.

 

     Por último, seguindo nossa linha nacional, nosso apoio irrestrito e incondicional à chapa *LULA/HADDAD* para Presidência da República, para que possamos retomar os rumos democráticos em nosso país, fazendo O BRASIL FELIZ DE NOVO.

 

Caruaru, 10 de setembro de 2018

Coordenação estadual do MST 


O Vereador Sinézio Rodrigues (PT) emite nota em defesa de Luciano Duque Prefeito de Serra Talhada - PE

O Vereador Sinézio Rodrigues (PT) emite nota em defesa de Luciano Duque Prefeito de Serra Talhada - PE

NOTA PÚBLICA

 

Estamos vivendo um momento político muito delicado no nosso país, cuja história está para sempre marcada por um golpe que rompeu as regras da democracia brasileira, depôs a predidente Dilma e levou Lula para a prisão.  

 

O PT luta pelo fim do golpe e pela derrota dos golpistas nas eleições de 2018, o que implica travar uma dura batalha em defesa da liberdade do presidente Lula e pelo direito legítimo da sua candidatura. 

 

Ao mesmo tempo em que o debate fica mais acirrado a cada dia no país, em Pernambuco  a militância do PT ainda se recupera da traumática decisão adotada por maioria no Diretorio Nacional do PT, contra a posição da ampla maioria da base do PT em Pernambuco, que lutou  bravamente para ter candidatura própria ao governo estadual, na pessoa de Marilia  Arraes e não aderir ao palanque liderado pelo PSB, partido que foi decisivo para a vitória do golpe contra a presidenta Dilma e o povo brasileiro , e que portanto tem responsabilidade direta pela prisão do presidente Lula, e assim como todos que votaram a favor do golpe, pelo grave quadro social que assola o Brasil e joga milhões de pessoas na miséria e no desemprego.

 

Toda essa conjuntura acalorou o clima de debate dentro do partido e levou alguns de nós a tomar posições que diferem do que a maioria do Diretorio Dacional determinou. 

 

Nesse contexto me posiciono  no debate surgido a partir das opções adotadas pelo prefeito de Serra Talhada, o companheiro Luciano Duque, que tem ao longo dos anos cumprido um importante e inegável papel na construção do PT e na defesa do presidente Lula, e nestas eleições, das candidaturas do nosso partido. 

 

Luciano tem sido um exemplo de gestor e de líder político, fomentando políticas públicas que melhora a qualidade de vida das pessoas. Com Luciano, Serra Talhada vive o seu melhor momento, e o governo liderado por ele faz de Serra Talhada  a mais forte referência politica do PT no estado. O que muito nos orgulha.

 

Luciano não tem se furtado do seu papel partidário, e declarou publicamente a sua disposição de fazer a campanha do PT e dos seus candidatos. Isso quer dizer que ele apoia  Lula/Haddad para presidente e Humberto Costa para Senador. As nossas prioridades nesta eleição. 

 

O Partido dos Trabalhadores só tem a ganhar em ter entre os seus quadros um militante do nível de  Luciano Duque, que certamente vai nos ajudar a superar as dificuldades e conquistar mais uma vitória.

 

Nesse sentido entendo que a centralidade nesta eleição que se dá em tempos de golpe, com Lula preso, é conquistar as vitórias que o PT precisa, e Luciano Duque está  nesta construção. 

 

Aqueles que dentro do PT tentam desconstruir a importância de Luciano não contam com meu apoio. Aos de fora do PT, que buscam destruir o meu partido atacando Luciano Duque, tem de mim a mais dura oposição.

 

Sou petista e preservo e valorizo o meu partido e suas lideranças. Luciano Duque tem a minha solidariedade e respeito. 

As eleições e as alianças passam, e a luta por um mundo justo continua. Quero estar ao lado de quem, como eu, seguirá o caminho da luta da classe trabalhadora, orientado pela estrela do PT, e confio que Luciano Duque está na mesma trincheira. 

 

Sinezio Rodrigues.

Dirigente do PT Pernambuco e candidato a deputado estadual.


#ForçaGraça

#ForçaGraça

Entre nessa corrente de pensamentos positivos para a jornalista Graça Araújo .
#ForçaGraçaAraujo #ForçaGraça


MOB - Movimento de Base do PT Pernambuco emite manifesto em defesa de Luciano Duque (PT)

MOB - Movimento de Base do PT Pernambuco emite manifesto em defesa de Luciano Duque (PT)

Manifesto Apoio a Luciano Duque

 

 

O momento político e as disputas de projetos em Pernambuco e no Brasil exige, da esquerda brasileira, uma agenda que ao defender o pragmatismo não esqueça o programa de modelo de sociedade, economia e prática política. No caso do PT, por tudo que o partido representa, essa exigência é ainda maior, pois exige coerência da direção para que isso seja assimilado e praticado também pela militância.

Em 2012, nas eleições municipais, em particular no Recife, inúmeros candidatos, alguns que inclusive estão hoje na coligação da "Frente Popular" conduzida pelo PSB fizeram campanha aberta a dois candidatos simultaneamente: o candidato do PT e a candidatura do PSB. E, por momento algum, ouviu-se falar em punições, nem tão pouco em processos disciplinares ou éticos.

 

Nota–se que mais recentemente, nas eleições de 2016, em várias cidades do País e em Pernambuco, alguns Diretórios Municipais apoiaram e fizeram aliança com partidos golpistas. Temos como exemplo, Caruaru.

 

É notório que o candidato ao senado pelo PT, Humberto Costa, sobe no mesmo palanque e pede votos para Jarbas Vasconcelos, um candidato golpista, antipetista e inimigo do povo pernambucano e brasileiro.

No caso das eleições de 2018, é possível que a responsabilidade por toda essa desorganização partidária tenha origem na intervenção da Executiva Nacional quando desacatou uma decisão soberana do Encontro Estadual que, na ocasião, resolveu seguir com a candidatura própria ao governo do estado tendo Marília Arraes como nossa representante e somando-se ao anseio do povo pernambucano.

 

Consideramos que Luciano Duque se tornou, juntamente com Marília Arraes, uma liderança importante e nova no PT, pois, além de líder no Sertão, vem há um ano desempenhando um excelente papel político na região e alavancando em especial a então pré-candidata Marília Arraes em dezenas de cidades da Região do Estado de Pernambuco.

 

É visível a diferença entre Armando Monteiro e o atual governador de Pernambuco, candidato a reeleição, pois mesmo que tenhamos criticas ao palanque que Armando compôs, precisamos reconhecer que o mesmo defendeu Dilma Rousseff até o fim. Bem como se colocou contra o golpe. Enquanto o PSB e Paulo Câmara, ao contrário, colaborou com o golpe, liberando deputados para votar a favor desse golpe somado ao apoio a Aécio Neves, um dos interlocutores do golpe.

 

O fato é que o conserto de todos os erros do PT/PE ocorreria agora, com a candidatura própria, mas alguns "alquimistas" políticos do PT resolveram trair a militância ajudando a Executiva Nacional, de maneira autoritária, com um discurso que não convenceu nem a militância e nem a população usando uma estratégia que não se apresenta como eficiente e nem tão pouco apresenta resultados positivos para o PT em PE.

 

Considerando a história e a luta de grupos não hegemônicos no PT de PE, é necessário compreender que a militância não apoie e nem vote em Paulo Câmara e nem em Jarbas. Por outro lado, que Luciano Duque possa declarar apoio a Armando Monteiro e não ser visto como alguém que esteja cometendo, dessa forma, qualquer sacrilégio.

 

É necessário ainda afirmar que, considerando as normativas, ritos do Partido e outras composições, não pode ser esquecido por todos e todas, que o PT em PE, já fez aliança com o PTB em PE em 2014.

 

Assim, é fundamental que a democracia interna seja exercitada e que Luciano Duque possa ser respeitado em sua decisão; que seja tratado como todos são, ou seja, com o mesmo peso e a mesma medida que é utilizada para as outras lideranças do Partido em seus erros e acertos.

 

Movimento pela Base do PT


Elas por Elas: PT lança chapa feminista em Pernambuco

Elas por Elas: PT lança chapa feminista em Pernambuco

Por: Vinícius Sobreira Brasil de Fato | Recife (PE)

 
 

Entre as candidaturas estaduais e federais, mulheres são os nomes mais fortes do PT 

 

 

Na noite desta quinta-feira (30), a sede do Partido dos Trabalhadores (PT) no Recife sediou o lançamento conjunto das candidaturas femininas à Câmara Federal e Assembleia Legislativa (Alepe). Entre as 13 mulheres estão os dois nomes mais fortes do partido para as disputas estadual e federal.

 

O fortalecimento das candidaturas femininas faz parte do projeto Elas por Elas, do próprio PT.

 

Na disputa federal o PT tem quatro candidatas. A vereadora do Recife Marília Arraes é o principal nome de toda a chapa, que conta ainda com Priscila Ramos, também do Recife; Neide Silva, de Jaboatão dos Guararapes; e Flávia Hellen, da cidade do Paulista. Flávia avalia que será um pleito difícil para as mulheres, pois "o ódio e o machismo têm voto e têm candidatura para representá-los". A estudante de direito quer chegar à Câmara Federal para mudar a bancada pernambucana, que segundo ela "só se reúne para retirar direitos e prejudicar a população pobre e periférica".

 

 

Já na disputa pela Alepe, o PT coloca nove mulheres na disputa. Dos três nomes mais fortes da chapa, duas são mulheres: a sertaneja Dulcicleide Amorim, de Petrolina; e a olindense Teresa Leitão, que tenta chegar ao seu quinto mandato. "O espaço público sempre nos foi negado. E a política é o espaço mais público de todos. É onde queremos estar", afirma Leitão. A professora da rede pública estadual, no entanto, concorda que o desafio não será simples. "Precisamos saber que fazemos campanha num território adverso. Pernambuco é o estado que mais mata mulheres no país", alertou.

 

 

Com muitas jovens, a chapa estadual conta ainda com a educadora petrolinense Cristina Costa; a sindicalista Maria José, de Arcoverde; a advogada ipojucana Márcia Lacerda; a médica Thereza Cardoso, a professora universitária Liana Cirne e a estudante Dyanne Barros, todas do Recife; além da jornalista Sylvia Siqueira Campos, de Camaragibe. Sylvia exaltou o momento de renovação que o partido inicia. "Essa luta e esse compromisso são também com o PT. Precisamos levar o partido novamente para andar nas comunidades", pontuou. E destacou algumas pautas prioritárias. "Quero ter um mandato feminista, antirracista, anti-LGBTfóbico. E não trazemos isso só como compromisso de mandato, mas como compromisso diário, de vida".

A advogada e educadora popular Vera Baroni, militante histórica da luta feminista e do povo negro em Pernambuco, destacou que as candidatas não estão competindo entre si, mas construindo uma luta conjunta. "Esse projeto beneficia as candidatas, mas também reverbera para todas nós, que seremos beneficiadas por uma nova forma de fazer política", avaliou. "É importante que esse desafio nos faça refletir sobre a contrução do feminismo para a construção da democracia brasileira", completou Baroni.

 

 

A secretária de Mulheres do PT no estado, Suely Oliveira, lembrou que a direita também tem buscado aproximar as mulheres. "Por isso digo que o importante não é só votar em mulher, mas votar em mulheres de luta e comprometidas com o feminismo popular e socialista".

 

 

As candidatas receberam um diagnóstico das mulheres em Pernambuco. O documento, construído pela Secretaria de Mulheres do PT no estado, traz análises sobre acesso a saúde, educação, emprego, renda e outros direitos. Esta é a primeira eleição com o apoio do projeto Elas por Elas, nacionalizado em 2017.

 

O projeto surgiu após um estudo interno do partido que mostrou que, diferente do que se pensava, as mulheres petistas têm sim vontade de se candidatar, mas sentiam que o partido não lhes daria apoio.

 

 

O Elas por Elas realizou com as candidatas quatro meses de formação política sobre temas que o PT considera importantes para a construção do feminismo. "O estado vive um momento muito delicado em relação às políticas públicas para mulheres. Então essas mulheres que queriam ir para a disputa ganharam suporte do partido", conta Raísa Rabelo, da coordenação do projeto no estado.

 

 

A petista avalia que o feminismo está em alta no partido. "Temos e tivemos no partido militantes históricas dos movimentos sociais e sindicais, mas antes viabilizar suas candidaturas era difícil", lembra. "Mas hoje temos paridade nos cargos de direção dentro do PT e uma Secretaria de Mulheres muito forte no partido. E as grandes referências do movimento feminista no estado estão ou já estiveram no PT", garante Raísa.

 

 

O partido também criou um app de smartphones com o mesmo nome do projeto, trazendo informações de todas as candidaturas femininas do PT em todos os estados.


 Compesa leva água para comunidades rurais de Parnamirim, no Sertão do Estado

Compesa leva água para comunidades rurais de Parnamirim, no Sertão do Estado

Cerca de 2.500 pessoas de Quixaba e Barro serão beneficiadas

 

As obras de implantação do sistema de abastecimento de água das localidades de Quixaba e Barro, no município de Parnamirim, estão sendo executadas a todo vapor pela Compesa. A ordem de serviço foi assinada pelo governador Paulo Câmara em julho deste ano, e em pouco mais de um mês, 25% dos serviços já foram executados. A obra tem um investimento de R$ 2,1 milhões e vai beneficiar 2.500 pessoas das duas localidades, sendo realizada em parceria com a Prefeitura de Parnamirim.

 

Nesta tarde (30),  o gerente Regional da Compesa, Alex  Chaves,   visitou  a obra que contempla a implantação de 12 quilômetros de tubulações que irão levar água do Sistema Adutor do Oeste até a Estação de Tratamento de Água (ETA) de Quixaba, situada às margens do Açude do Cachimbo. “Dos 12 quilômetros de adutora previstos, quase cinco  já foram assentados e seguem em ritmo acelerado”, afirmou Alex.

 

Da ETA Quixaba serão implantados mais 2,5 quilômetros de tubulações e será construída uma estação elevatória que vai bombear água para o povoado do Barro. “Essa obra é um desejo  antigo dos moradores da região e um compromisso do governador Paulo Câmara. Com recursos próprios e apoio do prefeito de Parnamirim Tácio Pontes, estamos conseguindo tornar realidade e melhorar a vida dessas famílias.”, afirmou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.


Candidato a deputado estadual pelo PT anuncia voto em Silvio Costa

Candidato a deputado estadual pelo PT anuncia voto em Silvio Costa

O deputado federal e candidato a senador pela coligação Pernambuco Que Você Quer, Silvio Costa (Avante), recebeu, nesta quinta-feira (30), o apoio formal do candidato a deputado estadual Maricleiton, do PT, que tem base no Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife.

O anúncio de apoio de Maricleiton acontece no dia seguinte à declaração de apoio do Movimento de Base do PT (MoB), que representa uma importante parcela da militância petista.

“Estou apoiando o candidato a senador, Silvio Costa, pelo seu papel no Congresso Nacional contra o impeachment da presidenta Dilma e pelo seu posicionamento em defesa dos direitos dos trabalhadores. Apoio, também, pela sua luta em defesa do ex-presidente Lula”, argumenta o petista.

Natural do Cabo de Santo Agostinho e militante das causas sociais e movimentos culturais, Maricleiton é advogado e funcionário concursado do Banco do Brasil desde 2004.

“Me sinto honrado em receber o apoio de Maricleiton, jovem liderança e referência de política do bem. Não tenho dúvida que ele terá uma expressiva votação para deputado estadual”, retribuiu Silvio Costa.